Chuva

Chuva

foto de Geetanjal Khanna, unsplash

Roma (NEV), 22 de março de 2023 – No Dia Mundial da Água, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) nos convida a refletir sobre este elemento vital.

“A Comissão sempre se manifestou muito sobre a água e continuará a fazê-lo, mas hoje propõe a partilha de um poema como contribuição própria – declara a coordenadora Maria Elena Lacquaniti -. A água refere-se a muitos temas, o mar, a água que sai da torneira, um poço, ribeiras de rios, mas o tema que neste momento parece concretizá-los a todos e que nos faz muita falta é a chuva”.

“CHUVA de Federico García Lorcana tradução de Cláudio Rendina, contém sabores, emoções, memórias e vida. Esperamos receber seu apoio de boas-vindas”, escreve a GLAM em uma nota emitida por ocasião do Dia.

CHUVA

A chuva tem um vago segredo de ternura,
uma vaga sonolência resignada e amável,
a música humilde desperta com ela
que torna vibrante o espírito adormecido da paisagem.

É um beijo azul que a Terra acolhe,
o mito primitivo que se concretiza novamente.
O agora frio contato do velho céu e terra
com um clima ameno de noites intermináveis.

É o alvorecer da fruta. Aquele que nos dá flores
e nos unge com o espírito santo dos mares.
Aquele que espalha a vida em sementes
e na alma tristeza de algo vago.

A terrível saudade de uma vida perdida,
a fatal sensação de ter nascido tarde,
ou a ilusão inquieta de um amanhã impossível
com a preocupação iminente da cor da carne.

O amor desperta em seu ritmo cinza,
nosso céu interior tem um triunfo de sangue,
mas nosso otimismo se transforma em tristeza
vendo as gotas mortas no vidro.

São as gotas: olhos de infinito que olham
o branco infinito que era sua mãe.

Cada gota de chuva treme no vidro sujo
deixar feridas de diamante divinas.
São poetas da água que viram e meditam
o que a massa dos rios não sabe.

Ó chuva silenciosa, sem tempestades nem ventos,
chuva calma e serena de retumbante e doce luz,
chuva boa e pacífica, você é o verdadeiro
que desce amorosa e tristemente sobre as coisas!

Oh chuva franciscana que trazes com as gotas
almas de fontes claras e mananciais humildes!
Quando você desce os campos lentamente
abra as rosas do meu peito com seus sons.

A canção primitiva que sussurra ao silêncio
e a história sonora que você conta às frondes
meu coração deserto comenta chorando
em uma pauta preta profunda sem uma chave.

Minha alma está triste com a chuva serena,
resignado com tristeza de coisas irrealizáveis,
e meu coração me impede de admirar
uma estrela que se ilumina no horizonte.

Oh chuva silenciosa que as árvores amam
e você é pela pura doçura das emoções;
conceder à alma as mesmas brumas e ressonâncias
que você coloca no espírito da paisagem adormecida!

Federico García Lorca

Granada, janeiro de 1919

(Tradução de Cláudio Rendina)

de “Poems (Libro de poemas)”, Newton Compton, Roma, 1970

∗∗∗

Chuva

A chuva guarda um vago segredo de ternura,
algo de sonolência resignada y lovable,
uma música humilde dorme com ela
que faz vibrar a alma dormida da paisagem.

É um besar azul que a Terra recebe,
o mito primitivo que vuelve a realizarse.
El contato ya frio de cielo y tierra viejos
con una mansedumbre de atardecer constante.

É o alvorecer da fruta. La que nos trae las flores
e somos ungidos com o espírito santo dos mares.
La que derrama vida subre las somenteras
e na alma tristeza do que não se sabe.
A terrível saudade de uma vida perdida,
a fatal sensação de ter nascido tarde,
ou a ilusão inquieta de uma manhã impossível
com a inquietação em busca da cor da carne.

O amor se perde no gris de seu ritmo,
nosso céu interior tem um triunfo de sangue,
mas nosso otimismo se convence na tristeza
contemplar as gotas mortas nos cristais.

E são as bochechas: olhos de infinito que olham
al infinity blanco que les sirvió de madre.

Cada face da chuva tiembla no cristal turbio
y le dejan divinas heridas de diamante.
São poetas da água que viram e que meditam
lo que la muchedumbre de los ríos não sabe.

