Direitos no trabalho!  – Neve

Direitos no trabalho! – Neve

Ümit Yıldırım, unsplash

Roma (NEV), 30 de abril de 2022 – Um episódio especial, dedicado ao Dia do Trabalho e intitulado precisamente “Direitos ao trabalho!” do protestantismo, será transmitido amanhã, domingo, 1º de maio, às 7h55 (repetido na noite de terça-feira, 3 de maio, às 2h30 e domingo à noite, 8 de maio, às 13h05), no RaiDue.

Entre os serviços, um especial sobre o projeto do albergue social para trabalhadores, em Piana di Gioia Tauro, criado pelo Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália.

“A Itália é uma república democrática fundada no trabalho”, como afirma o artigo 1º da Constituição italiana para sublinhar que o trabalho é um dos pilares fundamentais sobre o qual se baseia a nossa sociedade. Mas primeiro as crises econômicas, depois a pandemia e, finalmente, o espectro de uma guerra na Europa, destacaram cada vez mais as fraquezas estruturais do mercado de trabalho na Itália e além. Diante dessa crise, o que as igrejas protestantes têm a dizer?”, diz a apresentação do episódio, conduzida como sempre por Cláudio Paravati.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Um mês após o terremoto na Síria e Türkiye

Um mês após o terremoto na Síria e Türkiye

İskenderun, Hatay, Türkiye. Foto de Çağlar Oskay, unsplash Roma (NEV), 6 de março de 2023 – 45 mil mortos, segundo outras estimativas até 50 mil. 580.000 crianças deslocadas, segundo a Unicef. Passou um mês desde o sismo que devastou vastos territórios entre a Turquia e a Síria a 6 de fevereiro e as consequências, com os holofotes apagados e todas as pessoas salvas que foi possível retirar dos escombros, são dramáticas. E também estamos começando a entender qual será o impacto econômico do terremoto. De acordo com as últimas estimativas do Banco Mundial, os danos materiais chegariam a 5,1 bilhões de dólares somente na Síria. Um valor considerado preliminar: os danos são estimados entre 2,7 bilhões e 7,9 bilhões, enquanto os custos de reconstrução podem dobrar. Danos a edifícios residenciais representariam quase metade do total, um terço atribuível a edifícios não residenciais e pouco menos de um quinto dos danos à infraestrutura, como estradas ou sistemas de eletricidade e água. Em outro relatório divulgado no início da semana passada, o Banco Mundial também estimou os danos à propriedade somente na Turquia em pelo menos US$ 34,2 bilhões. Após o terremoto, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália lançou uma assinatura para arrecadar fundos para intervenções em favor das populações. Mais de 43 mil euros, até à data, o valor angariado. Como eles serão usados? “Estamos presentes no Líbano há anos como Mediterranean Hope (MH), o programa de migrantes e refugiados da Federação – declara marta bernardini, coordenadora do MS – ; por isso temos buscado formas de ajuda próximas aos locais onde atuamos, sobretudo para a população síria, que já apoiamos através do trabalho da Medical Hope e dos corredores humanitários. Pensamos, portanto, em envolver as realidades já ativadas no campo humanitário e nossos contatos com o mundo sírio”. Parte dos fundos será, portanto, doada à Sirian Eyes, uma organização sem fins lucrativos ativa no campo nas áreas da Síria afetadas pelo terremoto. Esta realidade é uma das referências da Nation Station, uma bomba de gasolina requalificada pelos cidadãos, após as explosões no porto de Beirute em agosto de 2020, que se tornou um polo cultural e um centro social onde decorrem diversas atividades e onde a Esperança Mediterrânica está constantemente presente. Uma segunda organização que receberá ajuda das igrejas evangélicas na Itália se chama Sams Syria e lida principalmente com assistência médica e de saúde. E nas próximas semanas, os operadores da FCEI no Líbano vão continuar a perceber como usar os restantes fundos, que atividades apoiar e também como poder intervir directamente, se possível, em particular nos aspectos sanitários da emergência, o fio comum da intervenção da Medical Hope. “Queremos aproveitar esta oportunidade para agradecer a quem apoiou e continua a apoiar esta iniciativa, iremos constantemente atualizar sobre o que podemos fazer no nosso pequeno caminho”, declara o secretário executivo da FCEI, pároco Luca Baratto. Na verdade, as inscrições estão sempre abertas e quem quiser contribuir pode encontrar as referências no final deste artigo*. Além da iniciativa da FCEI, recordamos o compromisso das igrejas metodista e valdense, que destinaram 500.000 euros do Otto por mil para a população atingida pelo terremoto. A Medical Hope é financiada principalmente por igrejas batistas italianas. A Esperança Mediterrânea e os corredores humanitários, criados pela FCEI com os Valdenses Tavola e Diaconia, são promovidos com fundos provenientes em grande parte do Otto per mille Valdensian. *Perdoar: razão para "assinatura do terremoto Türkiye - Síria - Líbano" Conta corrente em nome da Federação das Igrejas Evangélicas na ItáliaUnicredit Bank – Via Vittorio Emanuele Orlando, 70, 00185 RomaIBAN: IT26X0200805203000104203419BIC: Bic/rápido: UNCRITM1704 As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo
4 de abril às 10. Adoração evangélica de Páscoa no Eurovision na Rai2

