#Spuc2022 Católicos e protestantes unidos em Lampedusa

#Spuc2022 Católicos e protestantes unidos em Lampedusa

Roma (NEV), 25 de janeiro de 2022 – Por que ainda é tão significativo celebrar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos em Lampedusa?

É o segundo ano que a pandemia impede a habitual celebração ecumênica presencial na Paróquia de San Gerlando di Lampedusa, mas a reflexão e a comunhão de intenções não param.

Na pequena ilha siciliana, desde o primeiro dia, a presença protestante através do projeto Esperança do Mediterrâneo da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália se caracterizou por um forte espírito ecumênico e pelo vínculo diário com a comunidade católica local e a Arquidiocese de Agrigento. Eventos como o SPUC e a comemoração do dia 3 de outubro já fazem parte da nossa história comum. Mas em Lampedusa não há ecumenismo de “acontecimentos”, é um ecumenismo de relações cotidianas, práticas e solidariedade.

“A Federação das Igrejas Evangélicas nos permite vivenciar uma dimensão importante, a da unidade na diversidade – declara o pároco Daniele Garrone, presidente da FCEI -. Ninguém deve homogeneizar o seu perfil ao dos outros e juntos podemos falar mais incisivamente no espaço público e servir os outros de forma mais eficaz. Em Lampedusa, recordar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos significa viver juntos a vocação para servir refugiados e migrantes. Significa ativar uma rede solidária de proteção e defesa dos direitos, reconhecidos pela Constituição, de uma humanidade itinerante. Para nós cristãos, como indica a mensagem evangélica, é um apelo constante a acolher o estrangeiro e a ajudar quem bate à nossa porta pedindo água, comida e justiça. Há anos, católicos e protestantes se encontram nesta diaconia de hospitalidade no cais de Favaloro, em Lampedusa. Perante os massacres que tristemente assistimos, muitas vezes unimos as nossas vozes para pedir alternativas seguras e legais às viagens de morte, como os corredores humanitários”.

“Celebrar a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos nos permite refletir sobre a dimensão da comunhão entre aqueles que reconhecem a centralidade de Cristo em suas vidas – declara Monsenhor Alessandro Damiano, Arcebispo de Agrigento -. Da história aprendemos que a unidade mais do que uma realidade a impor é a meta de um longo caminho a percorrer, cheio de armadilhas e lentidões mas também de experiências que facilitam a consecução da meta. É o que está acontecendo em Lampedusa: um laboratório de diálogo e colaboração entre cristãos na assistência aos migrantes que chegam à ilha. Paróquia de San Gerlando, monjas do Projeto Migrante, Federação das Igrejas Evangélicas na Itália – vivem de forma concreta o chamado a se mover para honrar Aquele que se faz presente no “estrangeiro que deve ser acolhido” (Mt 25,43). Fiel à vocação de ser sinal da unidade que Jesus deseja para o mundo”.

Por ocasião do encerramento do SPUC 2022, oferecemos a seguir dois pequenos vídeos com as reflexões do Pastor Daniele Garrone e do Arcebispo Alessandro Damiano.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Igrejas reformadas em todo o mundo.  Círculo de compartilhamento: Europa, racismos globais

Igrejas reformadas em todo o mundo. Círculo de compartilhamento: Europa, racismos globais

