Ágape, aquele sonho realizado por Tullio Vinay que continua…

Ágape, aquele sonho realizado por Tullio Vinay que continua…

ágape

Roma (NEV), 13 de maio de 2020 – Aboquiaberto (no grego ágape, do latim tardio agparapor exemploem grego ἀγάπη) significa “amor”, indica o banquete fraterno entre os antigos cristãos, por extensão o banquete íntimo entre amigos.

ágape

No verão de 1946, o pároco de Prali Túlio Vinay, nascido hoje, 13 de maio de 1909, falou da necessidade de erguer nos vales valdenses um lugar que expressasse os valores do ágape cristão e que seria, para usar uma expressão contida no primeiro “Manifesto Ágape”, o rosto de Cristo “esculpido nas rochas das nossas montanhas”. “O projeto arquitetônico de Leonardo Ricci – como afirma o site do centro ecumênico – deu ao Centro uma fisionomia particular, de incrível modernidade. Centenas de voluntários de diferentes origens geográficas, políticas e religiosas estiveram envolvidos na construção; através do trabalho comum e do ideal do ágape de Cristo, foram resolvidas as dolorosas consequências do conflito mundial, que terminara poucos anos antes. Onde hoje está o novo templo em Prali, acamparam os jovens e as jovens que, em poucos anos, construíram a estrutura com entusiasmo e esforço que ainda hoje se esconde entre os larícios acima de Ghigo di Prali. Ágape foi, a partir da década de 1950, um lugar de fecundo debate social, político e teológico nacional e internacional”.

A relação do fundador da Agape Tullio Vinay com o centro ecumênico é importante não só por essa experiência, mas por todos os projetos que dela se inspiraram.

Uma iniciativa que hoje, devido à emergência do Covid19, vive obviamente uma fase particular. Nós conversamos sobre isso com Sara Marta Rostagnoum dos dois vice-diretores do centro, por ocasião do aniversário de nascimento de Vinay, também senador por duas legislaturas, eleito independente nas listas do Partido Comunista Italiano.

“O sonho de Vinay continua – explica Rostagno -: queremos continuar “curando e sonhando” juntos, apesar de tudo. Estamos a tentar planear um verão diferente, ainda estamos a juntar ideias para perceber como gerir as nossas atividades. Gostaríamos de direcionar nosso projeto de internacionalidade em particular para o acolhimento de famílias e pessoas vulneráveis, que foram as mais afetadas pela crise econômica causada pelo bloqueio e após a emergência de saúde. Esperamos a colaboração do país e da aldeia, do território nisso. Depois continuaremos as manutenções, como “casa de férias” seguiremos as disposições do nosso setor, os campos de trabalho ficam assim suspensos por enquanto e adiados por tempo indeterminado. Outra ideia é propor “gostos de acampamentos” virtuais, atividades para crianças, remotamente, sem no entanto “escravizar” os pais ou obrigar os mais pequenos a passar ainda mais horas no computador. Por fim, estamos pensando em entretenimento online específico para a comunidade Agapine”.

O centro ecumênico não está imune à crise. A paralisação das atividades de hotelaria e turismo terá, portanto, impacto também na Ágape. Por isso, conclui Sara Marta Rostagno, “vamos lançar uma angariação de fundos estruturada nas próximas semanas, entretanto qualquer contributo é bem-vindo”.

Aqui estão os dados para fazer uma doação ao centro e ao projeto valdense.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Younan: chegar em 2017 a uma declaração católica luterana sobre a Eucaristia

