Igrejas francesas para Kirill: o nacionalismo religioso é uma ameaça à paz?

Igrejas francesas para Kirill: o nacionalismo religioso é uma ameaça à paz?

Roma (NEV), 10 de março de 2022 – Tem como título “O nacionalismo religioso é uma ameaça à paz?” a iniciativa promovida hoje na França pelas igrejas cristãs. A referência é à guerra na Ucrânia e às recentes posições assumidas pelo Patriarca de Moscou Kirill.

Os presidentes da Conferência Episcopal da França (CEF), Monsenhor Eric de Moulins Beaufort e da Federação Protestante da França (FPF), o pároco François Clavairoly reunir-se-á hoje às 17h30, em Paris, na Catedral da Santíssima Trindade, sede episcopal em Paris da diocese de Che’rsone’se e centro do Exarcado da Europa Ocidental do Patriarcado de Moscovo, com o Padre Maxime Politovpároco da Catedral. “O objetivo desta reunião – como afirma este comunicado publicado no site da Federação Protestante da França (FPF) – é, por um lado, uma troca de informações e uma discussão sobre a situação na Ucrânia e, por outro lado, a entrega oficial de duas cartas dos presidentes da CEF e da FpF a Sua Santidade Kirill de Moscou, Patriarca de Moscou e de toda a Rússia”.

“O protestantismo e o catolicismo franceses – concluem os dois expoentes das igrejas francesas – não podem ficar sem ação, com os representantes das comunidades ortodoxas presentes na França, e eles decidem agir. Esta iniciativa pretende contribuir para o diálogo mas também e sobretudo questionar o Patriarca de Moscovo e de toda a Rússia sobre a importância do seu sentido de responsabilidade neste conflito”.

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.

artigo anteriorUcrânia, o compromisso da diaconia valdense
Próximo artigoUcrânia, primeira missão das igrejas protestantes na Polônia

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Uma torre de livros está de volta, na Torre Pellice a partir de 8 de julho

Uma torre de livros está de volta, na Torre Pellice a partir de 8 de julho

DCIM101MEDIADJI_0121.JPG 02 Roma (NEV), 4 de julho de 2023 – Décima sexta edição de Una torre di libri, o festival cultural da Torre Pellice (To) agendado de 8 a 16 de julho de 2023. “Nove dias e dois fins de semana cheios de cultura lento", como explicam os promotores. Todos os eventos terão entrada franca e serão realizados em ambiente fechado em estrutura tensionada, no Jardim do Liceo Valdese, na via Beckwith 1. O evento será inaugurado no sábado, 8 de julho, às 18h. Andrea Colamedici E Laura Gancitano, filósofos e criadores do Tlon, um projeto de pesquisa e divulgação cultural e filosófica. “Tlon” leva o nome de um novo mundo imaginário, conforme retratado em uma famosa história de Jorge Luís Borges, e também é uma editora, uma livraria de teatro, duas livrarias em Roma. O último livro de Colamedici e Gancitano intitula-se “Mas quem me obriga a fazer isso? Como o trabalho nos enganou: o fim do feitiço” (edições HarperCollins Italia). Por meio de explorações históricas e levantamentos precisos do presente, os autores nos estimulam a refletir sobre as origens e os desdobramentos de um conceito multifacetado e polêmico, o de trabalho. “Precisamos entender como trabalhamos, quando trabalhamos, onde trabalhamos. E, sobretudo, porque trabalhamos… para não nos autodestruirmos em poucos anos”. Há um bate-papo com os dois filósofos Samuel Pigoni, diretor da Fundação Time2. Aos 21 no palco vai subir Diego Passoni, autor de “Isola” (Mondadori). No elenco de "Pinóquio" na Rádio Deejay e depoimento 2023 para o Otto per mille da Igreja Valdense, em Estamos todos na mesma arca ele nos disse "o que aprendi na Bíblia sobre mim, sobre os outros e sobre nossa confusão up vidas". Com o jornalista Reform-Eco dos vales valdenses e a agência de notícias Nev, Gian Mario Gilliofalará sobre Isola, seu último livro e primeiro romance. Domingo, 9 de julho, recomeça às 18h, com o jornalista Giuliana Sgrena e seu livro “Mulheres enganadas. O véu como religião, identidade e liberdade” (The Assayer). Partindo do tema do véu, a autora aborda uma das questões cruciais do nosso tempo, a relação entre liberdade e religião, e fá-lo através da voz das mulheres. Ele vai discutir isso com o educador Francisco Pratesi. Correspondente do "il manifesto", o jornalista acompanhou de perto muitos conflitos armados, inclusive na Palestina e no Iraque. Aos 21, o primeiro evento especial de UMA TORRE DE LIVROS 2023. See More Stefania Limiti, Manlio Milani, Stefania Barzon e Claudio Geymonat apresentará: "O verão do golpe" (Chiarelettere) e "O barulho das bombas" (Volturnia Edizioni). No palco, quatro autores para dois livros dedicados a uma fase obscura e ainda atual da história da Itália. Em L'estate del coup, a jornalista Stefania Limiti nos conta sobre o plano golpista que felizmente desapareceu em 1973. Sobre o massacre de Brescia de 1974 em O barulho das bombas escrevem Manlio Milani, presidente da associação familiar do Massacre caído da Piazza Loggia e um dos fundadores da Casa della Memoria de Brescia, Stefania Barzon, psicóloga e psicoterapeuta, e Claudio Geymonat, editor da Reform. Apresentado por Davide Rigallo, secretário da AICCRE Piemonte. Uma torre de livros é o festival do Município de Torre Pellice organizado pela Livraria Claudiana e pela Associação Diversi Sguardi, com Riforma – L'Eco delle Valli Valdesi. Parceiros da iniciativa: Escola Secundária Valdense, Centro Cultural Levi-Scroppo, Rádio Beckwith, Editora Claudiana, Fundação Centro Cultural Valdense, Associação Musicainsieme, Diaconia Valdense, Médicos com a África CUAMM, Igreja Valdense de Torre Pellice, Associação Pensieri in Piazza, Cai Uget Vale Pellice. O projeto cultural recebe o apoio do Otto per mille da Igreja Valdense. O festival segue até 16 de julho, programação completa no site: ...

