Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Foto Albin Hillert/CEC

Roma (NEV), 14 de outubro de 2022 – Estas são as últimas notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK).

Junte-se à equipe de comunicação para a KEK Assembly 2023 em Tallinn

Foto Albin Hillert/CEC

A CEC convida candidaturas para fazer parte da equipa de comunicação da próxima Assembleia Geral em Tallinn, Estónia. A assembleia será realizada de 14 a 20 de junho de 2023. O convite é dirigido aos que colaboram no setor de comunicação das Igrejas membros da CEC. Em particular, o CEC incentiva mulheres e jovens a se inscreverem. Requer-se: experiência no campo ecumênico, inglês fluente e possivelmente conhecimento de outras línguas, especialmente francês e alemão. Para mais informações, clique aqui.

Petr Kratochvíl: minorias, hospitalidade universal e o mandamento do amor

Prof. Petr Kratochvíl – Photo Institute of International Relations Praga

Petr Kratochvil é membro do conselho executivo da CEC e vem da Igreja Evangélica dos Irmãos Tchecos. Em uma análise aprofundada, Kratochvíl fala sobre otimismo e o papel das igrejas na política europeia e na defesa dos direitos humanos. “É verdade que as igrejas cristãs precisam aprender a aceitar seu status de minoria nas sociedades europeias, mas como minha igreja tem sido uma igreja minoritária desde o início, sei que ser uma minoria não significa que sua voz não pode ser ouvida”, escreve Kratochvil . E acrescenta: “Não somos mais uma maioria que poderia impor suas opiniões aos outros, mas também não devemos sucumbir à tentação de nos tornar uma minoria moralizadora que menospreza as sociedades seculares. A singularidade da Igreja cristã reside, a meu ver, na radical abertura ao outro, na hospitalidade universal e no mandamento do amor, aconteça o que acontecer”. Neste momento de crise, devido à guerra e à emergência climática, “as sociedades tendem a fechar-se – diz Kratochvíl -. Infelizmente, os cristãos às vezes também são atraídos para as armadilhas do nacionalismo e do conservadorismo fanático”. E sublinhando o valor da CEC, conclui: “A nossa comunhão eclesial está aqui para demonstrar que não podemos ter medo: não é esconder-se com medo no passado, mas derrubar todos os muros e quebrar todos os jugos que nos libertarão a todos”. . Leia o artigo completo aqui.

Berit Hagen Agøy: “Juntos, nossas vozes ficam mais altas”

Berit Hagen. Foto Ghermund Øystese

Berit Hagen Agøy, diretor internacional da Igreja da Noruega, reflete sobre por que chegou a hora de as igrejas falarem abertamente sobre solidariedade e como a Conferência das Igrejas da Europa contribui para esse fim. “As igrejas devem ser explícitas sobre fraternidade, solidariedade e preocupação com os mais vulneráveis. Nunca devemos aceitar discriminação e exclusão”, diz Agøy. O KEK tem um papel crucial a nível europeu, sendo essencial o diálogo com as instituições europeias. Entre os objetivos identificados por Agøy, o fortalecimento da cooperação ecumênica e inter-religiosa, bem como os vínculos entre as igrejas e outras organizações da sociedade civil. “Este é o momento de compartilhar nossa esperança cristã e lembrar que somos uma humanidade”, diz Agøy. E, sobre as questões de acolhimento de refugiados, justiça social e justiça climática, ele diz: “Um testemunho cristão comum é crucial. As igrejas precisam aprofundar como entendem os valores cristãos. Alguns políticos tendem a explorar o termo sem refletir teologicamente”.

O secretário-geral da CEC compartilha impressões sobre a recém-concluída Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) em Karlsruhe

“As igrejas europeias são intrinsecamente parte de uma comunidade ecumênica global” diz o secretário-geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen, em um comentário em vídeo sobre a 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas. Veja abaixo:


