Deus-Robô.  Quando os criativos criam o criador

Deus-Robô. Quando os criativos criam o criador

Roma (NEV), 19 de setembro de 2022 – É o tempo em que o teólogo Paulo rico escreve um livro chamado “Deus”. Um Deus que também é artista e poeta. Simultaneamente, alguns criativos citam a Criação de Adão por Michelangelosubstituindo um robô por Deus.

Não é a primeira vez que a obra-prima de Buonarroti é utilizada para fins artísticos ou publicitários. Quem sabe o que o artista diria sobre isso, ou o que ele diria sobre isso Vitória Colonna, seu amigo íntimo, nobre poeta próximo dos movimentos de reforma da Igreja Católica. Tão próximo de Michelangelo a ponto de ser tema de uma de suas “Crocefissioni”, assim como protagonista do famoso madrigal “Um homem em uma mulher, de fato um deus / pela boca ele fala, / então eu, para ouvir ela, eu sou feito assim, mas quanto mais eu serei meu.”

A Criação de Adão inspirou artistas como Harmonia Rosales, afro-cubana nascida em Chicago em 1984, que retrata o “criador” como uma deusa negra e um “Adão” feminino. A obra de Michelangelo foi retocada, montada e mutilada de mil maneiras. Desde o deus que dá a Adão uma fatia de pizza, um sanduíche, uma bebida, até anúncios de aparelhos eletrônicos, roupas, esportes. Depois, há o veio do cinema, da sátira política e dos quadrinhos, desde citações inofensivas como a do Mickey Mouse, até o mais extremo Deadpool, personagem superpoderoso no papel de Adam, com um Cable superarmado apontando uma arma em vez de deus. Citação não é apropriação, nem plágio, na opinião do autor. Na verdade, é a confirmação da carga universal de sentido de uma obra. E de sua beleza.

Foi a mão de Deus, não a do filme de Sorrentino, mas a do Robô em dois comerciais, que me interrogou. Um hospital particular romano escolhe um detalhe da famosa obra, as duas mãos com os dedos indicadores se aproximando, para iniciar suas atividades com o slogan “o futuro está aqui”. À direita, na posição de Deus, está a mão de um robô. A escolha é aleatória ou deliberada?

Quase em paralelo, um “consórcio” de editoras internacionais conhecidas está fazendo a mesma coisa, para “criar um caminho de eventos digitais” na cadeia de suprimentos industrial e artesanal italiana. Mesma imagem, revisitada, com a bandeira da Itália ao fundo. À esquerda, uma mão verde, como se fosse a mão da natureza, estendendo-se para a mão de um robô. Natureza e inovação de mãos dadas. Aqui também o robô está à direita, na posição de Deus, é intencional ou coincidência? Se o robô é feito pela inteligência humana, porque não colocar a mão humana, que o criou, certo? Isso seria muito presunçoso? Poderia ferir os sentimentos cristãos? No entanto, o ser humano já ascende à divindade, em tantas ocasiões. O robô poderia criar Adão ou Eva? É uma questão de poder? Ou um sinal dos tempos em que vivemos? É o símbolo de uma era? Diante das perguntas, pedimos a opinião do teólogo Paolo Ricca.

Sobre o “deus-robô”, Paolo Ricca diz: “Não é difícil interpretar esse tipo de imagem. Porque Deus não existe e, por outro lado, o homem não pode criar a si mesmo. Nenhum de nós desistiu de suas vidas. Podemos, sim, transmitir vida aos outros. Não sozinho, no entanto. Se você é um homem, você precisa de uma mulher. E se você é mulher, precisa de um homem. Não podemos, portanto, gerar a nós mesmos. Somos todos criados. Mas desde que Deus se tornou nulidade, ausência, não-ser, não-existência, o homem inventa um robô. Ele também é uma criatura, mas no sonho dessa representação, ele é uma criatura dotada de faculdades extraordinárias”.

