O direito à saúde no centro do Sínodo Valdense

O direito à saúde no centro do Sínodo Valdense

Torre Pellice (nev/sv06), 24 de agosto de 2023 – O direito à saúde para todos, de Norte a Sul, sem desigualdades, com maior atenção às pessoas mais vulneráveis, às novas formas de pobreza, aos cidadãos marginalizados. Isto foi discutido hoje no Sínodo Valdense em curso em Torre Pellice (TO), numa conferência de imprensa sobre os temas da agenda dos deputados reunidos nos vales valdenses.

O órgão de decisão das igrejas Metodista e Valdense aprovou de facto uma lei intitulada “Para uma igualdade saudável”, que sublinha a importância do serviço nacional de saúde. Ao mesmo tempo, para os valdenses é essencial proteger a saúde pública como elemento fundador da democracia. Diante, portanto, dos cortes previstos para este setor, as igrejas valdenses pedem uma inversão de tendência e uma relação entre Regiões e Estado que possa reduzir e não aumentar o fosso entre Norte e Sul, como poderia fazer a autonomia diferenciada.

“Segundo o Sínodo, a questão da relação entre público e privado precisa ser revista – disse Daniel Massa, membro da Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD – Diaconia Valdense) – no sentido de que cerca de 10 milhões de pessoas neste país têm uma ‘sociedade mútua externa’ não é apenas um elemento impróprio porque o acesso deveria ser a um sistema universal, mas também enfraquece o próprio sistema de serviço público. O sistema público universalista deve permanecer no centro”.

“Até no assunto da saúde física e mental das pessoas – declarou Ciuffreda Grátisoncologista, membro do Conselho da Federação das Igrejas Evangélicas na Itália, deputado ao Sínodo Valdense – estamos comprometidos como leigos com uma sociedade aberta e inclusiva, que não deixa ninguém para trás e fazemos isso em nome de Jesus Cristo que menos se importava e interpretou a sua ação terapêutica em sentido amplo como sinal e contribuição eficaz para o advento do reino de Deus aqui e agora“.

Amanhã, último dia do Sínodo, o Serviço Nacional de Saúde (SSN) como bem a preservar e valorizar estará também no centro de uma agenda ad hoc, ontem apresentada, que volta a falar do direito à saúde, no face a um desmantelamento contínuo do SSN e à sua privatização. Este texto refere-se também ao carácter universal desta área da vida das pessoas e sublinha a importância do serviço público de saúde, que aliás deveria ser ainda mais apoiado pelas instituições, em termos económicos e não só, também para uniformizar os serviços e o desempenho cuidados de saúde em diferentes regiões.

Para rever a conferência de imprensa de hoje e todos os materiais do Sínodo:

www.nev.it; www.rbe.it; www.riforma.it; www.chiesavaldese.it

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Campobasso.  Uma mesa inter-religiosa para a reconstrução social

Campobasso. Uma mesa inter-religiosa para a reconstrução social

Detalhe da capa da publicação sobre lugares de encontro e lugares de oração em Roma e na Província editada por Caritas-Migrantes Roma (NEV), 11 de dezembro de 2020 - Cristãos de várias confissões (protestantes, católicos, ortodoxos), muçulmanos e representantes do Instituto Budista Italiano Soka Gakkai montaram uma mesa inter-religiosa em Campobasso. A própria Mesa deu-o a conhecer num comunicado divulgado hoje, destacando uma palavra comum para enfrentar a crise pós-covid: “juntos”. As comunidades de fé presentes em Campobasso “decidiram reunir-se em permanente discussão e mesa de apoio para testemunhar publicamente que uma nova forma de comunidade é possível e necessária”, lê-se na nota. “Esta é a era do necessário mascaramento de rostos e do distanciamento mútuo de segurança, é a hora do medo de estar muito perto, é a hora das exclusões sociais, é a hora dos fechamentos e da comunicação sem o corpo, da comunicação quase apenas telemática. . Neste tempo queremos afirmar juntos, nas nossas especificidades mútuas, que este é também o tempo de preparação para o futuro”, prosseguem os representantes religiosos. A Mesa Inter-religiosa pretende colaborar na criação de um sentido de comunidade e cidadania: "As religiões que representamos em Campobasso não se furtarão à responsabilidade da reconstrução social", escrevem novamente, sublinhando a sua vontade e compromisso de intervir contra o racismo, a exclusão, a violência , medo e ignorância. Leia o comunicado de imprensa completo em Riforma.it ...

