20 anos da Carta Ecumênica.  Promover a paz e a justiça

20 anos da Carta Ecumênica. Promover a paz e a justiça

Foto CEC/Nikos Kosmidi

Roma (NEV), 12 de abril de 2021 – “As desigualdades sociais e econômicas exigem a transformação de nossas atitudes e estruturas.” lê a declaração ecumênica conjunta emitida hoje.

A declaração, assinada pelo pároco Christian Kriegerpresidente da Conferência das Igrejas da Europa (KEK), e pelo cardeal Ângelo Bagnascopresidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), chega por ocasião do 20º aniversário da Carta Ecumênica.

A Carta representa um dos pilares do ecumenismo a nível europeu e reúne as igrejas protestante, católica e ortodoxa.

“As contínuas ameaças à democracia e ao ambiente natural exigem uma atenção renovada à vida inteira – continua a declaração -. O ressurgimento de conflitos armados e ataques terroristas em algumas partes do continente nos últimos anos exige arrependimento, perdão e justiça”.

Igrejas “redefinindo seu ministério em meio à pandemia do COVID-19”. Krieger e Bagnasco escrevem novamente, convidando-nos a rezar “para que todos sejam um”. dqueremos ser instrumentos dessa unidade. E nos comprometemos novamente a fortalecer a comunhão eclesial por meio da oração e da ação comuns. Ao mesmo tempo em que oferecemos nosso serviço ao mundo pela promoção da justiça e da paz”, concluem.

O “Carta Ocumênica. Orientações para a crescente cooperação entre as Igrejas na Europa”, foi assinado em 2001 pelos presidentes da CCEE e da CEC. Documento fundamental do ecumenismo, este ano celebra seus primeiros 20 anos.

22 de abril. celebração on-line

No âmbito das comemorações deste aniversário, o CCEE e o CEC organizam um momento ecuménico online no dia 22 de abril de 2021, das 19h00 às 20h30 (CEST).

No evento, intitulado “Seja alegre na esperança, paciente no sofrimento, perseverante na oração” (inspirado no versículo da Carta aos Romanos 12.12), todas as igrejas e parceiros ecumênicos estão convidados.

Para a ocasião, entre outras coisas, será publicado um livrinho ecumênico. Disponível para download gratuito nos sites da CCEE e CEC, estará disponível em inglês, francês, alemão e italiano. A publicação é destinada às igrejas e pode ser utilizada durante todo o ano nas comemorações locais.

Para participar do evento é necessário se inscrever no seguinte link:

Você pode acompanhar a transmissão ao vivo no YouTube no seguinte link:

Aqui está o texto da Declaração Conjunta.

Charta Oecumenica. vocêum desafio para as igrejas

Por ocasião do 10º aniversário da Carta, o jurista valdense Gianni Longpresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) no momento da assinatura, comentou o documento. “A Carta Ecumênica é um documento que encoraja e desafia as igrejas. Em alguns casos, fruto de compromissos entre diferentes posições, a Carta Ecumênica fez com que as três famílias confessionais cristãs do continente reconhecessem coisas muito importantes. O direito à liberdade religiosa dos indivíduos e de outras confissões. O repúdio ao nacionalismo e ao racismo. O reconhecimento de uma relação especial que liga os cristãos aos judeus. A importância do diálogo com o Islã e outras religiões. Embora a sua aplicação tenha sido desigual nas várias nações europeias, é de grande valor o facto de todos os cristãos do continente terem subscrito estas afirmações”.

Aqui o texto da Carta Ecumênica em italiano, Inglêsem Francês e em Alemão.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O 17º aniversário do Kirchentag ecumênico, o “festival” dos protestantes na Alemanha

O 17º aniversário do Kirchentag ecumênico, o “festival” dos protestantes na Alemanha

