“Paz é viver em harmonia com a Criação”.  2 de abril dia da não-violência

“Paz é viver em harmonia com a Criação”. 2 de abril dia da não-violência

Roma (NEV), 1º de abril de 2023 – A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) adere ao dia 2 de abril dedicado à difusão da cultura da não violência e contra a propaganda de guerra profusa pela mídia e social. O dia é promovido por Europa pela Paz.

“A mensagem que pretendemos lançar é: ‘Paz é viver em harmonia com a Criação, respeitando todas as suas partes, vivas e não vivas, amando e protegendo a biodiversidade’”, escreve a GLAM em nota divulgada hoje.

Acima, o manifesto pela paz que a GLAM criou com fotos de oásis para insetos polinizadores que aderem à iniciativa “Corredores ecológicos, caminhos ecumênicos“.

O convite para ingressar no projeto é de Maria Elena LacquanitiCoordenadora da Comissão GLAM, juntamente com todo o grupo de trabalho.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A memória não é apagada

A memória não é apagada

Foto de Camila Cataldi Roma (NEV), 24 de janeiro de 2023 – “Precisamos dar um bom exemplo. É possível e desejável para o bem de todos fazer alguma coisa, não olhar para o outro lado. E para concretizar as ideias precisamos nos unir”. Vera Vigevani Jarach, "Partidário da Memória", expoente das Madres de Plaza de Mayo, jornalista e ativista, foi protagonista hoje de um encontro com estudantes do ensino médio romano, organizado com a contribuição de Otto per mille da Igreja Valdense, União das Igrejas Metodistas e valdenses e em colaboração com a Associação 24 Marzo. Uma oportunidade de reflexão sobre o tema da memória, no dia e para o dia 27 de janeiro, Dia da Memória, de fato, e sobre o uso cuidadoso das fontes e a coleta de testemunhos. A reunião foi moderada por Valério Cataldijornalista da Rai e presidente da Associação Carta di Roma, e apresentado pela saudação de Marco Forneronepároco da Igreja Valdense na Piazza Cavour em Roma, que sediou a nomeação. No centro do diálogo, a experiência de Vigevani Jarach, que narrou sua vida até a realidade dos migrantes, dos “novos desaparecidos no mar Mediterrâneo”. Desde criança judia obrigada a emigrar para a Argentina, até a luta com as Mães da Praça de Maio: “Não éramos heroínas, só queríamos saber onde estavam nossos filhos. E nós estávamos com medo." Na sala adjacente ao templo valdense onde ocorreu o encontro, também foi montada uma exposição de objetos pertencentes às vítimas do naufrágio de 3 de outubro de 2013 em Lampedusa. A memória de Lampedusa. (Foto de Camilla Cataldi) Valerio Cataldi com Vera Vigevani Jarach Pastor Marco Fornerone Foto de Camila Cataldi Para saber mais: ...

Ler artigo
Mulheres de fé.  Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina

Mulheres de fé. Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina

Roma (NEV), 30 de setembro de 2020 - A conferência organizada pelo Centro de Estudos sobre Liberdade de Religião, Crença e Consciência (LIREC) intitulada "Mulheres de Fé. Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina". A presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), pastora, participa Gabriela Lio. A conferência faz parte do "Projeto Saber" dedicado ao estudo das minorias religiosas na Itália e das diferentes formas como estas últimas se inserem no contexto social italiano. O objetivo é promover o diálogo e a troca de experiências através dos testemunhos de alguns representantes de diferentes religiões, comprometidos com a promoção e proteção dos princípios fundamentais da dignidade do homem e da mulher. As organizadoras escrevem no convite da iniciativa: “As mulheres de fé desempenham um papel vital não apenas dentro de suas respectivas comunidades religiosas, mas também na sociedade multicultural e multirreligiosa de hoje”. A conferência, anteriormente adiada devido às disposições da emergência do coronavírus, será realizada em plataforma digital no dia 5 de outubro de 2020, das 16h30 às 19h. Para participar, cadastre-se no seguinte link: PLANO 16h30 Saudações Sen. Valéria Fedeli Pedro Nocita Presidente Honorário do Centro de Estudos LIREC Apresentar e moderar Raffaella DiMarzio Diretor do Centro de Estudos LIREC CAIXAS DE SOM Gabriela Lio Presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) Mariangela Fala Presidente da Fundação Maitreya e da Mesa Inter-religiosa de Roma Paula Cavallari Professor de história e filosofia, promoveu o Observatório Inter-religioso contra a violência contra as mulheres (OIVD) do qual é presidente. Swamini Hamsananda Ghiri Freira hindu e vice-presidente da União Hindu Italiana França Coen Co-presidente da Federação Italiana de Judaísmo Progressista e vice-presidente da Religiões pela Paz seção italiana. Elizabeth Nistri Presidente da Federação Feminina para a Paz Mundial-Itália Susana Giovannini Membro da Igreja Pentecostal Betel e do Grupo de Diálogo Inter-religioso pela Paz de Cosenza Marisa Iannucci Islamologista e ativista de direitos humanos. presidente da ônus vitalício. Os parceiros do evento são: a Associação Internacional para a Defesa da Liberdade Religiosa (AIDLR), a revista Consciência e Liberdade, o Observatório Inter-religioso sobre a Violência contra a Mulher (OIVD) e a Federação Feminina para a Paz no Mundo-Itália (WFWP). ...

