Crianças e guerra

Crianças e guerra

Foto de Rene Bernal, unsplash.com

Roma (NEV), 6 de junho de 2022 – O Serviço de Educação e Educação (SIE) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) está organizando a reunião por videoconferência “As crianças e a guerra” na quarta-feira, 15 de junho de 2022, de 6 a 20h dirigida aos monitores das catequeses das igrejas evangélicas e a todos os interessados.

A reunião será aberta com uma meditação do pároco e secretário executivo da FCEI Luca Baratto. Seguem-se as intervenções do professor da Universidade de Turim Bruno Maida, autor entre outras coisas do livro “A infância nas guerras do século XX”; o porta-voz da Unicef ​​​​Itália Andrea Iacomini; e a secretaria escolar de Emergência. Moderado Elena Ribet, agência de notícias Nev. Notícias do Evangelho.

Para participar do encontro é necessário se inscrever preenchendo o formulário de inscrição online no link:

O prazo para inscrições é até segunda-feira, 13 de junho de 2022.

O link de convite para participar da reunião será enviado um dia antes da reunião.

O cartaz do evento

Para mais informações, entre em contato com o escritório da SIE em: [email protected]

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Reflexões sob a égide do Exército de Salvação

Reflexões sob a égide do Exército de Salvação

Roma (NEV), 9 de agosto de 2022 – “Deus é… Em que palavra você pensou imediatamente? Nossa visão de Deus influencia a maneira como olhamos para nós mesmos, para os outros e para o mundo ao nosso redor”. É assim que o Exército de Salvação (EdS) apresenta uma série de episódios intitulada “Reflexões sob o guarda-chuva”.Lançada com reel nas redes sociais da EdS, a série convida você a assistir e ouvir. "Neste verão, mergulhe na palavra de Deus", diz a promoção.De acordo com o Exército de Salvação, "é incrivelmente importante construir nosso alicerce sobre quem é Deus, com base nas verdades de Sua Palavra, e não no estado temporário de nossos sentimentos".Vários compromissos durante as semanas de verão, para aprender sobre as palavras e atributos de Deus: "Não importa quais tenham sido suas experiências com Deus, os cristãos ou a igreja, saiba disso: o Deus do universo criou você, Ele o ama e está procurando ativamente por você” escreve a EdS.Para acompanhar as reflexões sob o guarda-chuva, pesquise nas redes sociais EdS. As palavras exploradas até agora são: a trindade. A asseidade. Imutabilidade. O infinito. Santidade. O Exército de Salvação (EdS) A EdS é membro da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) e nasceu na Inglaterra em 1865 por William Booth, um ex-pastor metodista, para atender às necessidades espirituais e materiais das massas do nascente proletariado industrial que lotava as grandes cidades da Inglaterra, exploradas naquela época além da imaginação. A sua organização, essencialmente episcopal, estrutura-se em torno da metáfora militar, de onde deriva o seu nome, "Exército de Salvação", em inglês The Salvation Army, onde os membros são denominados "soldados" e os pastores "oficiais" com várias patentes (principalmente tenente, capitão e major). Na Itália, a EdS iniciou seus trabalhos em 1887, quando o capitão James B. Vint abriu o primeiro corpo em Roma. Em 1892, o próprio William Booth veio para a Itália e a obra rapidamente se espalhou para o norte, e depois para o sul, na Campânia, Puglia, Lucania, chegando finalmente à Sicília no primeiro pós-guerra. O reconhecimento como instituição moral pelo Presidente da República ocorreu em 1965. Em 2009 obtiveram o reconhecimento como associação de culto com o nome "Exército de Salvezza na Itália". Hoje está presente em cerca de 40 localidades e conta com cerca de 2.000 fiéis. Para visitar o site clique AQUI ...

Ler artigo
Otto per mille Waldensian, as diretrizes da chamada de 2022 foram publicadas

