Troca da guarda na liderança do protestantismo

Troca da guarda na liderança do protestantismo

Roma (NEV), 15 de outubro de 2021 – Um novo rosto para o protestantismo. Vai ser Cláudio ParavatiDiretor de Compararde fato, para apresentar, a partir do próximo episódio, domingo, 17 de outubro, o programa religioso da Federação de Igrejas Evangélicas, que é transmitido todos os domingos de manhã no Rai Due.

Paravati recebe o bastão do jornalista e apresentador Cátia Barãoque apresentou a transmissão nos últimos anos.

“Agradecemos a Cátia pela competência, profissionalismo e frescor com que tem sido a cara do “protestantismo” nos últimos anos – declara Luca Baratto, secretário executivo da FCEI -, porta-voz dos estúdios de televisão RAI sobre os temas que caracterizam a reflexão e o testemunho dos protestantes na Itália. Ao mesmo tempo, saudamos Claudio Paravati, que apresentará o programa a partir de domingo e acompanhará os espectadores nos próximos anos”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Ética digital.  Salve o planeta, salve-nos

Ética digital. Salve o planeta, salve-nos

Foto de José Martín Ramírez Carrasco / Unsplash Roma (NEV), 30 de maio de 2023 – Que bem-estar para as sociedades digitalizadas e no trabalho? Isso foi discutido no dia 24 de maio em encontro promovido pela rede “Ação da Igreja sobre Trabalho e Vida” (CONVOCAÇÃO* – Ação das igrejas pelo trabalho e pela vida). O encontro reuniu algumas das dezenas de pessoas que colaboraram na publicação das Diretrizes no âmbito do projeto”Bem-estar das sociedades e locais de trabalho digitalizados”. A rede CALL trabalha há anos nestas questões, envolvendo vários profissionais e competências de toda a Europa, tanto no seio das igrejas como simpatizantes. Harmonia, bem-estar digital, ética digital, sustentabilidade, valores ecológicos, económicos e sociais no planeamento da digitalização são apenas alguns dos temas desenvolvidos pela rede CALL, que vê a própria digitalização como intimamente ligada, e por isso orientável, ao serviço da sociedade. Ele esteve presente pela Itália Stefano Frache, engenheiro, um dos fundadores de uma empresa de desenvolvimento de software e equipamentos eletrônicos, com doutorado em Eletrônica e Telecomunicações em Torino e Lausanne. “Foi maravilhoso participar nesta experiência, numa dimensão de estímulo ao diálogo e ao crescimento pessoal” disse Frache à Agência NEV. As diretrizes são desenvolvidas em três seções: ética, economia e sociedade. “A reunião do dia 24 foi uma oportunidade para retomar alguns temas, os pontos fortes do documento e quais aspectos, por outro lado, ainda precisam ser trabalhados – disse Stefano Frache -. Foi um importante momento de síntese, resultado de anos de trabalho, comparações e discussões. É preciso uma certa coragem para emitir um documento”. Na verdade, publicar expõe a julgamentos e críticas, mas ao mesmo tempo é uma forma de "dar o tom" para a discussão. No primeiro ponto sobre ética, continuou o engenheiro, "foram incluídos aspectos relativos à relação de todos os seres vivos com o planeta e uma referência explícita ao justiça climática. É bom refletir sobre evidências científicas para