Paolo Naso: não se resigne ao mal

Paolo Naso: não se resigne ao mal

Murais em Katowice, Polônia. Foto Pawel Czerwinski Unsplash

Roma (NEV), 25 de outubro de 2022 – Enquanto as comunidades religiosas do mundo se reúnem no Coliseu de Roma para a cerimônia de encerramento do encontro “O grito pela paz”, o Mediterrâneo envolve mais mortos.


O “grito pela paz” reúne muitas vozes e entre elas queremos retomar a de Paulo Naso, ex-coordenador do projeto Esperança do Mediterrâneo (MH) e atual pessoa de contato para as relações institucionais do MH dentro da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Paolo Naso falou esta manhã durante o encontro internacional anual de oração e diálogo pela paz entre as religiões do mundo, organizado pela Comunidade de Sant’Egidio. O contexto é o do Fórum sobre a responsabilidade das religiões na crise da globalização.

“Os cristãos não aceitam o mal – disse Naso -. Dietrich Bonhoeffer não se resignou ao mal total e absoluto que via crescer ao seu redor; Martin Luther King não se resignou ao mal racista que permeava sua igreja e a própria comunidade cristã; Desmond Tutu ele não se curvou ao mal do apartheid e a um sistema de regras que criava hierarquias baseadas na cor da pele. Cada um à sua maneira enfrentou o problema de contrastar o mal, imaginando como interromper o fluxo de violência e ódio. Este é o desafio que enfrentamos hoje. Tal como acontece com as migrações globais, a política parece não encontrar soluções. Também não vemos aquele ‘povo de paz’ ​​que no passado marchou junto pelo desarmamento nuclear ou pela guerra no Iraque”.

Foto Comunidade de Sant’Egidio

Em seu discurso, Paolo Naso sublinhou o valor do que chamou de “a mais importante aventura ecumênica destes anos: o compromisso comum de conceber, implementar e promover corredores humanitários na Europa”.

Paolo Naso então aborda a questão ucraniana: “Diante deste massacre da humanidade, até a voz dos cristãos está dividida. Os contrastes também atravessam nossa comunidade de fé. É um escândalo, um obstáculo dramático à credibilidade da nossa fé. Então? Oração é claro, como acontecerá em algumas horas. E então? Somos capazes de dizer e fazer outra coisa, algo mais?”.

São três questões, segundo Paolo Naso, para recomeçar. “Podemos dizer que a guerra não pode ser abençoada? […] Podemos dizer juntos que a paz deve ser justa ou não? […] Finalmente, podemos dizer juntos que o uso de armas nucleares não pode sequer ser contemplado entre as opções militares plausíveis? Isso certamente se aplica à Rússia, mas também aos aliados da Ucrânia, aos Estados Unidos e ao campo ocidental no qual a Itália se reconhece”.

Para ler o discurso completo de Paolo Naso no encontro internacional de oração e diálogo pela paz entre as religiões do mundo organizado por Sant’Egidio (Roma, 23/25 de outubro de 2022) clique abaixo. Paolo Naso – Não se resigne ao mal.

Entre as presenças evangélicas do evento, também o presidente da FCEI, pastor Daniele Garrone. Para ler a meditação de Garrone clique abaixo. Daniele Garrone – A palavra de Deus gera sonhos.

Para ver as outras presenças do mundo protestante e reformado clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Oito por mil valdenses, assinaturas e projetos estão crescendo

