O pré-sínodo das mulheres

O pré-sínodo das mulheres

Roma (NEV), 11 de agosto de 2023 – Na véspera do Sínodo Valdense, vários encontros estão agendados na Torre Pellice, na província de Turim. Entre eles, no sábado, 19 de agosto, o pré-sínodo organizado pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) em colaboração com a Federação das Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas (FFEVM). Este ano, o pré-sínodo tem como título “Mulheres – protagonistas de uma sociedade em mudança”.

“Será uma oportunidade de focar nossa atenção no papel da mulher na sociedade atual entre saltos, abordagens originais e contradições, com o olhar voltado para aspectos temáticos relacionados como a violência contra a mulher em suas diversas formas (física, psicológica, econômica) e a dependência econômica que não permite que muitos se emancipem de situações violentas e restritivas”, escreve o pastor Mirella Manocchiopresidente da FDEI, no comunicado de convite à iniciativa.
“Partilharemos estímulos e reflexões que nos advirão do trabalho e das experiências pessoais dos nossos três bem-vindos – continua a nota -: Bárbara Oliveri Tornozelopresidente do Hospital Evangélico Internacional de Gênova (OEIGE); Sara Rossi Guidicelliescritor e jornalista; Antonella Visintinmembro da Comissão GLAM (Globalização e Meio Ambiente) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI)”.
Moderar a reunião Alberto Corsani, diretor da Riforma-Eco delle Valli. Segue-se uma discussão com o público.

Descarregue o cartaz: PRESINODE 19 23 de agosto

A nomeação é para sábado 19 às 15 no salão Filippo Scroppo da Civica Galleria
d’Arte Contemporanea, na via R. D’Azeglio 10, na Torre Pellice, ou online ao vivo no YouTube e no Facebook nestes links

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Coronavírus, a FCEI abre uma assinatura

Coronavírus, a FCEI abre uma assinatura

foto de unsplash.com Roma (NEV), 20 de março de 2020 - Seguindo a iniciativa da Tavola Valdese (as Igrejas Valdenses e Metodista, recordamos, são membros da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, ed), que ontem destinou 8 milhões de euros para a emergência coronavírus e para o "depois", a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) lança hoje uma assinatura para financiar intervenções para combater a pandemia causada pelo coronavírus e impedir sua propagação. “Nos dirigimos aos membros das igrejas evangélicas – explica o presidente da FCEI, pároco Luca Maria Negro – em um momento difícil e doloroso para todos. Manifestamos a nossa proximidade fraterna a quantos, devido à pandemia, perderam familiares e amigos, e a quantos trabalham no seu combate e contenção, em condições nem sempre seguras e com proteção nem sempre adequada. Fazemos o nosso apelo a um comportamento responsável e ao cumprimento rigoroso das normas emitidas nos dias de hoje. Peçamos ao Senhor que nos ajude a superar esta prova e, nestes dias difíceis, a não nos abandonarmos ao desânimo e ao desespero. Temos fé - prossegue o presidente da FCEI - que Deus que se revelou em Cristo é o Senhor da Vida, nos ama e não nos deixará sozinhos. Sentimos também a necessidade de promover ações concretas de apoio àqueles que estão trabalhando com todos os meios para conter os efeitos do vírus e, dentro dos limites de nossas forças, apoiar aqueles que mais precisam de proteção e assistência. Para isso a FCEI lança uma subscrição cuja arrecadação será revertida em três direções: fornecimento de kits desinfetantes a lares de idosos, centros de saúde, centros de imigrantes e outras instituições de utilidade pública; apoio aos institutos que monitoram a propagação do vírus para preparar planos de contraste adequados; apoio a 'casas de saúde' ou outras unidades básicas de saúde envolvidas em ações para prevenir a propagação da pandemia. Diante deste ensurdecedor 'gemido da criação' – conclui Negro citando o apóstolo Paulo (Romanos 8:22) – queremos ser testemunhas concretas e confiantes, operárias da esperança cristã que ilumina até a noite mais escura”. Os pagamentos para contribuir com a assinatura podem ser feitos por transferência bancária à ordem da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, especificando o motivo "emergência de coronavírus”: Conta corrente em nome da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália Unicredit Bank – Via Vittorio Emanuele Orlando, 70, 00185 Roma IBAN: IT26X0200805203000104203419 BIC: Bic/rápido: UNCRITM1704 ...

Ler artigo
Semana da Liberdade 2023: “Liberdade, Cidadania, Responsabilidade”