“Isso é coerente com a situação espiritual e religiosa de nosso tempo que apagou Deus – continua Ricca -, que não é mais objeto, nem sujeito. É claro e eloquente. O homem confunde o Criador com a criatura. É uma inversão de papéis, um caos”. Parece um curto-circuito. Ricca conclui: “Sua criatura é seu criador, porque você não sabe mais o que é ser uma criatura, portanto um é tão bom quanto o outro”. Tudo se torna indiferenciado e indiferente. Talvez você precise recomeçar desde o início. E fazer apresentações. E para fazer isso, alguém estende a mão e diz que tem prazer em conhecê-lo. O que falta, segundo Paolo Ricca, é justamente isso: o conhecimento de Deus.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense está de volta

O Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense está de volta

Torre Pellice, casa valdense Roma (NEV), 25 de maio de 2021 – Após a paralisação do ano passado, o Sínodo das igrejas metodistas e valdenses retorna em 2021. Uma edição particular que acontecerá em modo telemático e reduzido de 22 a 25 de agosto de 2021. Assim foi anunciado, e a notícia é anunciada hoje no site chiesavaldese.org, pelo moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trottaem carta às igrejas na qual explica como "ao final de um rigoroso processo de verificação e consulta alargada, decidiu-se privilegiar o método capaz de oferecer maiores garantias e, portanto, também a tranquilidade de todos os participantes, sem distinção de áreas geográficas e outras condições pessoais”. Em Torre Pellice, na província de Turim, local onde normalmente ocorre o Sínodo, apenas a Sede, a Comissão de Exame e, com vários tempos e métodos, os membros do Conselho Valdense e das Comissões Administrativas que respondem no Sínodo de trabalho deles. Uma escolha que envolverá um trabalho organizacional significativo e o desenvolvimento de competências técnicas e organizacionais que permanecerão como uma aquisição útil também para o futuro. Além disso, muito antes do Sínodo, será adquirida experiência no campo quanto à organização das assembléias locais e de circuito e, sobretudo, das conferências distritais que, exceto uma, serão todas realizadas remotamente. "Confiamos na ajuda do Senhor para preservar o que todos consideramos essencial em nosso modo de ser Igreja - escreve o moderador às igrejas - com o olhar voltado para a vocação de anúncio e serviço no tempo presente que o Espírito Santo não cessa de dirigem-se a nós, para empenhar as nossas energias e recursos com alegria, coerência e sentido de responsabilidade”. A sessão sinodal será aberta com o culto inaugural presidido pelo pároco Winfrid Pfannkuche Domingo, 22 de agosto, às 10h, no templo da Torre Pellice, durante o qual pôde ser realizada a consagração de um pároco e de um diácono. A habitual noite pública às segundas-feiras, marcada para 23 de agosto, também será mantida. ...

Ler artigo
Younan: chegar em 2017 a uma declaração católica luterana sobre a Eucaristia

