A igreja valdense de Florença ao lado dos trabalhadores Gkn

A igreja valdense de Florença ao lado dos trabalhadores Gkn

Roma (NEV), 12 de dezembro de 2022 – “A vocação e a defesa dos trabalhadores e a sua dignidade coincidem”. Para Francisco Marfe, pastor da Igreja Valdense de Florença, que sediou uma votação no referendo convocado pelos operários no fim de semana, apoio à luta dos trabalhadores do ex-Gkn “não é notícia”: “O contrário seria estranho – declara -, se não houvesse estávamos manifestados do lado desta gente” que há mais de um ano e meio pede direitos e trabalho, depois da chegada dos famosos emails de despedimento.

Desde o início do protesto, a igreja evangélica local se posicionou ao lado dos trabalhadores. Uma escolha natural, portanto, “em continuidade e no espírito do documento do Sínodo sobre questões trabalhistas, aprovado em agosto passado na Torre Pellice (aqui o texto publicado por chiesavaldese.org), entre outras coisas”, acrescenta o pároco.

A decisão de sediar também uma cadeira no referendo que os trabalhadores promoveram, dirigido aos florenenses, é apenas o último passo de um processo iniciado meses atrás, perto das 422 demissões, quando “muitos evangélicos participaram da grande manifestação” lançada pelos trabalhadores. Era 18 de setembro de 2021 e mais de 15 mil desfilaram em Florença, “Vamos nos levantar” lia-se em seus estandartes. Um caminho de solidariedade, aquele desejado pela igreja evangélica florentina, muito concreto e participativo: “A primeira coisa que fizemos como igreja, uma vez que decidimos como Consistório nos comprometer, foi pedir uma reunião na fábrica operária Gkn Coletivo, para entender como e a quem poderíamos ajudar”, explica Patrícia Barbanotti, membro do consistório da igreja valdense da capital toscana. E os trabalhadores responderam a partir das necessidades do povo, indicando não a si mesmos, mas outros colegas de indústrias afins, afetados pela falta de salário. “Duas famílias, um núcleo paquistanês, que ficaram durante a noite sem rendimentos”, a quem a igreja protestante florentina pagou a renda da casa. “Optamos por destinar recursos da Diaconia Comunitária para ajuda concreta no apoio a essas famílias. Ao mesmo tempo temos dedicado outros recursos a várias formas de apoio, pagando contas e serviços públicos, cobrindo outras despesas, garantindo alimentos.

E depois da ajuda concreta, o diálogo continuou. “Realizamos uma reunião sobre questões trabalhistas em março passado, convidando os trabalhadores a falar”, continua Barbanotti. Até hoje, com a adesão ao referendo, uma consulta popular autogerida e a instalação de uma mesa de voto dentro das dependências da igreja. “Nos encheu de alegria poder contribuir também com este momento, que é importante do ponto de vista democrático e de conscientização dos cidadãos para a disputa, foi uma experiência positiva e mais de cinquenta pessoas votaram”, acrescenta o representante do Consistório.

Qual o significado desta iniciativa? “Um impacto de testemunho – conclui Barbanotti -. Queremos dizer aos trabalhadores que estamos aqui e estaremos lá”. A luta continua.


Última atualização (13/12 às 13) sobre os resultados da consulta, Checchino Antonini no pop-off


Para saber mais:

rádio de ondas de choquesobre o referendo convocado pelos trabalhadores

O posterDe Ricardo Chiari“Em Florença, votamos no ex-Gkn”

o postoDe Ângelo Mastrandrea“E o Gkn?”

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Sobre amores protestantes – Nev

