A FCEI adere à manifestação de 5 de novembro

A FCEI adere à manifestação de 5 de novembro

A bandeira da paz no Festival dos Direitos Humanos – imagem de arquivo festivaldirittiumani.it

Roma (NEV), 3 de novembro de 2022 – A Federação das Igrejas Evangélicas da Itália aceitou o convite de sua Assembleia Geral (29 de outubro a 1º de novembro de 2022) “para participar com discernimento em iniciativas de apoio a um processo de paz justo na Ucrânia , denunciando a responsabilidade da Federação Russa pela agressão a um país soberano como a Ucrânia; com este perfil … para se juntar à iminente manifestação pela paz em 5 de novembro.”

Os evangélicos que desejarem participar juntos da procissão com o estandarte da Federação podem se reunir às 12h30 em frente à Igreja Metodista na via XX Settembre.

A Diaconia Valdense também comunicou esta manhã, com nota, sua adesão à manifestação de 5 de novembro em Roma: “A Diaconia Valdense – lê-se no comunicado -, desde fevereiro de 2022 ao lado das crianças, mulheres, famílias ucranianas vítimas da invasão, experiências todos os dias, mesmo apoiando os que fogem de outras guerras esquecidas, que a violência leva à violência, que o uso das armas multiplica as desigualdades e que não há paz sem justiça; partilha a moção da Federação das Igrejas Evangélicas em Itália do passado 1 de Novembro e adere à manifestação de 5 de Novembro em Roma (esperando que o mais rapidamente possível as armas possam ser silenciadas e uma paz justa e duradoura possa ser construída, na Ucrânia como em outro lugar”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Não apenas orações.  Aquela “estranha” Semana da Unidade dos Cristãos

Não apenas orações. Aquela “estranha” Semana da Unidade dos Cristãos

Foto de Ismael Paramo - Unsplash Roma (NEV), 18 de janeiro de 2023 – Começa hoje a habitual Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Convocado este ano pelo Conselho de Igrejas de Minnesota, com sede nos Estados Unidos, o SPUC envolve igrejas cristãs em todo o mundo até 25 de janeiro. O versículo da Bíblia escolhido para 2023 é retirado do livro de Isaías, capítulo 1 versículo 17: “Aprenda a fazer o bem; buscar a justiça". Igrejas cristãs de todas as denominações, católicas, protestantes, ortodoxas, anglicanas… se encontram e trocam púlpitos. Uma oportunidade de entrar pela primeira vez em um templo, uma catedral, um mosteiro, uma igreja greco-ortodoxa ou uma paróquia católico-bizantina, enfim, um local de culto de uma igreja diferente, uma igreja "irmã". É uma semana em que falamos das injustiças, do racismo e dos conflitos de ontem e de hoje. Desde o assassinato de George Floyd à violência sofrida pelos nativos americanos, até a guerra na Ucrânia e em muitas outras partes do mundo. Também falaremos sobre como Deus, na Bíblia, se declara cansado de orações e sacrifícios hipócritas. O presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Daniele Garrone, no vídeo de abertura da Semana, retomou o versículo de Isaías e comentou: “O povo é censurado por associar o culto à violência e ao abuso. E Deus diz: 'Não quero sua adoração. Aprenda a fazer o bem, busque a justiça'. Com estas palavras é como se nos dissessem: cada um deve olhar para dentro de si, para os seus pecados, para juntos percorrermos o caminho da conversão”. “A unidade entre os cristãos pode ser de grande ajuda na luta contra as guerras e as violências que oprimem a todos. A ferida do mal pode representar mais um motivo para crescer como crentes profundamente inquietos que procuram encontrar respostas cristãs para os desafios do nosso tempo”, disse o cardeal Mateus Maria Zuppipresidente da Conferência Episcopal Italiana (CEI), entrevistado em chiesavaldese.org na véspera da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos. O clima um tanto apocalíptico encontra luz justamente na jornada a dois. Parece que este ano o caminho ganhou força, com linguagens novas e compartilhadas. Será um renascimento pós-pandemia, será o desejo de nos encontrarmos novamente em comunhão, será o impulso para um novo ecumenismo determinado pela instabilidade social e econômica. O fato é que a pauta é muito densa e original. Entre as várias iniciativas, de Norte a Sul, contam-se também concertos, vigílias, encontros, mas também culto internacional, vigília com tochas, conferências, apresentação de livros e celebrações ecuménicas. Por exemplo, em Alba (na província de Cuneo), uma está marcada para amanhã noite de oração carismática ecumênica organizada pelo grupo "Renovação no Espírito" da diocese, juntamente com a Igreja Evangélica Pentecostal. Estão programados momentos dedicados às gerações mais novas, por exemplo, em Bolonha (dia 25) e Milão, onde no dia 21 as 18 vai ter um lleitura multi-voz de “O Conto do Anticristo” por Vladimir Sergeevich Soloviev apresentado por Estevão Caprioprofessor de Teologia Oriental, e discutido pelos jovens das igrejas cristãs milanesas, na Via Pinamonte da Vimercate 10. em Lucca, ssábado 21, atividades para crianças e adolescentes; “jornalistas ecumênicos para descobrir três personagens da tradição católica, ortodoxa e protestante. A partir das 15 na igreja de San Michele. Segue-se a oração ecumênica pelas crianças e famílias. Em Bari, no dia 19, uma conferência dentro do ciclo "Cidades da Bíblia, lugares da humanidade" sobre "Hebron, cidade de refúgio." Em Cantù (Como), no dia 18, após a celebração ecumênica, ele canta o coro da "Igreja Evangélica Apostólica da Nigéria". Clique AQUI para ver os compromissos na Itália ...

