#siamosale, a campanha Otto per mille da Igreja Luterana está em andamento

#siamosale, a campanha Otto per mille da Igreja Luterana está em andamento

Roma (NEV), 5 de maio de 2023 – “Tu és o sal da terra”, este é o versículo que, com a hashtag #siamosale, animará a campanha dos oito por mil da Igreja Luterana.

Uma campanha que começou com uma viagem à descoberta das comunidades luteranas: o #saledellaterratour. As comunidades alcançadas por esta primeira viagem foram: Gênova, Ispra-Varese, Milão, Nápoles e Torre Annunziata. Uma jornada que continuará nos próximos meses com uma nova história. Comunidades, as luteranas, que se “identificam por um empenho particular e característico – como afirma a nota de lançamento da campanha -. Temas como natureza, convívio, hospitalidade, música, escuta, generosidade. Características que, como grãos de sal, dão sabor através do empenho possível também graças às assinaturas para a Igreja Evangélica Luterana na Itália”.

“Antes de tudo, queríamos falar a linguagem da realidade – explica o gerente de comunicação da Igreja Luterana, Gianluca Fiusco – e queríamos fazê-lo partindo de dois elementos que são essenciais para o CELI: transparência e comprometimento. Transparência significou dizer as Comunidades como elas são: sem nenhuma intermediação que não fosse dada pelos rostos, pela voz, pelas palavras de quem vive, anima e constrói essas Comunidades. Por outro lado, o empenho envolveu um trabalho de descoberta que nos convenceu a não partir de um assunto elaborado e escrito no escritório; tanto quanto ouvir as histórias, os testemunhos, as pequenas e grandes histórias que caracterizam a vida real das comunidades luteranas na Itália”.

A campanha será dividida em seis clipes que, a partir do dia 8 de maio, estarão disponíveis no canal do YouTube da Igreja Evangélica Luterana. A isso será adicionada uma página de destino www.ottopermilleluterano.org que conterá todas as informações sobre como apoiar e se inscrever no CELI; informações da campanha e materiais produzidos para a campanha.

“Ser sal da terra (Mateus 5) – conclui Fiusco – significa muitas coisas. Significa tentar dar sabor tanto aos gestos que fazemos como ao empenho com que trabalhamos. Um sabor que, como o sal, se dissolve na realidade, na sociedade, não encobre seu sabor, suas identidades. Ele não os assimila mudando sua natureza. Torna-os vivos, belos, ricos: de vozes, de experiências, de escuta, de participação”.

A história estará disponível no CeliPOD a partir do dia 5 de maio e nas redes sociais dos Luteranos, Facebook e Instagram.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mulheres e religiões: “Fazendo a diferença”

Mulheres e religiões: “Fazendo a diferença”

Roma (NEV), 5 de setembro de 2018 - A 8ª conferência internacional "Mulheres e religiões: diálogo e comparação entre ciência, teologia e instituições" promovida pela associação cultural "...sound's good" será realizada em Roma nos dias 6 e 7 de setembro em cooperação com a fundação Marco Besso e o centro judeu italiano “Il Pitigliani”. Intervenção está marcada para sexta-feira à tarde Gianna Urzio, ex-presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). “Tive que ver o documentário de Amos Gitai 'Carta a um amigo de Gaza', que abre com um poema do poeta palestiniano Mahmoud Darwish. 'Ao preparar seu café da manhã, pense nos outros, / não se esqueça da comida das pombas. / Enquanto travas as tuas guerras, pensa nos outros, / não te esqueças dos que pedem a paz. / Enquanto vais para casa, para a tua casa, pensa nos outros, / não te esqueças dos povos das tendas. […] É um texto quase evangélico, e é para não esquecer que na minha intervenção nesta conferência falarei da 'Resiliência e do futuro das mulheres de Gaza' – declarou Gianna Urizio à Agência NEV, concluindo -. Há alguns anos que vou a Gaza e gostaria de trazer, num contexto repleto de pessoas com diferentes religiões e diferentes experiências de vida na história e nos dias de hoje, a voz de três mulheres que trabalham para construir um futuro possível em uma situação impossível”. Para informações e detalhes, baixe o Program_conference_women_religion aqui ...

