Sínodo Luterano.  Vamos, em um futuro próximo

Sínodo Luterano. Vamos, em um futuro próximo

Roma (NEV/CELI), 2 de maio de 2023 – A quarta sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) foi concluída com o serviço religioso de 1º de maio em Catania.
Um Sínodo participativo e animado que reacendeu a percepção de como é importante para os luteranos na Itália não apenas debater sobre o fato de serem igreja hoje, mas também sobre o papel que o CELI deve ter no espaço público, diante de pequenas e grandes temas que preocupam as sociedades modernas: a mudança climática, a relação com o meio ambiente, a violência das guerras.

Durante uma sugestiva meditação de frente para o mar de Siracusa, o Decano do CELI, pároco Carsten Gerdes, questionou: “Em todo o mundo, cada vez mais pessoas vivem em cidades, em centros industriais. Entre o asfalto e o concreto, circulam em caixas de lata climatizadas e, das garagens subterrâneas, passam direto para o shopping. Quem conhece a esteira apenas como um movimento e, após meia hora de uso, está sempre na mesma academia, percebe menos as mudanças no ambiente natural. Será que as pessoas deveriam voltar a viver em aldeias, no interior, a cultivar pequenas hortas, para ver claramente o quanto a Natureza à nossa volta mudou?”

Os Sínodos, por mais complexos, ricos e envolventes, buscam não apenas respostas para a Igreja hoje, mas questões que possam levá-la adiante, em um futuro próximo.
Não há respostas simples, fáceis e definitivas para um Sínodo. Carsten Gerdes explicou: “Acho que sempre é preciso que as pessoas façam perguntas para fazer uma mudança. […] Acho que isso dá certo sobretudo quando muitas dessas pessoas, anteriormente, já fizeram perguntas na mesma direção, questionaram posições, ficaram inquietas”.

A variedade das intervenções, as numerosas participações de convidados e delegações, a própria escolha de organizar um Sínodo nacional não só em Roma, mas também nos territórios, e este ano na Sicília, é expressão da vontade de pesquisar, de questões que merecem encontrar tempo e espaço para serem ouvidos e compartilhados.

Leia a entrevista com o Reitor: Carsten Gerdes. Fé e esperança para o futuro da Igreja Luterana

Leia a entrevista com o vice-reitor: Kirsten Thiele. Sonhos, ações e imaginação para viver bem

Curiosidade: a campanha oito por mil da Igreja Evangélica Luterana na Itália foi apresentada durante o Sínodo. A campanha terá como tema principal o lema do capítulo 5 do Evangelho de Mateus: “vós sois o sal da terra”. A hashtag será de fato #siamosale e a campanha estará acessível a partir de 8 de maio no site www.ottopermilleluterano.org. O CELI usa os oito por mil para iniciativas sociais e humanitárias, principalmente voltadas para a Itália. Participa, com projetos próprios, no desenvolvimento social e cultural dos territórios onde se situam as suas comunidades e, através do apoio a projetos online, apoia iniciativas a favor das pessoas mais fragilizadas, minorias discriminadas, migrantes.


Para saber mais:

O especial do NEV sobre o Sínodo Luterano 2023.

Os materiais oficiais do CELI: comunicados de imprensa, fotos, vídeos, etc…, ainda disponíveis aqui por alguns dias (Sínodo 2023).

FORMA. A Igreja Evangélica Luterana na Itália.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Arcediago reconfirmado presidente da União Batista da Itália