Ler artigo
“O cuidado do mundo me preocupa”

“O cuidado do mundo me preocupa”

Roma (NEV), 22 de outubro de 2021 – O 20º Dia do Diálogo Cristão-Islâmico é celebrado em 27 de outubro. O tema e título desta edição especial é "O cuidado do mundo me preocupa". O dia é dedicado à memória do Diretor da revista "Il Dialogo" John Sarubbi, faleceu recentemente. Sarubbi foi um dos promotores da iniciativa, perseguindo tenazmente seus objetivos por vinte anos. Em particular, Sarubbi será lembrado durante a reunião nacional de zoom marcada para 26 de outubro às 20h45. eles participam Brunetto Salvarani, Rosanna Maryam Sirignano, Marisa Iannucci, Letizia Tomassone. Haverá um momento de testemunho gratuito. Para obter o link escreva para [email protected] Leia em Reforma o programa mais detalhado. Várias iniciativas estão planejadas em outras cidades da Itália. O O comitê promotor nacional do Dia Ecumênico do Diálogo Cristão-Islâmico escreve: "A dimensão do cuidado, que ganhou destaque na época da pandemia de Covid-19, continua mais atual do que nunca. Os crentes encontram suas raízes em suas respectivas revelações e tradições religiosas. Reavivando nossa relação com Deus, receberemos força e humildade para honrar um compromisso que nos constitui”. Parafraseando o discurso do Papa Francisco em 5 de março em Ur dei Caldei, o Comitê também declara: “Cabe a nós, cristãos e muçulmanos de hoje, transformar nossos fechamentos identitários em diálogo e confronto vital. Cabe a nós zelar e cuidar da casa comum junto com todos os seus seres vivos. Cabe a nós rejeitar a guerra e fazer a paz. Cabe a nós promover o direito ao cuidado e à alimentação para todos. Cabe a nós proteger os desempregados, libertar os novos escravos e as mulheres exploradas e violentadas. Cabe a nós enxugar as lágrimas, assumir com coragem o caminho traçado por Giovanni e pelos outros criadores do Dia, e celebrá-lo em sua memória olhando para o futuro que já está aqui”. Todos os amigos da paz e do diálogo, todas as comunidades cristãs e muçulmanas, todas as instituições democráticas que têm no coração a defesa da Constituição, concluem os organizadores, são convidadas a mobilizar-se para o dia 27 de outubro, “com uma saudação fraterna de shalom, salaam, paz”. . Breve história do Dia do Diálogo Cristão-Islâmico A Jornada nasceu da iniciativa de um grupo de intelectuais, religiosos e professores universitários que, em 2001, após a tragédia das Torres Gêmeas, decidiram lançar um apelo ao diálogo com o Islã. "Nós, cristãos de várias confissões e leigos, que há anos estamos engajados no árduo processo de diálogo com os muçulmanos italianos ou no trabalho cultural sobre o Islã - disse o primeiro apelo - acreditamos que o horrendo atentado em Nova York e Washington constitui um desafio não apenas contra o Ocidente, mas também contra aquele Islã, majoritariamente em todo o mundo, que se baseia nos valores da paz, da justiça e da convivência civil”. Os promotores pretendiam evitar "um alarme preocupante", nomeadamente que o sucedido poderia "pôr em causa ou travar o diálogo com os nossos irmãos muçulmanos, companheiros de viagem no caminho da construção de uma sociedade pluralista, acolhedora, respeitadora dos direitos humanos e dos valores democráticos ”. Esse convite deu vida ao primeiro dia nacional do Diálogo Cristão-Islâmico na sequência de dois documentos, o conciliar da "Nostra Aetate" e o da "Charta Oecumenica" assinado apenas alguns meses antes em Estrasburgo pelos cristãos europeus. Um Dia que este ano chega à sua vigésima edição e que, já há alguns anos, se realiza no dia 27 de outubro "no espírito de Assis": o primeiro e grande encontro mundial das Religiões pela Paz, desejado pelo Papa João Paulo II em 1986 na cidade úmbria. ...