Oh chuva silenciosa, sem tormentos nos ventos,
a chuva mansa e serena de esquila e a doce luz,
Chove bem e tranquilo que tu és o verde,
la que amorosa y triste sobre las coisas caes!

¡Oh a chuva franciscana que te levanta os olhos
almas de fontes claras y humildes manantiales!
Cuando sobre los campos desce lentamente
las rosas de mi pecho con tus sonidos abres.

El canto primitivo que dices al silencio
y la historia sonora que conta al ramaje
los comentários llorando meu coração deserto
em um pentágrama negro e profundo sem clave.

Minha alma tem tristeza da chuva serena,
tristeza cheia de uma coisa irrealizável,
tengo en el horizonte un lucero encendido
e meu coração me impede de correr para contemplá-los.

Oh a chuva silenciosa que as árvores amam
y eres sobre el piano dulzura emocionante;
das almas las mismas nieblas y ressonâncias
que pones en el alma dormida del paisaje!

Federico García Lorca

Granada, janeiro de 1919

de “Libro de poemas”, Maroto, Madrid, 1921

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

6 de maio.  Zoom reunião sobre esperança

6 de maio. Zoom reunião sobre esperança

Roma (NEV), 6 de maio de 2022 - A Semana de evangelização está em andamento até 8 de maio. Organizado por uma Comissão especial, indicada pelo Conselho Valdense e coordenada por Mário Cignoniestá aberto a todos os interessados. A Semana é inspirada no versículo "Aqueles que esperam no Senhor ganham novas forças" (Isaías 40:31). Entre as iniciativas, está agendado para hoje, às 18h, um zoom meeting sobre o tema da esperança. Uma breve introdução será seguida de um debate aberto com perguntas e respostas ao vivo. Aqui está o link de acesso: “Este encontro não está reservado apenas ao público das nossas igrejas, mas está aberto a todos os que queiram participar” escrevem os organizadores. Haverá a oportunidade de fazer perguntas ao vivo sobre o tema da Semana a um jovem pároco, Francisco Marfee ao pároco emérito José Platão. Conduza o debate Simona Menghini, da Comissão de Evangelização e membro da Comissão de Comunicação da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. A ideia, concluem os promotores, é abordar o tema da esperança "livremente e sem mediações, na consciência de que devemos aprender a estar 'prontos para prestar contas da esperança que há em nós' (1 Pd 3,15)" . Para ver outros recursos relacionados à Semana, clique aqui: Vídeo sobre Esperança ...

Ler artigo
Mulheres de fé.  Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina

Mulheres de fé. Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina

Roma (NEV), 30 de setembro de 2020 - A conferência organizada pelo Centro de Estudos sobre Liberdade de Religião, Crença e Consciência (LIREC) intitulada "Mulheres de Fé. Diversidade espiritual de uma perspectiva feminina". A presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), pastora, participa Gabriela Lio. A conferência faz parte do "Projeto Saber" dedicado ao estudo das minorias religiosas na Itália e das diferentes formas como estas últimas se inserem no contexto social italiano. O objetivo é promover o diálogo e a troca de experiências através dos testemunhos de alguns representantes de diferentes religiões, comprometidos com a promoção e proteção dos princípios fundamentais da dignidade do homem e da mulher. As organizadoras escrevem no convite da iniciativa: “As mulheres de fé desempenham um papel vital não apenas dentro de suas respectivas comunidades religiosas, mas também na sociedade multicultural e multirreligiosa de hoje”. A conferência, anteriormente adiada devido às disposições da emergência do coronavírus, será realizada em plataforma digital no dia 5 de outubro de 2020, das 16h30 às 19h. Para participar, cadastre-se no seguinte link: PLANO 16h30 Saudações Sen. Valéria Fedeli Pedro Nocita Presidente Honorário do Centro de Estudos LIREC Apresentar e moderar Raffaella DiMarzio Diretor do Centro de Estudos LIREC CAIXAS DE SOM Gabriela Lio Presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) Mariangela Fala Presidente da Fundação Maitreya e da Mesa Inter-religiosa de Roma Paula Cavallari Professor de história e filosofia, promoveu o Observatório Inter-religioso contra a violência contra as mulheres (OIVD) do qual é presidente. Swamini Hamsananda Ghiri Freira hindu e vice-presidente da União Hindu Italiana França Coen Co-presidente da Federação Italiana de Judaísmo Progressista e vice-presidente da Religiões pela Paz seção italiana. Elizabeth Nistri Presidente da Federação Feminina para a Paz Mundial-Itália Susana Giovannini Membro da Igreja Pentecostal Betel e do Grupo de Diálogo Inter-religioso pela Paz de Cosenza Marisa Iannucci Islamologista e ativista de direitos humanos. presidente da ônus vitalício. Os parceiros do evento são: a Associação Internacional para a Defesa da Liberdade Religiosa (AIDLR), a revista Consciência e Liberdade, o Observatório Inter-religioso sobre a Violência contra a Mulher (OIVD) e a Federação Feminina para a Paz no Mundo-Itália (WFWP). ...

