Suíça, igreja reformada, pela primeira vez uma mulher presidente

Suíça, igreja reformada, pela primeira vez uma mulher presidente

Roma (NEV), 14 de junho de 2021 – Pela primeira vez, a Igreja Evangélica Reformada da Suíça (ESRB) tem uma mulher como presidente. De fato, os membros do Sínodo celebraram o primeiro culto com os novos eleitos ontem, domingo, 13 de junho Rita famosa, em Berna. O Presidente do Sínodo, Evelyn Borerrecordou na sua breve introdução os deveres do Presidente: “Tu serás o rosto da CERS na vida pública, nas relações ecuménicas e no diálogo inter-religioso: colocarás a tua vida ao serviço dos seus valores, valendo-te da tua fé”.

Além disso, durante a votação realizada no domingo, 13 de junho, o presidente do Conselho Nacional, Andreas Aebi, participou da solenidade e fez um breve discurso aos presentes, destacando o importante papel da igreja protestante para a sociedade. As igrejas irmãs da França e da Alemanha também estiveram presentes, representadas por Jean-François Guery E Frank Kopania. Entre os convidados do ecumenismo internacional estava também o secretário-geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) Ioan Sauca E Mário Fishersecretário geral da Comunhão das Igrejas Protestantes na Europa (CEPE).

Os membros da Presidência sinodal – Evelyn Borer, Catherine Berger e o pastor Christian Miaz – acompanhou o público durante a celebração bilíngue.

Alguns dias atrás – conforme relatado por Reforma – também na Espanha, pela primeira vez, uma mudança na mesma direção: Caroline Buenoadvogado de 44 anos, foi de fato eleito para dirigir as igrejas protestantes e, a partir de março próximo, assumirá o cargo de Mariano Blazquez no topo da Federação de Entidades Religiosas Evangélicas do Estado Espanhol.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Igreja Batista OPM, “Multiplicar a esperança por mil”

Roma (NEV), 22 de abril de 2023 – "Multiplicar a esperança por mil": este é o lema da campanha Otto per mille Baptist 2023. Estamos falando do compromisso da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) para fins de saúde , humanitário, social. Todos os anos, a UCEBI continua a aplicar 100% dos fundos recebidos "com extremo rigor, destinando-os - até ao último cêntimo - exclusivamente a intervenções sociais, assistenciais, humanitárias e culturais, em Itália e no estrangeiro", lê-se no site da batistas. Entre os projetos ativos, financiados com os recursos do Otto per mille, podemos ajudar idosos, mulheres vítimas de violência, meninos e meninas. Entre as atividades realizadas pela UCEBI com os fundos Otto per mille, um projeto dos Médicos Sem Fronteiras contra a violência contra as mulheres, a casa de repouso GB Taylor em Roma, apoio às atividades da Associação Italiana de Pessoas com Síndrome de Down (AIPD) – Onlus de Pisa e o projeto Medical Hope da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) para assistência médica a refugiados sírios no Líbano e na Itália. Quem são os batistas? “Para explicar de forma simples podemos dizer: os cristãos da igreja de Martin Luther King”. É o que afirma o site da UCEBI, membro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Fundada em 1956, recolhe o legado da União Batista Apostólica Cristã (UCAB), fundada em 1884 pelas missões inglesas e americanas que chegaram à Itália na década de 1860, por sua vez herdeiras dos anabatistas e da chamada Reforma Radical da Inglaterra de 1600. Aqui todas as informações da Receita Federal em 2, 5 e 8 por mil. As imagens escolhidas para a campanha publicitária Otto per mille battista: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=4G4eh_lWwIc[/embed] ...

Ler artigo
19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

19 de julho de 1620 – 19 de julho de 2020. Culto para recordar o “Sagrado Matadouro”

A fachada da igreja valdense na via IV novembro em Roma. Foto da Wikipédia Roma (NEV), 15 de julho de 2020 - Um serviço de comemoração presidido pelo pároco valdense será realizado em Roma no domingo, 19 de julho Rio Emanuelexatamente 400 anos após o massacre conhecido como o "Sagrado Matadouro de Valtellina". “Relembraremos este episódio da nossa história durante o culto” escreveu o pastor Fiume na primeira página do boletim julho-agosto “Protestantes em Roma”, enviado aos membros e simpatizantes da comunidade valdense que se reúne na via IV novembro 107 em Roma . O culto do próximo dia 19 de julho, que como todos os domingos do período de verão acontecerá às 11h junto com a comunidade francófona, será realizado respeitando as medidas sanitárias e de segurança indicadas pela Junta Valdense e pelas autoridades. A agência de notícias NEV publicou um arquivo intitulado O "matadeiro sagrado" de Valtellina (19 de julho de 1620), editado pelo próprio Emanuele Fiume, no qual o pastor e estudioso refaz as etapas históricas do extermínio religioso de centenas de protestantes ocorrido em julho de 1620. Acesse o CARD. Para mais informações sobre o culto e sobre a igreja valdense na via IV de novembro em Roma clique AQUI ...

Ler artigo
os valdenses expressam solidariedade com a comunidade judaica

os valdenses expressam solidariedade com a comunidade judaica

Roma (NEV), 17 de fevereiro de 2020 - A Comunidade Valdense de Verona, no dia em que recorda a concessão de direitos civis aos valdenses e judeus com a Carta Real Patente anexada ao Estatuto Albertino, a primeira Carta Constitucional italiana, expressa sua solidariedade e proximidade com a comunidade judaica de Verona. "Os recentes acontecimentos em Verona, a proposta de batizar uma rua com o nome de Giorgio Almirante, os cantos racistas dos torcedores de futebol, os chapéus com a estilização de Hitler e o crescente ressurgimento do anti-semitismo nos preocupam", diz o comunicado do Conselho de a Igreja Valdense de Verona assinada pela pastora Laura Testa. “Acreditamos que não é possível esquecer os crimes hediondos e atrozes ocorridos durante o Holocausto e que a Memória dos Horrores é indispensável para que fique um alerta claro para que tais crimes nunca mais voltem a acontecer”. A Comunidade Valdense espera também que, como em outras cidades da Europa e do mundo, também em Verona se possa estabelecer “um Museu da Memória ou uma instalação permanente como advertência e memória perpétua”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.