Em memória de Lidia Pöet, primeira advogada na Itália

Em memória de Lidia Pöet, primeira advogada na Itália

Fotos do blog O centro

Roma (NEV), 28 de julho de 2021 – A primeira mulher advogada na Itália foi uma valdense, Lidia Pöet.

Hoje, em Turim, será nomeado um parque infantil em sua memória, dentro dos jardins “Nicola Grosa”, localizados entre Corso Inglese e Corso Vittorio Emanuele II e via Falcone e via Cavalli.

Prefeito estará presente na solenidade Chiara AppendinoVice-presidente adjunto da Câmara Municipal Enzo Lavoltao presidente do Distrito 3, Frances Troiseo presidente do Conselho da Ordem dos Advogados de Turim, Simona Grabi.

“Lidia Poët foi a primeira mulher inscrita na ordem profissional dos advogados – lê-se no site da administração da capital piemontesa -. Tendo obtido o seu diploma com nota máxima em 17 de junho de 1881, com uma tese sobre o direito de voto das mulheres, tendo concluído o estágio e aprovado o exame de qualificação para a advocacia, Lidia Poët em 1883 obteve o registro na Ordem dos Advogados e Procuradores de Turim . Registro cancelado por sentença da Corte de Apelação de Turim, confirmada pela Corte de Cassação e, definitivamente, na Corte de Apelação. Por fim, o advogado Poët só conseguirá o registro na Ordem em 1920, aos 65 anos, após a aprovação no Parlamento da Lei Sacchi, que autorizava oficialmente as mulheres a ingressarem em cargos públicos”.

Aqui é possível ouvir o episódio do ciclo “Vidas que não são tuas – Espíritos livres”, elaborado pela revista e centro de estudos Confronti para a Rádio Rai Tre, editado pela Marzia Coronatique conta a história da valdense Lidia Pöet.

“A primeira aluna a cruzar o limiar de uma universidade de direito italiana e contra a opinião dos que pensam bem sempre exerceu e colocou suas habilidades jurídicas à disposição dos mais fracos – lê-se na apresentação do podcast Confronti -. Durante sua vida agitada, Pöet cruzou caminhos César Lombroso, Victor Hugo, Paul Verlain, Guy del Maupassant, Gianni Agnelli…Cada uma delas ficou maravilhada com o seu profissionalismo e brilhantismo, numa época em que o fórum era frequentado exclusivamente por homens”.


Lídia Poët, de família valdense, nasceu em Traverse, povoado de Perrero em Val Germanasca (TO), em 1855. Formou-se professora em 1878 e matriculou-se, contra a vontade do pai, na Faculdade de Direito da Universidade de Turim. Formou-se em 1881 com uma tese sobre a condição da mulher na sociedade, com especial atenção à questão do voto feminino. Ela é a primeira mulher na Itália a se formar em direito. Ele passa nos exames para se tornar procurador-geral e se inscreve para ser admitido na Ordem dos Advogados. A Ordem dos Advogados de Turim se divide, mas permite que Poët se registre. Decisão impugnada pelo procurador do Rei no Tribunal da Relação, que, invocando razões legais devido à falta de regras sobre o exercício da profissão pelo sexo feminino, bloqueia tudo. O recurso de Poët foi indeferido, mas ela exerceu a profissão, mais ou menos informalmente, em Pinerolo com o irmão advogado, dedicando-se sobretudo à defesa dos menores e nunca deixando de travar as batalhas pela emancipação feminina. Os anos passam, a Grande Guerra estoura, os homens deixam suas casas vazias e os deveres públicos descobertos. Para as mulheres, esta trágica circunstância torna-se uma oportunidade para afirmar a sua centralidade na sociedade e, em 1919, a lei que abre as carreiras profissionais às mulheres fotografa uma realidade já em curso. Em 1920, Lidia Poët, agora com sessenta e quatro anos, tornou-se a primeira advogada da Itália.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Luto.  Faleceu o pastor metodista Sérgio Aquilante

Luto. Faleceu o pastor metodista Sérgio Aquilante

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Aos 82 anos, o pároco emérito Sergio Aquilante faleceu pacificamente durante o sono no dia 19 de outubro. Ele foi um expoente autorizado do metodismo italiano e autor de vários livros. Durante o seu longo ministério foi pároco em várias igrejas - valdenses e metodistas - na Ligúria, Abruzzo, Emilia, Campania e Sicília. Ex-presidente da Conferência da Igreja Metodista da Itália e do Comitê Permanente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas da Itália (OPCEMI), dirigiu o Centro Ecumene de Velletri (RM), o Centro Social de Villa San Sebastiano (AQ) e o Centro Diaconal "La Noce" em Palermo. Também presidiu o Centro de Estudos do Socialismo Cristão e foi membro do Comitê Executivo do Conselho Mundial Metodista, do Conselho da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI) e, dentro dele, secretário do Serviço Social. Entre os títulos publicados com a editora Claudiana: “Por um socialismo cristão: testemunhos de um observatório do sul” (1991), “Em busca do bem da cidade: memórias de um pastor metodista” (2011). O atual presidente da FCEI, pastor Massimo Aquilante, é filho de Sergio Aquilante. ...

Ler artigo
Quinta-feira, 14 de maio, a oração anti-covid mundial

Quinta-feira, 14 de maio, a oração anti-covid mundial

Foto Albin Hillert - CEC 2019 Roma (NEV), 8 de maio de 2020 – O secretário geral interino do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), padre Ioan Sauca, convida todas as igrejas-membro a observar o dia global de oração na quinta-feira, 14 de maio. Esta é uma iniciativa conjunta do Comitê Superior para a Fraternidade Humana, do qual o CMI faz parte, para pedir a Deus "orações e súplicas" para acabar com a pandemia do COVID-19. O apelo é dirigido a todos os líderes religiosos e povos de todo o mundo. “Muitas pessoas estão experimentando medo e incerteza, além de trauma, separação, isolamento e até morte em suas famílias ou em suas comunidades eclesiais”, disse Sauca. “Enquanto continuamos passando por esta crise global de saúde, a unidade do mundo através da oração reflete nossa disposição de cuidar uns dos outros – continuou o secretário interino -. As igrejas membros do CMI podem, cada uma de acordo com sua tradição e onde se encontram, apoiar umas às outras, cuidar das necessidades dos outros e fortalecer nossa única família humana”. Na chamada mundial de orações, o comitê disse: “Todos, onde quer que estejam e de acordo com os ensinamentos de sua religião ou fé, devem implorar a Deus que nos livre e ao mundo inteiro desta pandemia, que nos salve desta adversidade”. A convocação do comitê também destaca a importância de pedir a Deus “que inspire os cientistas a encontrar uma cura que possa reverter esta doença e salvar o mundo inteiro das repercussões sanitárias, econômicas e humanas desta grave pandemia”. A comissão também sugere dedicar um dia “aos jejuns, às obras de misericórdia, às orações e às súplicas, pelo bem de toda a humanidade”. O Comitê Superior para a Fraternidade Humana foi criado no ano passado como uma resposta concreta ao Documento de mesmo nome assinado em Abu Dhabi em fevereiro de 2019 por Papa Francisco e o Grande Imam, Ahmad Al-Tayyebna conclusão do fórum inter-religioso no Memorial do Fundador, que também contou com a presença do secretário cessante do CMI, pároco Olav Fykse Tveit. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.