O Grande Catecismo de Lutero.  Ferrario no Festival de Literatura Histórica

O Grande Catecismo de Lutero. Ferrario no Festival de Literatura Histórica

Roma (NEV), 20 de abril de 2023 – Fulvio Ferrario – pastor e teólogo valdense, professor de teologia sistemática na Faculdade Valdense de Teologia em Roma – foi o convidado da primeira edição do Festival de Literatura Histórica de Legnano, intitulado “A história nas entrelinhas”. Por ocasião da reimpressão do Grande Catecismo de Lutero para a editora Claudianao teólogo ilustrou a história de Lutero e as implicações da Reforma no mundo contemporâneo.

Pedimos a Fulvio Ferrario que nos contasse como foi e que nos falasse sobre as perspectivas da fé e da catequese no mundo de hoje.

Qual é o seu comentário sobre este primeiro Festival de literatura histórica?

Isso foi uma linda experiência. Estou muito grato que num evento deste tipo, que obviamente visa um público significativo, a apresentação de dois textos exigentes como os Catecismos, que não são Best-seller. A acolhida foi excelente, a participação foi boa, estou muito feliz por poder apresentar este trabalho por ocasião do Festival de Legnano.

O Catecismo de Lutero começa mesmo com palavras duras, que poderiam ser lidas como invectivas, exortações, mas também com ironia. O que você acha?

Lutero se assustou com a situação de ignorância bíblica e desconhecimento do ABC da fé cristã: o Credo, o Pai Nosso, os dez mandamentos, o batismo e a Eucaristia… e assim por diante. Uma situação que ainda hoje, em diferentes circunstâncias, conhecemos bem. Lutero decide, portanto, esclarecer os princípios cristãos, de forma elementar, sem medo de demasiada simplicidade. A simplicidade nunca é demais, é a banalidade que é sempre excessiva; mas simplicidade e banalidade não são a mesma coisa. Esta obra de Lutero é uma tentativa de intervir numa situação pastoralmente crítica.

O volume que você editou é para todos ou para iniciados?

A isto gostaria de responder com a maior franqueza, pois não é minha intenção promover a venda do livro em detrimento do interesse do leitor. O Catecismo Menor é de todos e para todos. Certamente, embora escrito em outra língua que não a nossa, é útil para a reflexão pessoal e para a oração pessoal, como o é. O Catecismo Maior também é extremamente simples e compreensível, no sentido de que qualquer pessoa pode entendê-lo, mas dá maior ênfase à dimensão teológica-argumentativa. Do ponto de vista literário é interessante, é um contato com a prosa de Lutero, um mergulho no século XVI. Dentre os tantos textos possíveis, na minha opinião, é sem dúvida um dos mais fascinantes para quem quer tentar de uma vez entrar em um mundo bem diferente do nosso.

Que “ABC” para a fé hoje?

Eu usaria exatamente o esquema de Lutero, como fizeram centenas ao longo da história. Do ponto de vista da catequese, os Dez Mandamentos, o Credo, o Pai Nosso, os significados do batismo e da Eucaristia são efetivamente pilares. Lutero, melhor do que ninguém, explicou a todos que acreditar não significa saber. No entanto, há conhecimentos indispensáveis ​​para crer: um conhecimento elementar, não académico, não um conhecimento teológico, mas um conhecimento básico que constitui – por assim dizer – a gramática da fé. Isso também se aplica a falar sobre amor. É claro que a gramática das frases não é o amor, mas para expressar o amor tenho muitos meios e, se quiser usar os da linguagem, devo conhecer a gramática. Este é o papel dos Catecismos de Lutero.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

