Herança cultural valdense e metodista: pacto firmado com a região do Piemonte

Herança cultural valdense e metodista: pacto firmado com a região do Piemonte

Roma (NEV), 11 de outubro de 2022 – Acordo firmado entre a Região do Piemonte e a Mesa Valdense para preservar e valorizar o patrimônio da comunidade, composto por edifícios, documentos, gravuras, livros, instrumentos musicais e fotografias que serão disponibilizados para o público. O site chiesavaldese.org dá a notícia em nota divulgada hoje, 11 de outubro. Um plano que prevê ainda o arquivamento, inventariação e restauro de bens, a digitalização e organização de livros e documentos que se tornarão acessíveis a todos.

“Ao longo de sua história – observou o governador Albert Círio e o vereador da cultura, turismo e comércio Vitória Poggio – as igrejas metodistas e valdenses deram vida a um patrimônio cultural feito de uma pluralidade de elementos que se configura como um patrimônio “vivo”, enraizado na história, mas ativo no presente. Não apenas preservaremos um grande patrimônio, mas o colocaremos à disposição de todos para que a cultura e o conhecimento se tornem um fenômeno de massa e não elitista. A tarefa de identificar, conservar e transmitir este património, reinterpretá-lo e dotá-lo de sentido, colocando-o em diálogo com o hoje, passa pela relação entre gerações e nas relações criadas entre diferentes grupos”.

Por vários anos, a Região do Piemonte e o Conselho Valdense têm colaborado para a implementação de projetos que têm como objeto o patrimônio cultural metodista e valdense. Na base dos vários projetos existe sempre uma visão integrada do património cultural considerado em todas as suas componentes, material e imaterial e o trabalho desenvolve-se em três áreas de intervenção: Museus e património, Arquivos e Bibliotecas.

“Esta resolução – sublinhou o diácono Alessandra Trotta, Moderador da Mesa Valdense – permite dar continuidade, fortalecendo-a, à frutuosa colaboração iniciada há vários anos entre a Região do Piemonte e a Mesa Valdense, para o cuidado e valorização de um patrimônio cultural vivo, o das igrejas Valdense e Metodista do Piemonte, através da sensibilização e envolvimento ativo das comunidades locais. As nossas igrejas possuem um património artístico, histórico e cultural que se oferece como contributo para o crescimento de todo o país a partir da valorização de uma história muito particular de fé e resistência, de compromisso com a liberdade de consciência e de acolhimento e inclusão” .

Os conceitos de “comunidade patrimonial” e “herança cultural”, contidos na Convenção-Quadro do Conselho da Europa sobre o valor do patrimônio cultural para a sociedade (2005) – mais conhecida como Convenção de Faro – são os elementos-chave também referidos por o acordo regional.

“Expresso a minha satisfação pela resolução da Giunta que aprovou a dotação por três anos destinada à manutenção e valorização do património histórico da igreja valdense – sublinhou o conselheiro regional Walter Marin –. É importante para o Piemonte cuidar das igrejas que representam e caracterizam nossa história, nossa cultura e nossa paisagem”.

Com o fundo regional de 300.000 euros, vão ser implementadas intervenções de manutenção conservadora no património móvel e imóvel de prédios e edifícios, documentos, impressos, livros, instrumentos musicais. Uma parte dos escritos será digitalizada e publicada online no portal da Herança Cultural Metodista e Valdense para tornar a consulta dos materiais mais utilizável.

Além disso, o projeto parte de alguns princípios teóricos que se referem a recentes normativos nacionais e internacionais: do novo Texto Consolidado sobre a cultura da Região do Piemonte ao PNRR, passando pela Convenção de Faro e a Agenda 2030 da ONU. facto, está a assumir valor não só no que diz respeito aos efeitos mais directos em termos de benefícios económicos, mas também no que se refere a elementos essenciais de sustentabilidade e “regeneração” social, como a coesão, integração e inclusão, inovação e bem-estar (ambos individuais e coletivos).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Otto per mille Waldensian, concurso 2023, 2893 projetos apresentados

Otto per mille Waldensian, concurso 2023, 2893 projetos apresentados

A Casa Valdense de Torre Pellice, sede do Sínodo da união das igrejas Metodista e Valdense. Foto retirada do site www.chiesavaldese.org Roma (NEV), 16 de fevereiro de 2023 – 2.893 pedidos de financiamento do terceiro setor para o Otto per mille Waldensian. Este é o número de projetos envolvendo a Itália que pediram às igrejas valdenses uma contribuição econômica. As áreas de maior interesse são deficiência, crianças e jovens e cultura. O último concurso do OPM encerrou no dia 27 de janeiro. Nos próximos meses, o órgão responsável seguirá com a fase de investigação preliminar, ou seja, a verificação da admissibilidade formal quanto aos requisitos do edital.A segunda fase será a avaliação de mérito e é realizada por uma comissão responsável. Os critérios para esta etapa são: coerência entre os objetivos e finalidades da solicitação; integridade e precisão na descrição; correspondência entre os problemas descritos e os objetivos do projeto; correlação entre atividades e objetivos; relação entre o custo estimado e a atividade; coerência entre o pedido e os fins estatutários da instituição. Esse processo leva seis meses, de fevereiro a julho. Finalmente, em agosto, o Sínodo vota e discute a lista de projetos aprovados e em setembro haverá a publicação no site de todas as atividades que receberão a contribuição Otto por mil. artigo anteriorPluralismo religioso, fundamentalismos, democraciasPróximo artigoMaddalena Colombo: "Nenhuma religião autoriza ou legitima a violência contra a mulher" Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
21 de março, Dia das Vítimas da Máfia em Milão

