Vozes diferentes, desafios comuns.  Igrejas evangélicas italianas votam em novos líderes

Vozes diferentes, desafios comuns. Igrejas evangélicas italianas votam em novos líderes

Roma (NEV/CS27), 28 de outubro de 2021 – A Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) elege seu novo Presidente e novo Conselho, que chegaram ao fim de seu mandato de três anos. A Assembleia reunirá nos dias 29 e 30 de outubro, com duas etapas: a XIX e a XX Assembleia. Normalmente essa etapa é acompanhada da convocação de uma Assise, adiada por conta da pandemia. A FCEI, entre as duas assembleias, está assim a organizar este ano uma mesa redonda intitulada “Diferentes vozes, desafios comuns”. A marcação, presencial e online, é aberta ao público e realiza-se no sábado, dia 30 de outubro (mediante reserva e green pass). Eleições de novos dirigentes na tarde de 30 de outubro.

A mesa redonda incluirá: Emanuela Del ReRepresentante Especial da UE para o Sahel. Daniele GarroneFaculdade Valdense de Teologia. Shahrzad Houshmand Zadehteólogo muçulmano. marco impagliazzopresidente da Comunidade de S. Egídio. Yassine Laframpresidente da União das comunidades e organizações islâmicas na Itália (UCOII). Marco Tarquíniodiretor da Avvenire. Lia Tagliacozzo, escritor e jornalista (vídeo mensagem). Moderado Cláudio ParavatiDiretor de Comparar.

Na abertura, os vários chefes de serviços e comissões da FCEI apresentam brevemente o trabalho dos últimos três anos. O evento público de 30 de outubro é inspirado no versículo de Jeremias 1, 11 “O que você vê?” e conclui com uma meditação com curadoria do pároco Luca Maria Negro, presidente cessante da FCEI. Descarregue aqui o folheto da FCEI.

Para participar na mesa redonda do dia 30 de outubro presencialmente (lugares limitados) é necessário fazer reserva por escrito para [email protected]A participação online é aberta a todos* nas páginas do Facebook do NEV – notícias evangélicas e Confronti.

Este é o calendário de eventos em Roma:

sexta-feira 29, de 15 a 18, presencialmente, na igreja metodista na via XX Settembre, última sessão da XIX Assembleia da FCEI. (Acesso restrito).

sábado 30, dos 10 aos 13, mesa redonda intitulada “Diferentes vozes, desafios comuns”. Igreja Metodista na via XX Settembre, esquina com a via Firenze, e ao vivo pelo Zoom e Facebook. (Participação gratuita. Reserva obrigatória e passe verde para acesso às instalações).

sábado 30, a partir das 15 horas, presencialmente, na igreja luterana da via Sicilia: eleições, constituição da XX Assembleia da FCEI e, posteriormente, primeira reunião do novo Conselho da FCEI. (Acesso restrito).

O Conselho cessante é formado por Luca Maria Negro (presidente), Christiane Groeben (vice-presidente), Richard Kofi Ampofo, Stefano Bertuzzi, Ilaria Castaldo, Daniele Garrone, Roberto Mellone (tesoureiro).

Para saber mais

Baixe o relatório trienal 2019-2021 sobre as atividades da FCEI no site www.fcei.it

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Ucrânia, delegação de igrejas mundiais visitando zonas de conflito

