Mensageiros da Esperança – Nev

Mensageiros da Esperança – Nev

Roma (NEV), 29 de dezembro de 2021 – Em sua primeira mensagem de Ano Novo como Secretária Geral da Federação Luterana Mundial, a pastora e teóloga Anne Burghardt encoraja as igrejas a serem “arautos da esperança no mundo de hoje”, colocando “a fé em ação”, contribuindo para a inclusão e lutando pela unidade.

“Que Deus conforte todas as pessoas que sofrem e todos aqueles que lutam contra a pandemia e suas consequências. […] Oramos pelo fim da violência, injustiça e opressão […] Cristo nos encoraja a cruzar com coragem o limiar de 2022. Levados por seu amor, entramos no novo ano sabendo que ele está conosco todos os dias. Livres do medo e do desespero poderemos partilhar com os outros os dons que recebemos: ser luz no mundo e para o mundo, servir o próximo, difundir a paz e a reconciliação e defender a dignidade humana onde quer que estejamos, seja o que for as circunstâncias, seja qual for a necessidade. Devemos acolher-nos uns aos outros, como Cristo nos acolheu (Rm 15,7), sem nos afastar nem separar. Somos chamados não a ser mensageiros de exclusão, mas de inclusão; não os que contribuem para a fragmentação, mas os que lutam pela unidade”, lê-se no texto do Pr. Burghardt.

Aqui o texto completo da mensagem, em inglês.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igrejas protestantes na Alemanha, Annette Kurschus à frente do EKD

Igrejas protestantes na Alemanha, Annette Kurschus à frente do EKD

Roma (NEV), 11 de novembro de 2021 – Annette Kurschus ela é a nova presidente da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD), as igrejas protestantes alemãs. A mulher de 58 anos é vice-presidente do Conselho da EKD desde 2015 e, como o foco evangélico explica neste artigo, ela é a segunda mulher a liderar a EKD em sua história após Margot Kässmann. Ele sucede o bispo luterano Heinrich Bedford-Strohmque ocupa o cargo desde 2014. Bedford-Strohm é conhecido na Itália e na Europa por seu compromisso com os direitos dos migrantes, ao lado de ONGs como Sea Watch e tem se manifestado repetidamente a favor dos corredores humanitários e da atividade das igrejas evangélicas na Itália nesta área. Ela estava vindo em 2017 para #Lampedusa para conhecer o projeto @Medhope_FCEI – parabéns #Kurschus — Gaëlle Courtens (@gaelle14juillet) 10 de novembro de 2021 Na sessão de ontem, 10 de novembro, em Bremen, o Sínodo da EKD e a Conferência da Igreja elegeram Annette Kurschus, presidente da Igreja da Igreja Evangélica da Vestfália, presidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) com uma maioria de 126 votos de 140. “Estamos muito satisfeitos porque, com Annette Kurschus, elegemos uma excelente teóloga que tem experiência de liderança e é muito acessível”, disse o presidente do Sínodo EKD, Anna-Nicole Heinrich. "Juntamente com os membros do Conselho, Annette Kurschus, como presidente, fará ouvir a voz da Igreja Protestante nas questões sociais mais prementes", acrescentou Anna-Nicole Heinrich. Annette Kurschus nasceu em 1963 em Rotenburg an der Fulda e cresceu em uma casa pastoral em Obersuhl (Hesse) e Siegen (North Rhine-Westphalia). Ele estudou teologia desde 1983 em Bonn, Marburg, Münster e Wuppertal. A partir de 1989 ela recebeu treinamento ministerial e depois serviu como pastora em várias igrejas locais em Siegen. Em 2005, ela se tornou superintendente distrital da igreja de Siegen. Desde 2012, Präses Annette Kurschus é a presidente da Igreja Evangélica da Vestfália, a quarta maior igreja regional da Alemanha. Em 2019, a Universidade de Münster concedeu-lhe o doutorado honorário de sua Faculdade de Teologia Protestante. Desde novembro de 2015 é vice-presidente do Conselho EKD e desde 2016 também seu representante especial para as relações com as igrejas polonesas. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=SN42BabbROk[/embed] O Sínodo da EKD, com o Conselho e a Conferência da Igreja, é um dos três órgãos dirigentes da EKD. Reúne-se de 7 a 10 de novembro em Dresden. De acordo com a constituição da EKD, o XIII Sínodo tem 120 membros. As tarefas do Sínodo incluem redigir declarações e decisões sobre questões contemporâneas e acompanhar o trabalho do Conselho EKD através da emissão de diretrizes. O Sínodo também discute e adota o orçamento e as leis eclesiásticas. O Sínodo é presidido por um corpo de moderadores (presidium), sob a presidência de Anna-Nicole Heinrich. Ele também é membro do Conselho EKD de 15 pessoas. A presidente do Conselho EKD é Annette Kurschus. A EKD é uma comunidade de 20 igrejas regionais luteranas, reformadas e unidas na Alemanha. 20,2 milhões de protestantes pertencem a uma das 13.200 igrejas locais. ...