Assembléia CEC na Estônia: Moldando o futuro com a bênção de Deus

A Conferência das Igrejas Europeias realizará sua 16ª Assembleia Geral de 14 a 20 de junho de 2023 em Tallinn, Estônia. Título da Assembleia: “Sob a bênção de Deus – moldando o futuro”. A Assembléia será organizada pelas igrejas membros da CEC na Estônia, a Igreja Evangélica Luterana da Estônia e a Igreja Ortodoxa da Estônia. Para saber mais, clique aqui.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

juventude evangélica.  Amanhã abre o XIX Congresso da FGEI

juventude evangélica. Amanhã abre o XIX Congresso da FGEI

Roma (NEV), 30 de outubro de 2013 – Mais de noventa jovens batistas, metodistas e valdenses se reuniram para o XIX Congresso da Federação Italiana da Juventude Evangélica (FGEI), que será realizado de 31 de outubro a 3 de novembro no Centro Ecumene de Velletri ( RM). Um FGEI que nos últimos 30 meses – este é o período de tempo entre um Congresso e outro – tornou-se mais intercultural e intergeracional. No centro das atenções estará a combinação: cuidado e testemunho. “O cuidado como oferta de serviço às comunidades, o testemunho como necessidade de sair de nossas igrejas para ir à cidade, estar lá, trazer a própria voz”, explica o secretário cessante Claudio Paravati, e acrescenta: “Não há dúvida que hoje o FGEI por um lado está rejuvenescido, por outro, com a presença de 'novos italianos' também em nossas comunidades, se diversificou em termos de origens culturais”. Não é por acaso que nos últimos meses a FGEI aumentou a sintonia e a colaboração com o programa "Estar juntos a Igreja" (ECI) promovido pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). O FGEI, portanto, participou ativamente do primeiro projeto LINFA (laboratório de formação e recepção intercultural) promovido pelo ECI, enquanto junto com a Rádio evangélica Beckwith criou o projeto "Geração Itália" destinado a documentar a presença de jovens nas igrejas. A ideia é produzir material atualizado também tendo em vista um dos próximos seminários LINFA sobre o tema da dinâmica intergeracional previsto para março de 2014. Entretanto, o Conselho FGEI repensou o projeto ECI em chave juvenil como EGI (Being young together): trata-se de “reimaginar” e redesenhar um FGEI que tenha em conta as necessidades de uma nova geração com raízes múltiplas. “Uma necessidade que deve afetar todo o mundo juvenil e eclesiástico”, diz Paravati, que também faz um balanço de sua experiência como secretário: “Estes dois anos e meio de mandato foram uma mudança profunda em minha vida. Dei tudo o que pude com espírito de serviço, mas foi muito pouco em comparação com o que recebi. Os afetos, momentos de edificação e oportunidades de crescimento foram inúmeros. Estar a serviço é algo precioso, é bom lembrar de agradecer por esta oportunidade, mesmo nos momentos de dor”. O Congresso que se abre amanhã não só delineará as prioridades para o próximo mandato estabelecendo os trabalhos dos grupos, mas - entre outros cargos - também elegerá os sete membros do Conselho, que, por sua vez, elegerá o novo secretário ( ...

Ler artigo
Armas e bilhões.  O “negócio principal”

Armas e bilhões. O “negócio principal”

