Otto per mille Waldensian, concurso 2023, 2893 projetos apresentados

Otto per mille Waldensian, concurso 2023, 2893 projetos apresentados

A Casa Valdense de Torre Pellice, sede do Sínodo da união das igrejas Metodista e Valdense. Foto retirada do site www.chiesavaldese.org

Roma (NEV), 16 de fevereiro de 2023 – 2.893 pedidos de financiamento do terceiro setor para o Otto per mille Waldensian. Este é o número de projetos envolvendo a Itália que pediram às igrejas valdenses uma contribuição econômica. As áreas de maior interesse são deficiência, crianças e jovens e cultura.

O último concurso do OPM encerrou no dia 27 de janeiro. Nos próximos meses, o órgão responsável seguirá com a fase de investigação preliminar, ou seja, a verificação da admissibilidade formal quanto aos requisitos do edital.
A segunda fase será a avaliação de mérito e é realizada por uma comissão responsável. Os critérios para esta etapa são: coerência entre os objetivos e finalidades da solicitação; integridade e precisão na descrição; correspondência entre os problemas descritos e os objetivos do projeto; correlação entre atividades e objetivos; relação entre o custo estimado e a atividade; coerência entre o pedido e os fins estatutários da instituição. Esse processo leva seis meses, de fevereiro a julho. Finalmente, em agosto, o Sínodo vota e discute a lista de projetos aprovados e em setembro haverá a publicação no site de todas as atividades que receberão a contribuição Otto por mil.

artigo anteriorPluralismo religioso, fundamentalismos, democracias
Próximo artigoMaddalena Colombo: “Nenhuma religião autoriza ou legitima a violência contra a mulher”

Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bíblia.  Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Bíblia. Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Uma nova tradução da Bíblia para o italiano. Esta é a iniciativa que a Sociedade Bíblica na Itália (SBI) está lançando em vista do 500º aniversário da Reforma em 2017. "O grande mérito dos reformadores - escreve o pastor Eric Noffke, presidente da SBI, em carta enviada em a ocasião do domingo da Reforma deste ano – foi precisamente a de chamar o cristianismo de volta à sua fonte, a Cristo, ao Verbo de Deus feito carne, cujo único testemunho de autoridade se encontra nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento”. A iniciativa será apoiada não apenas pelo SBI, mas também pelas igrejas evangélicas italianas às quais a carta de Noffke é dirigida para solicitar sua adesão. De facto, os custos não são indiferentes e ascendem a cerca de 500.000 euros num período de dez anos. “Para apoiar o empreendimento contamos não só com o empenho dos executivos nacionais das igrejas, mas pretendemos criar uma rede de indivíduos dispostos a nos apoiar com pequenas mas constantes quantias ao longo do tempo”, especifica o presidente da SBI. O método escolhido para a tradução também será novo. “A Bíblia protestante em italiano está ligada ao nome de um indivíduo, Giovanni Diodati – explica Noffke -. O método que temos em mente é mais coral porque envolve um grupo de tradutores, consultores e revisores escolhidos no mundo da evangelização italiana, para fazer uma tradução fiel à letra dos textos bíblicos e em uma linguagem moderna”. O Novo Testamento e os Salmos devem ser publicados em 2017, ano do Jubileu da Reforma, enquanto a Bíblia inteira deve ser impressa em 2023. “Esta nova tradução pretende dar expressão renovada à Palavra e pretende ser o legado da nossa geração para as que virão”, conclui Noffke. ...

