“Paz é viver em harmonia com a Criação”.  2 de abril dia da não-violência

“Paz é viver em harmonia com a Criação”. 2 de abril dia da não-violência

Roma (NEV), 1º de abril de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) adere ao dia 2 de abril dedicado à difusão da cultura da não violência e contra a propaganda de guerra profusa pela mídia e social. O dia é promovido por Europa pela Paz.

“A mensagem que pretendemos lançar é: ‘Paz é viver em harmonia com a Criação, respeitando todas as suas partes, vivas e não vivas, amando e protegendo a biodiversidade’”, escreve a GLAM em nota divulgada hoje.

Acima, o manifesto pela paz que a GLAM criou com fotos de oásis para insetos polinizadores que aderem à iniciativa “Corredores ecológicos, caminhos ecumênicos“.

O convite para ingressar no projeto é de Maria Elena LacquanitiCoordenadora da Comissão GLAM, juntamente com todo o grupo de trabalho.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Dia Mundial dos Oceanos.  “Águas do mar, fonte de vida”

Dia Mundial dos Oceanos. “Águas do mar, fonte de vida”

Um enquadramento do vídeo de apresentação da Conferência das Nações Unidas sobre o Oceano (27 de junho/1 de julho de 2022, Lisboa - Portugal) Roma (NEV), 9 de junho de 2022 – O Dia Mundial dos Oceanos ocorreu ontem. O slogan deste ano foi: “Revitalização: Ação Coletiva pelo Oceano”. No mesmo dia, há dois anos, em meio à pandemia, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) apresentou seu Dossiê para o Tempo da Criação. Dedicado precisamente aos oceanos, cuja biodiversidade é tão preciosa como a da terra, o Dossiê é muito atual e tem como título “Águas marinhas, fonte de vida”. É inspirado no versículo "O oceano a cobriu com seu manto" (Salmo 104,6a). Nesta ocasião, a GLAM relança as questões da proteção dos oceanos através da partilha de algumas informações, que a seguir reportamos na íntegra. Um ano enquadrado pela Década da Ciência Oceânica das Nações Unidas e celebração da Conferência das Nações Unidas sobre o Oceano, dois anos depois de ter sido cancelada devido à pandemia. O Dia Mundial dos Oceanos lembra a todos o importante papel que os oceanos desempenham na vida cotidiana. O oceano cobre mais de 70% do planeta, representa 95% da biosfera, produz pelo menos 50% do oxigênio do planeta, abriga a maior parte da biodiversidade terrestre. Em relação à humanidade, o oceano é a principal fonte de proteína para mais de um bilhão de pessoas e para cerca de 3 bilhões, é a principal fonte de subsistência. Além de empregar cerca de 40 milhões de pessoas. Nas mãos humanas, o oceano está sofrendo com a poluição (a cada ano, estima-se que 5 a 12 milhões de toneladas de plástico fluam para ele), pesca, mineração, guerras com 90% das grandes populações de peixes esgotadas e 50% dos corais recifes destruídos - estamos tirando mais do oceano do que pode ser reposto. Estes são os propósitos do Dia Mundial dos Oceanos: informar o público sobre o impacto das ações humanas no oceano; desenvolver um movimento mundial de cidadãos pelo oceano; mobilizar e unir a população mundial em um projeto de gestão sustentável dos oceanos do mundo. Este ano, as Nações Unidas estão sediando a primeira celebração híbrida do evento. A Ocean Conference decorrerá de 27 de junho a 1 de julho em Lisboa, Portugal. O tema principal será: 'Aumentar a ação oceânica baseada na ciência e a inovação para a implementação do Objetivo 14: inventário, parcerias e soluções'. Em abril, o 4º Fórum dos Oceanos abordou os desafios e oportunidades para a economia dos oceanos abordando: Setores emergentes da economia oceânica sustentável, como a produção de algas marinhas. Mecanismos de apoio à transparência e subsídios à pesca. Reforma dos mercados da economia oceânica e medidas não tarifárias. Sustentabilidade social das cadeias produtivas da pesca e da aquicultura. Cadeias de abastecimento marítimas sustentáveis ​​e resilientes. Aspectos comerciais relacionados com o lixo marinho e a poluição plástica. Abaixo, o vídeo de apresentação do Dossiê GLAM2020 sobre os Oceanos [embed]https://www.youtube.com/watch?v=jiQ42-riZlI[/embed] ...

