Dia Internacional do Migrante, o compromisso das igrejas valdenses e metodistas

Dia Internacional do Migrante, o compromisso das igrejas valdenses e metodistas

Desenho de Francesco Piobbichi, equipe, programa Mediterranean Hope, Federação de Igrejas Protestantes na Itália (FCEI)

Roma (NEV), 17 de dezembro de 2022 – O Dia Internacional dos Migrantes, que se celebra em 18 de dezembro, é uma oportunidade para recordar um dos temas de maior empenho das Igrejas Valdenses e Metodistas que destinam uma cota de Otto por mil para migrantes (OPM) equivale a cerca de 12% do total: 3,3 milhões de euros na Itália e mais de 14 milhões nos países de origem.

“Intervenções “na casa deles” – declara Manuela Vinay, chefe do OPM – mas também intervenções “em casa”: são duas faces de uma mesma moeda que não se podem separar. Perante 280 milhões de migrantes, o desafio é uma gestão coordenada e solidária dos fluxos que, se bem geridos, produzem também efeitos positivos nos países de acolhimento. É por isso que continuaremos a apoiar boas práticas como os corredores humanitários, recentemente ampliados para incluir a Líbia e os refugiados do Afeganistão, e ao mesmo tempo financiar projetos de desenvolvimento sustentável na África, Ásia e América Latina”. “Nesta frente, o o nosso compromisso é prioritário – acrescenta Manuela Vinay – e inclui acções diferenciadas: apoio a rotas legais de imigração (como os já referidos corredores humanitários), programas económicos e formativos orientados para a integração de migrantes e requerentes de asilo, iniciativas interculturais para promover a coesão social e inclusão através do combate à xenofobia e ao racismo. Estamos convencidos de que, diante de um desafio como o das migrações globais, é necessário ativar ferramentas diversificadas. Por isso, as ações que financiamos e realizamos na Itália se somam às intervenções nos países de origem. Seu desenvolvimento passa pela construção da paz nas áreas de conflito, apoio ao crescimento com respeito ao meio ambiente, uso sustentável dos recursos, regras comerciais de importação-exportação que protegem esses países. São estas as intervenções que financiamos, também graças a uma rede de parcerias com associações de várias tipologias, seculares e religiosas. Afinal, o nosso sempre foi um Otto per Mille inclusivo e compartilhado”.

O Otto per Mille pode ser doado por todos aqueles que fazem uma declaração de imposto a uma das entidades religiosas com as quais o Estado italiano tem um acordo ou ao próprio Estado. Outros fundos são 5×1000, que podem ser atribuídos a investigação científica ou associações e organizações sem fins lucrativos, e 2×1000, que podem ser atribuídos a partidos políticos. O 8×1000 na verdade funciona como uma votação, em que quem se abstém contribui com o valor do voto majoritário. 8×1000 de todos os rendimentos declarados são repartidos entre o Estado e as entidades religiosas responsáveis ​​pelo seu recebimento, na proporção das escolhas expressas.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mesa Inter-religiosa de Roma.  Concurso para um “quarto de silêncio” no hospital

Mesa Inter-religiosa de Roma. Concurso para um “quarto de silêncio” no hospital

Roma (NEV), 13 de julho de 2017 – Até 10 de outubro de 2018, há tempo para enviar solicitações para a criação de espaços de meditação, silêncio e oração abertos a todas as religiões nos hospitais San Filippo Neri e Santo Spirito de Roma. O concurso, em parceria com a Mesa Inter-religiosa de Roma, que há vinte anos se empenha em difundir uma abordagem multicultural e inter-religiosa, conta com a colaboração da Ordem dos Arquitetos de Roma e da Província. “A iniciativa surge no seguimento da particular atenção que a ASL Roma 1 dedica à humanização dos cuidados hospitalares, e à participação das associações de voluntariado e confissões religiosas na melhoria do acolhimento e respeito pelos direitos das pessoas”, lê-se no comunicado ontem divulgado. A participação no concurso está reservada a arquitetos e engenheiros da União Europeia, incluindo juniores, devidamente inscritos nos respetivos registos profissionais. A Mesa Inter-religiosa de Roma foi estabelecida em 2001 com um memorando de entendimento entre a Coordenação das Igrejas Valdenses, Metodistas, Batistas, Luteranas e Sanitárias de Roma juntamente com a Prefeitura de Roma, a comunidade judaica de Roma, o Centro Cultural Islâmico da Itália , Fundação Maitreya da União Budista Italiana, da União Hindu Italiana e da comunidade Ortodoxa Romena. Baixe o edital. ...