Ler artigo
um apelo à conversão radical

um apelo à conversão radical

Roma (NEV), 22 de novembro de 2018 - Urgência, conversão de estilos de vida, trabalho em rede para apoiar a justiça ecológica e promover modelos de desenvolvimento sustentável em nível local e global. Estes são alguns dos principais temas que surgiram na conferência "" Que o teu coração guarde os meus preceitos (Provérbios 3:1). Uma Criação a ser guardada por cristãos responsáveis, em resposta à Palavra de Deus”, realizada em Milão de 19 a 21 de novembro passado. Promovido pelo Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da CEI, em colaboração com a Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), a Arquidiocese Ortodoxa da Itália e Malta, a Igreja Apostólica Armênia, a Diocese Copta-Ortodoxa de San Giorgio em Roma, a Igreja da Inglaterra e a Diocese Ortodoxa Romena da Itália, a conferência envolveu cerca de 250 participantes que compartilharam diferentes perspectivas sobre o tema da salvaguarda e proteção da criação. Tema há décadas no centro da reflexão do movimento ecumênico - como sublinhou Simone Morandiniprofessor do Instituto San Bernardino de Estudos Ecumênicos de Veneza, no discurso de abertura – a guarda da criação está constantemente presente no testemunho bíblico e nas diversas tradições confessionais, até a "Laudato si'" de Papa Franciscosem contudo nunca se tornar central na consciência de fé dos cristãos. Peter Pavlovic É a urgência do tempo presente que traz a questão ecológica para o centro também nas igrejas. ele lembrou Peter Pavlovic, secretário da European Christian Network for the Environment (ECEN), temos uma janela de não mais de 20 ou 30 anos para evitar uma catástrofe ambiental. Por isso é importante o diálogo entre a fé e a ciência e, neste âmbito, podem ser aliadas no apelo a uma radical conversão pessoal e coletiva dos estilos de vida. a pastora Letizia Tomassone, professora de Estudos da Mulher na Faculdade de Teologia Valdense, trouxe o ponto de vista da teologia feminista que vê uma proximidade entre a exploração e a violência infligida ao corpo da terra e ao corpo das mulheres. Por isso, ao invés de falar de guarda e cuidado da Criação, palavras que muitas vezes acompanharam a condição de subordinação da mulher na sociedade em relação ao homem, as teólogas feministas preferem falar de interdependência, termo que explicita a complexidade das relações e a entrelaçamento entre justiça ecológica, econômica e de gênero. A urgência de uma ação que possa interromper a corrida rumo a uma catástrofe ambiental foi reafirmada pelo professor Enrico Giovanniniex-ministro do trabalho e porta-voz ecocomunitário da Aliança Italiana para o Desenvolvimento Sustentável (ASviS), que promove a Agenda 2030 que lista 17 objetivos da ONU para o desenvolvimento sustentável. A partir da esquerda, Ionut Coman, Ambrogio Spreafico, Luca M. Negro A conferência deu então a palavra aos participantes que, divididos em 4 grupos, partilharam reflexões e experiências, salientando a necessidade de também as igrejas formarem eco-comunidades, respeitosas do ambiente nas suas práticas quotidianas Creatocommunitarie, e agentes de formação ecológica não só para crianças e adolescentes, mas também para adultos sobre temas como desperdício de alimentos, coleta de lixo, uso de plástico. Os resultados dos grupos de trabalho serão retrabalhados pela comissão organizadora do evento que produzirá um documento final a ser divulgado em breve. A conferência foi então encerrada com as considerações finais do pároco Luca Maria Negropresidente da FCEI, pelo pai Ionut Comanresponsável pelo ecumenismo da Diocese Ortodoxa Romena da Itália e por Mons. Ambrogio Spreaficopresidente da UNEDI. ...