Arcediago reconfirmado presidente da União Batista da Itália

João Paulo Arcediago - foto Pietro Romeo (Reforma) Roma (NEV/CS11), 26 de abril de 2022 – João Paulo Arquidiácono foi reconfirmado presidente da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI). Foi eleito pelos cerca de 100 delegados presentes em Pomezia (Roma) para a 46ª Assembleia Geral. O pastor também foi reconfirmado José Miglio como vice-presidente. O Comitê Executivo vê as pastoras juntas novamente Antonella Scuderio pastor Carmine Bianchi, Emmanuela Banfo, Marta D'Auria e o pastor Alessandro Spano. Recém eleito: Stephanie Polo E Stephen Meloni. As igrejas batistas italianas voltaram a se reunir presencialmente após uma parada de dois anos devido à pandemia. Esta edição da Assembleia Geral, realizada de 22 a 25 de abril, foi acompanhada pelos versículos bíblicos: “Não temais, pequeno rebanho, porque a vosso Pai agradou dar-vos o seu Reino” (Lucas 12, 32 ) / "Porque andamos por fé e não por vista" (II Coríntios 5:7). O movimento programático Pandemia e guerra “Nos últimos meses, a tragédia e o horror da guerra na Ucrânia se somaram ao cansaço e ao luto da pandemia – lê-se na moção programática votada pela Assembleia -. Nossas igrejas trabalharam desde o primeiro dia, de acordo com os métodos e com a energia que já aprendemos com o trabalho da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) com a Esperança do Mediterrâneo”. Esse compromisso, segundo a UCEBI, representa um caminho que “não pode ser só nosso, pelo contrário, o Espírito nos exorta a buscar companheiros de viagem, de ‘toda tribo, língua, povo e nação’ (Apocalipse 5:9)”. Ecumenismo e embaixada da paz No documento, é dada particular ênfase ao ecumenismo, entendido como um trabalho coletivo sobre “todo compromisso compartilhado”. Neste momento, escrevem os Batistas, "o esforço pela paz exige favorecer o diálogo inter-religioso com todas as religiões vivas e com aqueles movimentos que perseguem objetivos de paz entre os povos e de desarmamento". A proposta é constituir um grupo de embaixadores da paz “que se possam empenhar na organização de eventos e iniciativas dentro e fora das igrejas, contra o massacre evidente na Ucrânia e contra todos os que se ocultam aos nossos olhos”. Organização interna No que diz respeito à organização interna da União, a moção programática traça algumas linhas de intervenção e fortalecimento: desde o trabalho do "Centro Evangélico de Rocca di Papa" e do "Centro de Estudos Martin Luther King", até o da Comissão Histórica . Desde Departamentos e Ministérios existentes, até à promoção de outros mais específicos (por exemplo, no campo da pastoral juvenil, da proteção da criação, do aconselhamento e da “igreja digital”). Até às várias obras presentes nos territórios, às associações regionais e às convenções. Além disso, a Assembleia da UCEBI destaca a importância do Departamento de Teologia e dá continuidade ao mandato do Ministério Bíblico Teológico Itinerante. Oito por mil e projetos No Otto per mille, a Assembleia Geral deu o mandato de apoiar em particular o compromisso territorial social e diaconal, para as igrejas membros, também em colaboração com pequenas ONGs/associações. Além disso, a missão de solidariedade no Zimbábue é considerada prioritária. O combate à pobreza e a solidariedade com os menos favorecidos estão entre as diretrizes da UCEBI. Este projeto, ativo desde 2006, permitiu apoiar, entre outras coisas: o Hospital Sanyati e as clínicas rurais do distrito de Gokwe. Um programa de patrocínio. Projetos de educação. Apoio a famílias sem rendimentos. intercultura Finalmente, a moção fala de "intercultura". E traça uma linha interpretativa para o futuro trabalho das igrejas e nas igrejas. É necessário “reconhecer e respeitar os limites individuais; desenvolver empatia para com os outros; ouvir; construir juntos um projeto baseado em regras compartilhadas e com respeito à diferença”, diz o documento. As obras e os convidados Durante a Assembleia também foi realizada uma mesa redonda intitulada: "Igrejas e visões do mundo: 'O arco do universo moral é longo, mas se inclina para a justiça' (Martin Luther King)". moderado por Alberto Annarillia mesa redonda contou com a presença Alexandre Portelli, Igiaba Scego, Raffaele Volpe E Silvia Rapisarda. Para ler a reportagem ou assistir ao vídeo gravado, clique aqui. Entre os convidados da Assembleia, o pároco Antonio Santana Hernández da Fraternidade das Igrejas Batistas de Cuba (FIBAC), com a qual a UCEBI mantém relações de geminação há vários anos, e Ingeborg te Loocoordenador do Redes de Aprendizagem doCentro Internacional de Estudos Teológicos Batista em Amsterdã. Para mais informações, acesse o especial do NEV sobre a 46ª Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI). Para informações: [email protected][email protected] ...