Ler artigo
“Precisamos de um passo decisivo das igrejas”

“Precisamos de um passo decisivo das igrejas”

Foto tirada de Roma (NEV), 27 de fevereiro de 2023 – “Hoje podemos nos perguntar onde estamos no caminho sem fósseis e quanto fazemos para cumprir nossos compromissos a esse respeito”. Com estas palavras o coordenador da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), Maria Elena Lacquaniticomenta as recentes notícias em que a ENI anunciou um lucro operacional para 2022 que ascende a colossais 20,4 mil milhões de euros. Os lucros mais altos de todos os tempos e mais que o dobro em relação a 2021, de acordo com a Associação ReCommon e o Greenpeace Itália, que declaram “ultrajante que as empresas de petróleo e gás obtenham lucros recordes enquanto o planeta queima”. “Chegou a hora de dar um passo decisivo, também aceitando os convites que vêm de vários quadrantes do mundo católico: trabalhar juntos para que as igrejas se tornem comunidades de energia” continua Lacquaniti. E conclui: “A GLAM está aí e coloca-se à disposição das igrejas para contribuir para esta mudança, com informação, apoio e também com os objetivos alcançados por algumas das eco-comunidades do setor energético”. Entre os sinais que vão nessa direção, da parte católica, está a exortação do Monsenhor Filipe Santorobispo de Taranto, que, dirigindo-se a mais de 25.000 paróquias, disse: "Queremos que as comunidades dos fiéis em todas as paróquias italianas se tornem comunidades de energia" (Fonte: Repubblica, 14 de fevereiro de 2023). Em 2017, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) propôs à Federação aderir à campanha para desinvestir no financiamento fóssil "No fóssil". A FCEI, em Junho do mesmo ano, decidiu apoiar a campanha, levando também a mensagem por ocasião da nomeação "All 4 the green" em Bolonha. GLAM e eco-comunidades A Comissão GLAM está a serviço de comunidades e indivíduos que pretendem abordar questões ambientais e ecológicas a partir de uma perspectiva de fé. Entre suas atividades, está a construção de redes, dentro e fora das igrejas, em nível nacional e internacional. Um dos focos da GLAM é o trabalho para mulheres comunidade ecológica. Existem eco comunidades "iniciadas", "em andamento" e "graduadas", com base na adesão a um determinado limite de 40 critérios ambientais sobre: ​​culto e outros momentos litúrgicos. Trabalhos de manutenção visando a economia de energia. Eliminação de plástico. Educação e implementação de comportamentos virtuosos na administração, compras, uso de energia, mobilidade e gestão de resíduos. Até a verificação da ética dos bancos em que insistem as contas correntes das igrejas. O comunidade ecológica em Itália, algumas dezenas candidataram-se ao diploma GLAM, num universo de mais de uma centena de simpatizantes. ...

Ler artigo
Economia de água doméstica, os comerciais dos jovens da Glam

Economia de água doméstica, os comerciais dos jovens da Glam

Jimmy Chang, antisplash Roma (NEV), 6 de julho de 2022 - "Glam spot" é o título da iniciativa que a Comissão de Globalização e Meio Ambiente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália concebeu e criou para aumentar a conscientização sobre a questão da economia doméstica de água. Os spots Glam, explicam os promotores da iniciativa, são “quatro carretéis em que alguns jovens membros do Glam conversam com os jovens, usando as suas próprias experiências como exemplo de poupança de água. Onde? No dia a dia, no banheiro, na cozinha, no cuidado das plantas como no carro. Pequenos comerciais em que cada um certamente reconhece seu próprio cotidiano, talvez identificando os erros e levando as sugestões para remediá-los”. Os vídeos "não analisam o que está acontecendo seriamente na Itália e no resto do mundo devido às mudanças climáticas, nem abordam o agora evidente problema da desertificação, mas são o porta-voz de um apelo urgente que chega a cada casa, escola , igreja, local de trabalho, destacando comportamentos errados a serem abandonados com urgência para tornar cada um de nós minimamente responsável pela mudança". Aqui o primeiro vídeo: ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.