Sínodo Luterano 2022, “a paz não se faz com armas, se faz com amor”

Sínodo Luterano 2022, “a paz não se faz com armas, se faz com amor”

Roma (NEV), 29 de abril de 2022 – Do grego antigo sínodoscomposto de sinou seja, juntos, em alemão miteinander E odos, o caminho, o caminho. E no meio deste caminho juntos, o dos Sínodos, encontramos Wolfgang Praderpresidente do Sínodo da Igreja Luterana na Itália, atualmente em curso em Roma, que ainda ontem, após o culto de abertura, mencionou a etimologia deste termo, dirigindo-se à assembléia reunida em Villa Aurélia.

Qual é o caminho a percorrer juntos hoje?

“Significa encontrar soluções e respostas para as questões que mais nos preocupam atualmente: o meio ambiente, a Diaconia, os jovens. E é juntos sobre essas questões – são tantas – que devemos nos questionar e buscar respostas, como luteranos, todos juntos, mas também como protestantes, sempre juntos”.

Como vão os trabalhos do Sínodo?

“Muito bem, estamos muito felizes e satisfeitos. Todos os convidados e palestrantes que vieram nos ver destacaram como é lindo e importante finalmente nos encontrarmos pessoalmente. E o tema escolhido este ano “Liberdade e responsabilidade” foi amplamente divulgado”.

Qual é o desafio mais importante para a igreja luterana na Itália?

“Como muitas igrejas, sentimos durante a pandemia a diminuição do comparecimento, da participação física e presencial das pessoas na igreja. E faltam-nos também os jovens: temos de saber trazê-los de volta à igreja, trazer de volta as famílias, as pessoas para irem à igreja”.

Ontem, no seu discurso, disse muito claramente que “a Europa precisa de paz”. Qual é a mensagem deste Sínodo sobre a guerra na Ucrânia?

“Do fundo do meu coração, acredito que precisamos de paz, em todos os lugares. A paz não é alcançada aumentando as armas ou fornecendo armas ainda mais fortes. A paz não se faz com armas, se faz com amor.”

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Armas e bilhões.  O “negócio principal”

Armas e bilhões. O “negócio principal”

Detalhe da capa do livro Futura D'Aprile "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27) Roma (NEV), 30 de março de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) relança a declaração do Observatório sobre os gastos militares italianos (MIL€X). Os Estados-Maiores das Forças Armadas pediram investimentos extraordinários para novos armamentos. "O custo dos investimentos extraordinários em novos armamentos será de pelo menos 25 mil milhões de euros - escreve MIL€X - se o ministro da Defesa Guido Crosetto implementará as propostas que os Chefes do Estado-Maior do Exército, da Marinha e da Aeronáutica apresentaram em suas audiências programáticas às Comissões de Defesa da Câmara e do Senado". Um programa de rearmamento, prossegue o Observatório, “impressionante, que teria um impacto considerável nos orçamentos dos Estados, justificado pelos militares com o risco real de guerra provocado pelo conflito na Ucrânia, mas que suscita mais do que uma perplexidade. Também em atenção ao recorde de aprovações de programas de compras militares ocorridas na última Legislatura”. Sobre o tema das armas e sistemas de guerra made in Italy, esta noite em Turim (18h00 no Circolo dei Lettori), Riforma – Eco delle valli valdesi juntamente com a Ordem dos Jornalistas do Piemonte e a editora SEB27 promovem um debate. “A política e as indústrias italianas no mercado de armas de guerra: como contribuem para a persistência dos conflitos bélicos, para a repressão de regimes autoritários, para as migrações; por que o setor de Defesa, cujos lucros nunca diminuem, é considerado estratégico e quanto contribui para o PIB e o emprego". É o que lemos na página do Círculo de Leitores dedicada ao evento, que conta com a participação de abril futuroespecialista em assuntos internacionais e armamentos e colaborador do jornal Domani; Albert Perducaex-procurador-chefe de Asti, assessor jurídico do Tribunal Penal Internacional por crimes cometidos na ex-Iugoslávia e depois da agência antifraude de Bruxelas Olaf, e chefe da missão Eulez, moderada por David De Michelisjornalista profissional, autor e realizador de documentários televisivos. Futura D'Aprile é, entre outras coisas, autora do livro "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27), com prefácio de Alex Zanotelli, volume no qual apresenta um panorama da indústria de defesa italiana, as leis utilizadas para regular o comércio de material bélico e a prática de contorná-las. “O negócio de armas nunca está em declínio na Itália como no resto do mundo – escreve Riforma citando o volume – «Seus lucros crescem tanto durante conflitos geopolíticos quanto em caso de crises econômicas, como a causada pela pandemia do COVID-19. O Estado, considerando estratégico o setor de defesa, apóia-o e protege-o da exposição à volatilidade do mercado. A escalada do conflito bélico à margem da União Europeia levou os parlamentos a votarem renúncias às exportações para zonas de guerra e ao aumento das despesas militares, de modo que enquanto na Ucrânia, como no Iémen ou na Líbia, os civis sofrem as terríveis consequências da a guerra, os lucros das holdings ao redor do mundo continuam subindo sem serem perturbados". > reserve aqui o seu lugar no Clube de Leitores de Turim. ...