4 de abril às 10. Adoração evangélica de Páscoa no Eurovision na Rai2

Foto de Bruno van der Kraan Roma (NEV), 29 de março de 2021 – Domingo de Páscoa, 4 de abril, de 10 a 11, o culto evangélico de Páscoa será realizado na Rai 2 no Eurovision, transmitido pela Igreja Evangélica Batista de Grosseto. “Que pensamentos devem ter acompanhado as mulheres na madrugada daquela manhã, enquanto se dirigiam ao túmulo de Jesus? Por que os onze discípulos estão céticos sobre a notícia da ressurreição, relatada a eles pelas mulheres? Da história que os dois discípulos de Emaús contam ao andarilho desconhecido - que mais tarde se tornará o Ressuscitado - a resignação, o desespero, a incompreensão emergem no trágico fim de um sonho... Os personagens desta história voltam à vida num contexto sugestivo que reconstitui, em estilo narrativo, as horas dramáticas que precederam e sucederam aquela madrugada de Páscoa”, lê-se na apresentação do culto. O culto será presidido pelo pároco da comunidade, além do presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Luca Maria Negro. A coordenação musical será de Alberto Annarilli E Francesco Iannitti, do Ministério de Música da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). na flauta Jana Hildebrandtvioloncelo Michael Lanzinipiano Francesco Iannitti Piromallosoprano Silvia Striatocontralto Amanda Ferritenor Matteo Bagnibarítono Gabriel Spina. Lá fora, elementos da associação musical Luigi vão cantar Antonio Sabatini de Albano Laziale e do coro Voz da Graça de Ariccia, dirigido por Alberto Annarilli. na percussão Mateus Martizzi. Edição editada pelo programa de televisão "Protestantesimo-Raidue". ...