Ucrânia, delegação de igrejas mundiais visitando zonas de conflito

17 de março de 2022, Siret, Romênia: uma mulher fecha os olhos enquanto se senta no ônibus para Suceava da passagem de fronteira de Vama Siret, Romênia. A fronteira de Vama Siret conecta o nordeste da Romênia com a Ucrânia. Localizada ao norte de Siret e mais ao sul a cidade de Suceava, a travessia conecta a Romênia com a vila ucraniana de Terebleche e mais ao norte a cidade de Chernivtsi. Após a invasão da Ucrânia pelos militares russos a partir de 24 de fevereiro de 2022, quase meio milhão de refugiados fugiram pela fronteira ucraniana para a Romênia. Nas últimas 24 horas, os números do governo indicam que mais de 50.000 pessoas cruzaram a fronteira em busca de refúgio, das quais cerca de 20% devem permanecer na Romênia, em vez de transitar para outros países europeus. Roma (NEV), 21 de março de 2022 – Representantes do Conselho Ecumênico das Igrejas (CEC) em visita aos lugares fronteiriços com a guerra na Ucrânia, para onde centenas de milhares de refugiados emigraram nas últimas semanas. A delegação visitou centros de refugiados em Budapeste nos últimos dias, depois realizou uma mesa redonda com parceiros ecumênicos na Hungria. O grupo também viajou para as fronteiras da Ucrânia e da Romênia para ver o trabalho da Ajuda Inter-Church da Hungria em apoio aos refugiados. A delegação foi também recebida por Sua Eminência Padre Justino, Bispo de Maramuresh e Satmar da Igreja Ortodoxa Romena, que explicou como a Igreja Ortodoxa Romena é "muito dinâmica e ativamente envolvida na recepção cristã e no cuidado de todos aqueles que cruzam a fronteira com a Romênia, quer permaneçam quer se desloquem livremente no caminho para os países ocidentais”. Refugiados ucranianos recebem remédios, comida, roupas, abrigo ou orientação para destinos. 17 de março de 2022, Milișăuți, Romênia: um centro infantil foi reaproveitado para receber refugiados da Ucrânia, em uma igreja em Milișăuți. O Mosteiro Petrova, por exemplo, na Roménia acolhe mais de 50 mães com filhos por tempo indeterminado, proporcionando alojamento, alimentação e outros cuidados. Através da colaboração com autoridades e instituições educacionais, as crianças também têm a oportunidade de frequentar a escola e aprender em sua língua nativa nas comunidades ucranianas da região. O Vice-Secretário Geral do Conselho Ecumênico, Isabel Apawo Phiri, disse que o encontro com refugiados e aqueles que os ajudam foi “uma mensagem clara do impacto assustador e crescente do conflito na Ucrânia sobre os civis. As mulheres, homens e crianças da Ucrânia estão sofrendo com o que parecem ser constantes ataques indiscriminados. Hospitais, escolas, creches e áreas residenciais: refugiados estão emergindo desses espaços com histórias diretas de traumas profundos”. Pedro Prova, diretor da Comissão do Conselho Mundial de Igrejas para assuntos internacionais, disse que, “como o direito internacional humanitário continua a ser desrespeitado, os civis estão sofrendo o peso do conflito. É profundamente perturbador testemunhar os efeitos do que podem ser considerados crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Grupos de ajuda humanitária e igrejas estão unidos para pedir um cessar-fogo e a retomada das negociações para acabar com este trágico conflito". ...