guiar nosso pensamento. Não é uma questão emocional: realmente temos um problema com o clima." Durante muito tempo, segundo Frache, “houve um mal-entendido muito amplo. Nosso compromisso climático está salvando o planeta? Não, fazemos isso para nos salvar." Eras glaciais e interglaciais com transgressões marinhas ocorreram várias vezes na Terra, mas em períodos extremamente longos. “Agora estamos aqui e estamos perturbando o equilíbrio do planeta. Os efeitos não são iguais para todos, mas a questão da justiça climática não pode ser reduzida a uma inspiração temporária. Só mais um pouco de tempo, para estragar bastante, e aí o problema será o mesmo para todos”. O problema da desigualdade deve ser enfrentado rio acima: “Não é bom sermos todos iguais diante da catástrofe. Mesmo de barriga cheia, não estou segura. O risco alimentar, a dificuldade de acesso aos alimentos e à água potável, que até poucos anos atrás pareciam preocupações distantes de nós, agora começam a nos preocupar de perto”. Refletir sobre esta dimensão ética implica também “sair da retórica antropocêntrica de sermos os salvadores do mundo. É mais sensato pensar que estamos fazendo algo por nós mesmos e pelos nossos semelhantes, tanto do ponto de vista cristão quanto do ponto de vista humano”. Recentemente, no âmbito do Sínodo Luterano, o decano Carsten Gerdes ele falava da natureza não como um "presente", mas como um "empréstimo". Mesmo para os nativos americanos, a terra é transmitida de geração em geração, “mas cada geração a toma emprestada da anterior. Com esse espírito, devemos fazer bom uso dele e depois devolvê-lo intacto aos que vierem depois de nós. A ganância e a gula não dão frutos. Do ponto de vista cristão, mas não só, esses comportamentos primitivos e irracionais certamente não são dignos e, muitas vezes, causam desastres”. A rede CALL também falou em sustentabilidade, destacando a substancial indissociabilidade dos seus elementos nos domínios económico e social. “O impacto das escolhas é transversal. Tudo está interligado”, disse Frache. Durante o encontro também foram discutidos acessibilidade, inclusão digital, custos e benefícios do que poderíamos definir como “planejamento ético”. Finalmente, segurança. “Em termos de TI, segurança significa privacidade e atenção à coleta de dados, mas não só – concluiu Stefano Frache -. Segurança também significa proteger-se de informações falsas. Por simples engenhosidade corre-se o risco de ser enganado na formação das próprias opiniões, de ser manipulado. Um uso incorreto ou inconsciente de ferramentas digitais é muito diferente dependendo se somos sociedades abertas ou fechadas. Se quisermos nos manter como sociedades abertas e democráticas, temos o dever de lidar com elas, porque as ameaças são graves. Às vezes damos por certo, mas a liberdade de pensamento termina em uma sociedade fechada e, portanto, também a liberdade de pensamento cristão”. *CALL é uma rede europeia que trata da reflexão sobre sustentabilidade, trabalho, economia e sociedade desde um ponto de vista cristão. O projeto "Bem-estar das sociedades e locais de trabalho digitalizados” é apoiado com financiamento da Comissão Europeia. ...

