Informação em guerra.  Encerrou a 11ª edição do Prêmio Morrione

Informação em guerra. Encerrou a 11ª edição do Prêmio Morrione

Foto de Andrea Marcantonio – Prêmio Federico Tisa/Morrione

Roma (NEV), 2 de novembro de 2022 – A 11ª edição do Prêmio Roberto Morrione para o jornalismo investigativo. Ele ganhou a pesquisa “Na pele” de Marika Ikonomu, Alexandre Leo, Simone Manda, sobre a opacidade da gestão privada dos centros de detenção para repatriação e as repercussões nos direitos básicos das pessoas migrantes. Tutor jornalístico: Sacha Biazzojornalista da Fanpage.it

Esta é a motivação do júri: <> Para recompensar em palco , Gian Mario GillioDiretor Executivo da Agência de Notícias NEV.

Os Dias do Prêmio Morrione, sobre o tema “WarNews – informações em guerra”, foram realizadas em Turim de quarta-feira, 26, a sábado, 29 de outubro. O Prêmio Morrione é apoiado, entre outras coisas, com fundos do Otto per mille para a Igreja Valdense – União das Igrejas Metodistas e Valdenses e vê Reforma – Eco dos vales valdenses entre parceiros de mídia.

Relatamos a contribuição escrita do Diácono Alessandra TrottaModerador da Mesa Valdense, para o livreto do Giornate.

<

Conflitos ignorados e esquecidos que emergem com força quando os “efeitos colaterais” se derramam em nosso país na forma de seres humanos fugindo de terras dilaceradas pela violência e opressão. Pessoas que buscam abrigo e esperança para seu futuro e que mostram ao mundo como os direitos humanos, a democracia, a liberdade de expressão e a religião são preciosos.

Aqueles que conseguiram escapar de lugares como a Líbia e o Afeganistão (também graças aos corredores humanitários que as igrejas valdenses e metodistas promoveram ecumenicamente), encarnam essas tragédias. Outras histórias, por outro lado, mostram quem fica no inferno, como as corajosas mulheres de Cabul que pedem “pão e liberdade” e que a informação resgatou da invisibilidade a que o regime talibã prefere condenar.

pão e liberdadeportanto, longe da perigosa retórica que coloca em competição as dimensões da vida: paz, justiça, trabalho, saúde, meio ambiente, economia.

Temas que sempre foram caros à Associação Amici di Roberto Morrione, que oferece aos jovens a oportunidade de aprender, experimentar na busca de verdades incômodas para promover informações honestas, eficazes, capazes de alimentar consciências conscientes e livres.

Um belo empreendimento, que merece o apoio que nossa Igreja conseguiu sustentar novamente este ano com os oito por mil fundos que nos foram atribuídos graças à confiança de muitos e muitos contribuintes italianos.>>


Para saber mais:

Para ler a reportagem da cerimónia de entrega de prémios e todos os prémios clique aqui.

Aqui, o artigo sobre o caso de Julian Assangeobjecto de um dos debates no âmbito do Prémio.

Finalmente, aqui o dia dedicado ao jornalista Vera Schiavazzi.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

não à violência e exploração da religião

não à violência e exploração da religião

Refugiados rohingya deslocados de Mianmar - foto da Wikimedia Roma (NEV), 30 de dezembro de 2019 – Após a resolução da Assembleia Geral das Nações Unidas condenando a República da União de Mianmar pelas violações dos direitos humanos da minoria muçulmana Rohingya, a União Budista Italiana (UBI) divulgou um comunicado à imprensa. emitido no último sábado. “A União Budista Italiana reafirma a sua firme condenação de qualquer forma de violência e qualquer exploração da religião para interesses políticos, ideológicos ou nacionais que nada tenham a ver com os ensinamentos do Buda – lê-se no comunicado de imprensa -. A UBI recorda ainda que os ensinamentos budistas visam diminuir o sofrimento de todos os seres vivos, sem distinção de religião, cultura ou origem. Pelo contrário, qualquer comportamento que cause dor ou discriminação está em total contradição com o que é a mensagem do próprio budismo e, portanto, não pode ser aceito”. A UBI, referindo-se à tradição de respeito pelos direitos humanos e à proteção de cada comunidade expressa nos valores da coexistência democrática da cultura europeia, também declara: "é uma responsabilidade precisa como budistas italianos e europeus se distanciar de qualquer forma de exploração de toda expressão religiosa, assim como de toda forma de violência". Os budistas italianos expressam “mais uma vez sua mais profunda proximidade com a comunidade islâmica, convencidos da firme necessidade de potencializar o diálogo entre religiões e culturas como oportunidade de paz, respeito e convivência e compreensão recíproca, além de preconceitos e divisões” . ...