Ler artigo
O Papa Emérito Bento XVI deixa um legado de diálogo ecumênico

O Papa Emérito Bento XVI deixa um legado de diálogo ecumênico

Foto Observatório Romano Roma (NEV/CEC), 31 de dezembro de 2022 – “Em nome do Conselho Mundial de Igrejas, expresso nossas mais profundas condolências pelo falecimento do falecido Papa Emérito Bento XVI. Ele foi o primeiro papa a vir de um país, a Alemanha, que vê protestantes e católicos quase em igual medida, bem como um país no centro da Reforma do século XVI. Com estas palavras o Secretário Geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Pe. Ioan Saucaexpressou as condolências do corpo mundial, após o anúncio pela Santa Sé da morte do Papa Emérito Bento XVI. Bento XVI também foi o primeiro papa a servir em um comitê do Conselho Mundial de Igrejas, entre os membros católicos da Comissão de Fé e Constituição. Pouco depois de Bento XVI se tornar papa, as queixas de longa data que impediam as reuniões da Comissão de Diálogo Católico-Ortodoxo foram superadas. Em 2007, a Comissão elaborou a "Declaração de Ravenna", como um primeiro passo para superar a velha divergência sobre o papel do papado. Curiosamente, várias figuras-chave neste processo foram todos membros da Comissão de Fé e Constituição do CMI. “Benedetto demonstrou coragem em sua liderança, em seus escritos e em suas declarações”, disse Sauca. E acrescentou: “No movimento ecumênico unitário, ele afirmou constantemente o profundo envolvimento da Igreja Católica Romana no ecumenismo como irreversível, especialmente em responder às questões que envolvem a Igreja no mundo”. Também o moderador do Comitê Central do CMI, o bispo Heinrich Bedford-Strohm, divulgou um comunicado: “Compartilho minhas mais profundas condolências pela morte do Papa Emérito Bento XVI, com o Papa Francisco e toda a sua Igreja. Quando pensava na sua vida, muitas vezes me lembrava das palavras que pronunciou no seu 85º aniversário, 16 de abril de 2012, na Capela Paulina do Vaticano. Juntamente com uma delegação bávara, tive o privilégio de participar deste pequeno serviço muito pessoal”. Naquela ocasião, o papa emérito disse: “Agora estou enfrentando o último capítulo da minha vida e não sei o que me espera. Eu sei, porém, que a luz de Deus existe, que ele ressuscitou, que sua luz é mais forte que qualquer escuridão, que a bondade de Deus é mais forte que qualquer mal neste mundo”. Bedford-Strohm concluiu: “Benedict provavelmente não teria pensado em viver mais dez anos completos. No entanto, estou certo de que agora ele experimenta a verdade dessas palavras ditas então”. Para saber mais: CMI expressa respeito pela renúncia do Papa Bento (comunicado de imprensa CEC 11 de fevereiro de 2013) As contribuições do Papa Bento XVI para a unidade cristã (comunicado de imprensa do WCE em 27 de fevereiro de 2013) O Papa Bento XVI e o líder do CMI reafirmam objetivos comuns para a unidade visível da Igreja (comunicado de imprensa do CEC em 4 de dezembro de 2010) O secretário-geral do CMI expressa confiança no progresso da unidade cristã (comunicado de imprensa do CMI em 25 de janeiro de 2008) Bento XVI: Kobia reza por um renovado compromisso de abertura ecumênica e um diálogo de conversão (comunicado de imprensa do CEC de 20 de abril de 2005) Relatório da seção de Joseph Ratzinger à Comissão de Fé e Constituição do CMI em Louvain - 1971 ...

Ler artigo
Teologia.  O fundamentalismo como desafio ecumênico

Teologia. O fundamentalismo como desafio ecumênico

Roma (NEV), 2 de julho de 2018 – O 52º Seminário Ecumênico Internacional organizado pelo Instituto de Pesquisa Ecumênica das Igrejas Luteranas começa hoje em Estrasburgo, França. O título desta edição, que se encerra em 9 de julho, é "O fundamentalismo como desafio ecumênico" e contará com a participação de teólogos de várias igrejas e nacionalidades. Será abordado o tema do fundamentalismo na Ortodoxia, Catolicismo e Protestantismo. “A única coisa que todos os fundamentalismos têm em comum é a pretensão de interpretar autenticamente as Sagradas Escrituras”, lê-se na apresentação do encontro, que pretende ser um momento de reflexão e discussão a partir de algumas questões em aberto. O que é uma abordagem fundamentalista da escrita, distinta de outras abordagens exegéticas? O que torna essa abordagem tão atraente para aqueles que a defendem e quais são suas limitações? E novamente: em que contextos esse termo é usado? Pode ser descrito como um fenômeno sociológico? Ou é um rótulo polêmico aplicado ao ponto de vista de um oponente? Quem são os líderes fundamentalistas? Parte do trabalho se concentrará no fundamentalismo cristão nos contextos geográficos americano, africano, asiático e europeu. O Instituto Ecumênico de Pesquisa é afiliado à Federação Luterana Mundial e reúne teólogos e professores de todo o mundo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.