“Livre você se torna”.  Refletindo sobre a liberdade, em tempos de covid

“Livre você se torna”. Refletindo sobre a liberdade, em tempos de covid

@jan_huber, unsplash

Roma (NEV), 18 de fevereiro de 2021 – Ontem, 17 de fevereiro, mais de 250 pessoas acompanharam os trabalhos do webinar “Cidadania, liberdade e cuidado em tempos de Covid”, promovido pela Federação das Igrejas Evangélicas por ocasião da Liberdade Semana.

O debate, que este ano decorreu online devido às restrições devido à covid, foi moderado pelo advogado Ilaria Valenzi.
Em sua saudação inicial, o pároco Luca Maria Negropresidente da FCEI, recordou o compromisso de “Tornar o 17 de fevereiro um dia nacional da liberdade de consciência, pensamento, religião”, bem como o lançamento do novo projeto humanitário na Bósnia.

A primeira intervenção foi do professor Alberto Mantovani, diretora científica do instituto clínico Humanitas, que definiu como “inaceitável” o fosso entre países pobres e ricos, no que diz respeito à vacinação, em particular, e ao acesso a medicamentos. Um tema que diz respeito à “segurança” de todos, em termos de saúde pública e global.

Elena Bein Rich, professor de filosofia, membro da Comissão de Estudos da FCEI, quis reflectir sobre o multifacetado conceito de “liberdade”, entendida “como propriedade do cidadão individual, que coloca em segundo plano o cumprimento dos deveres relativamente à comunidade. Hoje vemos uma visão excessivamente enfatizada da liberdade liberal, “liberdade libertina”, como ele a chama. Massimo Recalcati“.

Cartoon de Mauro Biani para Riforma

A relação entre democracia, liberdades individuais e responsabilidade para com a comunidade permeia, portanto, estes meses, estes tempos de pandemia. “Tempos que vão ter repercussões na nossa ideia de liberdade, como cidadãos mas também no cuidado das almas”, segundo Daniele Garrone, teólogo e membro do Conselho da FCEI. “Aqueles que são inteligentes estão calados, porque os tempos são ruins”, disse Garrone, citando o profeta Amos.

Abril Máximo, pastor batista que atualmente serve na igreja de Milão, testemunhou o trabalho do documento “Radicarsi del nuovo”, produzido “de baixo”, à luz das experiências que tivemos com nossas comunidades, durante o período de bloqueio” . Entre as muitas palavras que emergiram, três estiveram no centro da reflexão bíblica da pastora Aprile: cidadania, cuidado (com a transformação do paciente em cliente), liberdade (como palavra ‘indivisa’).

O último orador da nomeação foi Francesco Piobbichi, operadora do Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da Federação de Igrejas Evangélicas na Itália. “A fronteira, e a passagem da fronteira por “não cidadãos”, hoje permite-nos perceber quem somos”, disse.

Segue o vídeo completo do encontro, da página do Facebook do centro de estudos e revista Confronti, que colaborou com o evento:

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Encontro Ecumênico com a Presidência Alemã da União Europeia

Encontro Ecumênico com a Presidência Alemã da União Europeia

Foto CEC Roma (NEV/KEK), 7 de julho de 2020 – Pour la version française, veuillez cliquer ici Clique aqui para o Fassung alemão Uma delegação ecumênica da Conferência das Igrejas Européias (KEK) e da Comissão das Conferências Episcopais da União Européia (COMECE) reuniu-se em Bruxelas na terça-feira, 7 de julho de 2020, com Michael Claussembaixador na Representação Permanente da Alemanha junto à União Europeia (UE), para compartilhar opiniões sobre as prioridades da presidência alemã do Conselho da UE. A delegação instou a nova presidência da UE a renovar o seu compromisso com o projeto europeu e os seus valores comuns, de forma a tornar a Europa mais justa, justa e sustentável. Durante o encontro, CEC e COMECE apresentaram um documento conjunto com reflexões, propostas e recomendações políticas das igrejas da UE, também no contexto da atual pandemia de covid-19, sobre o programa da Presidência Alemã da UE “Juntos pela recuperação da Europa” . Durante o encontro, foi destacada a necessidade de “a UE e os seus Estados membros, juntamente com as igrejas e comunidades religiosas, bem como as partes interessadas da sociedade civil, colaborarem de forma a tornar a Europa não só mais forte, mas também mais inovadora, justa e sustentável” . "Como Igrejas - lê-se na declaração conjunta apresentada pelas Igrejas europeias - estamos empenhados em construir pontes de paz e hospitalidade e em promover uma visão global do bem comum, em busca de uma Europa humana, social e sustentável, em paz consigo mesma e com os seus vizinhos, onde prevaleçam os direitos humanos e a solidariedade”. A reunião foi um primeiro passo. De facto, KEK e COMECE vão continuar a estar envolvidos com a nova Presidência da UE, trazendo o seu contributo até à cimeira com Michael RothMinistro de Estado para a Europa no Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, a ser realizado na terça-feira, 27 de outubro de 2020, em Berlim. A delegação ecumênica era composta por Enrique Barrios Prieto ManualSecretário Geral da COMECE; Lena KumlinConselheiro Sênior para Política da UE da CEC, ramo da Igreja Evangélica Luterana da Finlândia; Friederike Ladenburgerconsultor jurídico de ética, pesquisa e saúde do COMECE; Katrin Hatzinger, Diretor do Escritório de Bruxelas da Igreja Protestante na Alemanha (EKD). As reuniões com as presidências do Conselho da UE fazem parte de uma longa tradição sustentada pelo Artigo 17 do Tratado sobre o Funcionamento da UE (TFUE), que prevê um diálogo aberto, transparente e regular entre as instituições da UE e as igrejas. Para mais informações, leia a Contribuição COMECE e CEC para o programa da Presidência Alemã da UE: Juntos para a recuperação da Europa ...

