Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Notícias da Conferência das Igrejas Europeias (KEK)

Roma (NEV), 20 de junho de 2023 – A 16ª Assembleia Geral da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) terminou hoje. Inaugurado em 14 de junho em Tallinn, Estônia, foi intitulado: “Sob a bênção de Deus – moldando o futuro”. Abaixo, uma seleção de notícias da Assembleia.


Amor, esperança, fé. A trajetória do CEC nas palavras do novo presidente Nikitas

A conferência de imprensa final da 16ª Assembleia Geral da Conferência das Igrejas Europeias acaba de terminar. o arcebispo Nikitas de Thyateira e Grã-Bretanha do Patriarcado Ecumênico, recém-eleito presidente do CEC, compartilharam uma mensagem de esperança. “Esta Assembléia nos encontra em um mundo em guerra, onde as armas nucleares ainda estão em ação. Onde vemos devastação e destruição, onde nossa terra é queimada e destruída por mãos humanas, vemos pobreza, injustiça, escuridão e sombras de pecado. Neste contexto, o CEC quer trazer a esperança e a luz de Cristo, como mensageiro de paz e solução para os nossos problemas”, disse Nikitas. O que somos chamados a fazer como cristãos, acrescentou, é “alimentar os pobres, vestir os nus, cuidar dos necessitados” e sublinhou a grande contribuição das novas gerações, “que vieram corrigir, talvez a nossa visão . Trocar os óculos, para que vejamos com o olhar de Jesus Cristo”. Esperança, fé e amor em Jesus são as palavras recorrentes neste último dia: “Hoje somos um pouco diferentes, a Assembleia escolheu ser representada por representantes de diferentes comunidades cristãs e esta é a demonstração de que apesar das diferenças podemos estar juntos e fazer as coisas juntos, em unidade […] Rezemos juntos pela paz porque a graça do Senhor pode fazer milagres” concluiu Nikitas.

Assista a coletiva de imprensa completa:


CEC eleita nova direção

Em 19 de junho, a Assembleia Geral da Conferência das Igrejas da Europa elegeu seus novos líderes. o arcebispo Nikitas de Tiateira e Grã-Bretanha do Patriarcado Ecumênico foi eleito presidente. os pastores Inverno de Dagmar E Frank Kopania vice-presidentes foram eleitos. Para saber mais, leia o artigo em italiano em Riforma.it


Foto CEC / Albin Hillert

Hartmut Rosa: As igrejas podem oferecer um modelo diferente ao desejo de crescimento permanente da Europa

Hartmut Rose, um sociólogo alemão e orador principal na Assembleia Geral da CEC de 2023, refletiu sobre o papel das igrejas em oferecer um modelo diferente ao desejo da Europa de crescimento e aceleração permanentes. A sociedade europeia está “em um impasse”, disse Rosa. A vida se concentrou no crescimento destrutivo, para manter o status quo. Tomando o exemplo da indústria alimentícia, onde as enzimas são colocadas em refeições prontas para reduzir a sensação de saciedade e satisfação, ele disse: “O problema é que simplesmente temos que continuar crescendo em todos os setores, porque senão os empregos que eles não poderiam ser preservada, mesmo que objetivamente não faça mais sentido crescer. Vivemos em um sistema que precisa crescer para permanecer o mesmo. Sem esse crescimento, o sistema entra em colapso.” As consequências são poluição, problemas ambientais, agressão e esgotamento. Rosa se referiu ao aumento dos problemas de saúde mental e do suicídio entre os jovens, que não conseguem lidar com o estresse do excesso de velocidade. E denunciou o tom cada vez mais agressivo da política e a ascensão do populismo, com o risco de “com este modelo perdermos o nosso futuro e o nosso passado”. Finalmente, Rosa propôs um modelo alternativo de “ressonância”. Referindo-se à história bíblica do rei Salomão, Rosa falou de um “coração que escuta” e de “bem viver”. Ressonância é quando você sai desse modo de aceleração porque algo o toca e você reage a isso. Nesse processo somos transformados, não permanecemos os mesmos”. Leia em 2023cecasssembly.org, em inglês