Younan: chegar em 2017 a uma declaração católica luterana sobre a Eucaristia

Roma (NEV), 15 de dezembro de 2010 – O presidente da Federação Luterana Mundial (FLM), bispo Munib Younan, está em Roma nestes dias para uma visita ao Vaticano e à Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI). “A ocasião desta viagem – explicou Younan – é o encontro anual entre o pessoal da nossa Federação e o Pontifício Conselho para a promoção da unidade dos cristãos para discutir as linhas gerais e prioridades de diálogo e colaboração ecumênica entre nossas Igrejas. Isso acontecerá amanhã de manhã e incluirá uma audiência da delegação com o Papa Bento XVI. “Em nossa conversa com o Papa, destacaremos a importância do diálogo entre nossas igrejas e do trabalho diaconal comum em favor dos últimos e dos desfavorecidos. No entanto, apresentaremos também uma de nossas propostas: chegar em 2017, ano do 500º aniversário da Reforma Protestante, com uma declaração conjunta católica luterana sobre a hospitalidade eucarística”. Mas a visita de Younan não se limita ao Vaticano: “Claro que também aproveitei esta viagem para conhecer os luteranos italianos”. O dia de hoje é dedicado a uma série de encontros com os membros do CELI. “Estamos muito felizes com esta visita – disse o pastor Holger Mikau, reitor do CELI -. Sentimos que temos um vínculo especial com a FLM, pois há sessenta anos foi a federação mundial que deu apoio decisivo para o nascimento do CELI. Além disso, estamos felizes em conhecer oficialmente o novo presidente da FLM”. Younan, bispo da Igreja Evangélica Luterana na Terra Santa, foi de fato eleito presidente dos luteranos mundiais durante a Assembleia Geral realizada em Stuttgart (Alemanha) em julho passado. Alex Malasusa, reuniu-se na sede do Reitor do CELI com o reitor Milkau, o pastor Jens-Martin Kruse da igreja luterana de Roma, o pastor Paolo Poggioli da igreja luterana de Torre Annunziata e com dois alunos do Centro de estudos ecumênicos "Filipo Melanchthon". “Foi uma oportunidade de oferecer uma visão geral da situação de nossas igrejas – explicou Milkau – desde o ecumenismo até o trabalho social apoiado por nossas igrejas. Nesse sentido, também participou do encontro Franca Di Lecce, diretora do Serviço de Refugiados e Migrantes da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Além de falar sobre nossa igreja, pedimos a Younan que nos mostrasse caminhos para estarmos próximos das igrejas de sua terra, o Oriente Médio”. No passado, o CELI promoveu o programa "Note di pace", organizado pela revista "Confronti" e que consistia em receber na Itália um grupo de jovens músicos palestinos e israelenses. “Seria bom – acrescentou Milkau – poder repropor no futuro um programa semelhante, voltado para o encontro de jovens que, apesar das feridas de um conflito grave, aprendam a se reconhecer como amigos”. Esta tarde, Younan visitará a Christuskirche e se encontrará com a comunidade luterana da via Toscana, onde à noite conduzirá uma meditação do Advento. Amanhã Younan estará no Vaticano para se encontrar com o cardeal Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. O presidente da FLM será acompanhado por uma delegação composta, além dos bispos já citados, pelo secretário geral da FLM, pároco Martin Junge, e pela bispa da igreja luterana da Noruega, Helga Byfuglien. ...

