O Papa Emérito Bento XVI deixa um legado de diálogo ecumênico

O Papa Emérito Bento XVI deixa um legado de diálogo ecumênico

Foto Observatório Romano

Roma (NEV/CEC), 31 de dezembro de 2022 – “Em nome do Conselho Mundial de Igrejas, expresso nossas mais profundas condolências pelo falecimento do falecido Papa Emérito Bento XVI. Ele foi o primeiro papa a vir de um país, a Alemanha, que vê protestantes e católicos quase em igual medida, bem como um país no centro da Reforma do século XVI. Com estas palavras o Secretário Geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Pe. Ioan Saucaexpressou as condolências do corpo mundial, após o anúncio pela Santa Sé da morte do Papa Emérito Bento XVI.

Bento XVI também foi o primeiro papa a servir em um comitê do Conselho Mundial de Igrejas, entre os membros católicos da Comissão de Fé e Constituição.

Pouco depois de Bento XVI se tornar papa, as queixas de longa data que impediam as reuniões da Comissão de Diálogo Católico-Ortodoxo foram superadas. Em 2007, a Comissão elaborou a “Declaração de Ravenna”, como um primeiro passo para superar a velha divergência sobre o papel do papado. Curiosamente, várias figuras-chave neste processo foram todos membros da Comissão de Fé e Constituição do CMI.

“Benedetto demonstrou coragem em sua liderança, em seus escritos e em suas declarações”, disse Sauca. E acrescentou: “No movimento ecumênico unitário, ele afirmou constantemente o profundo envolvimento da Igreja Católica Romana no ecumenismo como irreversível, especialmente em responder às questões que envolvem a Igreja no mundo”.

Também o moderador do Comitê Central do CMI, o bispo Heinrich Bedford-Strohm, divulgou um comunicado: “Compartilho minhas mais profundas condolências pela morte do Papa Emérito Bento XVI, com o Papa Francisco e toda a sua Igreja. Quando pensava na sua vida, muitas vezes me lembrava das palavras que pronunciou no seu 85º aniversário, 16 de abril de 2012, na Capela Paulina do Vaticano. Juntamente com uma delegação bávara, tive o privilégio de participar deste pequeno serviço muito pessoal”.

Naquela ocasião, o papa emérito disse: “Agora estou enfrentando o último capítulo da minha vida e não sei o que me espera. Eu sei, porém, que a luz de Deus existe, que ele ressuscitou, que sua luz é mais forte que qualquer escuridão, que a bondade de Deus é mais forte que qualquer mal neste mundo”. Bedford-Strohm concluiu: “Benedict provavelmente não teria pensado em viver mais dez anos completos. No entanto, estou certo de que agora ele experimenta a verdade dessas palavras ditas então”.


Para saber mais:

CMI expressa respeito pela renúncia do Papa Bento (comunicado de imprensa CEC 11 de fevereiro de 2013)

As contribuições do Papa Bento XVI para a unidade cristã (comunicado de imprensa do WCE em 27 de fevereiro de 2013)

O Papa Bento XVI e o líder do CMI reafirmam objetivos comuns para a unidade visível da Igreja (comunicado de imprensa do CEC em 4 de dezembro de 2010)

O secretário-geral do CMI expressa confiança no progresso da unidade cristã (comunicado de imprensa do CMI em 25 de janeiro de 2008)

Bento XVI: Kobia reza por um renovado compromisso de abertura ecumênica e um diálogo de conversão (comunicado de imprensa do CEC de 20 de abril de 2005)

Relatório da seção de Joseph Ratzinger à Comissão de Fé e Constituição do CMI em Louvain – 1971

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Presbiterianos americanos visitando a Itália

Presbiterianos americanos visitando a Itália

Roma (NEV), 6 de fevereiro de 2020 - Uma reunião com alguns expoentes da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA) aconteceu hoje em Roma, na sede da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália. Na verdade, hoje em dia o valdense está na Itália Luciano Kovacscoordenador da área Europa e Oriente Médio da Missão Mundial da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos (PCUSA), pároco Elmarie ParkerPCUSA responsável pelo Iraque, Síria, Líbano e Irã e Burkhard Paetzoldpessoa de contato da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos para a Europa Central e Oriental. Durante a manhã, os três representantes do PCUSA se reuniram com o presidente da FCEI, pastor Luca Maria NegroFCEI Coordenador do Programa de Migrantes e Refugiados, Mediterranean Hope, Paulo Nasodiretor da revista e centro de estudos Comparisons Cláudio Paravatio pastor Luca Barattosecretário executivo da FCEI, Fiona Kendall E Júlia Gorioperadoras da Mediterranean Hope. No centro do encontro, uma comparação e troca de boas práticas sobre alguns temas particularmente caros à igreja dos EUA, incluindo paz, comércio justo e sustentável, igrejas minoritárias, migrações, que também serão objeto de outros compromissos internacionais durante 2020. Amanhã a delegação dos Estados Unidos partirá para Palermo e outras cidades da Sicília, onde conhecerá comunidades e experiências eclesiais, incluindo, mais uma vez, o trabalho de Mediterranean Hope, com o Marta Bernardini. ...