21 de março, Dia das Vítimas da Máfia em Milão

Fotos de Libera, associações, nomes e números contra as máfias Roma (NEV), 15 de março de 2023 - Este ano, o Dia Nacional de Memória e Compromisso em memória das vítimas inocentes da máfia promovida por Libera, a associação fundada por don Louis Ciotti para combater os fenômenos do crime organizado e apoiar a justiça social, acontecerá em Milão, como sempre no dia 21 de março. A iniciativa, intitulada nesta XXVIII edição "É possível", conta com o patrocínio da Prefeitura de Milão e da Região da Lombardia e o apoio da Diocese de Milão. Na noite anterior, segunda-feira, 20 de março, às 18h15, será celebrada em Santo Stefano Maggiore uma vigília de reflexão e oração ecumênica presidida pelo Arcebispo de Milão, mons. Mário Delpini. A escolha da basílica, também conhecida como "paróquia dos migrantes", tem um valor simbólico: como o próprio padre Ciotti sempre sublinhou, são precisamente os migrantes, de fato, os mais expostos à exploração das organizações mafiosas. Por isso, ao lado dos nomes das 1.069 vítimas inocentes da máfia "listadas" por Libera, serão lidos durante a Vigília os nomes das mais de oitenta vítimas do naufrágio de 26 de fevereiro passado em Steccato di Cutro. A celebração em Santo Stefano também terá um valor ecumênico: com Mons. Delpini estará de fato presente pai Traian Valdman (Igreja Ortodoxa Romena) e o pastor Daniela DiCarlo (Igreja Evangélica Valdense). Na terça-feira, uma procissão com saída às 9h do Corso Venezia chegará à Piazza Duomo às 11h onde serão lidos novamente os nomes das vítimas inocentes da máfia: cidadãos, magistrados, policiais, jornalistas, políticos, padres e empresários assassinados por organizações criminosas. Às 11:45 discurso de encerramento por Don Luigi Ciotti. O comercial Rai do evento: [embed]https://www.youtube.com/watch?v=hCXJkHWKlsU[/embed] ...

Ler artigo
Chile Via Crucis Popular

Chile Via Crucis Popular

Roma (NEV), 16 de abril de 2019 - As comunidades cristãs, as organizações ecumênicas, pelos direitos humanos e pela memória do Chile, como todos os anos, organizam uma marcha pela cidade para o dia 19 de abril, Sexta-feira Santa, a popular Via Sacra de Santiago do Chile com chegada a Villa Grimaldi, hoje um lugar de memória e durante os anos da ditadura, um centro clandestino de detenção e tortura no qual operava a DINA (Direção de Inteligência Nacional), a polícia secreta de Pinochet. Muitas das comunidades e pessoas que participam da Via Crucis Popolare fizeram parte do movimento cidadão que entre o final dos anos oitenta e o início dos anos noventa se empenhou em dar a conhecer a realidade deste lugar de tortura e desaparecimento e que depois continuou a mobilizar até ao reconhecimento deste espaço como lugar de memória, em 1997. A Via Crucis Popular, que agora é uma celebração recorrente, é realizada em memória da "Via Crucis" que milhares de chilenos sofreram neste lugar. Há muitos anos as comunidades cristãs populares realizam esta caminhada coletiva que une o caminho de Cristo rumo à cruz com a luta pela verdade e pela justiça, contra a impunidade e em defesa dos homens e mulheres que hoje lutam pelos direitos humanos. O tema da Via Sacra Popular de 2019 é o poder. “Toda Sexta-Feira Santa, este grupo de comunidades olha para a realidade do país e a torna visível através da participação nesta popular Via Sacra – lê-se no convite à marcha -. A realidade deste período leva-nos a revelar o exercício abusivo do poder como uma constante na vida social, económica e cultural da nossa sociedade. Milhares de vítimas clamam por justiça e encontram a ocultação, o descaso, o descrédito e a hipocrisia daqueles que tiveram e têm a responsabilidade de exercer democraticamente o poder e administrar a justiça”. Estas são as organizações que convocam a Via Crucis Popolare: Comunidad Ecuménica Martin Luther King, Agrupación de Familiares de Ejecutados Políticos (AFEP), Red Laical, Observatorio por el Cierre de la Escuela de las Américas, Committee Oscar Romero – Chile, Coalición Ecuménica por el Cuidado de la Creación, Centro Ignacio Ellacuría, Corporación Parque por la Paz Villa Grimaldi, Servicio Paz y Justicia, SERPAJ- Chile, Centro Ecuménico Diego de Medellín, Amerindia, Fraternidades Laicas Carlos de Foucauld, Revista Reflexión y Liberación, Periódico Electrónico Crónica Digital, Fundación Helmut Frenz, Iglesia Luterana El Buen Samaritano, Movimiento con la Niñez y la Juventud en Chile, Comunidad Eclesial de base Jesús buenas nuevas de La Legua, Mujeres Iglesia, Comunidad de San Vicente de Paul, Comisión Etica contra la Tortura. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.