“Paz sem fronteiras”, os protestantes na reunião de Sant’Egidio em Madrid

“Paz sem fronteiras”, os protestantes na reunião de Sant’Egidio em Madrid

Roma (NEV), 17 de setembro de 2019 - Paz sem fronteiras é o título do encontro internacional anual pela paz promovido pela Comunidade de Sant'Egidio. Muitos expoentes evangélicos e várias igrejas protestantes de todo o mundo também participaram do encontro sobre o diálogo inter-religioso, nascido de uma ideia de Wojtyla em 1986, que está acontecendo em Madri nestes dias, de 15 a 17 de setembro. Em particular, ontem, 16 de setembro, um dos 27 painéis da cúpula participou de uma mesa redonda sobre o tema da migração, Paulo Nasocoordenador do Mediterranean Hope, programa de refugiados e migrantes da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália, e pastor valdense Eugênio Bernardiniex-moderador da Mesa Valdense. “Acreditamos em um amor que nos impulsiona a servir os outros – explicou Bernardini -, um amor inclusivo que não deixa ninguém sozinho e abandonado e por isso nos impulsiona a um compromisso com fronteiras cada vez mais avançadas, como as dos refugiados e migrantes, para os "marginais" e aqueles que o sistema tende a expulsar. E gostaríamos que tudo isso fosse feito invertendo a ideia atual: não “primeiro nós e nosso clã”, mas primeiro os últimos”. Iniciando seu discurso com uma citação do pastor batista Martin Luther Kingde um sermão de 1957, em plena crise racial – “É meia-noite na ordem moral” E “Você perdeu o senso de certo e errado” – O professor Paolo Naso denunciou “A avalanche de falsidades e hipocrisias que tem caracterizado o debate sobre a imigração nos últimos anos. Um inimigo foi construído, assim como um muro de medo e preconceito foi construído, diante de um fenômeno que pode ter soluções sustentáveis ​​e viáveis. Isso é demonstrado pela experiência dos corredores humanitários, que os evangélicos iniciaram com Sant'Egidio em 2016. Mas agora temos um novo desafio pela frente: transformar uma boa prática em uma política estrutural. É por isso que pedimos um corredor humanitário europeu da Líbia para 50.000 refugiados”. O evento em Madri terminará esta noite, terça-feira, 17 de setembro, quando, após a oração de cada religião de acordo com sua própria tradição, os líderes religiosos eles se reunirão na Plaza de la Almudena para lançar um apelo pela paz. ...