Ler artigo
Metodista Gillian Kingston sobre sinodalidade, Brexit, Irlanda

Metodista Gillian Kingston sobre sinodalidade, Brexit, Irlanda

Gillian Kingston com Marta Bernardini, Daniele Garrone e Luca Baratto Roma (NEV), 21 de janeiro de 2022 – “Sirva o presente” é o título da conferência que Gillian Kingstonvice-presidente da Conselho Metodista Mundial (WMC), realizada em Roma na última quinta-feira, 21 de janeiro, no Pro Union Center. Gillian Kingston Antes da conferência, Kingston, membro da Igreja Metodista na Irlanda, visitou os escritórios da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), onde foi recebida pelo pastor Daniele Garronepresidente da FCEI, de marta bernardinicoordenadora do Mediterranean Hope – FCEI Refugee and Migrant Programme, da Bárbara batalhaeditor do NEV/Notícias Evangélicas e pastor Luca Baratto, Secretário Executivo da FCEI. Em conversa com representantes da Federação Evangélica de Kingston, ele falou sobre a sinodalidade e a Irlanda. “Durante esta Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos – explicou Kingston -, fui convidado pelo centro Pro Unione para falar sobre a sinodalidade. É um assunto ao qual a Igreja Católica Romana está dedicando muita atenção, convidando também expoentes de outras igrejas cristãs para apresentar sua experiência e seu ponto de vista sobre o assunto”, explicou Kingston. “Naturalmente – continuou o vice-presidente mundial dos metodistas – meu ponto de vista parte do conceito de sacerdócio universal e do ministério de todo o povo de Deus, ou seja, de todos os batizados. Isso já indica que nas igrejas metodistas os ministros ordenados e os leigos têm papéis diferentes, mas gozam do mesmo status dentro da igreja". “Esta igualdade surge também da experiência do primeiro movimento metodista que se estruturou na chamada sociedade instalações, visitadas periodicamente por João Wesley, o fundador do movimento, mas dirigido por leigos. A liderança leiga é, portanto, um elemento fundador do Metodismo. O principal órgão de tomada de decisão da igreja, a Conferência Metodista, é uma assembléia de ministros meio ordenados e meio leigos. Em conversa com o presidente da FCEI, Kingston também mencionou sua terra natal, a Irlanda. “Sou uma irlandesa que pertence à Europa”, disse Kingston, que mora na República da Irlanda, referindo-se ao Brexit e à enorme questão de fronteira que isso acarreta. “Ninguém quer o ressurgimento de fronteiras rígidas entre a República e a Irlanda do Norte. E, por outro lado, os partidos unionistas não querem uma fronteira no Mar da Irlanda”. “É preciso saber olhar a história passada na perspectiva de reconciliar memórias – continuou Kingston -. Nisso Década do Centenário (2012-2023), que comemora aniversários ainda divisivos na Irlanda, incluindo o tratado anglo-irlandês que definiu a divisão da Irlanda em duas partes, a guerra civil de 1921-23 e o início dos problemas em 1968, as narrativas históricas divergem acentuadamente : alguns pretendiam celebrar certos eventos, outros para comemorá-los. Chegar a uma narrativa comum de nossa história é uma meta que ainda está diante de nós." ...

