Bréscia.  Corpos de mulheres, violência, religiões, migrações

Bréscia. Corpos de mulheres, violência, religiões, migrações

Roma (NEV), 9 de fevereiro de 2023 – O Comitê Nacional da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) convida você para dois importantes encontros a serem realizados em Brescia nos dias 11 e 12 de fevereiro. Dirigido a todos os cidadãos, associações, grupos de mulheres de igrejas, os dois compromissos têm como protagonistas, entre outras coisas, mulheres migrantes.

“Um encontro que quer celebrar a enorme contribuição oferecida pelas mulheres migrantes na Itália e nas igrejas evangélicas italianas – escreve o Comitê FDEI -. Mulheres portadoras de valores simbólicos e culturais essenciais, onde a interseccionalidade dos nossos corpos é o testemunho mais autêntico. Falamos de interseccionalidade tendo já constatado, várias vezes, a nossa capacidade comum de lidar positivamente com eventos traumáticos. Nossas formas de reorganizar nossa própria vida diante das dificuldades. E como tentamos reconstruir nossa vida à luz da Palavra de Deus, permanecendo abertos às oportunidades que a própria vida nos oferece”.


Abre no dia 11 de fevereiro com a sessão pública, das 17h às 19h na Sala del Camino, no Palazzo Martinengo delle Palle (via San Martino della Battaglia, 18 – Brescia). Aqui o cartaz: 11 DE FEVEREIRO DE 2023

Violência de gênero e religiões: desafios locais

Apresentação:

No contexto multicultural e multirreligioso de Brescia, a realidade da violência de gênero levanta muitas questões, de natureza cultural, mas também sobre a capacidade de defender os direitos de cidadania de cada mulher. Conforme relatado pelo MigraREport 2022, elaborado pelo Centro de Iniciativas e Pesquisas sobre Migração – Brescia (CIRMIB) da Universidade Católica do Sagrado Coração de Brescia, se é verdade que nos últimos anos houve mais instrumentos legais para lidar com do fenómeno (por exemplo o “código vermelho” e a instituição da advertência ao parceiro violento), também é verdade que as mulheres denunciam mais abusos e violências sofridas pelo que o fenómeno está a aumentar, mesmo entre as populações estrangeiras.

PLANO

Moderado:

pastor Leonardo MagriIgreja Valdense de Brescia

Caixas de som:

Pastora Gabriela Liopresidente da FDEI Roma
Madalena ColomboUCSC, Diretor do CIRMIB e Presidente da Associação Dòsti – Festival de Artes e Culturas Religiosas
Naima DaoudaghMediadora cultural nos serviços de saúde, Associação Dòsti Festival de artes e culturas religiosas
Viviana CassiniPresidente da Women’s House Association-Antiviolence Center, Brescia
Batool HaidariUniversidade de Cabul, ativista dos direitos das mulheres

O evento será tema de um podcast da RADIO DOSTI “um mundo em Brescia”.
entrada livre


Segundo compromisso, em 12 de fevereiro, das 9 às 17h30, na Igreja Evangélica Valdense na Via dei Mille, 4. Aqui o pôster: 12 DE FEVEREIRO DE 2023

Mulheres evangélicas juntas. Ouvindo Abigail: mulher de bom senso e visionária

Caixas de som:

Pastora Eliade Dias Dos Santos
estudante de teologia Heidi Lengler

PLANO

9h00 Chegadas – apresentação e boas-vindas
9h45 Intervalo Café
11h00 Adoração – Igreja Valdense Brescia
12h30 Actividades antes do almoço
12h45 Almoço
14.00 Introdução ao Estudo Bíblico I Samuel 25: História de Abigail e Nabal
14.40 Trabalho de grupo
16.20 Plenário e propostas para um futuro possível
17h30 Conclusões e bênção final
entrada livre

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igrejas ecumênicas.  Agenda para a justiça climática, econômica e social

