Esperança no coração do SPUC 2022

Esperança no coração do SPUC 2022

Foto: Albin Hillert/WCC

Roma (NEV), 4 de janeiro de 2022 – A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC), que será celebrada de 18 a 25 de janeiro próximo, reunirá igrejas de todo o mundo para refletir sobre o tema da esperança e da alegria, especialmente com referência ao versículo de Mateus 2:2: “Vimos a estrela no oriente e viemos adorá-lo”.

O Conselho de Igrejas do Oriente Médio, com sede em Beirute, no Líbano, convocou o grupo encarregado de redigir os textos da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2022. As reflexões que surgiram “exploram como os cristãos são chamados a ser um sinal de Deus sob os auspícios da unidade. Imersos em diferentes culturas e línguas, os cristãos compartilham uma busca comum por Cristo e um desejo comum de adorá-lo”, afirma o site do Conselho Mundial de Igrejas, em nota publicada ontem, 3 de janeiro.

“Buscamos o bem dentro de nós, mas tantas vezes somos esmagados por nossa fraqueza que a esperança falha”, lê-se na reflexão. “Nossa confiança repousa no Deus que adoramos.” Cristãos do Líbano, Síria e Egito desenvolveram materiais para o SPUC deste ano, com contribuições de um grupo internacional representando o Pontifício Conselho da Igreja Católica Romana para a Promoção da Unidade dos Cristãos e a Comissão de Fé e Fé do Conselho Mundial da Igreja. Os recursos disponíveis para os fiéis incluem uma oração ecumênica de abertura, algumas reflexões bíblicas e orações por oito dias e outros elementos de adoração.

A Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos é uma observância ecumênica cristã internacional realizada anualmente em torno de Pentecostes no Hemisfério Sul e de 18 a 25 de janeiro no Hemisfério Norte.

Todos os anos, parceiros ecumênicos de uma região diferente são convidados a preparar materiais para o SPUC.

Os materiais para 2022 já estão disponíveis em inglês, francês, alemão, espanhol, português, italiano e árabe. Para saber mais:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Amos Luzzatto judeu do diálogo

Amos Luzzatto judeu do diálogo

Roma (NEV/Riforma.it), 11 de setembro de 2020 – Em 9 de setembro, aos 92 anos, faleceu Amós Luzzatto: médico, escritor, exegeta, mas sobretudo um expoente máximo do judaísmo italiano e, de 1998 a 2006, presidente da União das Comunidades Judaicas Italianas (UCEI). Nesses anos também colaborou com a revista Comparar que passou a ser credenciado como o mastro de referência para o diálogo inter-religioso na Itália e para a batalha política e cultural para reconhecer e valorizar o novo pluralismo religioso que também se consolidou em nosso país. […] Amigo do mundo protestante, em 2003 Luzzatto participou de uma mesa redonda realizada na clássica noite de "segunda-feira" do Sínodo das igrejas Valdenses e Metodistas. No templo da Torre Pellice lotado de gente, ele lançou uma ideia que ainda soa atual, a de um "fórum permanente para as religiões..." Continue lendo em Riforma.it a memória de Paulo Naso. artigo anteriorChile, 11 de setembro. Entre a memória e o futuroPróximo artigoCarta aberta da igreja valdense de Colleferro Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
Novo corredor humanitário do Líbano

Novo corredor humanitário do Líbano

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) Roma (NEV), 25 de março de 2022 – Enquanto o drama da guerra na Ucrânia está em curso, os corredores humanitários continuam a salvar os refugiados vítimas de outro conflito que dura mais de 11 anos, o da Síria. Um caminho de salvação que se mostra ainda mais importante neste momento diante da atual e grave crise internacional. 85 refugiados sírios que vivem há muitos anos em campos de refugiados no Vale do Bekaa e no norte do Líbano e que nos últimos meses sofreram um agravamento das suas condições de vida não só devido à pandemia mas também à gravíssima situação política, económica e social crise que este país atravessa. A este primeiro grupo juntar-se-ão mais 20 pessoas, cuja chegada está prevista para 28 de março, num total de 105 pessoas. Entre eles, 38 são menores de idade: algumas crianças doentes para as quais o tratamento não é mais garantido no Líbano e jovens que nunca puderam frequentar a escola nos últimos anos. Antes da partida, todos os refugiados receberam a vacina anti-Covid 19 graças ao corpo médico e de enfermagem da Defesa, que trabalham no país sob a coordenação do Comando Operacional da Cúpula de Forças Conjuntas (COVI).. Sua entrada na Itália foi possível através dos corredores humanitários promovidos pela Comunidade de Sant'Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e a Tavola Valdese, em acordo com os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores, que desde fevereiro de 2016 trouxeram em nosso país mais de 2150 pessoas. Ao todo, mais de 4.400 requerentes de asilo chegaram à Europa pelos corredores humanitários. As famílias que chegaram esta manhã serão também acolhidas por associações, freguesias, comunidades e cidadãos individuais em várias regiões italianas (Piemonte, Lombardia, Vêneto, Emília, Toscana, Lazio, Sicília) e será lançado em um caminho de integração: para menores através de matrícula imediata na escola e para adultos, imediatamente com'aprendizagem da língua italiana e, uma vez obtido o estatuto de refugiado, entrada no mundo do trabalho. Os corredores humanitários, inteiramente autofinanciados (a partir da arrecadação de Sant'Egidio e dos 8 por mil da Mesa Valdense) e criados graças a uma ampla rede de acolhimento, representam um Melhores Práticas para todos aqueles que são forçados a deixar suas casas para escapar do horror das guerras que combinam solidariedade e segurança. Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, declarou: “Novas emergências e abertura de novas frentes não eliminam as consequências de outras tragédias e não atenuam a necessidade de apoiar aqueles que buscam em outro lugar novas chances de vida ou mesmo de sobrevivência. Este é o sentido da chegada de refugiados da Síria, pelo sempre ativo corredor humanitário do Líbano”. ...