Ler artigo
#SPUC2020.  Oração ecumênica pela unidade dos cristãos no Parlamento Europeu

#SPUC2020. Oração ecumênica pela unidade dos cristãos no Parlamento Europeu

Foto CEC Roma (NEV), 23 de janeiro de 2020 – Por ocasião da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), a Conferência das Igrejas da Europa (KEK), juntamente com a Comissão das Conferências Episcopais da União Europeia (COMECE), realizou ontem uma oração ecuménica ao Parlamento Europeu. Apresentado pelo deputado Peter van Dalena oração ecumênica teve como tema “Eles nos mostraram uma bondade incomum” e foi conduzida pelo Pe. Aloisprior da comunidade de Taizé, com contribuições do presidente da COMECE, cardeal Jean-Claude Hollerich e o presidente do CEC, pastor Christian Krieger. Dirigindo-se a representantes políticos e religiosos, os presidentes da CEC e da COMECE sublinharam a importância da união em tempos difíceis. Eles rezaram juntos para superar as divisões e promover a reconciliação em toda a Europa. Mairead McGuinnessprimeiro vice-presidente do Parlamento Europeu e responsável pela aplicação do artigo 17.º do TFUE (artigo do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia relativo ao diálogo com as organizações religiosas e não confessionais), sublinhou o importante papel que as Igrejas desempenham nas comunidades das sociedades e sua contribuição para alimentar a esperança. ...

Ler artigo
Em 24 passos rumo ao Natal, o calendário do Advento CELI

Em 24 passos rumo ao Natal, o calendário do Advento CELI

Roma (NEV), 2 de dezembro de 2020 - Quatro semanas de preparação para o nascimento do Senhor. A Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) propõe seu calendário do Advento. “Um período marcado pelo silêncio, mesmo que muitas vezes não seja assim. Este ano, porém, o Advento será verdadeiramente silencioso – lê-se no site luterano -. A alegre antecipação do Natal é ofuscada pelas notícias diárias de um aumento nas infecções por coronavírus, no número de mortes e na preocupação com os entes queridos, próximos e distantes. O Natal não é apenas a alegria do nascimento do Filho de Deus, mas também o calor da festa familiar mais importante do ano. Este ano não só as igrejas vão estar (mais) vazias, como também os locais à volta da árvore de Natal. No entanto, os pastores, pregadores e pregadores da Igreja Evangélica Luterana na Itália gostariam de evocar todos os dias um pouco da luz e da atmosfera do Advento nos corações. Compartilhar um versículo da Bíblia, uma oração, uma história do Advento, uma meditação ou uma memória”. Aqui o link para o calendário do CELI. “Advento – escreve no site do CELI Heiner Bludau, Decano da Igreja Evangélica Luterana na Itália – do latim adventus, que significa chegada. No Advento, nós cristãos somos confrontados com a vinda de Cristo de duas maneiras. Com o nascimento de Cristo, "a Palavra de Deus se fez carne" diz a Bíblia (João 1:14). Isso significa que Deus e seu reino chegaram muito perto de nós. Algo começou cuja conclusão ainda está por vir. Enquanto confessamos e pedimos rezando o Credo e o Pai Nosso, em algum momento o Reino de Deus será concluído, Cristo prometeu que Ele voltará. Este é o segundo aspecto da vinda a que se refere o Advento. O Advento visto como um período de Paixão (Quaresma) não extinguiria nossa alegria. Pelo contrário, poderia levar-nos a experimentar uma alegria ainda mais profunda. […] Um advento vivido como um período de paixão/quaresma não significaria necessariamente um convite a desistir de tudo. Mas o abandono de alguns hábitos quotidianos não poderia criar um espaço livre para nos dedicarmos à Palavra de Deus, ajudando-nos a captar a mensagem do Advento não só com a mente, mas também e plenamente com a alma? Se dermos à Palavra de Deus uma chance de se ativar dentro de nós, ela poderá desencadear uma alegria muito maior do que a que experimentamos por meio de nossas tradições natalinas. Neste sentido, desejo a todos um abençoado Advento”. Muitas ideias, portanto, do mundo protestante, para contar os dias que nos separam do Natal e sobretudo para refletir, neste período pré-feriado. Ontem, 1º de dezembro, falamos sobre outros dois calendários do Advento, o da Igreja Valdense de Turim e o da FGEI. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.