Ler artigo
Cuidar de pacientes em relação à religião

Cuidar de pacientes em relação à religião

Roma (NEV), 12 de abril de 2019 - Cuidar dos doentes significa cuidar da pessoa, em todos os seus aspectos, inclusive religiosos. É por isso que a Autoridade de Saúde Social do CTO Gaetano Pini realiza um curso de formação dirigido a profissionais de saúde, mas aberto a toda a população intitulado: “Acompanhamento da pessoa que sofre e da família nos cuidados de saúde nas três religiões monoteístas e na espiritualidade budista”. No dia 15 de abril, das 14h às 18h, representantes de diversas religiões se sentarão à mesa para conversar com profissionais de saúde e cidadãos e explicar como cuidar dos pacientes, conforme sejam cristãos, islâmicos, judeus ou budistas. O encontro é organizado pela Capelania e Gabinete de Formação da ASST Gaetano Pini-CTO e pelas Associações AILS e ALOMAR, em colaboração com o Grupo Juntos para Cuidar de Nós, nascido do encontro de realidades sanitárias e religiosas Colégio IPASVI de Enfermeiras Milan -Lodi-Monza e Brianza, Biblioteca Ambrosiana, Associação Médica Judaica e Comunidade Religiosa Islâmica Italiana Após cumprimentos do Dr. Francesco Laurelligerente geral da ASST Gaetano Pini-CTO, intervirá Rav Alfonso ArbibRabino Chefe da Comunidade Judaica de Milão, Daniela DiCarlopastora valdense, Abd al-Sabur TurriniDiretor Geral da Comunidade Religiosa Islâmica Italiana (Coreis), Tenzin Khentsevenerável monge budista de tradição tibetana, Mons. Pierfrancesco Fumagallimédico da Ambrosiana. “Muitas vezes encontramos doentes e famílias de diferentes religiões no mesmo quarto que se encontram convivendo durante o período de internação no mesmo ambiente. Por isso, considero importante ajudar os profissionais de saúde a entender como cuidar das pessoas como um todo e aprender a fazer a ponte entre as diferentes religiões, cada uma com suas especificidades e implicações também no tratamento de patologias, em o nome da integração", explica padre Simone, capelão da ASST Gaetano Pini-CTO. ...