Ler artigo
Comprimidos de Karlsruhe

Comprimidos de Karlsruhe

Foto de Marcelo Schneider Karlsruhe (NEV), 1º de setembro de 2022 – Uma espécie de Fórum Social Mundial*, das igrejas, mas não só. Esta pode ser a primeira impressão, para iniciantes, ça va sans dire, andando esses dias em Karlsruhe, Alemanha, a meio caminho entre Estrasburgo e Stuttgart. Milhares de pessoas de todo o mundo, crentes e leigos, reuniram-se na 11ª Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas. Uma vitrine para ONGs, associações, sociedade civil e realidades engajadas em várias capacidades de justiça social, direitos das pessoas, meio ambiente... Mas também um caldeirão de personalidades e pessoas, nacionalidades e povos, papéis e línguas faladas. Aqui está uma primeira – e obviamente muito parcial – visão geral. Karlsruhe, cidade da lei (e descanso…) “Karlsruhe – ele explica Dorothee Mack, um pastor protestante que depois de anos de serviço pastoral na Igreja Valdense e Metodista de Milão mudou-se para a cidade de Baden-Württemberg - literalmente significa "descanso de Charles". Porque foi fundada após o descanso de um marquês, Carlo Guglielmo, que depois de um passeio a cavalo nesta zona, sonhou com um castelo. Desse sonho surgiu o desejo de ter um castelo como o de Luís XIV em Versalhes: assim nasceu Karlsruhe, em 1715. Primeiro com a construção do castelo na sua forma atual e depois com todas as estradas que partem daqui, em forma de leque ". Hoje a cidade é reconhecida como a capital do direito, como sede do Tribunal Constitucional alemão. Pela paz entre as duas Coreias Cem milhões de assinaturas pela reconciliação e paz entre as duas Coreias. O Conselho Nacional de Igrejas da Coréia ( também está presente com um estande de informações e alguns voluntários que promovem uma petição e uma coleta de assinaturas para uma solução e uma evolução pacífica das relações entre Pyongyang e Seul. De fato, no próximo ano marcará o septuagésimo aniversário do armistício de paz que pôs fim à guerra da Coreia de 27 de julho de 1953. O objetivo, como mencionado, é recolher cem milhões de assinaturas "contra a guerra" entre as duas Coreias até 2023, "para uma transição da para a paz" e a criação de uma península coreana e de um mundo "livre de armas nucleares". A campanha tem como título Fim da guerra da Coréiapara mais informações: en.endthekoreanwar.net. Por uma Índia sem castas (e pela interseccionalidade das lutas) O pastor Chandran Paul Martin vem da Índia e trabalha para a Igreja Evangélica Luterana na América. O estande onde o encontramos se chama “casta expulsa” (jogo de palavras que significa “expulsar a casta” mas também “marginalizado”, ed). Ele se refere a um sistema, o de castas na Índia, “totalmente opressor, social, econômico, mais antigo que todas as religiões. As castas dividem as pessoas em categorias e hierarquias e nós – os párias – não pertencemos a nenhuma delas. Lutamos por justiça até dentro das igrejas porque não podemos seguir a Cristo e praticar castas; você não pode ser cristão e apoiar o racismo. Não podemos apoiar o patriarcado, não podemos apoiar nenhuma forma de sexismo. O corpo de Cristo é um corpo que fala de inclusão. Pedimos ao CMI e a todo o movimento ecumênico que olhem para a interseccionalidade da justiça”. Eles pedem um compromisso mais forte das igrejas, contra todas as formas de racismo. E ao Conselho Mundial de Igrejas, em particular, para "incluir o problema das castas" em seu programa e agenda, com referência e citação em declaração pública entre as emitidas pelo CMI. Para mulheres afrodescendentes em todo o mundo a pastora Barbarann ​​​​Brelnd Paween dos Estados Unidos é representante da rede ecumênica de empoderamento Pan-Africano das Mulheres de Fé, que promove o workshop intitulado "Justiça, paz, amor & Ubuntu". Sobre o que é isso? “Trabalhamos para a organização e ofortalecimento de mulheres afrodescendentes e africanas em todo o mundo. Queremos educar todas as mulheres e nossos filhos, e nossas comunidades, de todos os continentes. Queremos mudar a narrativa sobre o papel da mulher afrodescendente na sociedade e na história." O seminário realiza-se no dia 6 de setembro a partir das 17 e pode inscrever-se em Ainda sobre questões de gênero, inúmeras atividades foram dedicadas ao #ThursdaysInBlack, a campanha global por um mundo sem estupro e violência. E ainda, sobre mulheres e feminismos, um banquete entre os presentes no Brunnen (espaços onde decorrem atividades culturais, espetáculos e espectáculos), pertence à Associação Internacional de Mulheres Pastoras, que “promove, encoraja e celebra a mulher no ministério cristão”, ou seja, a ordenação de mulheres. Da Espanha a pastora Marta López Ballalta é delegada da Igreja Evangélica Espanhola. Para Ballalta, a Assembleia do CMI "é um espaço que abre os olhos para as situações em muitas partes do mundo, para a complexidade e amplitude do que acontece longe de nós, uma oportunidade para conhecer diferentes formas de pensar, mesmo aquelas que não estão em harmonia com as nossas, mas que conduzem a um diálogo muito interessante. Espero que seja uma oportunidade de abrir portas e contactos, de poder partilhar diferentes realidades”. Quanto aos desafios das igrejas na Espanha, “a laicidade: defendemos uma sociedade laica na qual a igreja é uma opção. Mas há um laicismo incompreendido pela sociedade, que tende a esconder a religião, o fato de haver um comprometimento da fé em muitos âmbitos. Sobre as migrações, sejam elas climáticas ou causadas por guerras, devemos ser como igrejas capazes de nos comprometermos com todos – para todos. O mundo é complexo, existem muitas religiões e crenças, devemos saber nos comprometer com essa complexidade, respeitando as peculiaridades de cada um”. Em relação aos direitos LGBTQI+, “são desafios importantes para nossas comunidades e igrejas. Pelo menos na Espanha é uma questão crucial, mas sobre a qual as igrejas ainda não fizeram o suficiente”. Grupos de trabalho ecumênicos Também se iniciaram os trabalhos de vários grupos temáticos, dos quais participam também membros da delegação italiana presente em Karlsruhe. “Hoje apresentei o resultado do grupo de trabalho conjunto entre a Igreja Católica e o Conselho Ecumênico de Igrejas – explica o pároco valdense Michael Charbonnier – , um grupo de cerca de vinte pessoas que, entre uma assembleia e outra, prosseguem uma reflexão comum entre estas duas entidades. É um grupo de trabalho consultivo, portanto não decisório, mas que orienta o trabalho e a discussão sobre temas considerados de importância comum, produzindo documentos para estes dois órgãos, que os auxiliam no seu posterior compromisso. Por exemplo, nos últimos sete anos, o grupo trabalhou em dois importantes documentos teológicos, um sobre a construção da paz, outro sobre o tema das migrações e o acolhimento dos migrantes nas igrejas. Ambos provaram ser extremamente atuais”. Vozes da fronteira: a esperança do Mediterrâneo, as laranjas de Rosarno À tarde, entre as numerosas atividades à margem da assembléia, realizou-se um seminário sobre a experiência do Mediterranean Hope (MH), o programa para migrantes e refugiados da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e, em particular, sobre as atividades no Piana di Gioia Tauro. O coordenador do projeto participou da oficina para MS, marta bernardini, Fiona Kendall e a operadora em Rosarno Ibrahim Diabate. No centro do encontro esteve a venda de laranjas da cadeia de abastecimento "Etika", promovida pelo MS em conjunto com a Sos Rosarno, com os testemunhos da Igreja da Escócia e da Igreja da Vestfália, que organizaram uma rede de distribuição de produtos cítricos que respeitem os direitos dos trabalhadores e dos trabalhadores ambientais. *ed. para os mais jovens, os Fóruns Sociais Mundiais são reuniões anuais nascidas do movimento antiglobalização (o chamado “no global”); a primeira aconteceu em Porto Alegre, em 2001. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.