Oito por mil valdenses, assinaturas e projetos estão crescendo

Alessandra Trotta, Moderadora da Mesa Valdense Torre Pellice (Turim), 25 de agosto de 2022 – São 1.557 intervenções humanitárias, educacionais, culturais e de ajuda ao desenvolvimento que serão financiadas este ano pelas Igrejas valdenses e metodistas com os fundos Otto per Mille: 34% a mais do que as incorridas em 2021 (1161). Um aumento devido principalmente ao maior número de contribuintes (570.000, contra 547.000 no ano anterior) que se inscreveram a favor do Otto per Mille Valdense e Metodista e, portanto, à maior disponibilidade financeira (45 milhões de euros em 2022, 43 em 2021 ), mas também à decisão de alargar o leque de iniciativas a que pode ser garantido apoio financeiro. A percentagem de projetos aprovados face aos apresentados para avaliação também aumentou: 23,2% em 2021, 35,2% em 2022. A destinação dos recursos foi aprovada hoje pelo Sínodo, a Assembleia que constitui a instância máxima das igrejas valdenses e metodistas, reunida recentemente em Torre Pellice, na província de Turim. “Mesmo a gestão de um recurso tão grande que mais de meio milhão de italianos nos deu a responsabilidade de usar – explica Alessandra TrottaModerador da Mesa Valdense – é para nós uma forma de testemunhar a nossa fé cristã, apoiando ações de ajuda aos últimos e o compromisso de fazer o bem comum sem preconceitos ideológicos, sociais ou religiosos”. Números do projeto Em comparação com 2021, os projetos italianos estão aumentando (1107 em 2022, 730 em 2021: +51,6%) em comparação com os internacionais (450 em 2022, 431 em 2021: +4,4%). Para a Itália, os recursos foram distribuídos da seguinte forma: melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência (21%), promoção do bem-estar e crescimento de crianças e jovens (17%), atividades culturais (16%), contraste à pobreza, privação social e precariedade laboral (9%), protecção da saúde (8%), acolhimento de refugiados e migrantes (7%), prevenção e luta contra a violência de género (7%), reabilitação de reclusos e ex-reclusos ( 4%), educação para a cidadania (4%), proteção ambiental (4%), idosos (3%). Os projetos internacionais são divididos da seguinte forma: cuidados de saúde e intervenções de proteção à saúde (19%), educação (19%), proteção à criança (12%), treinamento profissional e atividades geradoras de renda (11%), direitos humanos (9%) , desenvolvimento rural e segurança alimentar (9%), promoção do papel da mulher e igualdade de género (9%), ajuda humanitária de emergência (5%), acesso a água e saneamento (3%), luta contra a malnutrição (3%) , proteção ambiental (1%). A lista completa dos projetos aprovados para 2022 será publicada no site www.ottopermillevaldese.org até meados de setembro. O Otto per Mille pode ser doado por todos aqueles que fazem uma declaração de imposto a uma das entidades religiosas com as quais o Estado italiano tem um acordo ou ao próprio Estado para os fins estabelecidos por lei. Outros fundos são 5×1000, que podem ser atribuídos a investigação científica ou associações e organizações sem fins lucrativos, e 2×1000, que só podem ser atribuídos a partidos políticos. No entanto, apenas 8×1000 são atribuídos anualmente pelo Ministério das Finanças (uma vez que já está “incluído” na tributação), e funciona efetivamente como uma votação, em que os que se abstêm contribuem para o valor do voto maioritário. Oito por mil de todos os rendimentos declarados são, em qualquer caso, divididos entre o Estado e todas as entidades religiosas responsáveis ​​por recebê-los, na proporção das escolhas efetivamente recebidas por cada organismo. ...

Ler artigo
Federação das Igrejas Protestantes para um processo de paz justo na Ucrânia

Federação das Igrejas Protestantes para um processo de paz justo na Ucrânia

Foto Sunyu / Unsplash Roma (NEV), 4 de novembro de 2022 – Publicamos o ato integral aprovado pelo II Assizes da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) sobre a necessidade de um processo de paz justo na Ucrânia. O Assizes confessa o pecado de sua própria inadequação em promover o paz e O desarmamento. Exorta a FCEI a participar com discernimento nas iniciativas de apoio a um processo de paz justo na Ucrânia, denunciando a responsabilidade da Federação Russa pela agressão a um país soberano como a Ucrânia; com este perfil, convida a FCEI a se juntar à iminente manifestação pela paz no dia 5 de novembro. Ao mesmo tempo, reitera que a paz anda de mãos dadas com a justiça, lembrando que o estado de saúde dos direitos se mede em particular na proteção, valorização e respeito das minorias. Convida a FCEI a apoiar qualquer ação ecumênica voltada para facilitar e acompanhar um processo de paz, com a consciência de que o caminho para a resolução de conflitos não requer soluções fáceis ou pré-estabelecidas, mas abertura, escuta e criatividade. Exorta a FCEI a encontrar recursos para promover programas de educação para a paz, fazendo uso das ferramentas e comissões disponíveis. Reitera também que a comunidade internacional e os organismos supranacionais têm a responsabilidade de se empenhar com todos os recursos e energias para que uma trégua seja rapidamente estabelecida como primeiro passo para um processo de paz justo. Por fim, apela às igrejas-membro para que apoiem os projetos de reconstrução na Ucrânia, nos quais a própria FCEI está disposta a colaborar, e convida as igrejas a um dia de oração para confiar ao Senhor o nosso pedido de paz, justiça e respeito pelos direitos humanos direitos na Ucrânia, na Rússia e em todo o mundo. Esta moção foi aprovada pelos Assizes que se reuniram recentemente em Sassone (Roma), com o título "Sentinela, em que ponto é a noite...?" (Isaías 21,11) O que vemos, o que devemos dizer? Liberdade e Democracia; trabalho e ambiente; globalização e paz". ...