Ler artigo
Um calendário do Advento “que cheira a vida”

Um calendário do Advento “que cheira a vida”

Foto de Julieta Mazzotta Roma (NEV), 30 de novembro de 2022 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) apresenta o "Calendário do Advento que cheira a vida". Concebido como um presente para todas as pessoas que amam a Criação, o calendário nasceu como parte do projeto GLAM de "Corredores Ecológicos para Insetos Polinizadores". “Antecipada por um vídeo no final do inverno passado, a iniciativa dos corredores para insetos polinizadores foi ampliada devido ao interesse, envolvimento e participação de muitos sujeitos dentro e fora das igrejas”, escreve GLAM. Ele acrescenta: “De repente, semanas após o lançamento, o próprio nome estava sendo transformado várias vezes. 'Corredores Ecumênicos', depois 'Corredores Ecológicos, Caminhos Ecumênicos', para incluir a diversidade de pessoas e grupos envolvidos. Por que essa iniciativa teve tanto sucesso pode ser explicado em duas palavras: usabilidade e responsabilidade”. “Porque o Senhor teu Deus está prestes a introduzir-te numa terra fértil: uma terra de torrentes, fontes e águas subterrâneas que brotam na planície e na montanha; terra de trigo, cevada, vinha, figos e romãs; de oliveiras, azeite e mel; uma terra onde não comerás pão em falta, onde nada te faltará. País onde as pedras são de ferro e de cujas montanhas cavarás o cobre" (Deuteronômio 8,7-9) Por que utilizável? Por que responsável? GLAM continua: “É utilizável porque se adapta a qualquer ambiente, mesmo o mais degradado, aliás é precisamente aí que se realiza o seu significado mais profundo; é utilizável porque não tem restrições de idade, pois qualquer pessoa pode plantar uma semente em um vaso ou cuidar de um canteiro urbano, em vez de plantar árvores ou criar grandes jardins. Exige responsabilidade individual porque lança luz sobre a estreita ligação entre a perda da biodiversidade e a extinção em massa. Estimula o sentido de responsabilidade dos mais pequenos, tornando-se um excelente vetor no ensino do cuidado da Criação”. O calendário do Advento GLAM visa, entre outras coisas, "agradecer a todos aqueles que colaboraram na divulgação deste pequeno e precioso projeto 'eco-ecumênico' e encorajar a participação e divulgação no território italiano". O Grupo de Trabalho de Polinizadores criou o calendário. Todos os dias chama a atenção para uma ou mais plantas, de vasos ou da horta, da horta ou do bosque, concluindo no dia 24 de dezembro com uma coleção que a GLAM convida a descobrir folheando o calendário disponível a partir de 1 de dezembro a página de facebook da Comissão (Comissão de Globalização e Ambiente). ...

Ler artigo
“Dor e consternação” do Conselho Mundial de Igrejas em Hagia Sophia

“Dor e consternação” do Conselho Mundial de Igrejas em Hagia Sophia

Ioan Saucasecretário-geral interino do CMI, enviou a carta ao presidente turco em 11 de julho, observando que desde 1934 "Hagia Sophia tem sido um local de abertura, encontro e inspiração para pessoas de todas as nações e religiões". Ele acrescentou que o prédio é uma "expressão poderosa" do compromisso da Turquia com o secularismo e a inclusão e seu desejo de deixar para trás os conflitos do passado. Hagia Sophia foi construída pela primeira vez há 1.500 anos como uma catedral cristã ortodoxa e foi convertida em mesquita após a conquista otomana em 1453. Em 1934, no entanto, tornou-se um museu e agora é um Patrimônio Mundial da Unesco. Sauca escreveu: “Sou obrigado a transmitir a dor e a consternação do Conselho Mundial de Igrejas – e suas 350 igrejas-membro em mais de 110 países, representando mais de meio bilhão de cristãos em todo o mundo – na etapa que você acabou de dar”. "Ao decidir reconverter a Hagia Sophia em uma mesquita, você inverteu esse sinal positivo da abertura da Turquia e o transformou em um sinal de exclusão e divisão." Sauca disse que, infelizmente, a decisão na Turquia foi tomada sem aviso ou discussão com a UNESCO sobre o impacto da decisão sobre o valor universal da Hagia Sophia, reconhecida pela Convenção do Patrimônio Mundial. “Ao longo dos anos, o Conselho Mundial de Igrejas tem feito grandes esforços para apoiar o envolvimento ativo de suas igrejas-membro no diálogo inter-religioso, a fim de construir pontes de respeito mútuo... entre diferentes comunidades religiosas. Além disso, em tempos difíceis, o CMI junto com suas igrejas membros tem intervindo na defesa e apoio de outras comunidades religiosas, incluindo comunidades muçulmanas, pelo respeito de seus direitos e integridade”, disse Sauca. Transformar um "lugar emblemático" como a Hagia Sophia de museu em mesquita "criará inevitavelmente incerteza, suspeita e desconfiança, minando todos os nossos esforços para reunir pessoas de diferentes religiões à mesa do diálogo e da cooperação". O CMI também teme que a decisão "encoraje as ambições de outros grupos em outros lugares que buscam derrubar o status quo existente e promover divisões renovadas entre as comunidades religiosas". Leia em Riforma.it ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.