Ler artigo
Refugiados, recém-chegados com corredores humanitários

Refugiados, recém-chegados com corredores humanitários

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) Roma (NEV), 28 de março de 2023 – Chegarão ao aeroporto de Fiumicino na quinta-feira, 30 de março, com um voo de Beirute, 58 refugiados e refugiadas sírios que viveram muito tempo nos campos de refugiados do Líbano ou em moradias precárias na periferia de Beirute. Trata-se de famílias que nos últimos meses sofreram uma grave deterioração das suas condições de vida devido à grave crise política, económica e social que assola o país. Entre eles 24 menores que, devido à situação das suas famílias, não puderam frequentar a escola, e alguns que necessitam de cuidados médicos urgentes. Sua entrada na Itália é possível graças aos corredores humanitários promovidos pela Comunidade de Sant'Egidio, a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália e a Tavola Valdese, em acordo com os Ministérios do Interior e das Relações Exteriores, que desde fevereiro de 2016 trouxe para o nosso país, só do Líbano, 2.486 pessoas. Ao todo, mais de 6.000 refugiados chegaram à Europa pelos corredores humanitários.As histórias de quem já chegou mostram que é possível não só salvar quem corre o risco de cair nas mãos dos traficantes de pessoas como também iniciar caminhos de integração. Num momento em que salvar vidas humanas parece cada vez mais urgente, como recordou também o Papa Francisco na recente audiência aos refugiados que chegaram graças aos corredores humanitários, modelo iniciado por Sant'Egidio e pelas Igrejas Protestantes, depois replicado com outras associações como bem, viu, ao contrário, a solidariedade cresce, graças à generosidade de muitos italianos – alguns dos quais até ofereceram suas casas para hospitalidade – e ao seu compromisso voluntário e gratuito.As famílias que chegarem serão acolhidas em várias regiões italianas e iniciarão um caminho de integração: para os menores com a entrada imediata na escola, para os adultos com a aprendizagem da língua italiana e, uma vez obtido o estatuto de refugiado, a entrada no mundo do trabalho . A nomeação para acolher os refugiados e um conferência de imprensa eles são definidos às 12 horas quinta-feira, 30 de marçocom chegada para jornalistas até às 11 horas na porta 5 do Terminal 3 partidas de Fiumicino ser acompanhado ao local da conferência.eles vão intervir marco impagliazzopresidente da Comunidade de Sant'Egidio, marta bernardinicoordenadora do programa migrante da Federação das Igrejas Evangélicas, Manuela Vinayem nome do Tavola Valdese, responsável pelo Otto per mille da igreja valdense, juntamente com representantes dos Ministérios do Interior e das Relações Exteriores.É necessário inscrever-se até quarta-feira, 29 de março, às 13h00, enviando um email para [email protected] o jornal e anexando cópia de um documento de identificação (não o cartão profissional). É possível utilizar o estacionamento de vários andares (será entregue um bilhete especial de saída no ato do credenciamento) ...

Ler artigo
Felicidades a Dom Derio, novo presidente da Comissão Ecumênica

Felicidades a Dom Derio, novo presidente da Comissão Ecumênica

Do site da "vida diocesana de Pinerolo", o bispo no púlpito da igreja valdense de Pinerolo Roma (NEV), 27 de maio de 2021 – O bispo de Pinerolo Derio Olivero foi nomeado presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso. A Federação das Igrejas Evangélicas da Itália enviou hoje uma carta ao prelado, assinada por Luca Maria Negropresidente da FCEI e por Luca Baratto, Secretário Executivo da FCEI, parabenizá-lo por esta nomeação. Os intercâmbios ecumênicos entre as igrejas valdenses, com raízes em Pinerolose, e o bispo sempre foram muito próximos e particularmente positivos. “Conhecemos seu compromisso com o diálogo ecumênico e suas relações de fraternidade e amizade com as igrejas valdenses – lê-se na carta -, presentes há séculos nos vales alpinos da região de Pinerolo. Nossa Federação e as igrejas que a compõem estão convictamente comprometidas com o diálogo ecumênico. Queremos, entre outras coisas, recordar a atividade comum de acolhimento e integração de migrantes e refugiados através do projeto Corredores Humanitários que, primeiro na Europa, nossa Federação, a Mesa Valdense e a Comunidade de Sant'Egidio propuseram e organizaram. Mas também queremos recordar o Grupo de Trabalho constituinte das Igrejas Cristãs na Itália, que esperamos que cresça e se torne um importante instrumento de encontro para as várias confissões cristãs em nosso país. Somos gratos pelo trabalho realizado por seu predecessor, o bispo Ambrogio Spreaficoe confirmamos a nossa vontade de caminhar juntos convosco e com todas as Igrejas cristãs no caminho do diálogo e da fraternidade”.“Sua nomeação, tanto por sua história pessoal quanto pelo fato de ser bispo de uma diocese em que há a maior concentração de evangélicos da Itália, confirma o compromisso das igrejas cristãs italianas de continuar e ampliar os espaços de diálogo e a busca de um testemunho comum na sociedade de nosso país”, concluem Negro e Baratto. artigo anterior5 por mil para a Diaconia ValdensePróximo artigoWebinário da Rede de Mulheres Luteranas. Juntos pelos direitos Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.