FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes.  Roberto Mellone

FCEI, a palavra aos conselheiros cessantes. Roberto Mellone

O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo

Roma (NEV), 25 de outubro de 2021 – Em vista da Assembleia no final do mês, quando o atual Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) terminará seu mandato e um novo Conselho e um novo presidente serão ser eleito, reunimos o testemunho de serviço nestes anos de trabalho ao Conselho da Federação, àqueles que, ou seja, têm orientado o caminho da FCEI. Pedimos assim aos vereadores e vereadores cessantes que nos falassem do passado, através de um balanço da experiência feita, e um olhar para o futuro.

O Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), triênio 2018/2021, imagem de arquivo

O primeiro protagonista desta série de artigos é Roberto Mellonetesoureiro cessante da FCEI.

Qual é a sua avaliação desta experiência?

“Definitivamente um balanço positivo. A nível estritamente pessoal e espiritual foi uma experiência verdadeiramente enriquecedora: pelas muitas pessoas que conheci nas várias missões, por ter podido trabalhar com irmãs e irmãos de outras confissões evangélicas, por ter dado um modesto mas espero útil contributo às atividades da FCEI.

A nível mais institucional, nestes seis anos (dois triénios), tenho visto e contribuído para o desenvolvimento de inúmeras iniciativas ao tocar nos muitos e diversificados sectores de actividade desenvolvidos pela FCEI. Da formação à liberdade religiosa, da área migratória à resposta de emergência em emergências humanitárias, da informação jornalística à produção de rádio e televisão.

O que me ajudou muito desde o início foi o ambiente em que se desenvolviam os trabalhos do nosso conselho: colaboração e fraternidade que nos permitia unir forças e desenvolver o diálogo interno nas melhores condições possíveis.

A responsabilidade de tesoureiro deu-me também a oportunidade de conhecer os mecanismos de funcionamento da máquina organizativa da FCEI. O primeiro ano, talvez o mais cansativo, foi dedicado a conhecer os pontos fracos da administração e a iniciar algumas reformas internas que foram sendo aperfeiçoadas e implementadas nos anos seguintes.

Excelente relacionamento com os colaboradores, amplamente renovado durante o mandato, e com a cooperativa Martin Luther King nosso precioso parceiro nas missões da Mediterranean Hope, o serviço aos migrantes da FCEI”.

Que testemunho você tem vontade de deixar para aqueles que virão depois de você?

“Gostaria de desejar ao próximo ecônomo os meus melhores votos por um serviço exigente e responsável. O suporte da equipe e o relacionamento próximo com o profissional externo são duas ferramentas fundamentais para que tudo funcione bem. A estrutura financeira e patrimonial é a de um órgão eficiente e deve ser consolidada com um trabalho de planejamento e controle que deve envolver todos os serviços da federação.

O novo conselho também terá que estudar os reflexos da reforma das entidades do terceiro setor na vida da FCEI. Já foi iniciado um estudo sobre os custos e benefícios de nossa possível adesão e estamos deixando um laudo técnico do profissional que nos atendeu até o momento.

A um nível mais geral, desejo aos novos diretores e ao novo presidente a capacidade de criar o clima de trabalho positivo que, como já disse na minha experiência, é essencial para a concretização dos nossos projetos. Com a ajuda do Senhor”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Jornadas teológicas do IFED.  Para onde vai a fé?

Jornadas teológicas do IFED. Para onde vai a fé?

Roma (NEV), 3 de setembro de 2019 - As “Jornadas Teológicas” organizadas pelo Instituto de Formação e Documentação Evangélica (IFED) serão realizadas em Pádua nos dias 6 e 7 de setembro. Entre os palestrantes, Pawel Gajewskipároco da igreja metodista de Terni e da igreja valdense de Perugia, além de professor encarregado de teologia das religiões na Faculdade Valdense de Teologia em Roma. “Será uma comparação válida e necessária entre duas sensibilidades – disse o pastor Gajewski à agência NEV -. As linhas teológicas que representamos são duas, não incompatíveis, mas diferentes. Para mim esta comparação, que nasce da minha amizade com o fundador do IFED, é estimulante Pedro Bolonha e das ideias de Leonardo De Chirico, que é um dos criadores das jornadas teológicas”. Não será um debate puramente acadêmico, explica Gajewski, mas "entre igrejas que têm experiências de fé. Duas abordagens, a progressista e a conservadora, que podem representar um importante momento de discussão sobre temas de grande atualidade como o diálogo inter-religioso e o diálogo intercultural”. Na sexta-feira, das 16h às 17h15, Pawel Gajewski falará sobre “A fé dos outros: todas as religiões levam a Deus?”, juntamente com José Rizzada Igreja Batista Reformada de Trento (IFED).No sábado, das 11h15 às 12h30, o tema será "A fé confessada no mundo global: que perspectivas?" e verá na mesa do orador também Natalino Valentinido Instituto Superior de Ciências Religiosas "Alberto Marvelli" de Rimini e Pietro Bolognesi (IFED). “Existem muitos tipos de fé, mas existe um? Para onde vai a fé no mundo contemporâneo? E na igreja? Como a fé move, nutre, preserva, desenvolve, aprofunda, testemunha?” pode ser lido na apresentação da iniciativa, que visa investigar a palavra "fé" também para além das experiências espirituais genéricas. Para ler o programa completo, clique AQUI. As Jornadas Teológicas acontecerão em Pádua, na sede do IFED na via PM Vermigli 13. ...

Ler artigo
O pré-sínodo da Federação das Mulheres Evangélicas

O pré-sínodo da Federação das Mulheres Evangélicas

Roma (NEV), 5 de agosto de 2021 – O Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense está de volta e os compromissos habituais que animam também os dias que antecedem o evento. A FDEI (Federação das Mulheres Evangélicas na Itália) organiza em especial o Pré Sínodo FDEI - FFEVM (Federação das Mulheres Evangélicas Valdenses e Metodistas) no dia 21 de agosto de 2021 às 17h na plataforma zoom da Reforma. A mesa redonda, explicam os promotores, “será um momento de reflexão e confronto com um olhar para o futuro”. O tema escolhido pela FDEI e pela FFEVM para o pré-sínodo é: “Mulher e trabalho, dignidade e desenvolvimento sustentável. Como proceder, que caminho seguir, num contexto em que o trabalho se transforma e se vislumbra um lento esvaziamento de direitos? Quais podem ser as novas formas de proteção e quais são os desafios que enfrentamos?”. Eles participarão do debate Shqiponja Dostichefe do departamento de imigração da CGIL Roma e Lazio, Simona Menghinidiretor de comunicação da Oracle Italia, Antonella Visintin, coordenador da GLAM, Comissão de Globalização e Meio Ambiente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. Moderado Doriana Giudiciespecialista em direitos da mulher no mundo do trabalho e na sociedade. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.