Rowan Williams, encontrando coragem para abraçar o risco

O ex-arcebispo de Canterbury Rowan Williams levou a uma reflexão a partir da pergunta: “Que bênção traz a igreja de Cristo?”. O que significa “bem-aventurados” ou “afortunados”, também em relação à ação das Igrejas no tempo presente? Leia sobre a Igreja Luterana


Foto CEC / Albin Hillert

Patriarca Bartolomeu: Na Europa, as pessoas não se identificam mais com as igrejas nacionais

O Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu, falou na Assembleia da CEC com um discurso fundamental para “celebrar e afirmar o espírito ecumênico entre as diferentes igrejas, comunhões e confissões”. Por outro lado, a retórica das chamadas “guerras culturais” comprometeu seriamente qualquer potencial de diálogo, ferindo o próprio cerne do ecumenismo. Falando de um “novo ecumenismo” num contexto destrutivo, onde a guerra pôs em evidência a fragilidade dos progressos realizados até agora, Bartolomeu falou da “justificação da Igreja russa para esta guerra, vista como a salvação da Ucrânia da suposta sedução de um ímpio ocidental, secular e liberal”.

Leia o artigo em italiano e a tradução completa do discurso de Bartolomeu no site da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI).


Podemos nos preparar para a paz?

A Assembleia da CEC cedeu espaço a alguns testemunhos cristãos da Ucrânia, Rússia e outros países próximos às zonas de conflito. “Um forte lembrete de que a guerra na Ucrânia não está apenas entrelaçada com a divisão teológica, mas também com pessoas morrendo todos os dias, enquanto as igrejas estão cada vez mais frustradas sobre como contribuir para a paz”, escreve o CEC. O painel discutiu a propaganda, a geopolítica, os meios de comunicação de massa e os riscos de exploração, inclusive no âmbito ecumênico. Leia aqui, em inglês.


Ucrânia. Ser igreja no meio da guerra

Durante a Assembleia da Conferência das Igrejas da Europa, entre outras coisas, foi realizada uma reunião pública na qual os líderes religiosos ucranianos ilustraram a situação de suas igrejas no país. Eles também falaram sobre como dão testemunho do Evangelho e como é um grande desafio encontrar as palavras certas diante de uma violência indescritível. Leia em Riforma.it


Foto CEC / Albin Hillert

A Assembleia da Juventude traz uma nova esperança de unidade, a começar pela amizade

Pontes construídas, amizades e uma caminhada de quatro quilômetros na bela floresta nos arredores de Tallinn, na Estônia. O testemunho da Assembleia da Juventude, um dia antes da abertura da Assembleia Geral da Conferência das Igrejas Europeias. Leia mais: Leia mais

Juventude se une no #cecasassembly 2023! – YouTube


Para saber mais:

Todas as fotos da Assembleia KEK 2023

Canal CEC no YouTube: Conferência das Igrejas Europeias – YouTube

Transmissões ao vivo: Assembleia Geral CEC 2023 – Tallinn – YouTube

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Ecumenismo.  A partir de 28 de maio, em Novi Sad, a pré-assembleia da juventude europeia do KEK

Ecumenismo. A partir de 28 de maio, em Novi Sad, a pré-assembleia da juventude europeia do KEK