Sobre amores protestantes – Nev

Roma (NEV), 14 de fevereiro de 2020 – “Ao meu amável senhor”, escreveu a ela. Ele fora frade, ela freira, antes de casar. Estamos nas primeiras décadas de 1500 e a igualdade de gênero ainda estava por vir. E apenas em 14 de fevereiro de 1546, quatro dias antes de morrer, Martinho Lutero dirigido a sua esposa, Katharina von Bora, uma ex-freira cisterciense educada com quem se casou em 1525, a última de uma longa série de cartas. Restam 21 e a correspondência virou livro, editado por Reinhard Dithmar, editado por Claudiana. A primeira dessas cartas de Lutero para sua esposa data de 4 de outubro de 1529 e começa com o relato das conversações de Marburg. O livro com as cartas entre os dois reformadores, resenhadas entre outras coisas pelo escritor e jornalista Natália Aspesi, mostra um Lutero íntimo e privado e apresenta a relação entre um marido e uma esposa muito amada e estimada, inclusive no campo teológico. Um ano depois, em 1547, outra figura feminina de primeira importância para o protestantismo morreu em Roma, Vitória Colonna, marquesa de Pescara, pertencente à mais famosa e controversa corrente de reforma em curso na Cúria Romana. Segundo muitos estudiosos, Vittoria Colonna, poetisa e nobre, teria influenciado a religiosidade e o processo criativo de Michelangelo na década de 1540. A Pietà de Vittoria Colonna, desenho a giz sobre papel de Michelangelo Buonarroti, datável de cerca de 1546 e preservado no Museu Isabella Stewart Gardner em Boston Entre a mulher, uma das figuras mais influentes do evangelismo italiano, e o artista, houve também por muitos anos uma estreita correspondência epistolar, outras cartas, portanto, das quais duas cartas de Michelangelo e cinco da marquesa permanecem até hoje. “Um homem em uma mulher, de fato um deus“isso Michelangelo viu nela, como escreveu em suas rimas. Também neste caso, subverter a identidade de gênero, subverter masculino e feminino, para atribuir respeito, honra e estima a uma mulher que não representa o amor romântico, mas sim uma referência espiritual, intelectual e cultural. Provavelmente haveria muito mais "histórias" de diferentes "amores" a serem celebradas hoje, 14 de fevereiro. Para redescobrir, em vez ou antes dos chocolates, também o sentido primitivo de uma festa que deriva da lupercali, antigos ritos pagãos dedicados ao deus da fertilidade Luperco. Em sua homenagem, explica Treccani, as comemorações foram realizadas no dia 15 de fevereiro festas lupercais de purificação: primeiro as cabras e um cachorro foram imolados, depois dois jovens Luperci, com as testas molhadas com o sangue das cabras e vestidos com as peles dos animais sacrificados, correram pelo Monte Palatino atingindo as mulheres com tiras do mesmo pele. Era então o Dia dos Namorados: dias ligados à natureza, ao despertar da primavera, aos ritos de fertilidade dos campos e das pessoas. [BB] ...

Ler artigo
XXIII Tertio Millennio Film.  Prêmio para “Um tradutor”

XXIII Tertio Millennio Film. Prêmio para “Um tradutor”

Roma (NEV), 23 de dezembro de 2019 – O filme de Rodrigo e Sebastián Barriuso "Un traductor" venceu a XXIII edição do Tertio Millennio Film Fest, o festival do diálogo inter-religioso. O filme é inspirado na história real do pai do diretor. O Júri Inter-religioso, presidido por Fariborz Kamkariera formado por representantes de várias religiões, entre eles o pastor valdense Marco Fornerone. O Festival, este ano intitulado “Eu sou você é. Reconhecendo-se como diferentes”, realizou-se em Roma de 10 a 13 de dezembro. O Júri atribuiu ainda uma menção honrosa a “As Andorinhas de Cabul” De Zabou Breitman E Eléa Gobé Mévellec. O Júri Inter-religioso para curtas-metragens, presidido por Phaim Bhuiyanem vez disso, concedeu o primeiro prêmio a “milady” De Júlia Tivelli E Flávia Scardinique conquistou também o Prémio Juventude, atribuído pelas escolas envolvidas no projeto "Nati nel Tertio Millennio" criado com o contributo do MIUR e do MiBACT, com curadoria de Ângela D'Arrigo. Finalmente, pela primeira vez, o Prêmio Outfield, um reconhecimento que reúne os mais importantes festivais nacionais de cinema e espiritualidade (Tertio Millennio Film Fest, Religion Today de Trento e Popoli e Religioni de Terni). O Prémio Fuoricampo é atribuído ao filme italiano do ano que melhor desenvolve a temática do sagrado, do divino, do transcendente e do invisível. Ganhou esta primeira edição”senhor demônio” De Pupi Avati. O festival contou com a presença de mais de dois mil espectadores. Entre os destaques: o diálogo em memória de Robert Bresson com a viúva Mylene Bresson E João Amelio; a reunião de 13 de dezembro entre Giuseppe Tornatoreprimeiro vencedor do Prêmio Bresson, e o cardeal Gianfranco Ravasi, Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura e fundador do Pátio dos Gentios; o encontro com na escavaçãojornalista sob tutela da Avvenire, que apresentou um dos nove filmes em competição, "The Remains", um documentário sobre migrantes de Natalie Borgers. “A chamada emergência migratória é a poeira que você esconde debaixo do tapete para não ver a enormidade do tráfico ilícito – disse Scavo, comentando a investigação -. A Itália é a nação que mais exporta bombas para a África. Embora não tenhamos uma percepção direta de quanto a guerra rende, há controvérsias sobre por que os migrantes chegam”. FORMA. Um tradutor. Canadá, Cuba – 2018 Após o desastre nuclear de Chernobyl, a Ucrânia pede ajuda ao mundo. Entre 1990 e 2011, chegaram a Cuba cerca de 25.000 crianças, muitas delas com câncer, deformações, problemas musculares e dermatológicos, altos níveis de estresse pós-traumático. Malin, professor de literatura russa em Havana, é designado para atuar como intérprete entre os médicos cubanos e as crianças. Forçado a lidar com a dor, Malin fica cada vez mais deprimido, até conhecer uma criança especial. Enquanto isso, o Muro de Berlim cai e Cuba entra em uma profunda crise econômica. O Tertio Millennio Film Fest é organizado pela Fundação Ente dello Spettacolo com o patrocínio do Pontifício Conselho para a Cultura, do Dicastério para a Comunicação da Santa Sé, do Escritório Nacional para as Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Italiana (CEI), do Departamento de crescimento cultural do Município de Roma e da Região do Lácio, sob a direção artística de Marina Sanna (vice-diretor da Rivista del Cinematografo) e do Gianluca Arnone (coordenador editorial da Fondazione Ente dello Spettacolo). ...

