A FCEI inaugura a Secretaria Escolar do Pluralismo Laico

A FCEI inaugura a Secretaria Escolar do Pluralismo Laico

Roma (NEV), 20 de outubro de 2022 – A Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) abre o “Sportello Scuola Laicità Pluralismo”, um serviço dirigido a igrejas evangélicas, associações culturais, grupos confessionais e indivíduos.

A missão desta nova atividade da FCEI é “apoiar uma escola laica, atenta ao reconhecimento do pluralismo religioso e cultural da sociedade italiana, e promover um ensino que a reconheça como eixo educativo e patrimônio cívico”.

“Assumimos este novo compromisso porque são solicitados pelas igrejas-membro – explica o presidente da FCEI, prof. Daniele Garrone – mas é nossa intenção colocar esta carteira à disposição daqueles nas escolas e na sociedade italiana que compartilham a ideia de uma escola laica e, ao mesmo tempo, capaz de representar o pluralismo religioso e cultural que se expressa na sociedade italiana. Infelizmente – acrescenta o Presidente da FCEI – ainda hoje assistimos a tentativas de confessionalização de algumas áreas das escolas públicas que, para além de contrariarem a letra e o espírito da Constituição, limitam o desenvolvimento de percursos educativos coerentes com a multirreligiosidade e caráter intercultural do país”.

O helpdesk, instalado na sede da FCEI em Roma, pretende oferecer serviços de informação e consultoria jurídica sobre questões de laicidade nas escolas. Para tanto, será possível o envio de denúncias, pedidos de apoio e primeiros socorros em relação a situações problemáticas que possam surgir dentro das escolas, como, por exemplo, a não ativação da disciplina alternativa na hora da religião; eventuais dificuldades em encontrar os formulários corretos para o exercício do direito de não utilização do IRC; problemas inerentes à hora da educação cívica; de forma mais geral, situações de dificuldade de acesso a direitos para quem não recorre ao ensino religioso confessional.

Paralelamente, porém, em rede com outros centros e associações e em articulação com o SIE, Serviço de Educação e Educação da FCEI, a secretaria pretende promover projetos educativos sobre disciplinas que, no âmbito secular da escola, contribuam à educação cívica numa sociedade multiétnica e intercultural.

“Como igrejas evangélicas continuamos a pensar que o Ensino Religioso Confessional (IRC) é a resposta inadequada a uma necessidade real: na sociedade pluralista de hoje é importante que os alunos tenham uma informação religiosa adequada, mas no contexto de um ensino secular, que promova o conhecimento de presenças religiosas cada vez mais importantes, e não apenas em termos de números”.

Indicações, fichas informativas e propostas de projetos sobre os temas do pluralismo e da laicidade nas escolas serão apresentadas e publicadas no site www.fcei.it ao longo do tempo.

A recepção pode ser contatada no endereço de e-mail: [email protected].

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Você não está sozinho!  Evangelização e direitos das mulheres

Você não está sozinho! Evangelização e direitos das mulheres

Roma (NEV), 3 de maio de 2023 – Os direitos das mulheres estão no centro da Semana de Evangelização 2023, organizada pela Comissão para a Evangelização das Igrejas Metodistas e Valdenses e pelo Departamento de Evangelização da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). O evento tem como slogan "Você não está sozinho!” e pretende conscientizar sobre a situação de opressão e violência que muitas mulheres vivem no mundo, inclusive na Itália. “Este ano pensamos em propor uma evangelização “corporificada”, concreta e específica, na qual o anúncio do evangelho libertador se liga a realidades concretas”, explicou. Mário Cignoni, coordenador da Comissão. Isto porque, como afirma o flyer criado para a ocasião, se “o cristianismo é um caminho de liberdade e libertação em Cristo”, não é apenas numa “perspetiva distante no tempo que remete para outra dimensão: Cristo liberta-nos aqui e agora com a sua Palavra”. A Semana tem um evento principal associado que acontecerá em verona, sábado, 6 de maio. Estão previstos dois encontros ao ar livre, na Ponte Pietra e uma terceira final às 16h00 na templo valdense na via Duomo 4, na esquina com a via Pigna. Uma brochura produzida pela Comissão de Evangelização O programa inclui a apresentação de algumas figuras femininas da Bíblia, começando pelas "mulheres da genealogia de Jesus, ou seja, as 'mulheres que conduzem a Cristo'", para depois se debruçar sobre a situação da mulher em algumas zonas do mundo, como Irã e Afeganistão, sem esquecer a Itália onde "ainda há um longo caminho a percorrer em termos de igualdade efetiva entre homens e mulheres", voltou a explicar Cignoni. O folheto afirma o direito das mulheres em todos os lugares “à autodeterminação, a viver livremente seguindo suas escolhas políticas e religiosas, sua orientação sexual e o estilo de vida que preferirem. Afirmamos seu direito à educação e ao entretenimento, de trabalhar e ser independente, de amar e ser amado, seu direito de ser feliz”. A reunião do sábado, dia 6, faz parte de um fim de semana cheio de eventos para a igreja valdense de Verona que inclui, de 5 a 7 de maio, a exposição “A Palavra Escrita”, exposição da Bíblia organizada pela Sociedade Bíblica da Itália (SBI); Sexta-feira 5, "... dizendo o Nome de Deus", leituras dos "Diários" de Etty Hillesum, editados por Lorenzo Gobbi e Mario Cignoni, com música original de Gianmaria Rizzardi executado pelo autor; Domingo, 7, “A polifonia do povo de Deus, concerto do Coro Ecumênico de Verona. ...