Novi Sad; foto do site KEK Roma (NEV), 15 de maio de 2018 – Os jovens guiarão os trabalhos da XV Assembleia Geral da Conferência das Igrejas da Europa, que será inaugurada em 15 dias em Novi Sad (Sérvia). De 28 a 31 de maio, a cidade sérvia, capital da região de Vojvodina, está de fato marcada para a pré-Assembléia dos jovens, acompanhada também pelo lema "Sereis minhas testemunhas" retirado do livro dos Atos da Apóstolos (1:8). Jovens de todos os cantos da Europa e pertencentes a diferentes tradições cristãs discutirão sua visão da Europa em torno de três áreas principais: testemunhar de Cristo, apoiar a justiça, demonstrar aceitação. Da discussão resultará um documento que será apresentado à Assembleia Geral no domingo, dia 3 de junho, durante o debate sobre o "Futuro da Europa" que contará com a presença, entre outros, do patriarca de Constantinopla, Bartolomeu Io Arcebispo de Canterbury, Justin Welbye o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans. O programa da pré-Assembleia Juvenil inclui uma perspetiva histórica sobre o CEC e a Igreja Ortodoxa Sérvia que acolhe o evento, e momentos de formação sobre o funcionamento da Assembleia, em que várias raparigas e rapazes vão participar como delegados ou como mordomos. Entre os oradores oficiais da assembléia, ele também figura Lisa Schneiderrepresentando o Conselho Ecumênico para a Juventude na Europa (EYCE). A pré-Assembléia dos jovens terminará na manhã do dia 31 de maio; na tarde do mesmo dia, terá início a XV Assembleia Geral do CEC com a sessão plenária inaugural e um culto de abertura a realizar no centro da cidade. a Assembléia terminará em 5 de junho. (Libra) ...

Ler artigo
OvershootDay, recursos de 2023 concluídos.  Comissão GLAM: mitigar não basta

OvershootDay, recursos de 2023 concluídos. Comissão GLAM: mitigar não basta

Foto de Dikaseva / Unsplash Roma (NEV), 16 de maio de 2023 – A Itália esgotou todos os recursos para o ano de 2023. E estamos apenas em maio. É chamado dia de ultrapassagem e significa o “dia da vitória”. A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) intervém com um texto por ocasião deste triste recorde, não só na Itália. Em 15 de maio, a Itália, juntamente com as Bahamas e o Chile, figura entre os 29 países que alcançaram oultrapassagem, ou a data em que se esgotam os recursos disponibilizados pelo planeta para o ano corrente. Faltam apenas 4 meses e duas semanas para o início do ano, confirmando a tendência de consumo de biocapacidade de 2021 e 2022, replicando assim um modelo que há mais de vinte anos consideramos inaceitável: produção, consumo, produção, consumo…. O que é ainda mais preocupante é que a pegada ecológica do nosso país não está entre as piores. Atrás de nós outros 28 países, à frente de outros 33 com melhor pegada ecológica ou com maior biocapacidade, liderados pela virtuosa Jamaica que ultrapassagem em 20 de dezembro. O que é desanimador é que dos 28 países à nossa frente, 15 são europeus, acompanhados pelo Canadá, Estados Unidos da América, Austrália, Japão, Rússia, Israel, Catar, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e alguns notoriamente ' países 'pobres'. Estamos, portanto, a falar daquela parte do mundo onde se concentra toda a riqueza financeira do planeta, esse mundo dito 'evoluído, civilizado, emancipado' e rico mas que, poderíamos acrescentar, parece carecer de visão e perspectiva. Perante esta realidade paradoxal e difícil de inverter, hoje não queremos centrar a atenção nos hábitos de um único indivíduo que continuamente apelamos à consciencialização, mas sim voltarmo-nos para as responsabilidades dos governos, olhar para as políticas daqueles países que, como o nosso, declaram em termos de sustentabilidade, as oportunidades que advêm do financiamento, nomeadamente por exemplo o Plano Nacional de Recuperação e Resiliência (PNRR) que movimenta enormes capitais. Como sabemos, está centrado na “digitalização, revolução verde, transição energética, mobilidade sustentável”, formalmente no cumprimento da sustentabilidade social e ambiental que envolve o cumprimento e adoção de medidas fiscalizadoras no setor de compras no que diz respeito à infiltração da máfia e regras de rebate , mas é necessário monitorizar tanto o impacto das obras individuais e o seu consumo de solo, como, a montante, a sua necessidade e utilidade para o bem comum. Portanto, supervisione os projetos que serão implementados e dê a máxima atenção ao setor financeiro, acendendo o sinal vermelho para as empresas, indústrias e, principalmente, setores de comércio intensivos em energia. Não podemos continuar fazendo com que gerem lucros com promessas de conversões que na verdade são transações lavagem verdede aparência. O objetivo de mitigação (e ainda mais de adaptação) em relação ao dia de saturação da biocapacidade e das mudanças climáticas não é suficiente. É necessário ser mais ambicioso, entrando no mérito das escolhas de políticas industriais e urbanísticas para aumentar a biocapacidade, por um lado, e reduzir a pegada ecológica, por outro. Não desistamos, continuemos acreditando que a mudança é possível e que, como gritam os jovens de sexta-feira nas praças, não existe planeta B, lembrando que no ano passado modificamos os artigos 9º e 41º da Constituição, para fortalecer o direito à bem-estar das gerações vindouras. Um significado ampliado para os crentes, onde a geração é toda a Criação. A Comissão GLAM ...