Ler artigo
Os Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias em Roma

Os Conselhos Nacionais das Igrejas Europeias em Roma

O grupo dos Conselhos Nacionais das igrejas europeias no terraço panorâmico da igreja metodista da Ponte Santì'Angelo Roma (NEV), 16 de maio de 2019 - A reunião anual dos Conselhos Nacionais Europeus de Igrejas (ENNC) foi realizada em Roma de 6 a 9 de maio. Convocado pela Conferência das Igrejas Européias, e sediado pela Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), o evento trouxe à capital 18 representantes do ENCC de 15 nações europeias, da Noruega à Suíça, de Portugal à Hungria. O grupo ENCC na praça de São Pedro “O programa deste ano propôs momentos de discussão no plenário e encontros com realidades significativas para o ecumenismo e o testemunho cristão presentes em Roma”, explicou o pároco Luca Barattosecretário executivo da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). Entre os palestrantes e os oradores, Débora Spini, professor de teoria política na Universidade de Syracuse, em Florença, apresentou o tema do populismo político; Enquanto Luca Maria Negropresidente da FCEI, e dom Juliano Savinadiretor do Escritório Nacional da CEI para o ecumenismo e o diálogo inter-religioso (UNEDI), refletiu sobre a nova temporada ecumênica que a Itália está vivendo nos últimos anos. Paulo Nasocoordenadora do Mediterranean Hope – FCEI Refugee and Migrant Programme, e Shari Brownsecretário executivo da Comissão das Igrejas para os migrantes na Europa (CCME), apresentou os projetos de acolhimento e fez um balanço das políticas migratórias na Itália e na Europa. A partir da esquerda, Angelita Tomaselli, Mads Christoffersen (Conselho das Igrejas Dinamarquesas), Gaberiela Lio, Francesca Danese e Luca Baratto Uma sessão inteira foi dedicada ao engajamento das mulheres nas igrejas evangélicas e na sociedade italiana: Gabriela Liopresidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), apresentou as iniciativas contra a violência contra as mulheres, desde o "lugar ocupado" até os "16 dias de combate à violência"; Angelita Tomasellipresidente do Conselho Ecumênico da Juventude na Europa (CEGE), apresentou um projeto europeu sobre a presença e inclusão de mulheres nas igrejas; Frances Danishex-conselheiro de políticas sociais do município de Roma e chefe de relações públicas do Exército de Salvação, apresentou as muitas emergências sociais que caracterizam o tecido urbano das grandes cidades italianas, em particular de Roma. Arcebispo Marco Gnavi em frente à entrada de Sant'Egidio Os representantes do ENCC também foram recebidos no Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos como um pai Hyacinthe Destivellee ao Ofício Ecumênico Metodista, pelo pároco Tim Macquibban que conheceu o grupo no terraço panorâmico da Igreja Metodista de língua inglesa da Ponte Sant'Angelo. A noite passada na Comunidade de Sant'Egidio foi muito significativa, começando pelo encontro com Mons. Marco Gnavi que reconstituiu a história da Comunidade e seu compromisso com a paz e, pelo menos, com a oração em Santa Maria in Trastevere, até o jantar fraterno junto com os voluntários da Comunidade. “Outro momento marcante da programação – lembrou Baratto – foi a visita ao 'Altra Roma', um passeio guiado por Daniele Garroneprofessor da Faculdade Valdense de Teologia, que nos conduziu desde a igreja valdense na Piazza Cavour, até a estátua de Giordano Bruno no Campo dei Fiori, até o gueto judeu". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.