Ler artigo
a liberdade é concreta se diz respeito a todas as mulheres

a liberdade é concreta se diz respeito a todas as mulheres

Foto Sammie Vasquez - Unsplash Roma (NEV), 21 de março de 2023 – Poucos dias antes do XIII Congresso da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), que está prestes a começar em Florença, entrevistamos o presidente cessante, pastor batista Gabriela Lio. O Congresso da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália será realizado em Florença de 24 a 26 de março: ainda é possível participar? Como? Sim certamente. Você ainda pode participar presencialmente. O que não podemos garantir é o lugar na pousada Gould. A conexão online do Congresso não está prevista, porém estamos tentando registrar as duas Mesas Redondas. Para informações clique aqui. Gabriela Lio. Foto de Laura Caffagnini Uma avaliação destes 4 anos de trabalho e presidência: dos dossiês às campanhas, da formação às reflexões sobre a prostituição e a luta contra a violência, dos encontros sobre as mulheres nas religiões e na igreja às numerosas colaborações em toda a Itália com as realidades locais. Na sua opinião, quais foram os momentos mais marcantes? Os momentos mais significativos decorrem do compromisso assumido pela FDEI com a inclusão, no seu Estatuto, de um artigo que a obriga a trabalhar “continuamente na questão da violência de género”. A primeira foi aderir à campanha global "Quinta-feira Negra" promovida pelo Conselho Mundial de Igrejas (CEC) em apoio ao movimento global que se opõe a todas as formas de violência e injustiça, oferecendo às igrejas cartazes e broches para promover o campo localmente. Isto porque nos interessa que os irmãos e irmãs das nossas igrejas a que pertencem possam encontrar na FDEI apoio e estímulo para uma reflexão comum não só sobre a questão da violência de género, mas também sobre o papel da mulher no igreja e na sociedade. É por isso que continuamos a publicar as nossas Newsletters da FDEI, não só como elo entre as mulheres federadas, mas também como informação sobre o nosso empenho e sobre as iniciativas da FDEI e dos vários movimentos que a integram. O mesmo vale para o Dossiê dos 16 dias pela eliminação da violência contra a mulher, concebido como um acervo de material útil para reflexão, oração e debate sobre essas questões nas igrejas. São muitos momentos significativos, porque cada encontro enriquece, seja online ou presencial, porque nos confrontamos, mas também com mulheres cristãs, mulheres de outras religiões e com associações de mulheres engajadas em várias frentes. Claro, a pandemia nos fez parar, tivemos que nos adaptar, mas não desanimamos. Mas pensamos que poderíamos estar próximos um do outro em um momento tão difícil e também conseguimos trazer momentos de reflexão e debate sobre o futuro. O projeto "Recomeçar com você", para dar outro exemplo, nos ajudou a voltar às igrejas, nos deu a oportunidade de nos abraçarmos e de recomeçarmos na tentativa de ativar mulheres e cada vez mais homens para a compreensão dos fundamentos da desigualdade de gênero. Foi um projeto importante, onde o networking entre nós e com a área local permitiu o envolvimento de muitas pessoas. No domingo, você passará o bastão para um novo presidente. Que mensagem você sente que quer compartilhar para o presente e o futuro do FDEI? A mensagem que o Comitê Nacional cessante da FDEI quer compartilhar está contida no texto bíblico escolhido para o nosso Congresso: “Onde está o Espírito de Deus, aí há liberdade”. E também o subtítulo, que juntamente com Dorothee Sölle afirma: "Onde está o Espírito cresce a libertação, cresce o desejo combativo de libertação e a experiência de uma maior concretude da liberdade". Continue a ser todas as testemunhas de ruah/pneuma, em meio às dificuldades da vida. Deixe o "espírito"/ruah [il termine in ebraico è femminile, ndr] definem nossa vida, determinam que nossas relações mútuas sejam respiração, brisa suave, vento, coragem. Libertação crescente até que a liberdade seja alcançada pelos outros e por nós mesmos; até que estejamos livres das armas, livres da violência; da discriminação, do racismo, de um trabalho alienante. Devemos crescer "na experiência de uma maior concretude da liberdade" porque o mundo deseja a liberdade/libertação em sentido profundo e não pode ser alimentado apenas com palavras de liberdade. Lá spirita/ruah motiva a nossa luta pelos direitos e encoraja o nosso esforço para responder ao chamado ao serviço, promove a vida e cria comunidades de solidariedade, numa rede de relações com outras irmãs, amigas, companheiras de intenção. Quais foram os pontos críticos do seu mandato e que soluções conseguiu implementar? A maior criticidade durante o mandato foi durante o período de confinamento, devido à pandemia de Covid 19. Com o Comitê Nacional nos reunimos várias vezes online, juntamente com as lideranças e presidentes dos grupos denominacionais de mulheres, para refletir sobre a delicada situação. Compartilhamos nossas preocupações - poderia dizer com lágrimas - e nossas reflexões com os executivos de nossas igrejas, com alguns ministros italianos, com os líderes locais dos movimentos, conscientes de quanto a pandemia agravou as desigualdades para as mulheres em nível social atingindo suas vidas mais fortemente. E decidimos juntos nos comprometer com uma necessária mudança de paradigma. Também passamos por momentos difíceis quando tivemos que implementar as diferentes moções do Congresso. Por exemplo, cabe ao Comitê “colaborar para a criação de cursos de capacitação em igrejas evangélicas”. E não sabíamos quanto tempo duraria o confinamento. No entanto, organizamos o primeiro curso bíblico teológico a distância: "Violência e poder - as mulheres e a Bíblia" atingindo muitas pessoas de diferentes denominações evangélicas e católicas, nativas e migrantes. Pessoas que se inscreveram da Itália, Europa e América Latina. Além das nossas expectativas! Quais foram os momentos mais felizes e gratificantes? Acredito que para mim, mas também posso dizer para o Comitê Nacional da FDEI, os momentos mais felizes são aqueles em que todos estamos envolvidos e juntos organizamos encontros significativos para a vida e o testemunho da Federação. Ciclone Pam II: 13 de março de 2015. Pintura de Juliette Pita. Uma mãe que ora protege seu filho. As ondas quebram atrás deles, mas uma palmeira se curva e os protege também. A saia da mulher é inspirada nas roupas tradicionais de Erromango. No horizonte, pequenas cruzes representam as vítimas causadas pelo ciclone Pam em 2015. Levaremos em nossos corações o encontro organizado online junto com o Observatório Inter-religioso sobre a violência contra a mulher (OIVD) com Edith Bruck – Lembrete para “Deseducar para odiar”; o encontro com o Comitê do Dia Mundial de Oração (GMP), com a Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE), com as Comunidades de Base, com mulheres ortodoxas e religiosas católicas, por ocasião da Celebração Ecumênica do GMP preparada por mulheres de Vanuatu. Esta experiência abriu-nos a possibilidade de começarmos a organizar juntos diferentes celebrações ecumênicas no Pentecostes, Natal e Páscoa. Assim como foram apreciados os convites que recebemos para participar de eventos já organizados ou para serem organizados em conjunto. Penso na nossa participação nas iniciativas do Centro Inter-religioso pela Paz (CIPAX), daquelas organizadas pela Coordenação Teológica Italiana (CTI). E a possibilidade de conceder bolsas para 30 mulheres participarem de seu curso online. Depois, os vários convites para conferências organizadas pelo Centro de Estudos sobre Liberdade de Religião, Crença e Consciência (LIREC). Nossa participação na conferência "Casais e religiões: unidos na vida, diferentes na fé" organizado pelo grupo Mulheres de Fé em Diálogo - Religiões pela Paz Itália, em colaboração com a Comissão de Igualdade de Oportunidades do Município de Roma. E novamente os encontros online organizados junto com a OIVD sobre o tema da prostituição, que então surge para nós em uma reflexão a ser compartilhada com as igrejas por ocasião do dia 25 de novembro. Foi com muita felicidade que fomos contactados em 2021 pela RvS, que nos ofereceu um espaço na rádio para um dos nossos programas Donne FDEI – Donne in rete. Sentimos a mesma alegria quando o Centro Cultural Protestante de Torre Pellice convidou a FDEI para organizar conjuntamente quatro encontros sobre "Histórias Femininas", em diálogo com Bruna Peyrot E David Rosso. ...