Detalhe da capa do livro Futura D'Aprile "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27) Roma (NEV), 30 de março de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) relança a declaração do Observatório sobre os gastos militares italianos (MIL€X). Os Estados-Maiores das Forças Armadas pediram investimentos extraordinários para novos armamentos. "O custo dos investimentos extraordinários em novos armamentos será de pelo menos 25 mil milhões de euros - escreve MIL€X - se o ministro da Defesa Guido Crosetto implementará as propostas que os Chefes do Estado-Maior do Exército, da Marinha e da Aeronáutica apresentaram em suas audiências programáticas às Comissões de Defesa da Câmara e do Senado". Um programa de rearmamento, prossegue o Observatório, “impressionante, que teria um impacto considerável nos orçamentos dos Estados, justificado pelos militares com o risco real de guerra provocado pelo conflito na Ucrânia, mas que suscita mais do que uma perplexidade. Também em atenção ao recorde de aprovações de programas de compras militares ocorridas na última Legislatura”. Sobre o tema das armas e sistemas de guerra made in Italy, esta noite em Turim (18h00 no Circolo dei Lettori), Riforma – Eco delle valli valdesi juntamente com a Ordem dos Jornalistas do Piemonte e a editora SEB27 promovem um debate. “A política e as indústrias italianas no mercado de armas de guerra: como contribuem para a persistência dos conflitos bélicos, para a repressão de regimes autoritários, para as migrações; por que o setor de Defesa, cujos lucros nunca diminuem, é considerado estratégico e quanto contribui para o PIB e o emprego". É o que lemos na página do Círculo de Leitores dedicada ao evento, que conta com a participação de abril futuroespecialista em assuntos internacionais e armamentos e colaborador do jornal Domani; Albert Perducaex-procurador-chefe de Asti, assessor jurídico do Tribunal Penal Internacional por crimes cometidos na ex-Iugoslávia e depois da agência antifraude de Bruxelas Olaf, e chefe da missão Eulez, moderada por David De Michelisjornalista profissional, autor e realizador de documentários televisivos. Futura D'Aprile é, entre outras coisas, autora do livro "Crises globais e assuntos de liderança" (SEB27), com prefácio de Alex Zanotelli, volume no qual apresenta um panorama da indústria de defesa italiana, as leis utilizadas para regular o comércio de material bélico e a prática de contorná-las. “O negócio de armas nunca está em declínio na Itália como no resto do mundo – escreve Riforma citando o volume – «Seus lucros crescem tanto durante conflitos geopolíticos quanto em caso de crises econômicas, como a causada pela pandemia do COVID-19. O Estado, considerando estratégico o setor de defesa, apóia-o e protege-o da exposição à volatilidade do mercado. A escalada do conflito bélico à margem da União Europeia levou os parlamentos a votarem renúncias às exportações para zonas de guerra e ao aumento das despesas militares, de modo que enquanto na Ucrânia, como no Iémen ou na Líbia, os civis sofrem as terríveis consequências da a guerra, os lucros das holdings ao redor do mundo continuam subindo sem serem perturbados". > reserve aqui o seu lugar no Clube de Leitores de Turim. ...

Ler artigo
Livros.  Uma boa notícia.  O Evangelho de Marcos … sob medida para você

Livros. Uma boa notícia. O Evangelho de Marcos … sob medida para você

Roma (NEV), 23 de setembro de 2020 – Tem como título “Boas notícias. O Evangelho de Marcos … sob medida para você” a nova publicação, recém-saída da imprensa, pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI). O livro é dedicado principalmente a meninos e meninas, meninos e meninas para uma leitura mais fácil do texto do Evangelho de Marcos. De fato, não se trata de uma harmonização da vida de Jesus tomando aqui e ali dos quatro evangelhos, nem de uma paráfrase da história bíblica. O volume, ao contrário, propõe o texto do Evangelho de Marcos, baseado na tradução muito recente da Bíblia italiana da Reforma e elaborado com características de alta legibilidade - tanto do ponto de vista linguístico quanto gráfico -; uma leitura agradável para todos, acessível tanto para aqueles com dificuldades específicas de aprendizagem (DSA) quanto para aqueles com outras dificuldades de linguagem e leitura. “O esforço para tornar o texto o mais acessível possível do ponto de vista linguístico, tentando permanecer fiel às intenções do texto evangélico, produziu uma nova ferramenta. A esperança é que ela permita que mais pessoas descubram a boa nova proclamado no Evangelho de Marcos”, explicou Patrícia Barbanotti, professora, membro da Comissão do Serviço Educativo (SIE) da FCEI, editora dos textos do volume. A supervisão do texto bíblico foi confiada ao professor Eric Noffkeprofessor de Novo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia em Roma. Como lembra o pastor Luca Maria Negro, presidente da FCEI, na apresentação do volume, “As igrejas nascidas da Reforma Protestante sempre promoveram a difusão da Bíblia, traduzindo seus textos para a língua falada pelo povo, para favorecer a alfabetização e escolarização da populações. Não é, portanto, por acaso que a FCEI decidiu comprometer-se com este projeto aceitando o desafio de chegar a um texto que facilite a leitura independente do texto bíblico”. E o volume fá-lo através de um texto bíblico simplificado mas fiel ao original, desenhos, mapas, breves notas explicativas sobre personagens e temas da narrativa, tiras do tempo. A publicação é também fruto de vários profissionalismos e competências: foi editada pela referida SIE; financiado com recursos dos metodistas e valdenses Otto por mil; elaborado pela editora Giunti Edu; e por fim distribuído pela editora protestante Claudiana, em cujo site é possível adquirir o volume. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.