Igrejas ecumênicas. Agenda para a justiça climática, econômica e social

Agnes Abuom Roma (NEV), 24 de junho de 2021- O Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) está reunido nestes dias para definir o programa de trabalho em vista da Assembleia Geral a ser realizada em Karlsruhe, Alemanha, em 2022. A Assembléia se reúne a cada oito anos. É o único momento em que toda a comunhão ecumênica global se reúne para oração e celebração. Será a 11ª edição do mais alto órgão de governo do WCC. Tema: “O amor de Cristo move o mundo à reconciliação e à unidade”. Na conferência de imprensa de hoje, aberta e conduzida pelo Diretor de Comunicação do CEC Marianne Ejderstenfalou o moderador do Comitê Central do CMI, Agnes Abuome o secretário-geral interino, padre Ioan Sauca. Abuom e Sauca ilustraram as diretrizes de trabalho do Comitê, que se reuniu online. Discurso de Agnes Abuom “Queremos compartilhar o que estamos fazendo como comunhão e como órgão executivo do CMI – disse o moderador Abuom -. Pretendemos orar e caminhar juntos. Apesar do covid, ainda assim sentimos a necessidade de nos encontrarmos, para continuarmos unidos rumo à XI Assembleia. A pandemia ainda traz incertezas, mas é nossa intenção manter nossos compromissos”. A Comissão está a trabalhar no programa da Assembleia, em colaboração com várias delegações. Também na agenda estão a adesão de duas novas igrejas, relatórios para a Assembléia e a estratégia financeira do CMI. “Refletimos sobre os ministérios e lideranças de nossas igrejas – continuou Abuom –, sabendo que um dos pontos centrais que exige tempo e comprometimento é a resposta à covid. As igrejas sofreram perdas, mas também mostraram resiliência e encontraram mecanismos para lidar com a crise e divulgar o evangelho. Nos desafios econômicos e sociais, continuamos a buscar a unidade da igreja e da humanidade. Devemos alimentar a esperança onde não há nenhuma. Alimente o amor sobre a divisão, separação e perda." Discurso de Ioan Sauca Ioan Sauca Ioan Sauca disse: “Na pandemia, entendemos que pertencemos uns aos outros como seres humanos e pertencemos uns aos outros, como cristãos, como membros do corpo de Cristo. Estes não são tempos fáceis. Nossas igrejas passaram por sofrimento e morte. A Covid levou a muitos desafios, mas há esperança nos desafios." O Secretário sublinhou os ensinamentos da pandemia: “Entendemos a pertença e o cuidado mútuo, espiritualmente, teologicamente, mas também humanamente. Aprendemos a trabalhar online, com uma comunicação moderna. Continuamos nossas visitas às igrejas locais, com grande repercussão e resultados. Acho que mesmo quando voltarmos ao 'normal', nossa forma de trabalhar não será a mesma. O covid é uma oportunidade, com a qual melhoramos a comunicação com as igrejas, com novas ferramentas, reuniões, webinars, orações globais. Ficamos juntos, apoiando uns aos outros como uma família na igreja. A pandemia tornou mais visíveis as desigualdades e o pecado do racismo. É por isso que como CEC pretendemos construir um novo programa de combate ao racismo, mas não só. O tema da XI Assembleia parece providencial. Foi escolhido antes da covid, não poderíamos imaginar que teria sido tão pontual: o amor de Cristo move o mundo rumo à reconciliação e à unidade”. Muitos outros assuntos foram abordados na coletiva de imprensa. A linguagem cristã das igrejas. A importância e o poder da oração. Trabalho de direitos humanos e dignidade. O diálogo e a necessidade de igualdade entre palestinos e israelenses, para a superação de cada sofrimento de cada pessoa na Terra Santa. A luta contra o anti-semitismo. Justiça de gênero. A luta contra o estupro e a violência doméstica. Paz. Justiça climática, econômica e social. Segurança alimentar. A proteção do meio ambiente e da natureza. Sustentabilidade. Diálogo com a Igreja Católica. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=sw2lj45JVnA[/embed] ...

