Medalha de Prata da ONU pelo Manifesto Inter-religioso #FineLife

Medalha de Prata da ONU pelo Manifesto Inter-religioso #FineLife

Ao centro, Maria Angela Falà, presidente da Mesa Inter-religiosa de Roma

Roma (NEV), 17 de abril de 2019 – O Manifesto Inter-religioso dos direitos nos caminhos do fim da vida, assinado entre outros pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), recebeu hoje em Amã a medalha de prata como parte da semana mundial da harmonia inter-religiosa.

O reconhecimento, entregue a Maria Ângela Fala, presidente da Mesa Inter-religiosa de Roma, atribuiu-se esta motivação:

“Líderes de diferentes religiões (budista, católica, islâmica, hindu, judaica, ortodoxa, cristã reformada) – pode ser lida na motivação do Prêmio – assinou um Manifesto para garantir o apoio religioso e espiritual aos doentes em ambientes de saúde como hospitais, hospícios ou em casa durante a fase final de suas vidas. A ministra da Saúde da Itália, Giulia Grillo, participou da cerimônia de assinatura e enfatizou que o Manifesto é um documento muito importante para o diálogo e a cooperação entre as diferentes religiões e credos. O Governo italiano promoverá esta iniciativa para apoiar a dignidade dos moribundos e o apoio religioso e espiritual no final da vida”.

Estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2010, o objetivo da mundo Semana da Harmonia Inter-religiosa é promover o diálogo inter-religioso e a compreensão recíproca entre as diferentes tradições de fé ou pensamento, ambos aspectos da convivência considerados essenciais para uma cultura de paz. Foi proposto em setembro de 2010 à ONU por Rei Abdullah II da Jordânia, no espírito de Carta aberta dos 138 sábios muçulmanos “Uma palavra comum” dirigida ao mundo cristão.

O Manifesto, apresentado em 5 de fevereiro em Roma, se baseia em nove direitos fundamentais: o direito de dispor do tempo residual; direito ao respeito pela própria religião; direito a serviços que respeitem a esfera religiosa, espiritual e cultural; direito à presença do referente religioso ou assistente espiritual; direito à assistência de um mediador intercultural; o direito de receber assistência espiritual também de representantes de outras religiões; direito ao apoio espiritual e apoio relacional para si e seus familiares; direito de respeitar as práticas pre e post mortem; direito ao respeito mútuo.

Estão sendo definidas as diretrizes e procedimentos operacionais que serão replicáveis ​​em todas as realidades sanitárias italianas, pelo grupo promotor, formado pela Mesa Inter-religiosa de Roma, ASL Roma 1, GMC – Universidade Católica (Hospício Villa Speranza).

Os signatários do Manifesto são: Centro Cultural Islâmico da Itália, Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, Diocese Ortodoxa Romena da Itália, Villa Speranza Hospice – Universidade Católica do Sagrado Coração, Instituto Budista Italiano Soka Gakkai, União Budista Italiana, União dos Judeus União das Comunidades, União Hindu Italiana, União Italiana das Igrejas Cristãs Adventistas do Sétimo Dia, Vicariato de Roma, Associação de Voluntários Hospitalares (AVO), Centro de Serviços Voluntários (CSV Lazio), Cittadinanzattiva – Tribunal dos direitos dos enfermos, Assistente Social de Saúde em representação da categoria; a Federação Nacional das Ordens das Profissões de Enfermagem (FNOPI) também aderiu recentemente.

Baixe a ficha: Nove direitos nos caminhos do fim da vida

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Alessandra Trotta: “A paz não se prega, se pratica!”

Alessandra Trotta: “A paz não se prega, se pratica!”

Foto Marco Pavani Na presença dos líderes das grandes religiões mundiais, juntamente com representantes de autoridades das instituições, incluindo o Presidente da República Sérgio Mattarellafoi assinado o Apelo pela paz, entregue por um grupo de crianças aos embaixadores e representantes da política nacional e internacional. Presentes, entre outros, o presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), pároco Luca Maria Negroo moderador da Mesa Valdense, o diácono Alessandra Trottaenvolvido na liturgia, o presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI) Mirella Manocchio, o bispo luterano Heinrich Bedford-Strohmpresidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) e pastor luterano de Roma Michael Jonas. “Mais uma vez neste ano acolhemos o convite da Comunidade de Sant'Egidio para participar do encontro internacional pela paz junto com representantes de outras importantes confissões religiosas, todos fortemente determinados a romper o binômio 'religiões-guerras' - declarou o moderadora Alessandra Trotta -. De fato, ao longo da história, ceder à exploração que potencializa as tentações do poder, a busca de privilégios ou mesmo apenas a necessidade de reconhecimento e proteção deixou, infelizmente, uma marca vergonhosa em muitas experiências religiosas”. O moderador recordou então a experiência dos corredores humanitários, compartilhada na Itália precisamente com a Comunidade de Sant'Egidio e a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália: "Um projeto que tornou visível, também para as muitas gerações que em nosso país não nunca experimentou em primeira mão o drama da guerra, as terríveis feridas físicas, psicológicas e espirituais de tantas guerras que ainda sangram um mundo cada vez mais interligado e uma família humana dividida por demasiadas desigualdades e discriminações". Em suma, a paz se constrói a partir dos lugares próximos: “A paz não se prega, se pratica! – conclui o moderador -. Parafraseando Jesus: não quem diz 'paz, paz', mas quem escolhe e age em conformidade com a vontade do Senhor para toda a sua criação experimenta a bênção de uma vida que já se enquadra plenamente na dimensão do Reino de Deus”. Este ano foi o trigésimo quarto encontro promovido pela Comunidade de Sant'Egidio inspirado no histórico encontro inter-religioso desejado por João Paulo II em 1986. Um espírito de diálogo e amizade que convida homens e mulheres de religião a se reconhecerem na humanidade comum e enfrentar juntos a luta pela vida de todos. “Guerras e paz, pandemias e cuidados de saúde, fome e acesso a alimentos, aquecimento global e desenvolvimento sustentável, movimentos populacionais, eliminação do risco nuclear e redução das desigualdades não dizem respeito apenas a nações individuais – lê-se no apelo à paz assinado ontem - . Compreendemo-lo melhor hoje, num mundo cheio de conexões, mas que muitas vezes perde o sentido da fraternidade... Aos dirigentes dos Estados dizemos: trabalhemos juntos por uma nova arquitetura de paz. Vamos unir forças pela vida, saúde, educação, paz”. ...