Ler artigo
30 anos depois de Basel, os milagres de então e os de hoje

30 anos depois de Basel, os milagres de então e os de hoje

Marica das três nações, a partida no Lungo Reno Roma (NEV/Riforma.it) 14 de junho de 2019 – Continua a memória e o relançamento do espírito de Basileia 1989, da primeira Assembleia Ecumênica Europeia, poucos meses antes da queda do Muro de Berlim e da crise da União Soviética para inspirar o trabalho e os pensamentos de muitas mulheres e homens de fé. Como lembrou o pároco no programa de rádio Culto Evangélico Luca Maria Negro, presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) “Em 15 de maio de 1989 foi aberta a primeira Assembléia Ecumênica Européia, sobre o tema 'Paz na justiça', inspirada no Salmo 85: 'Justiça e paz se abraçarão'. Pela primeira vez em séculos - desde os tempos do Grande Cisma entre o Oriente e o Ocidente (1054) e a Reforma Protestante - mais de 600 delegados oficiais das três principais denominações cristãs - ortodoxos, católicos e protestantes - reuniram-se para uma assembléia comum. Mas foi também a primeira vez que se reuniram cristãos de todos os países da Europa”. Uma passagem chave, portanto, também lembrada pelo seguinte texto de Otto Schäfer pastor da Igreja Protestante Unida da França e responsável pelas questões teológicas e éticas da Federação das Igrejas Protestantes da Suíça. Para o site da CLCC, a comunidade de trabalho das igrejas cristãs na Suíça, um local de planejamento e colaboração ecumênica dentro das igrejas suíças: “O milagre de Pentecostes se repete ano após ano. O mesmo Espírito sopra sobre nós, em nossas igrejas, grandes e pequenas. Fazemos parte da mesma família e todos juntos fazemos parte do mundo: o Espírito de Deus age por sua vez no mundo. Um duplo milagre ganha vida no Pentecostes. Em um mundo polarizado, nos aproximamos uns dos outros. E em comunidades e paróquias que podem cuidar de si mesmas, somos enviados ao mundo. No Pentecostes de 1989, em Basel, durante o primeiro encontro ecumênico europeu, este duplo milagre foi sentido intensamente. As convulsões na Europa Central e Oriental abalaram um continente até então dividido. Claro, a Suíça em particular nunca esqueceu completamente a grande Europa, aquela que se estende até os Urais e o Cáucaso. Mas nunca esta visão foi tão visível como comunhão eclesial como em Basileia, no Pentecostes de 1989. Muitas irmãs e irmãos da Europa Central e Oriental participaram ativamente do evento de Basel. Pertencemos à mesma família, experimentamos isso rezando, cantando, celebrando, ouvindo a Palavra, compartilhando tantos dons e talentos diferentes. Esses momentos nos deixam gratos e esperançosos. Ficarão em nossas memórias por toda a vida. Este é o primeiro milagre, um milagre eclesial, no Pentecostes de 1989 em Basileia: uma Igreja de toda a Europa, aberta ao mundo além-fronteiras, animada e unida pelo Espírito. O outro milagre foi, e ainda é, a mudança política e social geralmente pacífica na Europa. O que seis meses depois se tornou realidade em muitos países, ou seja, uma revolução pacífica, já se fazia sentir no Pentecostes de 1989. Com muita esperança e não menos medo: parecia impossível quebrar o equilíbrio do terror sob a ameaça de armas de destruição em massa em ambos os lados, parecia impossível chegar a uma situação de normalidade sem sacrifício ou destruição. O fato de que as coisas poderiam ter tomado um rumo pacífico nunca foi previsto. Foi um milagre e ainda é hoje. Nunca será suficientemente lembrado o milagre político de 1989, que se opôs e ainda se opõe ao 'curso das coisas', como acontece com o Espírito de Pentecostes. Devemos a ele este milagre, e não apenas isso, e pode ser visto hoje onde homens e mulheres envolvidos na Igreja trabalham como construtores de paz. A decepção e a desilusão não esperaram 30 anos para aparecer. Conflitos, velhos e novos, injustiças, velhos e novos, a crescente desintegração de um mundo cada vez mais inquieto deixam seus rastros na consciência pública. A Europa está mancando, as igrejas na Europa estão mancando. O ecumenismo dobrou suas asas largas, parece caminhar, com os pés doloridos, por caminhos pedregosos. No entanto, o ecumenismo é a tela que pintamos e que fica gravada em nossas mentes. O duplo milagre de Pentecostes em Basel em 1989 parece muitas vezes deixado de lado. Mas podemos revogar um milagre? Onde o milagre acontece, ele pede uma lembrança agradecida e um novo começo, com coragem. Para uma vida inspirada pelos milagres de Deus: 'Contarei todas as tuas maravilhas', reza o salmista. De novo e de novo … As sensibilidades também mudam com o tempo; vejamos hoje a maravilhosa encíclica Laudato Si, 26 anos após a manifestação de 1989. É inegável a influência do primeiro encontro ecumênico sobre este texto, com seu ensinamento sobre a Terra como casa comum. Podemos ver quão perspicaz foi a Assembléia Ecumênica de Pentecostes de 1989 ao tornar a mudança climática causada pelo homem uma questão importante, em colaboração com a European Physical Society. Em muitas igrejas, o impulso daqueles dias é implementado diariamente. Claro que o diabo está sempre aninhado nos detalhes, segundo uma bela expressão da língua alemã usada para evocar as dificuldades encontradas na realização dos próprios projetos. Mas o Espírito perseguindo o diabo e quebrando os círculos viciosos não conta mais? E o espírito daquela época continua. Assim como os Atos dos Apóstolos continuam depois de Pentecostes. O Pentecostes é mencionado nos capítulos 2, 26 e seguintes – com maravilhosas descobertas, corajosas reconciliações, difusão da Boa Nova e crescimento da jovem Igreja. Mas também com contratempos, cativeiro, terremoto, naufrágio. Seguimos os outros capítulos da história do milagre de Pentecostes de 1989 em Basel: 'Paz e justiça para toda a criação'. Vamos escrever juntos: o Espírito guia nossa pena”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.