Ler artigo
2022. Os eventos evangélicos e ecumênicos do ano

2022. Os eventos evangélicos e ecumênicos do ano

Foto Pixabay CC Roma (NEV), 1º de janeiro de 2022 - Esta é uma visão geral das nomeações nacionais e internacionais de igrejas protestantes e órgãos ecumênicos para o ano de 2022. Entre outras coisas, o programa inclui o Sínodo Luterano, a V sessão conjunta da Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e do Sínodo das igrejas valdenses e metodistas, conhecida como “Sínodo-Assembléia”. E ainda, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (18-25 de Janeiro), os compromissos da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) e do Conselho Ecuménico das Igrejas (CEC), a 15ª Conferência de Lambeth. Abaixo, em ordem cronológica, a Agência NEV Press relata os eventos mais significativos que irá explorar parcialmente durante o ano. AGENDA 2 de janeiro Celebração Ecumênica no zoom. Organizado, entre outros, pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) e pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE). 18/25 de janeiro Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2022. 20 de janeiro Womanitarian: mulheres como recursos comunitários – IV edição da Conferência Nacional de Serviços de Inclusão, com a Comissão Sinodal para a Diaconia (Waldensian Diaconia-CSD). POSTERGADO até 28 de abril 23 de janeiro Adoração das diferentes denominações protestantes no Grossmünster em Zurique, Suíça. 25/27 de fevereiro Assembleia Preliminar Regional da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) em Varsóvia, Polónia. 10/12 de março Conferência “Bem-estar das sociedades e locais de trabalho digitalizados” da Church Action on Labour and Life (CALL), em Estrasburgo, França. 22/25 de abril 46ª Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) 28 de abril / 1º de maio Sínodo Luterano. Poderia Primeiro Comitê Executivo da Comissão de Igrejas Reformadas (CMCR) com o novo Secretário Geral. 5 de junho Domingo de Pentecostes e “Dia do Impacto Global” da Aliança Batista Mundial (ABM). 23/30 de junho Conferência Geral da Igreja Metodista da Grã-Bretanha, Telford. 27 de julho/8 de agosto Conferência de Lambeth. final de agosto “Assembleia-Sínodo”, V sessão conjunta da Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e do Sínodo das Igrejas Valdenses e Metodistas. 31 de agosto / 8 de setembro Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) em Karlsruhe, Alemanha. 21/24 de setembro Conselho da Federação Batista Europeia (EBF). Para quaisquer alterações, correções e acréscimos, envie uma solicitação via e-mail para [email protected] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.