Ler artigo
Você não está sozinho!  Evangelização e direitos das mulheres

Você não está sozinho! Evangelização e direitos das mulheres

Roma (NEV), 3 de maio de 2023 – Os direitos das mulheres estão no centro da Semana de Evangelização 2023, organizada pela Comissão para a Evangelização das Igrejas Metodistas e Valdenses e pelo Departamento de Evangelização da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). O evento tem como slogan "Você não está sozinho!” e pretende conscientizar sobre a situação de opressão e violência que muitas mulheres vivem no mundo, inclusive na Itália. “Este ano pensamos em propor uma evangelização “corporificada”, concreta e específica, na qual o anúncio do evangelho libertador se liga a realidades concretas”, explicou. Mário Cignoni, coordenador da Comissão. Isto porque, como afirma o flyer criado para a ocasião, se “o cristianismo é um caminho de liberdade e libertação em Cristo”, não é apenas numa “perspetiva distante no tempo que remete para outra dimensão: Cristo liberta-nos aqui e agora com a sua Palavra”. A Semana tem um evento principal associado que acontecerá em verona, sábado, 6 de maio. Estão previstos dois encontros ao ar livre, na Ponte Pietra e uma terceira final às 16h00 na templo valdense na via Duomo 4, na esquina com a via Pigna. Uma brochura produzida pela Comissão de Evangelização O programa inclui a apresentação de algumas figuras femininas da Bíblia, começando pelas "mulheres da genealogia de Jesus, ou seja, as 'mulheres que conduzem a Cristo'", para depois se debruçar sobre a situação da mulher em algumas zonas do mundo, como Irã e Afeganistão, sem esquecer a Itália onde "ainda há um longo caminho a percorrer em termos de igualdade efetiva entre homens e mulheres", voltou a explicar Cignoni. O folheto afirma o direito das mulheres em todos os lugares “à autodeterminação, a viver livremente seguindo suas escolhas políticas e religiosas, sua orientação sexual e o estilo de vida que preferirem. Afirmamos seu direito à educação e ao entretenimento, de trabalhar e ser independente, de amar e ser amado, seu direito de ser feliz”. A reunião do sábado, dia 6, faz parte de um fim de semana cheio de eventos para a igreja valdense de Verona que inclui, de 5 a 7 de maio, a exposição “A Palavra Escrita”, exposição da Bíblia organizada pela Sociedade Bíblica da Itália (SBI); Sexta-feira 5, "... dizendo o Nome de Deus", leituras dos "Diários" de Etty Hillesum, editados por Lorenzo Gobbi e Mario Cignoni, com música original de Gianmaria Rizzardi executado pelo autor; Domingo, 7, “A polifonia do povo de Deus, concerto do Coro Ecumênico de Verona. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.