Comunidades religiosas ucranianas no Conselho das Igrejas: pare a guerra

Comunidades religiosas ucranianas no Conselho das Igrejas: pare a guerra

Delegação do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), chefiada pelo secretário-geral interino, padre Ioan Sauca, reuniu-se com o Conselho Ucraniano de Igrejas e Organizações Religiosas – 3 de agosto de 2022. Foto: Ivars Kupcis/CEC

Roma (NEV), 8 de agosto de 2022 – Liderado pelo Secretário-Geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), Padre Ioan Sauca, uma delegação do corpo mundial reuniu-se com o Conselho Ucraniano de Igrejas e Organizações Religiosas. O encontro, organizado no âmbito de uma visita à Ucrânia em vista da participação das Igrejas ucranianas na próxima assembléia da CEC em Karlsruhe, aconteceu no dia 3 de agosto. O Conselho Ucraniano de Igrejas e Organizações Religiosas representa 95% das comunidades religiosas na Ucrânia. Isso inclui as igrejas ortodoxa, católica grega e católica romana, protestante e evangélica, bem como uniões religiosas judaicas e muçulmanas.

“Sua iniciativa em nos visitar durante a agressão russa é muito importante para nós e para a sociedade religiosa ucraniana”, disse ele Marcos Hovhannisyan, bispo da diocese ucraniana da Igreja Apostólica Armênia e presidente do Conselho Ucraniano de Igrejas e Organizações Religiosas. Foi ele quem deu as boas-vindas à delegação do CMI. Os membros do Conselho Ucraniano expressaram a esperança de que a voz do CMI e das igrejas ao redor do mundo ajude a deter a guerra.

“Viemos aqui para garantir que haja delegados ucranianos na assembléia do CMI, para que o mundo inteiro possa vê-lo e que você possa falar em seu nome, em nome do próprio povo ucraniano”, disse o secretário Sauca. Quem acrescentou: “Deus está do lado de quem sofre e só a paz sempre vence”.

“Seu trabalho é inspirador. Não só representa a sociedade ucraniana, mas também traz uma visão comum para o futuro – disse Sauca -. Como comunidades religiosas, vocês têm um papel importante na reconciliação. E a reconciliação não acontece esquecendo, mas dizendo a verdade”.

A deslocação da delegação à Ucrânia decorreu de 1 a 5 de agosto. Com Sauca, também o pastor Pedroso Mateus, vice-secretário geral do CMI e diretor da Comissão de Fé e Constituição. E Ivars Kupcisresponsável pela comunicação do CEC.

Durante a visita solidária, a delegação do CEC reuniu-se ainda com diversas instituições do Estado que se ocupam de questões religiosas, ouvindo as vítimas da guerra em curso. O CMI pediu apoio para que os membros da delegação das Igrejas ucranianas possam deixar o país e participar da 11ª Assembleia do CMI em Karlsruhe. Leia: “Viemos aqui para mostrar nossa solidariedade.”

Durante uma dessas reuniões, ao pedido de suspensão da participação de representantes da Rússia (assim como solicitado a outros órgãos e instituições culturais), o CMI respondeu: “O Conselho Mundial de Igrejas foi fundado para promover o diálogo entre igrejas que não estão em acordo entre si. Portanto, não pretendemos excluir, mas desafiar nossos membros a trabalhar juntos por justiça e paz”. por algumas igrejas e concluiu unanimemente que o CMI deve continuar a manter sua identidade como uma plataforma aberta onde as igrejas se encontram e se desafiam, buscando caminhos de reconciliação e cura baseados em uma paz justa”.

Para saber mais:

Declaração do Comitê Central do CMI sobre a guerra na Ucrânia.

O site do Conselho Ucraniano de Igrejas e Organizações Religiosas.

Discurso de boas-vindas do Bispo Marcos Hovhannisyan.

Galeria de fotos do encontro.

A delegação do CMI visita a Ucrânia no contexto da guerra em andamento (comunicado de imprensa de 6 de agosto de 2022).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