Ler artigo
Liberdade, esperança, mística, resistência.  Mulheres Evangélicas no Congresso

Liberdade, esperança, mística, resistência. Mulheres Evangélicas no Congresso

Imagem de Shamsia Hassani, artista afegã. Retirado do arquivo FDEI 16 dias contra a violência 2022 Roma (NEV), 10 de março de 2023 – Hoje é o último dia para se inscrever no XIII Congresso da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), que será realizado em Florença de 24 a 26 de março próximo. Precedido pelo Congresso de Federação Evangélica Feminina Valdense e Metodista (FFEVM), a nomeação também prevê a renovação da Comissão e da Presidência, cargo ocupado atualmente pela pastora batista Gabriela Lio. As mulheres valdenses e metodistas (que também votarão no novo Conselho) se reunirão a partir de quinta-feira, 23 de março, enquanto o congresso da FDEI será aberto com um evento público na sexta-feira, 24 de março, às 17h, na igreja valdense de v. Micheli 26: mesa redonda intitulada "Sou vítima de feminicídio: quando o silêncio é cúmplice do crime". moderado por Cláudio Coppini da Rádio RVS, contará com a presença Paula Alberti, abençoado albanês, Elena Bargagli, Deborah Giombarresi, Annalisa Gordigliani. Os trabalhos efetivos do congresso da FDEI começarão no sábado, 25 de março, às 8h30, com adoração. Sábado, 25 de março, às 18h, no grande salão do Gould Institute, na via de' Serragli, 49, outra mesa redonda em memória do teólogo Dorothee Solle, no vigésimo aniversário de seu desaparecimento. Título desta consulta, "Mística e Resistência: o pacifismo de Dorothee Sölle como uma opção de vida resistente". Com Alice Bianchi, Fabrício Bosina, Letizia Tomassone. Moderado Elena Ribetrepórter da agência de notícias Nev. Domingo, 26 de março, a eleição do novo Comitê Nacional, os atos finais e o culto final, agendados para 12. Os versos que acompanharão os dois congressos são, respectivamente, "Onde está o Espírito de Deus, aí há liberdade” (II Coríntios 3,17) para a FDEI. E "A experiência produz esperança" (Romanos 5, 4) para a FFEVM. A presidente cessante Gabriela Lio, entrevistada por Gianna Urizio no FDEI/Reform News, declarou: “Acreditamos que alguns temas e compromissos devem continuar e se fortalecer, como o da violência de gênero e meio ambiente. Além disso, certamente é importante trabalhar para fortalecer a rede nacional e construir uma relação mais forte entre mulheres nativas e mulheres migrantes. Não devemos perder nada do que construímos ao longo de muitos anos de testemunho, pelo contrário, devemos continuar nossa formação teológica, o programa de rádio 'Donne in Rete' na Radio Voce della Speranza, nossos boletins de notícias, o livrinho '16 dias contra a violência ' também em diferentes idiomas para aumentar a conscientização não apenas em nossas igrejas, sobre a violência de gênero. Por fim, acredito que a FDEI deve reconstruir as relações com as mulheres protestantes na Europa e no mundo e começar a refletir sobre a justiça de gênero para garantir a plena igualdade de todas as pessoas LGBT+, trabalhando sobretudo no nível teológico e cultural, promovendo o respeito e o diálogo entre diferentes tradições teológicas. Só assim pode ocorrer uma mudança cultural, desfazendo estereótipos e preconceitos e talvez até medos”. Mais informações: [email protected][email protected] "bolsas de residência" para cobrir todos ou parte dos custos. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.