Política, rumo às eleições, valdenses: que prevaleça “o bem das cidades”

Política, rumo às eleições, valdenses: que prevaleça “o bem das cidades”

O culto de abertura do Sínodo 2022. Foto de Daniele Vola

Torre Pellice (TO), 26 de agosto de 2022 – A um mês das eleições políticas, o Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense, reunido em Torre Pellice (Turim), manifesta sua preocupação com a tendência à radicalização entendida como recusa ao diálogo e a demonização do adversário político e hoje aprovou uma moção para expressar uma “oração pelo bem da cidade” (Jeremias 29).

O Sínodo não se pronuncia sobre o mérito do voto – segundo a sua tradição secular e respeitando as distintas áreas entre Igreja e Estado – e ao mesmo tempo espera dos eleitores e eleitores, especialmente dos cristãos, que a sua livre escolha na urna nasce de um discernimento responsável.

Por fim, os Valdenses, conscientes de que muitos não votam porque não têm cidadania, têm pedido a favor do alargamento do direito à cidadania, conscientes de que as escolhas pessoais também recaem sobre aqueles que (ainda) não têm direito à escolher.

AQUI O TEXTO COMPLETO do Ato do Sínodo_elections_text.docx

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Trieste, escrita anti-semita, solidariedade dos protestantes com a comunidade judaica

Trieste, escrita anti-semita, solidariedade dos protestantes com a comunidade judaica

O interior da sinagoga Fasanenstrasse em Berlim, devastada na Kristallnacht Roma (NEV), 10 de novembro de 2022 – “Que vergonha para quem fez isso. Total solidariedade da Igreja Metodista e da Igreja Valdense de Trieste aos amigos da Comunidade Judaica". O pastor escreve no twitter Pedro Ciaccio, membro do Conselho da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, após a notícia de uma inscrição racista e antissemita na porta da sinagoga da capital friulana. Episódio vândalo que cai no aniversário da Noite do Cristal, onda de violentos pogroms antissemitas ocorridos na noite entre 9 e 10 de novembro de 1938. Que vergonha para quem fez isso.Não pode ser chamado de "manobra", mas um crime a ser processado.Total solidariedade da Igreja Metodista e da Igreja Valdense de Trieste aos amigos da comunidade judaica. — Cachorro βeta (@PeterCiaccio1) 10 de novembro de 2022 "O despertar que tivemos esta manhã desperta raiva e consternação", disse um República o presidente da comunidade judaica de Trieste Alexander Thessaloniki. “Iniciamos imediatamente o episódio na Central de Polícia. Entre outras coisas, este episódio ocorreu no trágico aniversário da 'Noite dos Cristais', com a sinagoga tendo suas luzes acesas em sinal de memória”. Condenação firme também das instituições. “Estou próximo da comunidade judaica de Trieste e espero que os responsáveis ​​por um ato que considero indescritível sejam rapidamente identificados. São ações que não podem ficar impunes”, comentou o subsecretário de Economia Sandra Savino. Há 84 anos, sinagogas, casas e lojas judaicas na Alemanha e na Áustria foram atacadas. Recordamos todas as vítimas do anti-semitismo, racismo e fascismo. Nunca esqueçamos aonde as tendências fascistas levam e resistamos onde quer que apareçam. Sempre Antifascista! pic.twitter.com/CZP8gsnoMT — LouiseMichel (@MVLouiseMichel) 9 de novembro de 2022 Para saber mais: ...

Ler artigo
FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes.  Roberto Mellone

FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes. Roberto Mellone

O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo Roma (NEV), 25 de outubro de 2021 – Em vista da Assembleia no final do mês, quando o atual Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) terminará seu mandato e um novo Conselho e um novo presidente serão ser eleito, reunimos o testemunho de serviço nestes anos de trabalho ao Conselho da Federação, àqueles que, ou seja, têm orientado o caminho da FCEI. Pedimos assim aos vereadores e vereadores cessantes que nos falassem do passado, através de um balanço da experiência feita, e um olhar para o futuro. O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo O primeiro protagonista desta série de artigos é Roberto Mellonetesoureiro cessante da FCEI. Qual é a sua avaliação desta experiência? “Definitivamente um balanço positivo. A nível estritamente pessoal e espiritual foi uma experiência verdadeiramente enriquecedora: pelas muitas pessoas que conheci nas várias missões, por ter podido trabalhar com irmãs e irmãos de outras confissões evangélicas, por ter dado um modesto mas espero útil contributo às atividades da FCEI. A nível mais institucional, nestes seis anos (dois triénios), tenho visto e contribuído para o desenvolvimento de inúmeras iniciativas ao tocar nos muitos e diversificados sectores de actividade desenvolvidos pela FCEI. Da formação à liberdade religiosa, da área migratória à resposta de emergência em emergências humanitárias, da informação jornalística à produção de rádio e televisão. O que me ajudou muito desde o início foi o ambiente em que se desenvolviam os trabalhos do nosso conselho: colaboração e fraternidade que nos permitia unir forças e desenvolver o diálogo interno nas melhores condições possíveis. A responsabilidade de tesoureiro deu-me também a oportunidade de conhecer os mecanismos de funcionamento da máquina organizativa da FCEI. O primeiro ano, talvez o mais cansativo, foi dedicado a conhecer os pontos fracos da administração e a iniciar algumas reformas internas que foram sendo aperfeiçoadas e implementadas nos anos seguintes. Excelente relacionamento com os colaboradores, amplamente renovado durante o mandato, e com a cooperativa Martin Luther King nosso precioso parceiro nas missões da Mediterranean Hope, o serviço aos migrantes da FCEI". Que testemunho você tem vontade de deixar para aqueles que virão depois de você? “Gostaria de desejar ao próximo ecônomo os meus melhores votos por um serviço exigente e responsável. O suporte da equipe e o relacionamento próximo com o profissional externo são duas ferramentas fundamentais para que tudo funcione bem. A estrutura financeira e patrimonial é a de um órgão eficiente e deve ser consolidada com um trabalho de planejamento e controle que deve envolver todos os serviços da federação. O novo conselho também terá que estudar os reflexos da reforma das entidades do terceiro setor na vida da FCEI. Já foi iniciado um estudo sobre os custos e benefícios de nossa possível adesão e estamos deixando um laudo técnico do profissional que nos atendeu até o momento. A um nível mais geral, desejo aos novos diretores e ao novo presidente a capacidade de criar o clima de trabalho positivo que, como já disse na minha experiência, é essencial para a concretização dos nossos projetos. Com a ajuda do Senhor”. ...

Ler artigo
O que temos em mente.  Hijab, ideias, poder.  Um encontro em Turim

O que temos em mente. Hijab, ideias, poder. Um encontro em Turim

Roma (NEV), 28 de janeiro de 2020 – Encontro intitulado “O que temos em mente. Experiências de mulheres em comparação entre religiões". Organizado pela Associação Il Vaso di Sarepta, que trata do apoio alimentar, oficinas educativas e mesa de escuta, juntamente com a União Cristã de Jovens (JWCA-UCDG), o encontro é uma oportunidade para confrontar a experiência das mulheres em suas relações mútuas religiões, particularmente em relação à questão do poder. eles participam Sumaya Abdel Qader, Helene Fontana, Souheir Katkhouda E Hind Laframmoderado por Fátima Lafram Helene Fontana é uma pastora batista, originalmente de Copenhague (Dinamarca). Estudou no Seminário Teológico Batista Internacional de Rueschlikon, em Zurique. Souheir Katkhouda é sírio. Nascida em Aleppo, ela mora na Itália há muitos anos e é presidente da Associação de Mulheres Muçulmanas da Itália. Sumaya Abdel Qader é escritor. Ele nasceu em Perugia, filho de mãe e pai jordaniano-palestino. Frequenta e trabalha com várias associações (incluindo a Aisha, que visa ajudar mulheres muçulmanas vítimas de violência e discriminação). Em 2016, ela se tornou a primeira vereadora muçulmana em Milão. Ele publicou "Eu uso o véu, eu amo a rainha" (Sonzogno, 2008), "O que temos em mente" (Mondadori, 2019). Hind Lafram é um designer de moda italiano que cria coleções para mulheres muçulmanas e não só. As suas criações pretendem comunicar elegância, liberdade e emancipação, com respeito pela mão-de-obra, pelos recursos e pelo ambiente. A reunião é realizada no mesmo dia do "Dia Mundial do Hijab". Encontro no sábado, 1º de fevereiro, às 16h30, no Arca, via Assarotti 6, em Turim. Reservas via SMS ou WhatsApp: 351 506 9566, via email: [email protected] Clique aqui para o EVENTO NO FACEBOOK. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.