Turismo, as pensões valdenses reabrem

Turismo, as pensões valdenses reabrem

A partir de amanhã, 21 de maio, a Casa Cares também estará operacional em Reggello, na província de Florença, enquanto em alguns dias será a vez da Casa Valdese em Rio Marina, na ilha de Elba. A Foresteria Valdese de Torre Pellice, no Valli Valdesi, também reabrirá depois. Finalmente, a Waldensian Foresteria em Florença, a Waldensian House em Roma e a Waldensian Foresteria em Veneza estão (já) abertas.

As estruturas valdenses, oito casas valdenses espalhadas pela Itália e um albergue, todas administradas pela Diaconia Valdense, são instalações de hospedagem turística, simples, ao alcance de famílias e estudantes, com preços bastante acessíveis – e cuja renda contribui para a atividade solidária da Diaconia – , mas também locais de convivência e cultura, onde acontecem atividades recreativas e são criados espaços para associações. Para todas as informações e para reservar uma estadia, o site de referência é

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Sobre amores protestantes – Nev

Sobre amores protestantes – Nev

Roma (NEV), 14 de fevereiro de 2020 – “Ao meu amável senhor”, escreveu a ela. Ele fora frade, ela freira, antes de casar. Estamos nas primeiras décadas de 1500 e a igualdade de gênero ainda estava por vir. E apenas em 14 de fevereiro de 1546, quatro dias antes de morrer, Martinho Lutero dirigido a sua esposa, Katharina von Bora, uma ex-freira cisterciense educada com quem se casou em 1525, a última de uma longa série de cartas. Restam 21 e a correspondência virou livro, editado por Reinhard Dithmar, editado por Claudiana. A primeira dessas cartas de Lutero para sua esposa data de 4 de outubro de 1529 e começa com o relato das conversações de Marburg. O livro com as cartas entre os dois reformadores, resenhadas entre outras coisas pelo escritor e jornalista Natália Aspesi, mostra um Lutero íntimo e privado e apresenta a relação entre um marido e uma esposa muito amada e estimada, inclusive no campo teológico. Um ano depois, em 1547, outra figura feminina de primeira importância para o protestantismo morreu em Roma, Vitória Colonna, marquesa de Pescara, pertencente à mais famosa e controversa corrente de reforma em curso na Cúria Romana. Segundo muitos estudiosos, Vittoria Colonna, poetisa e nobre, teria influenciado a religiosidade e o processo criativo de Michelangelo na década de 1540. A Pietà de Vittoria Colonna, desenho a giz sobre papel de Michelangelo Buonarroti, datável de cerca de 1546 e preservado no Museu Isabella Stewart Gardner em Boston Entre a mulher, uma das figuras mais influentes do evangelismo italiano, e o artista, houve também por muitos anos uma estreita correspondência epistolar, outras cartas, portanto, das quais duas cartas de Michelangelo e cinco da marquesa permanecem até hoje. “Um homem em uma mulher, de fato um deus“isso Michelangelo viu nela, como escreveu em suas rimas. Também neste caso, subverter a identidade de gênero, subverter masculino e feminino, para atribuir respeito, honra e estima a uma mulher que não representa o amor romântico, mas sim uma referência espiritual, intelectual e cultural. Provavelmente haveria muito mais "histórias" de diferentes "amores" a serem celebradas hoje, 14 de fevereiro. Para redescobrir, em vez ou antes dos chocolates, também o sentido primitivo de uma festa que deriva da lupercali, antigos ritos pagãos dedicados ao deus da fertilidade Luperco. Em sua homenagem, explica Treccani, as comemorações foram realizadas no dia 15 de fevereiro festas lupercais de purificação: primeiro as cabras e um cachorro foram imolados, depois dois jovens Luperci, com as testas molhadas com o sangue das cabras e vestidos com as peles dos animais sacrificados, correram pelo Monte Palatino atingindo as mulheres com tiras do mesmo pele. Era então o Dia dos Namorados: dias ligados à natureza, ao despertar da primavera, aos ritos de fertilidade dos campos e das pessoas. [BB] ...