Ler artigo
O que temos em mente.  Hijab, ideias, poder.  Um encontro em Turim

O que temos em mente. Hijab, ideias, poder. Um encontro em Turim

Roma (NEV), 28 de janeiro de 2020 – Encontro intitulado “O que temos em mente. Experiências de mulheres em comparação entre religiões". Organizado pela Associação Il Vaso di Sarepta, que trata do apoio alimentar, oficinas educativas e mesa de escuta, juntamente com a União Cristã de Jovens (JWCA-UCDG), o encontro é uma oportunidade para confrontar a experiência das mulheres em suas relações mútuas religiões, particularmente em relação à questão do poder. eles participam Sumaya Abdel Qader, Helene Fontana, Souheir Katkhouda E Hind Laframmoderado por Fátima Lafram Helene Fontana é uma pastora batista, originalmente de Copenhague (Dinamarca). Estudou no Seminário Teológico Batista Internacional de Rueschlikon, em Zurique. Souheir Katkhouda é sírio. Nascida em Aleppo, ela mora na Itália há muitos anos e é presidente da Associação de Mulheres Muçulmanas da Itália. Sumaya Abdel Qader é escritor. Ele nasceu em Perugia, filho de mãe e pai jordaniano-palestino. Frequenta e trabalha com várias associações (incluindo a Aisha, que visa ajudar mulheres muçulmanas vítimas de violência e discriminação). Em 2016, ela se tornou a primeira vereadora muçulmana em Milão. Ele publicou "Eu uso o véu, eu amo a rainha" (Sonzogno, 2008), "O que temos em mente" (Mondadori, 2019). Hind Lafram é um designer de moda italiano que cria coleções para mulheres muçulmanas e não só. As suas criações pretendem comunicar elegância, liberdade e emancipação, com respeito pela mão-de-obra, pelos recursos e pelo ambiente. A reunião é realizada no mesmo dia do "Dia Mundial do Hijab". Encontro no sábado, 1º de fevereiro, às 16h30, no Arca, via Assarotti 6, em Turim. Reservas via SMS ou WhatsApp: 351 506 9566, via email: [email protected] Clique aqui para o EVENTO NO FACEBOOK. ...

Ler artigo
África.  O lento caminho dos direitos humanos.  Prêmio ACAT abre a conferência

África. O lento caminho dos direitos humanos. Prêmio ACAT abre a conferência

Roma (NEV), 12 de dezembro de 2022 - A conferência "África, a lenta jornada dos direitos humanos: desafios, perspectivas, testemunhos" está sendo realizada hoje às 17h30 na Aula Magna da Faculdade Valdense de Teologia em Roma. Promovido porAção dos Cristãos pela Abolição da Tortura (ACAT)representa o evento final do projeto ACAT Italia 2022 Graduation Award "para acabar com a tortura e pelos direitos dos migrantes" e é apoiado peloOito por mil da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. “Em que estado estão os direitos fundamentais no continente africano? Quais são os cenários e as dificuldades enfrentadas pelos defensores de direitos humanos? Como se entrelaçam as violações a que são submetidas mulheres e homens com o fenômeno da migração?” Estas são apenas algumas das perguntas que os hóspedes tentarão responder. A ACAT escreve: “Uma data que não é acidental, mas escolhida porque perto de 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos e uma questão igualmente não aleatória, a dos direitos humanos no continente africano, numa fase em que a rota mediterrânica volta a ocupar as páginas dos jornais e a animar o debate público de forma extremamente instrumental e ao mesmo tempo superficial, como se por trás do fenômeno migratório houvesse razões não muito específicas mas também muito heterogêneas". De facto, de acordo com o Relatório 2021/22 da Amnistia Internacional, a associação informa, “os últimos anos, graças à pandemia de covid19, os conflitos em curso, a forte instabilidade política e social, as catástrofes ambientais, a corrida ao primeiro explorar, foram marcada por uma acentuada deterioração em matéria de protecção dos direitos fundamentais. Dos massacres contra civis perpetrados por grupos armados, inclusive de origem terrorista, à limitação da liberdade de expressão e do direito de oposição por parte dos Estados, passando pelo uso de armas contra manifestantes pacíficos, censura ou perseguição a ativistas e defensores de direitos humanos, sem esquecer a dificuldade de acesso a cuidados básicos de saúde, água, alimentação, ou o aumento da violência e abusos contra mulheres, meninas e pessoas LGBTI". Participantes: Michael Kalembamembro da ACAT República Democrática do Congo, membro do Bureau Internacional da FIACAT (Federação Internacional da ACAT), coordenador do projeto FIACAT-ACAT DRC contra a prisão preventiva abusiva e atualmente refugiado na França precisamente em virtude de seu compromisso com os direitos humanos . Lyonel Grassy, Directeur de plaidoyer da FIACAT e ativo em vários projetos no continente africano. Irmã Paula Vizzottomissionário da Imaculada Conceição, voluntário por muitos anos nas prisões de Camarões e atualmente em Rebibbia. Luke Attanasiojornalista e escritor, autor de Amanhã do boletim Áfricas (África no plural). Para coordenar as intervenções Massimo Zaurrinijornalista de revista africa e diretor administrativo da África e Negócios. Na abertura, a cerimônia de premiação do ACAT Italia 2022 Graduation Award. Aqui está o folheto: ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.