Younan: chegar em 2017 a uma declaração católica luterana sobre a Eucaristia

Roma (NEV), 15 de dezembro de 2010 – O presidente da Federação Luterana Mundial (FLM), bispo Munib Younan, está em Roma nestes dias para uma visita ao Vaticano e à Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI). “A ocasião desta viagem – explicou Younan – é o encontro anual entre o pessoal da nossa Federação e o Pontifício Conselho para a promoção da unidade dos cristãos para discutir as linhas gerais e prioridades de diálogo e colaboração ecumênica entre nossas Igrejas. Isso acontecerá amanhã de manhã e incluirá uma audiência da delegação com o Papa Bento XVI. “Em nossa conversa com o Papa, destacaremos a importância do diálogo entre nossas igrejas e do trabalho diaconal comum em favor dos últimos e dos desfavorecidos. No entanto, apresentaremos também uma de nossas propostas: chegar em 2017, ano do 500º aniversário da Reforma Protestante, com uma declaração conjunta católica luterana sobre a hospitalidade eucarística”. Mas a visita de Younan não se limita ao Vaticano: “Claro que também aproveitei esta viagem para conhecer os luteranos italianos”. O dia de hoje é dedicado a uma série de encontros com os membros do CELI. “Estamos muito felizes com esta visita – disse o pastor Holger Mikau, reitor do CELI -. Sentimos que temos um vínculo especial com a FLM, pois há sessenta anos foi a federação mundial que deu apoio decisivo para o nascimento do CELI. Além disso, estamos felizes em conhecer oficialmente o novo presidente da FLM”. Younan, bispo da Igreja Evangélica Luterana na Terra Santa, foi de fato eleito presidente dos luteranos mundiais durante a Assembleia Geral realizada em Stuttgart (Alemanha) em julho passado. Alex Malasusa, reuniu-se na sede do Reitor do CELI com o reitor Milkau, o pastor Jens-Martin Kruse da igreja luterana de Roma, o pastor Paolo Poggioli da igreja luterana de Torre Annunziata e com dois alunos do Centro de estudos ecumênicos "Filipo Melanchthon". “Foi uma oportunidade de oferecer uma visão geral da situação de nossas igrejas – explicou Milkau – desde o ecumenismo até o trabalho social apoiado por nossas igrejas. Nesse sentido, também participou do encontro Franca Di Lecce, diretora do Serviço de Refugiados e Migrantes da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Além de falar sobre nossa igreja, pedimos a Younan que nos mostrasse caminhos para estarmos próximos das igrejas de sua terra, o Oriente Médio”. No passado, o CELI promoveu o programa "Note di pace", organizado pela revista "Confronti" e que consistia em receber na Itália um grupo de jovens músicos palestinos e israelenses. “Seria bom – acrescentou Milkau – poder repropor no futuro um programa semelhante, voltado para o encontro de jovens que, apesar das feridas de um conflito grave, aprendam a se reconhecer como amigos”. Esta tarde, Younan visitará a Christuskirche e se encontrará com a comunidade luterana da via Toscana, onde à noite conduzirá uma meditação do Advento. Amanhã Younan estará no Vaticano para se encontrar com o cardeal Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. O presidente da FLM será acompanhado por uma delegação composta, além dos bispos já citados, pelo secretário geral da FLM, pároco Martin Junge, e pela bispa da igreja luterana da Noruega, Helga Byfuglien. ...

Ler artigo
A FCEI adere à manifestação de 5 de novembro

A FCEI adere à manifestação de 5 de novembro

A bandeira da paz no Festival dos Direitos Humanos - imagem de arquivo festivaldirittiumani.it Roma (NEV), 3 de novembro de 2022 - A Federação das Igrejas Evangélicas da Itália aceitou o convite de sua Assembleia Geral (29 de outubro a 1º de novembro de 2022) "para participar com discernimento em iniciativas de apoio a um processo de paz justo na Ucrânia , denunciando a responsabilidade da Federação Russa pela agressão a um país soberano como a Ucrânia; com este perfil … para se juntar à iminente manifestação pela paz em 5 de novembro.” Os evangélicos que desejarem participar juntos da procissão com o estandarte da Federação podem se reunir às 12h30 em frente à Igreja Metodista na via XX Settembre. A Diaconia Valdense também comunicou esta manhã, com nota, sua adesão à manifestação de 5 de novembro em Roma: “A Diaconia Valdense – lê-se no comunicado -, desde fevereiro de 2022 ao lado das crianças, mulheres, famílias ucranianas vítimas da invasão, experiências todos os dias, mesmo apoiando os que fogem de outras guerras esquecidas, que a violência leva à violência, que o uso das armas multiplica as desigualdades e que não há paz sem justiça; partilha a moção da Federação das Igrejas Evangélicas em Itália do passado 1 de Novembro e adere à manifestação de 5 de Novembro em Roma (esperando que o mais rapidamente possível as armas possam ser silenciadas e uma paz justa e duradoura possa ser construída, na Ucrânia como em outro lugar”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.