Banco de Imagens - CMCR Roma (NEV), 24 de fevereiro de 2021 – A Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR) lançou um “processo de discernimento”. É um ciclo de encontros online sobre o tema "COVID e além". A próxima “roda de partilha” realiza-se hoje, quarta-feira, dia 24 de fevereiro, a partir das 15h00 (CET). “A ideia do círculo de partilha – escreve o CMCR – é manifestar-se sobre temas de particular urgência no contexto da pandemia da COVID-19 e das injustiças a que ela expõe. A intenção é gerar ideias sobre como a Comunhão, em todos os níveis, deve responder à crise”. Racismo, autoritarismo e nacionalismo Esta sessão centrar-se-á nas apresentações do CMCR-Europa e do processo RAN (racismo, autoritarismo e nacionalismo). Representantes das igrejas reformadas europeias falarão partindo deste conceito: “Não tenha medo em tempos de pandemia”. A pandemia tem um impacto econômico especialmente nos mais pobres. “As igrejas – prossegue o CMCR – são chamadas a reconsiderar o papel que podem desempenhar nas sociedades secularizadas, transmitindo uma mensagem profética sobre temas como o Estado de direito e a democracia, as normas sanitárias e a proteção dos pobres”. Os palestrantes do processo RAN abordarão o aumento crescente e muitas vezes violento de ideologias racistas. Tais ideologias, argumenta a Comunhão, são frequentemente alimentadas por discursos nacionalistas. “As forças de direita, alimentadas por ideologias racistas e quase fascistas, têm-se afirmado tanto na vida política como na política em muitas partes do mundo”, denuncia o CMCR. Na conversa, será dada voz às comunidades vítimas da racialização ao redor do mundo, explorando as conexões entre racismo, autoritarismo e nacionalismo. Entre os pilares, as teologias da vida nos movimentos populares, que oferecem “a possibilidade de resistência e transformação”. O círculo de compartilhamento será transmitido ao vivo nas páginas do CMCR no Facebook, em inglês, francês, espanhol e postado no canal WCRC no YouTube. Você pode participar com comentários e mensagens escrevendo para este endereço de e-mail: [email protected] “O que Deus quer de nós? Discernir, confessar e testemunhar no tempo do COVID-19 e além." É o processo de discernimento, com duração de um ano, tendo em vista o encontro presencial previsto para o final de 2021. O caminho culminará com a confissão coletiva da Comunhão por ocasião da Assembleia Geral de 2024, intitulada “Um Deus de vida”. Mais informações estão disponíveis em wcrc.ch/require. ...

Ler artigo
Turim, chamada aberta para bolsas de estudo 2022

Turim, chamada aberta para bolsas de estudo 2022

Roma (NEV), 31 de julho de 2022 – A Igreja Valdense de Turim lançou uma chamada para inscrições para a atribuição das seguintes bolsas de estudo: 4 bolsas «FAV (Fondo Artigianelli Valdesi)», de € 500,00 cada, destinadas a alunos do ensino secundário (3º, 4º e 5º ano). 1 Bolsa «Ettore Graziani», de € 500,00. Em memória do irmão Ettore Graziani e sustentado pela família, destinado a alunos do ensino médio (3º, 4º e 5º ano). 4 bolsas «FAV (Fondo Artigianelli Valdesi)», de € 1.800,00 cada, destinadas a estudantes universitários. 1 Bolsa «Lea Vinay», no valor de € 1.800,00. Em memória da irmã Leah Vinay e apoiado pelo Consistório da Igreja Valdense de Turim, destinado aos alunos do Conservatório de Turim matriculados em cursos acadêmicos. 1 bolsa "Beppe Molinari, doutor em Alba", de € 1.800,00. Em memória do irmão Beppe Molinari e sustentado por sua família e pelo fundo FAV. Destina-se a alunos do curso de licenciatura em Medicina (ou profissões de saúde). A última bolsa, «YWCA – UCDG» (Young Christian Union), é de € 1.800,00. Apoiado por cônjuges Enrico e Mitzi Rusconidestina-se a alunos dos cursos de licenciatura em Medicina (ou profissões de saúde) ou Engenharia (ou área técnico-científica), preferencialmente em contacto com a YWCA – UCDG (a aguardar confirmação). Na página dedicada lê-se: “O concurso para candidaturas a bolsas está aberto a quem o solicitar. No entanto, o desembolso do mesmo será decidido pela Comissão tendo em conta os resultados escolares, o rendimento desfavorável e a possível pertença a uma Igreja evangélica. As bolsas são reservadas para estudantes matriculados em Institutos localizados em Turim ou na Cidade Metropolitana de Turim”. Detalhes Mais informações, formulário de inscrição, requisitos e documentação necessária para participar podem ser encontrados em www.torinovaldese.org/bando-di-attribuzione-di-borse-di-studio-2022/ As solicitações preenchidas com todos os anexos necessários devem ser enviadas em formato digital para o endereço de e-mail [email protected] até as 12h00 de sexta-feira, 21 de outubro de 2022. artigo anteriorEntrevista com Alessandra Trotta, moderadora do Conselho ValdensePróximo artigoAgosto. 5 quilômetros pela justiça climática Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
Fé é resistência à opressão.  Seminário do Instituto Global de Teologia