Ler artigo
Ecumenismo de 1920 a 2020. A esperança da comunhão

Ecumenismo de 1920 a 2020. A esperança da comunhão

Nikos Kosmidis, Ut unum sint, aquarela 23,5 × 23,5 cm, 2020. Feito especialmente para a Conferência CEC/LOCEOC “A esperança da comunhão: de 1920 a 2020” Roma (NEV), 16 de dezembro de 2020 - A conferência online "A esperança da comunhão: de 1920 a 2020" acontece hoje e amanhã. Organizado pela Conferência das Igrejas Européias (KEK) juntamente com o Centro de Louvain para o Cristianismo Oriental e Oriental (LOCEOC), ele receberá ilustres convidados da Europa e da América do Norte. O objetivo do encontro é centrar-se nos dois textos ecumênicos fundamentais de 1920. A Encíclica do Patriarcado Ortodoxo às Igrejas de Cristo em toda parte, escrita em 1920 pelo Sínodo da Igreja de Constantinopla, e o Apelo a todo o povo cristão da Conferência de Bispos Anglicanos de Lambeth. “A conferência explorará as expectativas de unidade nesses textos. Examinará sua relação com os desenvolvimentos ecumênicos subseqüentes. Por fim, abordará a questão do que significa a esperança da comunhão para as relações entre as Igrejas hoje”, lê-se na apresentação. Entre os destaques, além da análise dos textos, também uma sessão (amanhã à tarde) dedicada a “Sinais de esperança, modelos de unidade: a paisagem ecumênica hoje”. Ir para PROGRAMA. O LOCEOC O LOCEOC é formado por professores da Faculdade de Teologia e Estudos da Religião com experiência no campo do Cristianismo Oriental. Com sede na Universidade Católica de Louvain (Louven, Bélgica), tem entre seus objetivos a promoção do estudo do cristianismo oriental a partir de uma perspectiva teológica, histórica e social. Está, portanto, ligado a uma antiga tradição de estudos sobre o cristianismo siríaco, copta e armênio, portanto das tradições ortodoxa e antigo-oriental. CEC O CEC reúne 114 igrejas de tradição ortodoxa, protestante e anglicana de toda a Europa. Entre seus objetivos, a promoção da paz e o trabalho pela unidade da Igreja. Coordena uma rede de Conselhos Nacionais de Igrejas para discussão e intercâmbio em nível nacional e regional, sobre temas como diaconia, migração, direitos dos refugiados, mulheres e jovens nas igrejas, sustentabilidade social e ambiental. A Conferência das Igrejas Europeias nasceu no contexto de um esforço de paz em 1959, para construir pontes entre o Oriente e o Ocidente durante a Guerra Fria. ...

Ler artigo
Para a Semana da Liberdade

Para a Semana da Liberdade

Roma (NEV), 7 de fevereiro de 2023 – Aproxima-se a Semana da Liberdade promovida pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Dedicada aos temas dos direitos e da laicidade, a Semana decorre em torno do 17 de fevereiro, data em que ocorre o aniversário da concessão dos direitos civis aos valdenses, em decorrência da Carta-Patente expedida pelo rei Carlo Alberto, em 1848. Algumas semanas depois, em 29 de março de 1848, os mesmos direitos foram concedidos aos judeus. Até esta data, os valdenses eram proibidos de frequentar escolas públicas e de exercer profissões liberais (exceto notário e médico, mas exclusivamente para outros valdenses). Fora de seu "gueto alpino", os valdenses não podiam nem mesmo possuir imóveis. O dia 17 de fevereiro não é apenas um dia de comemoração para os valdenses e para todos os protestantes, mas também uma data simbólica. Na verdade, representa o primeiro passo da liberdade religiosa na Itália. EU'Assembleia Geral da FCEIentre outras coisas, relançou em 2018 a proposta de estabelecer o dia 17 de fevereiro como o Dia Nacional da Liberdade de Consciência, Pensamento e Religião. Inúmeras iniciativas estão previstas durante a Semana da Liberdade, presencial e online. Haverá também as tradicionais fogueiras, que são acesas nos vales valdenses e em outras localidades italianas onde os valdenses estão presentes. Dentre os principais eventos, destacamos a conferência "Pluralismo religioso, fundamentalismos, democraciasprogramado para sexta-feira 17 de fevereiro e sábado 18 de fevereiro em Roma (respectivamente no Salão da Igreja Valdense na via Marianna Dionigi e na Biblioteca Jurídica Central do Palácio da Justiça). O evento de dois dias é promovido pela Fundação Lelio e Lisli Basso, o Centro de Estudos e Revista Confronti, a Biblioteca Jurídica Central, a revista Questione Giustizia e a Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. Primeiro atendimento, por ordem de horário, aquele agendado pelo Fundação do Centro Cultural Valdense da Torre Pellice (Turim). Aqui estão os detalhes: FACEBOOK / YOUTUBE – quarta-feira 8, no contexto de “A noite dos incêndios valdenses. noite de direitos“reunião sobre o tema "A noite dos fogos, a conquista das Liberdades“. Com Stephen Tallia, Bruna Peyrot E David Rosso. Às 17h30 no canal do YouTube e na página do Facebook da Fundação Centro Cultural Valdense. Para saber mais: Vá para a guia NEV. 17 DE FEVEREIRO PARA OS VALDENSES Para saber os demais agendamentos para o Dia da Liberdade 2023: SIGA O LOGO EM Agenda evangélica e ecumênica (nev.it) ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.