Ler artigo
Bréscia.  Corpos de mulheres, violência, religiões, migrações

Bréscia. Corpos de mulheres, violência, religiões, migrações

Roma (NEV), 9 de fevereiro de 2023 – O Comitê Nacional da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) convida você para dois importantes encontros a serem realizados em Brescia nos dias 11 e 12 de fevereiro. Dirigido a todos os cidadãos, associações, grupos de mulheres de igrejas, os dois compromissos têm como protagonistas, entre outras coisas, mulheres migrantes. “Um encontro que quer celebrar a enorme contribuição oferecida pelas mulheres migrantes na Itália e nas igrejas evangélicas italianas – escreve o Comitê FDEI -. Mulheres portadoras de valores simbólicos e culturais essenciais, onde a interseccionalidade dos nossos corpos é o testemunho mais autêntico. Falamos de interseccionalidade tendo já constatado, várias vezes, a nossa capacidade comum de lidar positivamente com eventos traumáticos. Nossas formas de reorganizar nossa própria vida diante das dificuldades. E como tentamos reconstruir nossa vida à luz da Palavra de Deus, permanecendo abertos às oportunidades que a própria vida nos oferece”. Abre no dia 11 de fevereiro com a sessão pública, das 17h às 19h na Sala del Camino, no Palazzo Martinengo delle Palle (via San Martino della Battaglia, 18 – Brescia). Aqui o cartaz: 11 DE FEVEREIRO DE 2023 Violência de gênero e religiões: desafios locais Apresentação: No contexto multicultural e multirreligioso de Brescia, a realidade da violência de gênero levanta muitas questões, de natureza cultural, mas também sobre a capacidade de defender os direitos de cidadania de cada mulher. Conforme relatado pelo MigraREport 2022, elaborado pelo Centro de Iniciativas e Pesquisas sobre Migração - Brescia (CIRMIB) da Universidade Católica do Sagrado Coração de Brescia, se é verdade que nos últimos anos houve mais instrumentos legais para lidar com do fenómeno (por exemplo o “código vermelho” e a instituição da advertência ao parceiro violento), também é verdade que as mulheres denunciam mais abusos e violências sofridas pelo que o fenómeno está a aumentar, mesmo entre as populações estrangeiras. PLANO Moderado: pastor Leonardo MagriIgreja Valdense de Brescia Caixas de som: Pastora Gabriela Liopresidente da FDEI RomaMadalena ColomboUCSC, Diretor do CIRMIB e Presidente da Associação Dòsti – Festival de Artes e Culturas ReligiosasNaima DaoudaghMediadora cultural nos serviços de saúde, Associação Dòsti Festival de artes e culturas religiosasViviana CassiniPresidente da Women's House Association-Antiviolence Center, BresciaBatool HaidariUniversidade de Cabul, ativista dos direitos das mulheres O evento será tema de um podcast da RADIO DOSTI "um mundo em Brescia".entrada livre Segundo compromisso, em 12 de fevereiro, das 9 às 17h30, na Igreja Evangélica Valdense na Via dei Mille, 4. Aqui o pôster: 12 DE FEVEREIRO DE 2023 Mulheres evangélicas juntas. Ouvindo Abigail: mulher de bom senso e visionária Caixas de som: Pastora Eliade Dias Dos Santosestudante de teologia Heidi Lengler PLANO 9h00 Chegadas – apresentação e boas-vindas9h45 Intervalo Café11h00 Adoração – Igreja Valdense Brescia12h30 Actividades antes do almoço12h45 Almoço14.00 Introdução ao Estudo Bíblico I Samuel 25: História de Abigail e Nabal14.40 Trabalho de grupo16.20 Plenário e propostas para um futuro possível17h30 Conclusões e bênção finalentrada livre ...