Ler artigo
Os Últimos Pastores.  Figuras de transição do cristianismo contemporâneo

Os Últimos Pastores. Figuras de transição do cristianismo contemporâneo

Roma (NEV), 19 de abril de 2023 – Há também a figura de Túlio Vinay entre os "últimos pastores" sobre os quais discutirá a exposição proposta pela Fundação Serughetti em colaboração com o Centro Cultural Protestante de Bérgamo. A nomeação é para 21 de abril. A crítica intitula-se “Os últimos pastores. Figuras de transição do cristianismo contemporâneo” e acontecerá entre os meses de abril e maio. O cartaz está à direita. artigo anteriorUcrânia e Rússia. O Papel das Entidades Religiosas nos Processos PolíticosPróximo artigoPara mulheres. O compromisso do Hospital Evangélico Internacional de Gênova Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
“Construindo juntos o futuro luterano”

“Construindo juntos o futuro luterano”

Cordelia Vitiello, Jerusalém 2022. Ao fundo o Monte das Oliveiras Roma (NEV), 28 de junho de 2022 – O Conselho da Federação Luterana Mundial (WLF) concluiu recentemente em Genebra. Nós perguntamos Cordelia Vitiellomembro do Conselho e representante legal do Consistório da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), para nos contar sobre essa experiência. “Reencontramo-nos pessoalmente depois de dois anos – disse Cordelia Vitiello -. Foi a primeira experiência do novo Secretário Geral, Rev. Anne Burghardt. o arcebispo Panti Filibus Musapresidente da FLM, abriu oficialmente a reunião na assinatura dos versículos de Colossenses 1:9-20”. A agenda é sempre muito densa e, em particular, houve um foco no planejamento da próxima Assembleia Geral a ser realizada em 2023 em Cracóvia sobre o tema da identidade luterana e das mulheres nos ministérios ordenados (“Lutheran Identity and women in ordenado minister”) . Além disso, informou Vitiello, foram discutidos os relatórios das diversas Comissões. "Meu mandato mudou - disse Vitiello -, sendo primeiro na comissão de Serviço Mundial (braço humanitário/operacional da Federação) e agora na de Advocacia e Voz Pública, onde cuidaremos de fortalecer o serviço e o trabalho da igrejas em seu território, à luz das reflexões realizadas nos últimos anos. Entre os temas mais debatidos, a guerra na Ucrânia. A Federação Luterana Mundial conclama o mundo inteiro a orar pelo fim de todos os conflitos. Tivemos também presente no Concílio um jovem luterano russo, que se absteve durante a discussão e cuja presença foi significativa”. Mais desafios luteranos O trabalho também continua em outras frentes, explicou Vitiello: “Faço parte de uma comissão do Hospital Augusta Victoria, em Jerusalém, onde fui recentemente para a primeira reunião pós-pandemia. Executamos uma variedade de programas internos. Especificamente, sou o referente do grupo para o sistema de qualidade no hospital. É uma comissão trienal, cuja tarefa já me foi confiada no ano passado pelo anterior Secretário-Geral Martin Junge, como também sou presidente da Fundação Evangélica Betânia e do Hospital Evangélico de Nápoles. Na verdade, nessas funções construí uma expertise específica na área”. Quanto à Itália e ao CELI, continuou Vitiello, "será interessante construir o futuro da igreja luterana junto com o novo reitor Carsten Gerdes. Os temas a serem abordados são centrais: a relação do consistório com as comunidades, a comunicação, a captação de recursos, o luterano Otto per mille. Em suma, trata-se de como melhorar nossa organização interna e nossa visibilidade externa. É importante para nós e para o nosso futuro”, concluiu Vitiello. A FLM comemora este ano 75 anos de fundação. O Conselho aprovou quatro declarações públicas sobre fome, pandemias, conflito Israel-Palestina e guerras. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.