Fotos do Kirchentag 2019 do Dortmund, de www.kirchentag.de Roma (NEV), 27 de maio de 2020 - O Kirchentag, a festa eclesiástica evangélica alemã, fundada em 1949, aconteceu pela primeira vez em forma ecumênica em Berlim há 17 anos, em 28 de maio de 2003. Um encontro de cristãos de todo o mundo Alemanha e não só, da qual participaram tanto a Igreja Católica quanto protestantes e evangélicos. Desde então, este grande evento se repete a cada dois anos para as igrejas protestantes, durante cinco dias durante os quais se alternam debates, momentos de oração, reflexões, atraindo milhares de crentes não só da Alemanha, mas de toda a Europa e também de outros continentes. No ano passado, em 2019, assim como em 2017, alguns representantes da FCEI e, em particular, do programa de refugiados e migrantes, Mediterranean Hope, também participaram do Kirchentag. Uma imagem da última edição do Kirchentag, em Dortmund em 2019 “Se eu tivesse que descrever o que é o Kirchentag – explica Marta Bernardini, operadora do MH, que aliás foi convidada da última edição do evento alemão – eu chamaria de imediato o “Festival das igrejas protestantes na Alemanha”. Uma festa porque o ar que se respira é de festa e alegria, de grande emoção e intensidade. Cada Kirchentag tem um título, portanto um tema em torno do qual se desenvolvem conferências, debates, eventos, há convidados internacionais, apresentações artísticas, há stands que dão vida a um verdadeiro "mercado" de realidades, associações, igrejas não só da Alemanha mas de No mundo todo. Seguem-se os momentos de adoração, oração, canto, vividos em grandes espaços, em locais sempre sugestivos como grandes cidades ou parques. Os temas escolhidos estão ligados ao presente, conseguindo abordar questões sócio-políticas, justiça, ecologia, paz com um olhar evangélico. Nossas igrejas - continua Bernardini - têm um vínculo histórico e vivo com as igrejas irmãs na Alemanha e o envolvimento do componente italiano já está consolidado. Há estandes de nossas obras e pensões, há reuniões, cultos, estudos bíblicos conduzidos por pastores ou membros de nossas igrejas também em italiano, porque muitos gostam de manter viva uma língua aprendida talvez justamente durante os períodos de estudo ou intercâmbio entre as igrejas. Nesse clima de amizade e fermentação, tive o prazer de participar dos dois últimos Kirchentags em nome do projeto Esperança Mediterrânea da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. Uma forte lembrança permanecerá de 2017, um ano particularmente excepcional devido ao 500º aniversário da Reforma, quando tive a oportunidade de apresentar os corredores humanitários durante o serviço de encerramento em Wittenberg. Encontrei-me num grande palco num imenso prado verde com a emoção de partilhar aquele momento perante 120.000 pessoas: a minha voz de uma pequena realidade fundiu-se numa comunidade mais ampla e universal – conclui o operador do MH -, a dos irmãos e irmãs unidas em Cristo”. O próximo compromisso do evento, que acontece a cada dois anos, será em 2021, de 12 a 16 de maio, em Frankfurt. O tema do próximo ano será o ecumenismo. ...