Otto per mille Waldensian, as diretrizes da chamada de 2022 foram publicadas

Roma (NEV), 15 de novembro - Foram publicadas as diretrizes do concurso de 2022 para o Otto per mille Valdese, que abrirá de 7 a 27 de janeiro de 2022. A notícia é fornecida pelo site chiesavaldese.org, enquanto no portal www.ottopermillevaldese.org você pode encontrar a documentação e instruções para participar do concurso. Também é possível enviar perguntas para esclarecimentos, cujas respostas serão publicadas na forma de FAQs.A Igreja Evangélica Valdense (União das Igrejas Metodista e Valdense) contribui, como outras confissões religiosas, para a distribuição dos oito por mil fundos do IRPEF e optou por destinar todas as contribuições que lhe são devidas exclusivamente para apoio social, assistencial, humanitário e cultural intervenções , tanto na Itália como no exterior. Para o efeito, todos os anos, é oferecida aos órgãos associativos a oportunidade de apresentarem propostas de projetos com vista à obtenção de um contributo económico.“Sabemos da importância de nossa licitação para a realização de projetos tanto na Itália quanto no exterior – declara Manuela Vinay, chefe do escritório de oito por mil da Tavola Valdese –; os contextos italiano e estrangeiro nos desafiam diariamente com novos desafios relacionados com suas múltiplas necessidades; por isso decidimos, também para este ano, confirmar uma abordagem aberta e inclusiva, mantendo as grandes categorias de apresentação de projetos sem dar indicações de preferências”. Aqui o relatório dos projetos financiados em 2020. artigo anteriorCop26, ainda há muito a fazer pela justiça climáticaPróximo artigoReunião do comitê executivo do Conselho Mundial de Igrejas Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
O amor pela Criação dá notícia?

O amor pela Criação dá notícia?

Foto NEV Roma (NEV), 2 de agosto de 2023 – "Acreditamos que é urgente combater a campanha de difamação em curso contra as demandas do ambientalismo". Isso é apoiado pela Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI). Nas últimas semanas, de fato, nos meios de comunicação italianos, mas não só, temos assistido a mais uma polarização sobre o tema "clima", com lados, negações e afirmações, sobre o quanto os fenômenos atmosféricos e climáticos são ou não causados ​​por comportamento humano. Uma pressão mediática sempre orientada para as emergências que rebaixa, segundo a GLAM, as três vertentes ecológicas do clima, poluição e biodiversidade. Para a GLAM seria necessário “chamar a atenção para a natureza dos processos”, com “ações para a sustentabilidade, enquadradas nos 17 Objetivos de Desenvolvimento da Agenda 2030 das Nações Unidas, passadas às escondidas. Ações concebidas precisamente como processos, talvez urgentes, mas fora da retórica de emergência que geralmente envolve situações de amortecimento em vez de dar-lhes um endereço diferente. Um processo coerente com o compromisso cristão de salvaguardar a criação, cujo sofrimento cresce tanto nos equilíbrios vitais como nos ecossistemas”. GLAM continua: “Desde que a UE começou a pedir uma crescente cogência das medidas econômicas, com as diretivas sobre a economia circular, uma campanha começou na imprensa italiana para minar seus fundamentos. Alguns exemplos: a mudança climática não aceleraria e de qualquer forma teria um componente antrópico desprezível (para o que os dados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas - IPCC - estariam incorretos). A poluição requer medidas de adaptação (portanto, a mitigação pode ficar em segundo plano). Dadas essas teorias, as medidas de prevenção e precaução podem ser ainda mais relegadas. O impacto humano na biodiversidade é negado. As consciências estão cada vez mais adormecidas, também por causa dos meios de comunicação de massa". Contra isso, a GLAM sublinha a importância da "capacidade crescente de organização dos jovens", que no entanto "recebe vários níveis de estigma de acordo com as suas gradações de 'alarmismo': pense nas sextas-feiras para o futuro - cujos slogans segundo alguns se traduzem em conselhos à economia (na esteira do ambientalismo histórico)”. Sem contar aqueles movimentos que “se opõem às crescentes intervenções nos territórios que insistem em modelos de desenvolvimento com balanço negativo para os ecossistemas, às vezes com ações que parecem contraproducentes para a causa”. O ambientalismo é, portanto, fragmentado e pouco autoritário, mas, afirma GLAM, "a política e a economia, mesmo na Itália, não podem ignorar completamente a sustentabilidade como parâmetro de escolhas, começando pelos setores mais controversos do momento, ou seja, energia, agricultura, pecuária e água". “A pesada campanha de mídia em andamento pelos lobbies químicos, fósseis e nucleares dá a medida de resistência e oposição a um possível caminho 'transitório' que é considerado irrealista (quando não tingido também com paganismo ou milenarismo) ” continua GLAM. As questões de sanções econômicas introduzidas pela UE, o ímpeto para a energia fóssil e nuclear, o intervencionismo de guerra fecham o quadro. Como pessoas de fé, de acordo com GLAM, devemos continuar a amar a criação em palavras e ações. Como? Só para dar uma ideia, já há alguns anos, a European Christian Network for the Environment (ECEN) e GLAM têm chamado a atenção não apenas para “boas práticas ecocomunitárias, mas também para pesquisas em andamento em empresas e universidades. Da mobilidade privada, pública ou partilhada (com modelos pequenos e leves equipados com duplo motor elétrico para as rodas e a gasolina para recarregar a bateria), às renováveis ​​(que procuram substituir o lítio e trazer a energia eólica de menor impacto), às aquecimento, à produção industrial que visa a curto prazo reduzir os combustíveis fósseis com eficiência, à redução drástica do consumo de plástico”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.