Ler artigo
79º Festival de Cinema.  Em Veneza Júri INTERFILM para o diálogo inter-religioso

79º Festival de Cinema. Em Veneza Júri INTERFILM para o diálogo inter-religioso

Roma (NEV), 31 de agosto de 2022 – Começa o 79º Festival Internacional de Cinema de Veneza. É uma edição particular, pois comemora 90 anos de atividade. O festival de cinema mais antigo do mundo, aliás, teve início em 7 de agosto de 1932, com a exibição de “Dr. Jekyll e Mr. Hyde”. É, aliás, a Exposição que entrega aos Catherine Deneuve o primeiro Leão de Ouro de sua carreira. Além disso, a Bienal de Veneza anunciou duas iniciativas de solidariedade para diretores, cineastas e artistas presos ou encarcerados em todo o mundo no ano passado, com o objetivo de conscientizar a mídia, governos e organizações humanitárias. São 73 novos longas na Seleção Oficial. 16 curtas-metragens e 2 séries de TV. Muitos eventos paralelos, filmes restaurados, documentários, com uma representação total de 56 países. O Júri Internacional INTERFILM Também este ano está presente em Veneza o Júri Internacional INTERFILM, que reúne as associações europeias de cinema protestante e vai atribuir o "Prémio para a promoção do diálogo inter-religioso". O pastor e “teólogo pop” Pedro Ciaccio, Presidente da Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi" – membro italiano da INTERFILM – faz parte do Júri. Com ele também Alina Gabriela Birzache (Reino Unido), Robert K. Johnston (EUA), Jolyon Mitchell (Escócia/Reino Unido, Presidente), Daria Pezzoli-Olgiati (Suíço). Ciaccio diz: “Chegamos à 11ª edição deste Prêmio para o diálogo religioso. A Associação de Cinema Protestante teve um papel fundamental para dar vida a este prémio, pela sua fundação. É um fato muito importante porque em Veneza, ao contrário de outras festas, não há júri ecumênico”. Como a Associação “Roberto Sbaffi”, ainda recorda Ciaccio, costuma-se organizar uma iniciativa na cidade. “Parece um pouco alienante – diz o pároco – porque uma Veneza mais habitual corresponde a um Lido decorado com luzes e tapetes vermelhos para o Festival de Cinema. Em vez disso, a cidade vive, quase Apesar de A exibição". Esta é a exibição habitual organizada pela Associação de Cinema Protestante "Roberto Sbaffi", juntamente com a Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Veneza, a Igreja Valdense e Metodista de Veneza, a União da Diáspora das Igrejas Metodistas e Valdenses. CENTO E OITO O filme que está sendo assistido é “CENTOOTTO”, de José Bellasalma, Michael Lipori E Cláudio Paravati. Marcação para quarta-feira, 7 de setembro de 2022, às 17h00, na Casa del Cinema, no Palazzo Mocenigo San Stae 1990 (Sestiere S. Croce Veneza). Segue-se uma discussão com o diretor Giuseppe Bellasalma. Apresentar e coordenar Alessandra Cecchetto (SAE Veneza). Produzido pela Fai Cisl, organização sindical do setor agroalimentar, e pela ConfrontiKino, o filme acompanha o sequestro em 2020 pelas autoridades líbias de 18 pescadores de Mazara del Vallo. Eles serão libertados após 108 dias de cativeiro. Diz o convite: “Apresentado no ano passado na Exposição do Lido, mas pouco difundido nos circuitos oficiais, o documentário assenta nas vozes dos protagonistas e das suas famílias, que esperavam angustiados pela libertação dos seus entes queridos. Uma das muitas histórias que evidenciam as muitas contradições entre as duas margens do Mediterrâneo”. Entrada gratuita até durarem os lugares. Reserva recomendada em 041 2747140. Para informações sobre o filme: [email protected] – INTERFILM Fundado em 1955 por inúmeras associações de cinema protestantes na Europa, atualmente inclui membros protestantes, ortodoxos e anglicanos, além de judeus. Em colaboração com seu parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes, como Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim, Locarno (www.inter-film.org). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.