Ler artigo
Exército de Salvação em Torre Pellice (TO).  O longo caminho para a obediência

Exército de Salvação em Torre Pellice (TO). O longo caminho para a obediência

Roma (NEV), 19 de abril de 2023 - De sexta-feira, 21 a domingo, 23 de abril, na Torre Pellice, na província de Turim, o Exército de Salvação (EdS) oferece três dias de aprofundamento, workshops, leituras e uma vigília de oração. Organizado e coordenado pelo setor Juvenil do Exército de Salvação Italiano, na pessoa dos capitães Christopher e Jessica Welcha iniciativa conhecida como "Equipar" está na sua sexta edição e tem como título "O longo caminho para a obediência".“O tema escolhido este ano é o da obediência – explica o capitão Jessica Welch em fai.info.it -, um tema infelizmente um pouco negligenciado hoje, mas que é importante. Naturalmente, a iniciativa está aberta a todos, saudáveis ​​e não saudáveis, dos 15 aos 95 anos, e visa dar aos crentes as ferramentas e oportunidades para crescer na fé e aprender a vivê-la intencionalmente na vida cotidiana para o avanço do Reino de Deus". Três dias intensos, explica Welch, que a partir do estudo de Atos 2, 42-47 serão divididos em "oficinas, por exemplo sobre como se relacionar com os jovens de hoje ou como se relacionar com refugiados, e na experiência de um clube de o livro através da leitura comum de alguns capítulos do volume de Eugene H. Peterson [il teologo presbiteriano, ndr] 'Obedecer por muito tempo e em uma só direção'. Também faremos uma vigília de oração de revezamento de 24 horas em uma tenda montada para esse fim. Além de mim e do meu esposo Cristóvão – conclui o capitão -, os demais maestros serão os tenentes-coronéis André e Darlene Morgan à frente do comando Itália e Grécia do Exército de Salvação, o capitão Sarah Ilster da Letônia e Capitão eu temo galustiano, responsável pela Juventude do Leste Europeu, sem esquecer o Coretto Valdese da Torre Pellice”. Mais informações: Whatsapp +39 3913728079 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.