Ler artigo
A voz das mulheres afegãs contra a violência

A voz das mulheres afegãs contra a violência

Roma (NEV), 23 de maio de 2022 – A nova etapa do projeto promovido pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) “Vamos começar com você” será realizada em Milão nos dias 27 e 28 de maio. Entre outras coisas, está agendada uma reunião com o ativista Batool Haidari (que também será a protagonista de uma entrevista que será transmitida no domingo, 29 de maio, no "Protestantismo", em Rai Due, ed) sobre "A voz das mulheres afegãs além do silêncio e da violência". A seguir, um espetáculo com as meninas da especialização contemporânea do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano, intitulado "Hijab", com a coreografia de Jorge Azzone. A iniciativa "Recomeçar com você", também implementada em Nápoles, Gênova e Gravina, visa combater a violência contra as mulheres. Os destinatários também são os próprios homens. Importa actuar ao nível da prevenção do fenómeno, responsabilizando não só os potenciais actores da violência, mas também aqueles que a testemunham e aqueles que, por medo ou por ignorância, negam a sua dimensão social, cultural e significado psicofísico. A etapa de Milão conta com uma colaboração ecumênica, com a participação, entre outras coisas, da Caritas Ambrosiana, que colabora participando da mesa redonda de sábado à tarde intitulada "A resiliência é uma mulher". O projeto FDEI responde, entre outras coisas, a solicitações do Conselho Mundial de Igrejas (CEC), que desde 2015 incentiva igrejas e organizações a trabalhar nessas questões. Para superar as atitudes que predispõem à violência sexual e de gênero, segundo o FDEI e o CEC, é preciso envolver as realidades locais e os indivíduos. Para saber mais, baixe o flyer. Leia a análise aprofundada com o presidente da FDEI, pároco Gabriela Lio. Plano Sexta-feira 18h30, «A voz das mulheres afegãs para além do silêncio e da violência». Igreja Evangélica Batista (via Pinamonte da Vimercate 10), com Batool Haidari, ativista do movimento pelos direitos das mulheres. 19h45, «Hijab», do coreógrafo Giorgio Azzone com intérpretes femininas do Centro de Estudos Coreográficos do Teatro Carcano. Sábado 10h00, «Encontros de resiliência feminina», na CasArché (via Michele Lessona 70). 16h00, «Resiliência é mulher», mesa redonda. Igreja Metodista (via Luigi Porro Lambertenghi 28). Com Renata Rossi (Caritas Ambrosiana), Silvia Gissi (Radam Csd Project) e Massimo Aprile (pastor batista); moderado por Anna Maffei, pastora batista. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.