Ler artigo
O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

O primeiro dia do FCEI 2022 Assise

Roma (NEV), 30 de outubro de 2022 – “Não nos peça a fórmula que os mundos podem abrir para você / sim alguma sílaba torta e seca como um galho. / Isso só hoje podemos te dizer, /o que não somos, o que não queremos”. Eugene Montale e seu poema "Não nos peça para falar" foram citados hoje pelo pastor Luca Maria Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas de 2015 a 2021, no relatório sobre o triênio 2018-2021, no primeiro dia dos Assizes da FCEI, os “estados gerais” do protestantismo. A reunião dos delegados das igrejas protestantes está acontecendo em Ciampino nestes dias. Após a intervenção de Negro, atual presidente da FCEI, Daniele Garronea saudação de Gabriela Liopresidente da Fdei, a Federação das Mulheres Evangélicas da Itália, a contribuição dos auditores e o debate entre os presentes. O programa do dia inclui esta tarde após os grupos de trabalho temáticos, a partir das 17h30 a sessão plenária, com relato dos grupos e discussão sobre o tema geral. Às 21 horas a apresentação dos principais projetos de trabalho da Federação. Amanhã, segunda-feira, 31 de outubro, pela manhã, os grupos de trabalho com os serviços, comissões e projetos: Serviço de Comunicação, SIE, Esperança Mediterrânea, COSDI, GLAM; às 15h00 a sessão plenária e às 21h00 a noite social. Por fim, na terça-feira, 1º de novembro, o culto de encerramento com o Cen do Senhor. Para saber mais: aqui o relatório trienal da FCEI 2019-2021 A reunião trienal representa uma novidade relativamente recente no percurso da FCEI. Criado pela Assembleia em 2015, apresenta-se como uma espécie de “estados gerais” do protestantismo histórico. A fundação da FCEI, no entanto, remonta à década de 1960. Enquanto o primeiro congresso evangélico data de 1920. O I Assise foi realizado em 2018. ...

Ler artigo
Roma.  Oração ecumênica pelos 20 anos da Declaração Conjunta sobre a Justificação

Roma. Oração ecumênica pelos 20 anos da Declaração Conjunta sobre a Justificação

16 de junho de 2019, Genebra (Suíça). Comemoração dos 20 anos da JDDJ Roma (NEV), 25 de junho de 2019 – Este ano marca 20 anos desde a histórica Declaração Conjunta sobre a Justificação pela Fé (JDDJ), assinada em 1999 em Augsburg, Alemanha, por representantes protestantes e católicos, respectivamente, da Federação Luterana Mundial ( FLM) e o Pontifício Conselho para a Unidade dos Cristãos. A JDDJ foi então acolhida também pelo Conselho Metodista Mundial (WMC) em 2008, pela Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) em 2017, e pela Comunhão Anglicana, esta última através de uma resolução que "acolhe e afirma a substância" da a Declaração. Este acordo resolve um dos principais conflitos teológicos que sempre dividiram católicos e protestantes, afirmando "um entendimento comum de nossa justificação pela graça de Deus por meio da fé em Cristo". A Declaração representa o resultado de mais de três décadas de diálogo ecumênico e pôs fim às respectivas excomunhões. Para o 20º aniversário da JDDJ, uma oração ecumênica é realizada em Roma na quarta-feira, 26 de junho, para "dar graças pelas relações ecumênicas entre as cinco comunhões mundiais que assinaram o acordo", como afirma o convite da Tim Macquibanpároco da igreja da Ponte Sant'Angelo e diretor do Escritório Ecumênico Metodista de Roma (MEOR), entre os organizadores do evento. A oração ecumênica será presidida pelo cardeal Kurt Kochpresidente do Pontifício Conselho para a promoção da unidade dos cristãos, e pelo bispo Rosemarie Wenner, secretário do escritório de Genebra do Conselho Metodista Mundial. O pároco também intervirá Martin Junge, Secretário Geral da Federação Luterana Mundial (WLF). Entre os participantes do mundo evangélico italiano, o diácono Alessandra Trottamembro do Conselho Valdense e ex-presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), o pastor Luca Barattosecretário executivo da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) e pároco Michael Jonas da Igreja Evangélica Luterana de Roma. Encontro no Oratório de San Francesco Saverio del Caravita, na via del Caravita 7 em Roma, às 19h. A iniciativa faz parte de um ambiente ecumênico mais amplo que reuniu as diferentes denominações cristãs signatárias do JDDJ, desde a consulta realizada em março nos Estados Unidos na Universidade de Notre Dame até a recente comemoração na catedral de São Pedro de a Igreja Reformada de Genebra, durante a qual o pároco Emmanuel Fuchs ele falou sobre os desafios enfrentados por todo o cristianismo: "Chegar a um acordo sobre uma questão historicamente controversa é um sinal de esperança ... Não temos outra escolha a não ser continuar esta missão profética juntos." ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.