Ler artigo
Não apenas orações.  Aquela “estranha” Semana da Unidade dos Cristãos

Não apenas orações. Aquela “estranha” Semana da Unidade dos Cristãos

Foto de Ismael Paramo - Unsplash Roma (NEV), 18 de janeiro de 2023 – Começa hoje a habitual Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Convocado este ano pelo Conselho de Igrejas de Minnesota, com sede nos Estados Unidos, o SPUC envolve igrejas cristãs em todo o mundo até 25 de janeiro. O versículo da Bíblia escolhido para 2023 é retirado do livro de Isaías, capítulo 1 versículo 17: “Aprenda a fazer o bem; buscar a justiça". Igrejas cristãs de todas as denominações, católicas, protestantes, ortodoxas, anglicanas… se encontram e trocam púlpitos. Uma oportunidade de entrar pela primeira vez em um templo, uma catedral, um mosteiro, uma igreja greco-ortodoxa ou uma paróquia católico-bizantina, enfim, um local de culto de uma igreja diferente, uma igreja "irmã". É uma semana em que falamos das injustiças, do racismo e dos conflitos de ontem e de hoje. Desde o assassinato de George Floyd à violência sofrida pelos nativos americanos, até a guerra na Ucrânia e em muitas outras partes do mundo. Também falaremos sobre como Deus, na Bíblia, se declara cansado de orações e sacrifícios hipócritas. O presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Daniele Garrone, no vídeo de abertura da Semana, retomou o versículo de Isaías e comentou: “O povo é censurado por associar o culto à violência e ao abuso. E Deus diz: 'Não quero sua adoração. Aprenda a fazer o bem, busque a justiça'. Com estas palavras é como se nos dissessem: cada um deve olhar para dentro de si, para os seus pecados, para juntos percorrermos o caminho da conversão”. “A unidade entre os cristãos pode ser de grande ajuda na luta contra as guerras e as violências que oprimem a todos. A ferida do mal pode representar mais um motivo para crescer como crentes profundamente inquietos que procuram encontrar respostas cristãs para os desafios do nosso tempo”, disse o cardeal Mateus Maria Zuppipresidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), entrevistado em chiesavaldese.org na véspera da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. O clima um tanto apocalíptico encontra luz justamente na jornada a dois. Parece que este ano o caminho ganhou força, com linguagens novas e compartilhadas. Será um renascimento pós-pandemia, será o desejo de nos encontrarmos novamente em comunhão, será o impulso para um novo ecumenismo determinado pela instabilidade social e econômica. O fato é que a pauta é muito densa e original. Entre as várias iniciativas, de Norte a Sul, contam-se também concertos, vigílias, encontros, mas também culto internacional, vigília com tochas, conferências, apresentação de livros e celebrações ecuménicas. Por exemplo, em Alba (na província de Cuneo), uma está marcada para amanhã noite de oração carismática ecumênica organizada pelo grupo "Renovação no Espírito" da diocese, juntamente com a Igreja Evangélica Pentecostal. Estão programados momentos dedicados às gerações mais novas, por exemplo, em Bolonha (dia 25) e Milão, onde no dia 21 as 18 vai ter um lleitura multi-voz de “O Conto do Anticristo” por Vladimir Sergeevich Soloviev apresentado por Estevão Caprioprofessor de Teologia Oriental, e discutido pelos jovens das igrejas cristãs milanesas, na Via Pinamonte da Vimercate 10. em Lucca, ssábado 21, atividades para crianças e adolescentes; “jornalistas ecumênicos para descobrir três personagens da tradição católica, ortodoxa e protestante. A partir das 15 na igreja de San Michele. Segue-se a oração ecumênica pelas crianças e famílias. Em Bari, no dia 19, uma conferência dentro do ciclo "Cidades da Bíblia, lugares da humanidade" sobre "Hebron, cidade de refúgio." Em Cantù (Como), no dia 18, após a celebração ecumênica, ele canta o coro da "Igreja Evangélica Apostólica da Nigéria". Clique AQUI para ver os compromissos na Itália ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.