Ler artigo
Ecumenismo.  Fase V do diálogo entre católicos e luteranos concluída

Ecumenismo. Fase V do diálogo entre católicos e luteranos concluída

Participantes do encontro em Kligenthal (França) Roma (NEV), 31 de julho de 2018 – O último encontro da quinta fase de diálogo da Comissão Católica Luterana para o estudo da unidade foi realizado em Kligenthal (França) de 17 a 24 de julho. Promovida pela Federação Luterana Mundial (FLM) e pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC), esta fase de diálogo foi concluída após nove anos de trabalho. Com base em documentos anteriores sobre o batismo, a doutrina da justificação, a Eucaristia, o ministério e a apostolicidade da igreja, esta última reunião foi dedicada à relação entre o batismo e a comunhão eclesial. Em particular, tentou-se responder à pergunta sobre que tipo de comunhão eclesial deriva da compreensão compartilhada por católicos e luteranos sobre o batismo. Uma pergunta, sublinhou o pároco luterano Kaisamari Hintikkaque pede uma resposta também a partir dos compromissos expressos pelo então presidente da FLM, Munib Younane de Papa Francisco em Lund (Suécia) em 2016, por ocasião da abertura do 500º aniversário da Reforma, a respeito da divisão contínua na mesa da Ceia do Senhor – especialmente em referência a casais inter-religiosos. O relatório será agora recebido pela FLM e pelo PCPUC e será publicado no início de 2019. A Comissão Luterana-Católica – atualmente co-presidida pelo bispo luterano finlandês Eero Huovinen e pelo bispo católico britânico William Kenney – foi instituída em 1967 e, ao longo dos anos, produziu documentos de grande importância, como a “Declaração Conjunta sobre a doutrina da justificação pela fé”, assinada em Augusta em 1999, e “Do conflito à comunhão” de 2013 que definiu a possibilidade de uma celebração ecumênica dos 500 anos da Reforma Protestante. ...

Ler artigo
Construindo na rocha.  O culto das mulheres de Vanuatu

Construindo na rocha. O culto das mulheres de Vanuatu

Foto tirada de worlddayofprayer.net Roma (NEV/CELI), 2 de março de 2021 – Faltam poucos dias para o Dia Mundial de Oração (PMM). A Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) também explora os temas e o contexto desta importante nomeação. O GMP hoje envolve um movimento ecumênico cristão cada vez mais amplo para as mulheres. O tema deste ano é "Edificar sobre a rocha", do versículo do Evangelho de Mateus no capítulo 7. "Raramente esta resolução foi tão sentida como no início deste 2021 - escreve Nicole Steiner no site do CELI -, exatamente um ano após a eclosão da pandemia de coronavírus na Itália, quando ainda não vemos o fim da emergência". É “mais uma ocasião para convidar à oração compartilhada e à solidariedade – continua Steiner -. Quando o tradicional cântico de encerramento 'O dia que deste, Senhor, acabou' for entoado, ao final desta celebração que abrange mais de 150 países, muitas almas sentirão um raio de esperança penetrar”. As mulheres de Vanuatu, um arquipélago do Pacífico na orla oriental do Mar de Coral, prepararam textos e canções para esta oração compartilhada que "dá a volta ao mundo". E que também oferece ajuda concreta para projetos solidários, com uma arrecadação dedicada. O Comitê Italiano para o Dia Mundial de Oração foi fundado em 1999. Ana Rosa Lier da Comunidade Evangélica Luterana de Bolzano, bem como da Rede de Mulheres CELI, sempre foi uma de suas forças motrizes. Vanuatu – foto de arquivo GMP Leia o artigo completo do CELI AQUI. Para informações sobre o evento italiano clique AQUI. Baixe o Culto Online de Mulheres de Vanuatu com membros do Comitê Executivo de todas as regiões do mundo. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=edQMgNFdRdo[/embed] ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.