Ler artigo
Otto per mille Waldensian, diretrizes para 2023 publicadas

Otto per mille Waldensian, diretrizes para 2023 publicadas

Claudio Schwarz, unsplash Roma (NEV), 14 de novembro de 2022 – Foram publicadas hoje as diretrizes para participar da Chamada Otto per Mille (OPM) valdense e metodista de 2023, que será aberta de 5 a 27 de janeiro de 2023. Conforme declarado em um comunicado à imprensa em ChiesaValdese.org, todas as associações que desejam apresentar um pedido de financiamento para suas iniciativas de solidariedade na Itália e no exterior, portanto, têm a oportunidade de consultá-las, para preparar um projeto e documentação conforme as diretrizes elaboradas pelo Tavola Valdese. Está também disponível um documento de perguntas e respostas a perguntas frequentes, para esclarecer as dúvidas mais comuns. No site www.ottopermillevaldese.org, na página "Enviar um Projeto", você pode ler esta e outras informações para participar da chamada. “Nunca como neste momento – declarou Manuela Vinay, chefe do Gabinete Otto per Mille de Tavola Valdese – sabemos da importância do apoio que podemos oferecer ao nosso e aos outros países. Por esta razão decidimos não alterar a abordagem aberta que sempre caracterizou a nossa Chamada, tentando simplificar alguns aspectos para facilitar a participação”. A União das Igrejas Metodistas e Valdenses contribui, como outras confissões religiosas, para a distribuição dos fundos Otto per Mille IRPEF e optou por destinar todas as contribuições que lhe são devidas exclusivamente para apoiar intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, na Itália e no exterior: “Para isso, explica Manuela Vinay, todos os anos oferecemos a todos a oportunidade de apresentar propostas para obter uma contribuição econômica; a seleção de projetos ocorre com base no único critério de compartilhar nossos valores e princípios de solidariedade, sem preconceitos de natureza ideológica, política ou confessional. Em 2022 foram selecionados mais de 1.500 projetos, para os quais se destinaram um total de cerca de 45 milhões de euros, num total de quase 5.000 candidaturas submetidas à nossa aprovação”. Os 8×1000 podem ser atribuídos por todos os contribuintes a uma das entidades religiosas com as quais o Estado italiano tenha assinado um acordo, ou ao próprio Estado. O 8×1000 funciona mesmo como um voto, porque é dividido entre o Estado e as entidades religiosas, na proporção das escolhas feitas. “A consciência de viver em tempos particularmente difíceis em que o egoísmo parece prevalecer – acrescenta Vinay – nos faz pensar quais são as razões dessa deriva, sejam anos de falta de bons exemplos ou má administração. Há quem tenha encontrado “boas razões” para defender espaços, bens, direitos, erguer muros em detrimento de outras pessoas que já nem sequer são percebidas como seres humanos, mas parecem ter se tornado definições abstratas, mais fáceis de atropelar. Esta mentalidade generalizada e penetrante afeta a Itália, mas também outros países com um efeito disruptivo que fecha a possibilidade de estarmos “próximos” dos nossos vizinhos mais ou menos distantes. Para nós crentes é impossível não pensar que direitos, paz, fraternidade, alívio, hospitalidade podem se tornar palavras incômodas. Eles são a base da nossa razão de existir e como igrejas estaremos sempre próximos dos necessitados e daqueles que dedicam suas vidas ao bem do próximo. Neste contexto complexo - conclui o responsável do OPM valdense -, em que as soluções aparecem distantes e as boas intenções infelizmente não tão próximas, queremos, como todos os anos, acender uma luz e oferecer o nosso apoio a muitas realidades que vivem cada dia em seu próprio território o mais alto sentido da vida. Ou seja, aquela que só faz sentido se vivida na relação com o outro, dedicando-se a partilhar os valores nos quais nos reconhecemos”. Para qualquer outra informação: ...

Ler artigo
Sínodo dos Bispos.  Uma igreja de serviço e não de poder

Sínodo dos Bispos. Uma igreja de serviço e não de poder

foto JW/Unsplash Roma (NEV), 2 de novembro de 2018 - "Uma experiência de verdadeira fraternidade, um Sínodo de abertura e escuta, que, apesar das mediações necessárias e das óbvias resistências, refletiu corajosamente sobre uma Igreja de serviço e não de poder, participativa e não clerical” o pastor valdense declarou à agência NEV Marco Forneronerepresentante ecumênico da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas no Sínodo dos Bispos encerrado em 28 de outubro. Marco Fornerone (à esquerda) com frère Alois Loeser, Mauro Giorgio Giuseppe Lepori e David Bartimej Tencer. Sala de Imprensa do Vaticano, 17 de outubro de 2018 A XV Assembleia Geral Ordinária sobre "Os jovens, a fé e o discernimento vocacional" produziu, em um mês de trabalho, o Documento Final que representa um afresco de vozes e intenções, como se depreende dos 167 artigos que abordam temas como identidade, relações intergeracionais e ecumênicas, papel da mulher na Igreja, vocação, missão, formação, migrações, sexualidade, corpo, trabalho, violência, economia. Os resultados das votações mostram uma unidade substancial na maioria dos temas e um debate acalorado em andamento em alguns outros: o papel das mulheres, a sinodalidade da igreja, o corpo e a sexualidade, a condição de solteiros. No site chiesavaldese.org Fornerone comenta as obras que acabam de ser concluídas. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.