Semana da Liberdade 2023: “Liberdade, Cidadania, Responsabilidade”

foto: Liz Vo, unsplash Roma (NEV), 12 de dezembro de 2022 – Por ocasião do aniversário de 17 de fevereiro de 1848, quando Carlo Alberto concedeu direitos civis e políticos aos valdenses e logo depois aos judeus do Reino da Sardenha, as igrejas evangélicas celebram uma "Semana da liberdade" que inclui eventos e manifestações em toda a Itália.O tema indicado para 2023 é “Liberdade, Cidadania, Responsabilidade”.“Com estes termos – explica Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) - pretendemos recordar um tema que desapareceu da agenda política, o da cidadania para milhares de 'italianos de facto' a quem é negado o reconhecimento formal da sua presença, do seu trabalho e seu engajamento cívico na Itália. Há muitos anos – continua Garrone – como evangélicos nos empenhamos em afirmar que não há verdadeira liberdade sem direitos e que a cidadania, com os direitos e os diversos deveres que ela implica, fortalece a coesão de uma comunidade nacional.No entanto, com as palavras "Liberdade, cidadania, responsabilidade" não nos referimos apenas aos imigrantes, mas também a nós, italianos, que possuímos a cidadania por nascimento e muitas vezes esquecemos de refletir sobre seu significado, suas implicações e como vivê-la em nosso cotidiano. vida. Somos os primeiros a redescobrir o significado profundo do nosso compromisso cívico e a responsabilidade que ele implica. A cidadania é um pacto entre iguais, um vínculo de coesão social e adesão a um sistema de princípios fundamentais. Em suma, nesta Semana - conclui Garrone - pretendemos reflectir sobre a nossa sociedade, sobre as fracturas que minam os laços de coesão, sobre os desafios da integração e da inclusão, sobre as responsabilidades que implica ser cidadão e, no nosso caso, crente que "procure o bem da cidade" (Jr 29:7).Tendo em vista a Semana da Liberdade de 2023, será publicado um volume dedicado à cidadania, promovido pela Comissão de Estudos da FCEI e editado pelo jurista Ilaria Valenzi: coleta ensaios de I. Valenzi, E. Bein Ricco, T. Moritz, L. Alfieri, MC Giorda e R. Ricucci, D. Spini, B. Peyrot, E. Noffke, P. Naso. “Não é um manifesto – explicam os promotores da iniciativa editorial – mas uma ajuda ao estudo, à discussão comunitária, à reflexão, ao diálogo com aqueles que se interrogam sobre o futuro da nossa democracia constitucional. É com essa postura que queremos participar do debate no espaço público”. ...

Ler artigo
Adeus a Tina Turner, lenda da música

Adeus a Tina Turner, lenda da música

Roma (NEV), 26 de maio de 2023 – Ela morreu aos 83 anos após uma longa doença, em sua casa em Küsnacht perto de Zurique, a "rainha do rock", Tina Turner. Seu nome verdadeiro era Anna Mae Bullock. Nascida em Brownsville, no estado do Tennessee, com apenas dez anos já cantava no coral da igreja de sua cidade, onde seu pai Richard era pastor. Abordando o budismo, a cantora sempre destacou a importância da espiritualidade em sua vida. A ela, além do enorme sucesso mundial no cenário do rock, devemos várias colaborações musicais em chave inter-religiosa. “Eu pratico meditação budista. Quando fui devastado pelos momentos mais difíceis da minha vida, meditei muito. E vi que isso me ajudou. Eu me sinto em paz comigo mesmo agora. Ainda rezo o Pai Nosso e procuro colocar em prática o que Jesus diz para minha vida. Aproximei-me do budismo porque precisava de um passo adiante, de abordagens e conceitos diferentes. Eu precisava de uma reforma." Assim disse em janeiro de 2018 Tina Turner para Christian Sannaem entrevista já disponível no Tiscali “Tina Turner (lê o site da Sokka Gakkai resumindo budismo vivo – mensal da Sgi-USA, entrevista divulgada em agosto de 2018 conhecida mundialmente como a 'Rainha do Rock', ela começou a praticar o budismo por Nitiren Daishonin em 1973, em Los Angeles. Este é seu 60º ano na música e seu 45º na prática budista. Ao longo de sua carreira, Tina vendeu mais de duzentos milhões de álbuns e singles em todo o mundo, ganhou oito prêmios Grammy, recebeu o Kennedy Center Honor for Excellence in the Performing Arts e vendeu mais ingressos para seus shows ao vivo do que qualquer outro solista na história da música. . Ela recebeu o prêmio Lifetime Achievement Award da Recording Academy naquele ano. Na última década, Tina anunciou sua aposentadoria da cena e tornou-se cidadã suíça ao se casar com Erwin Bachseu parceiro por muitos anos. “Ele fez – continua – vários álbuns de música inter-religiosa em colaboração com seu amigo e cantor Regular Curtifundador da Beyond Foundation”. Na realidade, ela lembrou quando pressionada pela publicação budista, “não houve nenhuma revelação milagrosa de um dia para o outro. Quando eu estava desesperado, nos piores momentos eu agi Nam-myoho-renge-kyo várias horas por dia e vi que funcionava. Quando me deparei com uma situação difícil, as respostas surgiram dentro de mim e, quando precisei, elas estavam ali. Minhas reações foram apropriadas à situação e senti que vinham de um lugar verdadeiro e profundo da minha vida, que chamamos de sabedoria inata do Buda. Lentamente, comecei a me sentir eu mesma novamente e a ter acesso à minha verdadeira natureza. Em 1967, ela foi a primeira artista afro-americana e a primeira mulher a aparecer na capa da revista Rolling Stone. Em 1991, a rainha do rock and roll foi incluída no Rock and Roll Hall of Fame. Sua carreira, de mais de meio século, vai dos anos 1960 aos anos 2000. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.