Fé é resistência à opressão. Seminário do Instituto Global de Teologia

Roma (NEV), 4 de janeiro de 2020 – Vivendo juntos e aprendendo como uma comunidade global. Com esse intuito, o Global Institute of Theology (GIT), programa da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR), reunirá jovens de todo o mundo no Union Theological Seminary em Dasmariñas, Filipinas, de 15 a junho 29 de 2020. É uma oportunidade única, ecumênica e teológica, mas também de encontro e intercâmbio. Há tempo até 15 de janeiro para requerer a inscrição nesta nomeação, que se intitula “Agitar a Palavra”, isto é, perturbar, bagunçar a Palavra. “Vários conflitos do século 21 têm uma dimensão religiosa. Em muitas partes do mundo estamos testemunhando o nascimento do autoritarismo. O 'sagrado' foi politizado e explorado para justificar a exclusão e a violência. Nenhuma das principais religiões do mundo parece estar imune a essa tendência. A religião politizada revigora as estruturas de poder tradicionais e legitima a opressão das mulheres e das minorias vulneráveis. A religião é utilizada para constituir fronteiras intransponíveis para quem é percebido como o outro, seja ela racial, étnica, cultural ou moral”, explicam os organizadores do seminário mundial. A intenção é explorar o potencial da tradição cristã como elemento capaz de “perturbar essas estruturas de poder”. De fato, em muitos desses conflitos as pessoas encontram inspiração no testemunho bíblico. Num mundo cheio de injustiças e inimizades, muitos são inspirados por Deus, e especialmente pelo Deus dos últimos, dos pobres e oprimidos (Confissão de Belhar). A história da Igreja está repleta de exemplos onde a fé no Deus da justiça garantiu a resistência às estruturas de opressão dos excluídos e explorados. A teologia, explicam os organizadores, pode fornecer a linguagem para recolocar o poder nas margens: conforta e tranquiliza os marginalizados, fornece as ferramentas para a crítica radical e dá visão de uma vida plena (João 10:10) que supera a exclusão, exploração e violência. O GIT 2017. Foto CMCR O GIT tem entre seus objetivos específicos o de construir uma comunidade global de aprendizado e fé com abordagens bíblicas e teológicas contemporâneas, em uma dimensão inter-religiosa, intercultural e inter-religiosa ao mesmo tempo. Sua perspectiva é cristã reformada, envolvendo estudantes e professores de teologia, obreiros da igreja, instituições teológicas e comunidades. Estudantes e pastores ou teólogos em início de ministério de todos os continentes, pessoas que se preparam para o ministério cristão em uma escola teológica vinculada a uma igreja membro da CMCR ou recém-formados em teologia que pretendem continuar podem se inscrever para o seminário global. em seus primeiros anos de ministério recomendado pelas igrejas-membro. Entre os temas abordados pelo GIT estão: injustiça econômica, destruição ambiental, justiça de gênero, solidariedade inter-religiosa, renovação espiritual, inclusão e aceitação nas igrejas e unidade cristã. As inscrições completas para o GIT devem ser enviadas até 15 de janeiro de 2020. As admissões serão comunicadas pela comissão examinadora em meados de fevereiro de 2020. Todos os detalhes logísticos (inscrições, documentos necessários, passagens, vistos) serão acordados e comunicados após a admissão. Para mais informações, clique aqui. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.