Ler artigo
Oscar 2022, a lição de uma noite

Oscar 2022, a lição de uma noite

Roma (NEV), 28 de março de 2022 - "O triunfo do politicamente incorreto, como se não houvesse civilização", de um lado e "a delicadeza" de um filme como "Drive my car" do outro. Então o pastor metodista Pedro Ciacciopresidente da Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi", comentou, in loco, a noite do Oscar e em especial a bofetada de Will Smith para o apresentador Chris Rockque fez uma piada sobre o cabelo da esposa de Smith, Jada Pinkettsofrendo de alopecia. Sobre o episódio acima, para Ciaccio foi a representação de “Um quadro burguês, para dizer a verdade. O pior desta noite foram, na minha opinião, as desculpas de Will Smith, que não se desculpou com a esposa, como se ela devesse agradecê-lo por esta cena”. Ciaccio com o diretor de Drive my car Voltando ao cinema propriamente dito, segundo Ciaccio "o filme que ganhou o prêmio de melhor filme estrangeiro, "Drive my car", dirigido pelo diretor Ryusuke Hamaguchi, é um dos filmes mais interessantes e bonitos dos últimos anos. Porque consegue juntar os fios das diferentes formas de fazer cinema, conjugar o teatro com a literatura, e muito mais. Ser visto. E em termos de relação entre os gêneros, mas também de violência, é exatamente o oposto da terrível cena da noite passada entre Smith e Rock”. Em julho passado, o júri ecumênico do Festival de Cinema de Cannes já havia premiado o filme japonês baseado em uma história de Haruki Murakami. O filme também ganhou o prêmio de Melhor Roteiro em Cannes. É “um filme muito delicado e comovente, com um elenco internacional, que fala de autoaceitação e perdão”, disse-nos Peter Ciaccio. O júri ecuménico do Festival Francês, instituído em 1974, é nomeado pelas associações cinematográficas Signis e Interfilm, para escolher e premiar filmes de cariz social e espiritual, constituído por três católicos e três protestantes, cujo presidente da última edição do Festival revisão era um irlandês. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
Abandone a guerra mundial em pedaços.  Em 15 de fevereiro, reunião em Roma

Abandone a guerra mundial em pedaços. Em 15 de fevereiro, reunião em Roma

Roma (NEV), 8 de fevereiro de 2023 – “15/02/2003-2023 Vamos parar a guerra”. Este é o nome da rede de pessoas e organizações que organizaram uma conferência aberta por ocasião do 20º aniversário da grande mobilização que disse NÃO à guerra no Iraque. Entre os promotores, juntamente com Un Ponte Per e a Rede Nacional de Coordenação de Paz e Desarmamento, está também a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). A conferência é realizada na Igreja Evangélica Metodista na via XX Settembre em Roma, no dia 15 de fevereiro, a partir das 16h30. Haverá uma transmissão online ao vivo no Facebook (e outros sites. Os organizadores escrevem: “Há 20 anos, em 15 de fevereiro de 2003, mais de 100 milhões de pessoas saíram às ruas das cidades do mundo para dizer NÃO à guerra no Iraque e a todas as guerras sem ses, es ou mas. Uma geração de ativistas e ativistas se manifestou em nome da humanidade. Foi a maior manifestação de sempre, falava-se da sociedade civil como a segunda potência mundial. Por um breve período, tornou-se mais difícil para os poderosos justificar a guerra diante de sua própria opinião pública. Alguns países retiraram tropas do Iraque, a nova presidência dos EUA fez um acordo histórico com o Irã, ninguém mais queria colocar as botas no chão. Depois houve a grande crise econômica e a opinião pública teve que mudar sua agenda. Às tradicionais grandes potências atómicas juntaram-se novos players regionais e globais, iniciando uma grande competição para um novo equilíbrio global. Entretanto, iniciou-se uma nova corrida armamentista e os preparativos para a guerra reiniciaram-se silenciosamente até à agressão do governo russo contra a população ucraniana e às tantas outras guerras 'silenciosas' de hoje perante as quais as sociedades civis, embora opostas, parecem não reativos ou dispostos a se rebelar como no passado. Vinte anos depois, tentemos reflectir sobre o significado e o alcance daquela manifestação e sobre a fragmentada terceira guerra mundial a que assistimos e sobre os desafios do movimento antiguerra internacional com alguns dos protagonistas da época e olhando para o mundo a partir dos cinco continentes e de diferentes pontos de vista”. Para inscrições e informações, escreva para [email protected] PLANO 16h30 – Exibição dos filmes da manifestação de 15 de fevereiro de 2003 17:00 – Apresenta: Alfio NicotraUma Ponte Para 17h10 – Saudações: Mirella Mannocchiopastor da Igreja Evangélica Metodista Sessão #1: O DIA EM QUE O MUNDO DISSE NÃO À GUERRA 20 anos depois, comparando reflexões sobre o significado, alcance e legado do maior comício pela paz da história 17h20 – Chris NinehamPare a Coalizão de Guerra 17h30 – Piero BernocchiCOBAS 17h40 – Raffaela BoliniARCI 17h50 – Ismaeel DaewoodIniciativa de Solidariedade da Sociedade Civil Iraquiana (ICSSI) Sessão #2: A GUERRA MUNDIAL EM PEDAÇOS Perspectivas dos 5 continentes sobre a guerra mundial em pedaços e sobre os desafios do movimento antiguerra internacional, com os protagonistas da época. 18h00 – Walden BelloFoco no Sul Global – Ásia 18h10 – Phyllis BennisInstituto de Estudos Políticos - América do Norte 18h20 – Alexandre BelikMovimento Russo de Objetores de Consciência – Europa 18h30 – Edgardo LanderInstituto Transnacional e Diálogo Global – América do Sul 18h40 – Moussa ThangariAlternative Espace Citoyens – África 18h50 – Marga FerréTransformar – Europa Sessão #3: PONTOS DE VISTA Feminismo, justiça climática, luta pelas liberdades: testemunhos de movimentos em comparação. 19h00 – Ada DonnoGrupo Femm Cura, Associação de Mulheres da Região do Mediterrâneo 19h10 – Emanuele Genovesesextas-feiras para o futuro 19h20 – Parisa Nazariativista iraniano CONCLUSÕES 19h30 – Sérgio Bassoli, CGIL; Europa pela Paz Moderado Fábio AlbertiUma Ponte Para Curadoria do evento: 15 de fevereiro de 2003-2023 Vamos parar a guerra ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.