Ler artigo
Carsten Gerdes.  Fé e esperança para o futuro da Igreja Luterana

Carsten Gerdes. Fé e esperança para o futuro da Igreja Luterana

O Reitor da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), pastor Carsten Gerdes Catânia (NEV/CEL), 2 de maio de 2023 – No encerramento do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), fizemos algumas perguntas ao Reitor, Pr. Carsten Gerdes. Qual é o seu balanço deste Sínodo? O balanço que posso tirar do Sínodo que acaba de terminar é, por um lado, simples de resumir: os trabalhos terminaram uma hora antes do previsto. Portanto, podemos dizer que não tivemos nenhuma questão crítica específica na discussão. Por outro lado, devo admitir que em pelo menos algumas questões poderíamos ter, e talvez devêssemos ter decidido com mais clareza. Afinal, porém, a discussão geral não nos guiou nessa direção. Em seu relatório introdutório, mas também em sua entrevista pré-sinodal ao semanário Riforma, há uma profunda mensagem pastoral. Afirmaste, por exemplo, que "muitas vezes se pede aos crentes que prestem contas da sua fé e, com igual frequência, aqueles que o fazem não conseguem ver que também a vida daqueles que consideram a fé incompreensível, ou mesmo inútil, é construída sobre fundamentos que ainda não demonstraram sua sustentabilidade. Na sua opinião, o que é a "sustentabilidade da fé"? Claro, a resposta a esta pergunta pode variar de pessoa para pessoa. Por qual é a perspectiva da minha vida, percebo que é bom que nem tudo dependa de mim, das minhas possibilidades: mentais, de pensamento, condições de saúde.Quero dizer que a base que sei que tenho vai além de mim: desde a manhã, pela leitura de um versículo da Bíblia e pela comparação que consigo fazer com esse texto. Mesmo quando faço uma oração, mesmo sabendo que naquele momento não vai acontecer o que eu quero, sei que posso confiar em alguém que não seja eu para me ouvir e não ter que responder como eu quero. Fé sustentável é confiar e confiar em Deus. Muitas vezes nos sentimos frustrados por estarmos sozinhos na diáspora: na realidade, muitos convidados vieram para o Sínodo de muitas partes da Europa e de toda a Itália. Uma demonstração de que não estamos sozinhos. Então, como é esse sentimento como uma minoria? Eu venho do norte da Alemanha. Nessas partes, novamente, a maioria dos cristãos são evangélicos, são protestantes. Então a experiência do CELI, de uma igreja na diáspora, é uma experiência nova para mim. Novo e intenso. No entanto, percebo, em minhas reuniões com outras igrejas minoritárias, que nós, os "pequeninos", podemos aprender uns com os outros. Encorajando uns aos outros. Dando-nos uma mão. Somos muitos pequenos grãos que juntos finalmente formam uma obra. Esta é a minha visão e esperança. Uma visão que me eleva quando me sinto pequena e sozinha. Afinal, “nós somos sal”…? É verdade. Muitos pequenos grãos de sal que juntos formam uma pilha de sal. Mas atenção: nem sempre precisamos de um monte. Às vezes, pequenos grãos dispersos são suficientes: eles já são eficazes em sua força de ser grãos. Entrevista por Gianluca Fiusco e Elena Ribet. Obrigado Geórgia E. betz pela tradução do alemão. Para saber mais: Homepage – Inglês – Igreja Luterana Especial NEV Sínodo Luterano 2023 ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.