Ler artigo
Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Lea Schlenker, Foto CEC Roma (NEV), 17 de junho de 2022 – Estas são as últimas notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK). CEC à presidência francesa da UE: "Envolver as igrejas para trazer paz à Ucrânia" Num encontro híbrido em Bruxelas com a Presidência francesa do Conselho da União Europeia, o CEC sublinhou a necessidade de reforçar o compromisso das comunidades religiosas locais na concretização da paz na Ucrânia. A CEC pode construir pontes para promover a reconciliação e a paz. Para saber mais, leia o artigo aprofundado sobre Reforma AQUI. Relatório da Conferência sobre o Futuro da Europa Um futuro democrático e justo para a Europa. Esta é uma das questões que preocupam as igrejas membros da CEC. Daí o engajamento direto na Conferência sobre o futuro da Europa. O secretário-geral do CEC Jørgen Skov Sørensenfala sobre isso aqui: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=nvpe8V4LbHA[/embed] Lea Schlenker, Foto CEC Lia Schlenker. Em que Europa querem viver as novas gerações de crentes? Lea Schlenker, da Igreja Evangélica na Alemanha, é membro do Conselho Executivo do CEC. Ela também desempenha o papel de Conselheira da Juventude. Em uma de suas reflexões, ele fala sobre os desafios e oportunidades que as novas gerações de crentes estão expressando hoje e sobre como o CEC ouve suas vozes e seus pedidos. Pandemia, guerra, a importância da presença e da escuta dos jovens, são alguns dos temas que o seu estudo aborda. Leia aqui. O treinamento KEK chega à Finlândia para garantir comunidades mais seguras e fortes O CEC, juntamente com a Igreja Ortodoxa da Finlândia, organizou um briefing e treinamento para líderes e funcionários da igreja sobre a proteção de locais de culto. O evento decorreu no âmbito do projeto Safer and Stronger Communities in Europe (SASCE), financiado pelo Fundo de Polícia Interna da Comissão Europeia. O curso foi ministrado pela Secretária Executiva de Direitos Humanos do CEC, Elizabeta Kitanovic. O evento também contou com a presença de representantes da Igreja Evangélica Luterana e da comunidade muçulmana da Finlândia. Entre os tópicos que surgiram: as novas propostas legislativas sobre a proibição do abate ritual, circuncisão, liberdade de religião e crença, os relatórios do serviço de segurança finlandês, os riscos potenciais para a sociedade finlandesa devido a ameaças terroristas e de extrema direita. Falou-se também de minorias étnicas e religiosas, da cultura do cerco e do suprematismo branco, que incita à violência e ao colapso social. Leia aqui. Os Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias discutem os trabalhos e a Assembleia da CEC Em reunião virtual, os responsáveis ​​dos Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias reuniram-se com o Secretário Geral da CEC, Jørgen Skov Sørensen, e o Secretário Executivo, Katerina Pekridou, para discutir o futuro e, em particular, a próxima Assembleia da CEC em Tallinn. Falou-se do papel da teologia ecumênica, que transcende as fronteiras privadas, nacionais e confessionais. Também, da significativa contribuição das igrejas no discurso público e para o bem comum. Para saber mais, clique aqui. ...

Ler artigo
O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

Roma (NEV), 30 de outubro de 2022 – “Não nos peça a fórmula que os mundos podem abrir para você / sim alguma sílaba torta e seca como um galho. / Isso só hoje podemos te dizer, /o que não somos, o que não queremos”. Eugene Montale e seu poema "Não nos peça para falar" foram citados hoje pelo pastor Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas de 2015 a 2021, no relatório sobre o triênio 2018-2021, no primeiro dia dos Assizes da FCEI, os “estados gerais” do protestantismo. A reunião dos delegados das igrejas protestantes está acontecendo em Ciampino nestes dias. Após a intervenção de Negro, atual presidente da FCEI, Daniele Garronea saudação de Gabriela Liopresidente da Fdei, a Federação das Mulheres Evangélicas da Itália, a contribuição dos auditores e o debate entre os presentes. O programa do dia inclui esta tarde após os grupos de trabalho temáticos, a partir das 17h30 a sessão plenária, com relato dos grupos e discussão sobre o tema geral. Às 21 horas a apresentação dos principais projetos de trabalho da Federação. Amanhã, segunda-feira, 31 de outubro, pela manhã, os grupos de trabalho com os serviços, comissões e projetos: Serviço de Comunicação, SIE, Esperança Mediterrânea, COSDI, GLAM; às 15h00 a sessão plenária e às 21h00 a noite social. Por fim, na terça-feira, 1º de novembro, o culto de encerramento com o Cen do Senhor. Para saber mais: aqui o relatório trienal da FCEI 2019-2021 A reunião trienal representa uma novidade relativamente recente no percurso da FCEI. Criado pela Assembleia em 2015, apresenta-se como uma espécie de “estados gerais” do protestantismo histórico. A fundação da FCEI, no entanto, remonta à década de 1960. Enquanto o primeiro congresso evangélico data de 1920. O I Assise foi realizado em 2018. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.