Ler artigo
#ViaPacis: a meia maratona multirreligiosa

#ViaPacis: a meia maratona multirreligiosa

Foto Staccioli/FIDAL Roma (NEV), 26 de setembro de 2018 – Realizou-se no passado domingo a Meia Maratona Via Pacis de Roma, com a participação de 7.500 atletas. Nascido para promover a paz, a integração, a inclusão e a solidariedade, este ano contou com o patrocínio, entre outros, da Fundação Nelson Mandela, que o incluiu entre os eventos comemorativos do centenário do nascimento do líder sul-africano, Prêmio Nobel da Paz, que havia uma forte ligação com as igrejas metodistas. A medalha dos finalistas é dedicada a Nelson Mandela. No início da corrida estiveram presentes, juntamente com numerosas autoridades e o prefeito de Roma Virgínia Raggineta do Nelson Ndileka Mandela e representantes religiosos cristãos, muçulmanos, judeus, budistas, hindus e bahá'ís. Entre eles, Tim Macquibanpároco da igreja metodista de Ponte S.Angelo, Gertrude Wiedmer, Kirchmayer Ursula E Lauckner Alberti Maria da Comunidade Evangélica Luterana Alemã. “É uma bela iniciativa, esta meia maratona que viu um rio de gente passar diante dos locais de culto de diversas religiões, entre eles a sinagoga, a mesquita, a basílica de São Pedro e o templo”, declarou Marco Forneronepároco da igreja valdense na Piazza Cavour, que se instalou aqui apenas uma semana antes do evento esportivo, e acrescentou "no futuro seria bom estar envolvido mais diretamente". A Meia Maratona de Roma Via Pacis, em sua segunda edição, é promovida pela Roma Capitale e pelo Pontifício Conselho para a Cultura, dicastério da Santa Sé. Organizado pela Federação Italiana de Atletismo (FIDAL), conta com a colaboração de vários parceiros. Meia Maratona de Roma Via Pacis! Sofia Yaremchuk é a primeira mulher a cruzar a linha de chegada na via della Conciliazione #eu corro porque #viapacis pic.twitter.com/31hQpcoqtq — Roma Half Via Pacis (@RomeViaPacis) 23 de setembro de 2018 seu nome é Freedom, e hoje ele venceu a Meia Maratona de Roma Via Pacis! #eu corro porque #viapacis pic.twitter.com/Rzy4bJD655 — Roma Half Via Pacis (@RomeViaPacis) 23 de setembro de 2018 ...

Ler artigo
Dia da Terra 2022 – Nevada

Dia da Terra 2022 – Nevada

Roma, 21 de abril de 2022 – Uma maratona multimídia de 14 horas para celebrar o 52º Dia Mundial da Terra. Amanhã, 22 de abril, da Nuvola di Fuksas em Roma em transmissão ao vivo em raiplay.it e diferida em vaticannews.va, o Dia da Terra Itália e o Movimento dos Focolares apresentam a terceira edição de #OnePeopleOnePlanet. O evento “enviará uma forte mensagem de esperança ao mundo e um importante apelo à ação para proteger o planeta. Mais uma vez os jovens estão no centro, os verdadeiros protagonistas da grande questão ambiental”, refere o comunicado de apresentação da iniciativa. Às 14h00 será a vez do debate intitulado "Pontes sobre o Mediterrâneo", conduzido por Cláudio Paravaticondutor de protestantismoo diretor de Comparar. Um momento “em que o ambiente, a solidariedade, o trabalho são contados pelos testemunhos e palavras de quem vive no Mediterrâneo, o mar não é grande o suficiente para dividir, mas também não é pequeno o suficiente para unir. É por isso que se constroem pontes, é por isso que se encontram no Mediterrâneo os perigos do nosso tempo, mas também os recursos para os poder ultrapassar. No estúdio e remotamente, falaremos sobre culturas, economias, diálogo e confronto, refugiados e hospitalidade, corredores humanitários, guerras esquecidas, integração e trabalho”. Entre os convidados Emanuela Claudia Del Re ex-vice-ministro da Cooperação Internacional, Daniele Garronepresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, Marco Impagliazzo, presidente de Sant'Egidio, Alberto Negrijornalista e Maria Di Pierri da Associação Sul. Desde 1970, a ONG Earth Day – reconhecida pela Secretaria Geral da ONU – organiza o mais impactante momento de conscientização ambiental do mundo com bilhões de pessoas mobilizadas todos os anos por meio do trabalho de 75 mil parceiros distribuídos nos 193 países membros das Nações Unidas. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.