Ler artigo
Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências

Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências

Foto James Barr / Unsplash Roma (NEV), 3 de dezembro de 2019 - A conferência de dois dias intitulada "Pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências", promovida pela Faculdade Pentecostal de Estudos Religiosos, começa na quinta-feira, 5 de dezembro, em Battipaglia (Salerno). A Agência NEV entrevistou o pastor carmim napolitanoDecano da Faculdade e Presidente da Federação das Igrejas Pentecostais (FCP). Como nasceu esta conferência e quais são os seus objetivos? A conferência insere-se no interesse da Faculdade Pentecostal, que desde a sua criação tem promovido o estudo do mundo pentecostal tanto numa perspectiva confessional como numa perspectiva de investigação académica. Em 2008, por exemplo, por ocasião do primeiro centenário da presença pentecostal na Itália; e depois em 2015, ano em que nos concentramos no movimento pentecostal da Campânia, onde a presença é mais significativa. Ainda em 2015, 80 anos depois da circular Buffarini-Guidi contra os pentecostais, refletimos sobre aquele gravíssimo ato de intolerância religiosa que atingiu este movimento eclesial durante o fascismo. Esta conferência foi criada para fazer um balanço da situação dos estudos sobre o movimento pentecostal. Paralelamente ao nosso interesse, outras universidades e instituições acadêmicas, religiosas ou não, também têm feito análises e pesquisas sobre os pentecostais, ora se cruzando conosco, ora de forma independente. A conferência de estudo que propusemos visa, portanto, reunir todos aqueles que estão envolvidos neste tema na Itália. Iremos nos comparar segundo perspectivas internas e externas, também em nível internacional, para uma leitura atenta e proativa do pentecostalismo, que é considerado um fenômeno religioso significativo em todo o mundo Qual é o número de pentecostais na Itália? Além da Federação das igrejas pentecostais, existem as Assembléias de Deus e um componente substancial de igrejas independentes que elevam o número de pentecostais italianos, segundo as estatísticas, para cerca de 300.000 pessoas. A estas deve-se acrescentar a linha de igrejas pentecostais nascidas após os fenômenos migratórios, que se estima reunir mais de 100.000 pessoas na Itália. O total representa um número significativo, mesmo em comparação com outros países europeus. Existe homogeneidade no pentecostalismo italiano? Há uma certa homogeneidade nas redes que conectam as diferentes áreas do movimento. As várias denominações reúnem temas que apresentam particularidades diversificadas sobretudo no que diz respeito às modalidades litúrgicas ou características doutrinárias menos relevantes. Do ponto de vista da estrutura jurídica e da organização interna as igrejas do FCP são bastante próximas. As igrejas de origem migrante são caracterizadas por elementos culturais específicos que afetam a prática pastoral e a interpretação teológica. É também por isso que não estamos falando de uma igreja pentecostal, mas de um movimento, para identificar uma denominação caracterizada por um determinado tipo de espiritualidade, independentemente de origem ou distribuição geográfica. Quais são as relações com as outras igrejas protestantes e evangélicas italianas? O FCP mantém estreitas relações de amizade e colaboração, desde a sua criação, com a Federação das Igrejas Protestantes em Itália (FCEI), da qual é membro observador. Atualmente ocupa a vice-presidência da Comissão das Igrejas Evangélicas para as Relações com o Estado (CCERS), na qual está envolvida há vários anos. Também mantivemos diálogos teológicos com as igrejas valdenses, metodistas, batistas e adventistas. Entre os palestrantes da conferência "Os pentecostais na Itália: leituras, perspectivas, experiências", estão acadêmicos e especialistas, incluindo Paulo Naso da Universidade de Roma La Sapienza, o teólogo valdense Paulo ricoo pastor David Romanodiretor do Instituto Adventista de Cultura Bíblica (IACB) “Villa Aurora” e Ilaria Valenziassessor jurídico da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), para o Centro Studi Confronti – Fondazione Kessler. Os trabalhos serão abertos na câmara municipal do município de Battipaglia no dia 5 de dezembro às 15h (Piazza Aldo Moro) e continuarão no dia 6 no centro de congressos do hotel San Luca (SS 18 Tirrena Inferiore, n.18). A conferência contou com o patrocínio da Região da Campânia e do Município de Battipaglia, bem como do FCP. Para mais informações: www.fcpitalia.org Descarregue aqui o folheto ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.