Ler artigo
#PapalVisit em Genebra.  O Papa esperado no Conselho Ecumênico para o #WCC70

#PapalVisit em Genebra. O Papa esperado no Conselho Ecumênico para o #WCC70

Roma (NEV), 12 de junho de 2018 - Mais de 400 jornalistas de todo o mundo se registraram na assessoria de imprensa do Conselho Mundial de Igrejas (CEC) em Genebra para a visita de Papa Francisco no próximo dia 21 de junho na sede do CMI por ocasião das comemorações do 70º aniversário do corpo ecumênico que reúne 348 igrejas anglicanas, evangélicas, ortodoxas e veteratas de todo o mundo. O anúncio foi feito esta manhã em Roma durante um briefing com a imprensa, Marianne EjderstenDiretor de Comunicações do CMI, ilustrando o símbolo do dia, o barco do ecumenismo com a inscrição "oikoumene", nascido na década de trinta do século passado, e desde a fundação do CMI em 1948 em Amsterdã, a "marca " do diálogo ecumênico. Padre também falou durante coletiva de imprensa Andrzej Choromanski do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos (PCPUC). São numerosas as linhas de colaboração entre a Santa Sé e o CMI (do qual a Igreja Católica não é membro) e delineadas pelo Padre Andrzej, incluindo trabalhos práticos no campo do acolhimento de refugiados e migrantes, missão e evangelização, diálogo sobre temas teológicos, questões doutrinárias e éticas, proteção ambiental, cooperação inter-religiosa, bem como educação e treinamento ecumênico, por meio do Instituto Ecumênico de Bossey (Genebra), onde Papa Francisco e o pastor Olav Fykse Tveit, secretário-geral do CMI, no dia 21 de junho – após a oração ecumênica que acontecerá na capela do Centro Ecumênico – os presentes serão trocados. O pastor Tveit, luterano de origem norueguesa, será acompanhado pelo moderador e dois vice-moderadores do CMI, respectivamente o teólogo anglicano originário do Quênia Agnes Aubomo metropolitano Genádios de Sassima do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, e o bispo metodista dos Estados Unidos Mary Ann Swenson. Instituto Ecumênico de Bossey (Genebra) “O nosso é um caminho comum no caminho da unidade, da paz e da justiça”, acrescentou Ejdersten, sublinhando assim o tema do dia e da oração ecuménica “Caminhando, rezando, trabalhando juntos”: “Acolhendo o Papa Francisco no CMI de Genebra significa celebrar juntos este caminho, uma peregrinação que realizamos há 70 anos e que em 2018 celebramos todos os dias”. Será possível acompanhar no site do CEC em transmissão ao vivo todo o evento no dia 21 de junho, incluindo a coletiva de imprensa às 14h com o pastor Tveit e o cartão. Kurt Kochbem como a missa que acontecerá no Palexpo de Genebra com o Papa Francisco e que já está esgotada (41.000 ingressos vendidos). o de Papa Bergoglio será a terceira visita de um pontífice ao CMI, depois da de Paulo VI em 1969 e por João Paulo II em 1984. Comparado a esses anos, a atitude da Igreja Católica mudou muito, observou Pe. Andrzej. Enfatizando a excelente colaboração estabelecida nos últimos anos entre o CMI e a Santa Sé, disse: “não nos consideramos mais como inimigos, mas como irmãos e irmãs em Cristo. Este é talvez o resultado mais concreto de nosso caminho ecumênico”. Entre os sinais de esperança que vão nessa direção, Marianne Ejdersten citou o exemplo dos corredores humanitários realizados em espírito ecumênico pela Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) e pela Comunidade de Sant'Egidio. “Um forte testemunho que se concretiza sobretudo no trabalho com os mais vulneráveis, refugiados e migrantes principalmente”, pressionou Ejdersten. E, continuando no assunto, padre Andrzej antecipou a conferência sobre “Migração, xenofobia e populismo” que acontecerá de 12 a 15 de setembro em Roma, promovida conjuntamente pelo CMI e pelo Dicastério vaticano para o Desenvolvimento Humano Integral. a visita de Papa Francisco será precedido em Genebra pelos trabalhos do Comitê Central do CMI - composto por 150 delegados de igrejas de todo o mundo que se reúnem a cada dois anos - e que será realizado de 15 a 20 de junho no Centro Ecumênico e que concluirá com um declaração o final. Para mais informações sobre o 70º aniversário do CMI (hashtags: #WCC70) veja aqui. EU'hashtags para a visita do Papa Francisco a Genebra em 21 de junho é #PapalVisit. Para a ocasião, o CEC preparou aqui uma página em italiano. O perfil do Twitter do CEC é @oikoumene e a do secretário geral é @OlavTveit. Consulte aqui a ficha informativa do CEC. O e-mail da assessoria de imprensa do CMI é [email protected]. Da Itália, integrante da equipe de comunicação do CMI para a visita papal é o jornalista Gaëlle Courtens da assessoria de imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (info: [email protected]). ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.