Ler artigo
Vozes jovens na Secretaria de Atividades Ecumênicas.  Fé é concretude

Vozes jovens na Secretaria de Atividades Ecumênicas. Fé é concretude

foto Laura Caffagnini Roma (NEV), 28 de julho de 2022 – São as vozes dos jovens católicos, protestantes e judeus que ressoam nos trabalhos da 58ª Sessão de Formação da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE). Em andamento em Assis, tem como título “Em tempos sombrios, ousar esperar. As Palavras de Fé na Sucessão das Gerações – Uma Busca Ecumênica”. Terça-feira de manhã sediou a mesa redonda sobre "Fé: um tesouro para os jovens?". Participou: David Morsellide Roma, estudante de doutorado em matemática, membro fundador e primeiro vice-presidente da amizade judaico-cristã para jovens. Emanuele DeBettinibolsista de ciências históricas em Turim, atuante na Federação Italiana da Juventude Evangélica (FGEI). Emmanuel Gittoformado em ciências internacionais e diplomáticas, vice-presidente da juventude da Ação Católica, em diálogo com Donatella Saroglia da comissão executiva da SAE. Nadia Bouzekrivice-presidente da União das Comunidades Islâmicas na Itália (UCOII), ausente por motivo de força maior, compartilhou os preparativos do evento. Retomamos a seguir o resumo da fala de Emanuele De Bettini conforme noticiado pela SAE. Na parte inferior, o link para o comunicado de imprensa completo. De Bettini (na foto, segundo à esquerda) vive a fé como um fato concreto e como uma descoberta inesgotável. Ele expressou a necessidade de concretude dos jovens, mesmo dentro de suas próprias comunidades, que muitas vezes não estão em seu ritmo. Segundo o membro do FGEI, a rarefação da presença juvenil nas igrejas está ligada à própria modalidade frontal da transmissão da fé. “A fé me veio de uma série de experiências concretas de vida: o encontro com os irmãos e as irmãs e a oração”. Um valor da nossa associação, prosseguiu, é um percurso formativo entre pares, entre quem organiza os programas e quem participa; o limite é que o FGEI seja percebido como parte separada de nossas igrejas e não como parte integrante. Os jovens discutem entre os jovens. A virada deve vir de uma mudança de paradigma, de um encontro com outras gerações. Os jovens compartilham as crises do presente com os adultos, seus problemas não são radicalmente diferentes. Você pode falar como iguais. Momentos vitais também são relacionamentos fora do próprio círculo. “As relações com os outros são também relações com Deus.Participar de um coro judaico em Turim foi para mim uma oportunidade de entrar em contato com um mundo de novos significados religiosos ligados à fé. Cantar nesse sentido para mim significava redescobrir um tesouro”. Durante a mesa redonda, escreve a SAE, “emergiram consonâncias e traços comuns em torno da realidade da fé. A importância da oração e do cuidado da vida espiritual, a formação e o impulso que a vida associativa oferece ao desenvolvimento do caminho pessoal, a necessidade de discussão e partilha entre gerações, o acolhimento do outro e do outro como espaço que nos faz conhecer novas perspectivas, a vitalidade do diálogo inter-religioso". Por fim, falou-se de reciprocidade, de compreensão das próprias tradições e de diálogo, mesmo com o ateísmo. Para saber mais, acesse o site da SAE. Para ler o comunicado de imprensa completo sobre a mesa redonda sobre juventude e fé, clique AQUI. A 58ª Sessão de Formação do Secretariado de Atividades Ecumênicas conta com a presença em Assis, nestes dias, de vários representantes do mundo protestante. ...

Ler artigo
Kingston, apelo ecumênico pela paz

Kingston, apelo ecumênico pela paz

Kingston, Jamaica Roma (NEV), 23 de março de 2011 – Ao som de um hino composto para a ocasião, a cerimônia de lançamento da Convocação Ecumênica Internacional pela Paz, convocada na capital da ilha caribenha pelo Conselho da Conferência Ecumênica de Igrejas (CEC) de 17 a 25 de maio próximo. A cerimônia, organizada pelo Conselho de Igrejas da Jamaica e pela Conferência de Igrejas do Caribe (CCC), foi aberta pelo arcebispo católico Donald Reece, presidente do CCC: "A Jamaica é um lugar adequado para refletir sobre a paz, porque aqui sabemos bem o que significa marchar da violência para a paz”, disse Reece referindo-se à história de violência de toda a região do Caribe marcada pelo tráfico de escravos e pelos contratos de servidão. Apesar desta história passada, nenhum ser humano “é chamado ao ódio e à guerra, mas a experimentar a unidade e a paz”. No discurso principal da reunião, Mathews George Chunakara, diretor do programa de assuntos internacionais do CMI, destacou como a Convocação de Kingston está fortemente enraizada na experiência da Década para derrotar a violência (2001-2010), patrocinada pelo CMI. “Kingston representa o ápice da Década - sublinhou Chunakara -, bem como mais uma oportunidade para as igrejas renovarem seu compromisso com a não-violência e a paz justa”. , que recordou os muitos momentos que caracterizarão a Convocação de maio: não só conferências e grupos de estudo, mas também o plantio de árvores e um concerto pela paz. Um momento que vai unir as igrejas ao redor do mundo é o Domingo da Paz, convocado para o dia 22 de maio, durante o qual os cultos das igrejas de todos os continentes rezarão com as palavras de uma oração composta pelas igrejas caribenhas para a ocasião. Os protestantes italianos também estarão presentes na Convocação pela Paz em Kingston, representados pela Pastora Letizia Tomassone, vice-presidente da Federação de Igrejas Evangélicas da Itália. (www.overcomingviolence.org/). Tomassone também estará entre os palestrantes do seminário "Ousando a paz pela fé", que será realizado em Roma no sábado, 2 e domingo, 3 de abril, com o título "Além da violência". À margem do seminário, que também terá intervenções do teólogo adventista Hans Gutierrez e Tonio Dall'Olio da associação “Libera” e membro do conselho da Mesa da Paz, a reunião dos delegados italianos será realizada na Convocação de Kingston. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.