2022. Os eventos evangélicos e ecumênicos do ano

2022. Os eventos evangélicos e ecumênicos do ano

Foto Pixabay CC Roma (NEV), 1º de janeiro de 2022 - Esta é uma visão geral das nomeações nacionais e internacionais de igrejas protestantes e órgãos ecumênicos para o ano de 2022. Entre outras coisas, o programa inclui o Sínodo Luterano, a V sessão conjunta da Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e do Sínodo das igrejas valdenses e metodistas, conhecida como “Sínodo-Assembléia”. E ainda, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (18-25 de Janeiro), os compromissos da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) e do Conselho Ecuménico das Igrejas (CEC), a 15ª Conferência de Lambeth. Abaixo, em ordem cronológica, a Agência NEV Press relata os eventos mais significativos que irá explorar parcialmente durante o ano. AGENDA 2 de janeiro Celebração Ecumênica no zoom. Organizado, entre outros, pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) e pela Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE). 18/25 de janeiro Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2022. 20 de janeiro Womanitarian: mulheres como recursos comunitários – IV edição da Conferência Nacional de Serviços de Inclusão, com a Comissão Sinodal para a Diaconia (Waldensian Diaconia-CSD). POSTERGADO até 28 de abril 23 de janeiro Adoração das diferentes denominações protestantes no Grossmünster em Zurique, Suíça. 25/27 de fevereiro Assembleia Preliminar Regional da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) em Varsóvia, Polónia. 10/12 de março Conferência “Bem-estar das sociedades e locais de trabalho digitalizados” da Church Action on Labour and Life (CALL), em Estrasburgo, França. 22/25 de abril 46ª Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) 28 de abril / 1º de maio Sínodo Luterano. Poderia Primeiro Comitê Executivo da Comissão de Igrejas Reformadas (CMCR) com o novo Secretário Geral. 5 de junho Domingo de Pentecostes e “Dia do Impacto Global” da Aliança Batista Mundial (ABM). 23/30 de junho Conferência Geral da Igreja Metodista da Grã-Bretanha, Telford. 27 de julho/8 de agosto Conferência de Lambeth. final de agosto “Assembleia-Sínodo”, V sessão conjunta da Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) e do Sínodo das Igrejas Valdenses e Metodistas. 31 de agosto / 8 de setembro Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) em Karlsruhe, Alemanha. 21/24 de setembro Conselho da Federação Batista Europeia (EBF). Para quaisquer alterações, correções e acréscimos, envie uma solicitação via e-mail para [email protected] ...

Ler artigo
Religiões no hospital.  Integrar a espiritualidade e a medicina nas práticas de cuidado

Religiões no hospital. Integrar a espiritualidade e a medicina nas práticas de cuidado

Foto de Branimir Balogović - detalhe, Unsplash Roma (NEV), 8 de fevereiro de 2021 – O pastor valdense Sérgio Maná será o convidado do terceiro e último encontro do ciclo de seminários relacionados com o projeto “Religiões no hospital. Integrando a espiritualidade e a medicina nas práticas de cuidado”. Sergio Manna é, entre outras coisas, capelão hospitalar e formador de pastoral clínica. Abaixo do panfleto. O seminário, de forma virtual, será realizado no dia 26 de fevereiro, das 16h às 18h, palestrantes Sergio Manna pela Faculdade Valdense de Teologia e Paulo Fini, para a pastoral da saúde da diocese de Turim. Moderado Cristina Vargas da Fundação Fabretti. Organizado pelo laboratório de pesquisa CRAFT da Universidade de Torino, o ciclo é financiado pela Fundação CRT. “A pesquisa visa iniciar um projeto piloto para a capacitação de profissionais de saúde sobre as necessidades religiosas e espirituais dos pacientes hospitalares. Em particular, com referência à Cidade da Saúde e Ciência de Turim. Isto, tendo em vista o crescente pluralismo religioso da região de Turim – lê-se na apresentação da iniciativa -. Pretende-se contribuir para a promoção do bem-estar da comunidade com vista à inclusão e coesão”. Boas práticas inter-religiosas na atenção à saúde Um exemplo de boas práticas inter-religiosas na área da saúde é representado pelo Manifesto Inter-religioso dos direitos nas vias de fim de vida. Este é o primeiro documento bioético que estabelece importantes fundamentos comuns. O Manifesto reuniu protestantes, católicos, ortodoxos, judeus, muçulmanos, budistas e hindus. Define nove direitos fundamentais e garante, além do tratamento, o respeito à dignidade e o apoio religioso e espiritual aos que se encontram em fase final de vida nas unidades de saúde. Pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), o presidente, pároco, assinou o Manifesto Luca Maria Negro. Em seus dois anos de vida, o documento teve inúmeras subscrições sucessivas e a criação de um grupo de trabalho para definir os procedimentos operacionais. Baixe a ficha: Nove direitos nos caminhos do fim da vida ...

Ler artigo
“Em outras palavras”, a conferência da Diaconia em Florença

“Em outras palavras”, a conferência da Diaconia em Florença

foto de Patrick Tomasso, de unsplash.com EVENTO CANCELADO Roma (NEV), 15 de fevereiro de 2020 – “Em termos simples. Novas e velhas palavras para superar a raiva e redescobrir o diálogo” é o título do encontro anual da Diaconia Valdense que acontecerá em Florença no sábado, 14 de março. O evento é organizado pela Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD), o Conselho Valdense, a Faculdade Valdense de Teologia e a Federação da Juventude Evangélica na Itália (FGEI) e acontecerá no Instituto Gould na via de'Serragli 49. O programa do dia, ainda em fase de finalização, inclui uma meditação inicial do moderador da Mesa Valdense Alessandra Trottaseguido de um painel de discussão com Fulvio Ferrario sobre "Kurt Marti: palavra bíblica, palavra poética” e Cláudio Marazzini, sobre "Palavras que incluem, palavras que excluem". Uma performance seguirá David Riondino“Jogos de palavras (perigosos)”. A reflexão que se propõe, lemos na circular da Mesa valdense n.3, de 13 de fevereiro, "quer sugerir como é importante investir nas palavras, velhas e novas, para que o empobrecimento da linguagem não torne nos feios e para que se tornem uma ferramenta adequada para transformar a raiva expressa pela sociedade em um diálogo frutífero e redescobrir o valor libertador do conflito, especialmente se vivido corretamente". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.