Ler artigo
Bem-estar.  Habilitando projeto de lei de não autossuficiência, trabalho em andamento

Bem-estar. Habilitando projeto de lei de não autossuficiência, trabalho em andamento

Imagem de arquivo Roma (NEV), 3 de outubro de 2022 – O Subsecretário da Presidência do Conselho de Ministros, Roberto Garofoli, disse que o texto da proposta de lei da não auto-suficiência será aprovado pelo actual governo antes da tomada de posse do novo executivo, para que possa ser discutido na nova legislatura sem desperdício do trabalho feito até agora. Confartigianato.it relata isso em um relatório sobre o XVI Itinerário da Segurança Social, realizado há alguns dias em Bari e no qual Garofoli esteve presente. Dias antes, 52 entidades do "Pacto pela Nova Previdência pela Não Autossuficiência", que também inclui a Diaconia Valdese CDS, haviam solicitado ao governo cessante a primeira aprovação de seu texto, justamente para não frustrar o trabalho de reforma feito sobre o tema. “Queremos abrir mão de melhorar a assistência aos idosos não autossuficientes?” pergunte às organizações. “A assistência a idosos não autossuficientes é um setor particularmente fraco de nosso bem-estar. Para o saber não é necessário conhecer os infinitos estudos e dados que o demonstram, basta viver concretamente a realidade quotidiana da não autossuficiência. Em nosso país, cerca de 10 milhões de pessoas o fazem, entre idosos, familiares e pessoas que os auxiliam profissionalmente. Para que as coisas mudem, essa extensa e esquecida faixa da sociedade italiana precisa de boa política”, diz o site da Diaconia Valdense. A lei é aguardada há trinta anos. A legislação ad hoc já está em vigor em todos os países europeus, o que fortaleceu o bem-estar e criou empregos. O texto é "o resultado de meses de trabalho preparatório para o qual o Pacto deu uma contribuição substancial", escrevem os promotores. Sublinhando, entre outras coisas, que se trata de uma reforma prevista pelo PNRR. E concluem: “A sua aprovação em Conselho de Ministros já foi várias vezes anunciada, sempre sem resultado. Portanto, todas as realidades do Pacto vivem dias de grande preocupação. O novo Governo e o novo Parlamento terão de continuar o caminho de elaboração da reforma e levá-la à sua conclusão, tal como previsto no PNRR. Eles serão, portanto, chamados a redigir a versão definitiva: a meta deve ser um texto ambicioso, à altura das expectativas dos idosos e das famílias. Para o Pacto, isso significa uma reforma coerente com sua proposta de 'Sistema Nacional de Assistência ao Idoso' (recentemente sintetizada no 'Manifesto para a nova legislatura' do Pacto). O esforço a desenvolver será considerável, quer na definição dos conteúdos das intervenções, quer na procura dos novos financiamentos necessários, aspecto até agora não abordado. A condição para o sucesso é clara: a não autossuficiência deve se tornar uma prioridade política. Esse, para o Pacto, é o tema básico da nova Legislatura”. Para saber mais: Arquivo de Texto Iter DDL S. 1967 "Estabelecimento do Fundo para não auto-suficiência e delegação ao Governo em licença parental" Políticas de não autossuficiência e deficiência A plataforma do Pacto por um Novo Bem-Estar na Não Autossuficiência ...

Ler artigo
AIDS.  Celebração inter-religiosa em nome da resiliência e da esperança

AIDS. Celebração inter-religiosa em nome da resiliência e da esperança

Roma (NEV), 6 de julho de 2020 - realizada em 7 de julho de 2020, a partir das 9h, horário do Pacífico, a maior conferência anual do mundo sobre HIV e AIDS com o tema “Dor. Resiliência. Ter esperança. Renovação". Líderes inter-religiosos globais se reunirão online para "celebrar, refletir e orar sobre as questões da AIDS". São esperados discursos da África do Sul, Estados Unidos, Israel e outros países. O evento é organizado pela Grace Cathedral, uma igreja episcopal no coração de São Francisco, em parceria com a Diocese Episcopal da Califórnia, a Aliança Ecumênica para a Defesa do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), a Rollins School of Public Health da Universidade Emory, Conselho Inter-religioso de São Francisco e UNAIDS. “Convidamos o mundo a apoiar a comunidade de agentes de saúde e líderes espirituais, compartilhando esta celebração inter-religiosa virtual”, escrevem os organizadores. A celebração será aberta na capela inter-religiosa com as boas-vindas de Nancy Pelosi; seguir-se-ão leituras, vídeos e orações sobre os temas da conferência AIDS 2020, com intervenções, entre outras, de Khadijah Abdullah e de Yvette A. Flundercantor, pastor da Cidade de Refúgio da Igreja Unida de Cristo (UCC) em Oakland, Califórnia. Inscrições e filiações em Facebook E Eventbrite. Aqui está o flyer para impressão. A conferência AIDS 2020 reúne cientistas, defensores, políticos e pessoas vivendo com HIV de todo o mundo. Os últimos desenvolvimentos na pesquisa do HIV também serão discutidos durante a conferência. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.