França.  Em Paris, o grande encontro de protestantes centrado no tema da esperança

França. Em Paris, o grande encontro de protestantes centrado no tema da esperança

Roma (NEV), 25 de setembro de 2013 – A segunda edição do “Protestants en fête” – o grande encontro dos protestantes franceses – é centrada na esperança e será realizada em Paris de 27 a 29 de setembro. Espetáculos, conferências, exposições, concertos, visitas guiadas animarão os três dias com o tema “Paris d’espérence”: um lema que joga deliberadamente com a assonância entre “Paris da esperança” e “aposta da esperança”.

O grande encontro, promovido pela Federação Protestante da França (FPF), terminará no Bercy Sports Palace com um culto dominical transmitido ao vivo pela France2 e no qual participará um coro de mil vozes, formado pelos coros de cada comunidade espalhados por toda a área. Dezenas de milhares de fiéis de todo o país são esperados para a ocasião.

A festa terá vários locais espalhados pela Ville Lumière: desde a Place du Palais Royal, onde será montada a “Village of Solidarity”, até a Place Frenay, muito perto da Gare de Lyon, onde os jovens se encontrarão, até o parque Bercy, onde ficam as arquibancadas de igrejas e instituições culturais. Também programada na Bastilha está uma “Maratona da Bíblia” com leitura ininterrupta das Sagradas Escrituras.

Além disso, há alguns meses os organizadores do “Protestants en fête” lançaram um manifesto intitulado: “Esperança, uma aposta necessária”, já assinado por mais de mil pessoas. Com este manifesto convidam-nos a “colocar a confiança, a generosidade, a simplicidade e a humildade no centro da vida e do próprio empenho”, sabendo muito bem que “para os crentes não há esperança sem fé e que quem recebe Cristo ao mesmo tempo recebe de irmãos e irmãs de todo o mundo”.

Este ano a Fundação Centro Cultural Valdense (CCV) de Torre Pellice (TO) participará do encontro com presença no estande dos museus protestantes francófonos que terá como título “Cultura e patrimônio protestante” e que será definido na entrada do parque de Bercy. “Uma participação que nos permitirá dar a conhecer melhor ao público francês a nossa realidade de protestantes minoritários em Itália, bem como poder viver o clima de festa partilhando reflexões e reflexões com realidades muito próximas da nossa e com as quais, além disso, há tempos que colaboramos”, disse Davide Rosso, administrador da Fundação CCV. (Para mais informações e assinatura do manifesto: www.protestantsenfete2013.org).

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Bonecos sicilianos para contar a história de Martinho Lutero e a Reforma para crianças

Bonecos sicilianos para contar a história de Martinho Lutero e a Reforma para crianças

Roma (NEV), 15 de outubro de 2019 - A Casa delle Culture, em estreita colaboração com a Igreja Evangélica Metodista Scicli e o Trabalho Diaconal Metodista Scicli, organiza para sexta-feira, 18 de outubro, às 10h, no salão da Casa delle Culture in corso Mazzini, 7 em Scicli, o show de marionetes siciliano intitulado "Martinho Lutero e a Reforma Protestante". “A ideia de encenar a extraordinária história de Martinho Lutero Já o tinha há vários anos, na sequência de uma ideia de renovação do repertório do teatro de marionetas", disse o criador Ângelo Sicília. Este espetáculo especial de marionetes contará, portanto, a história de Lutero, o monge agostiniano que, com seu protesto contra as indulgências, iniciou a Reforma Protestante, um dos momentos mais significativos da história cristã ocidental. Entre outras coisas, 31 de outubro será o Dia da Reforma, o dia em que, em 1517, Lutero postou suas 95 teses contra as indulgências. O evento dirige-se principalmente às crianças das escolas de Scicli e aos jovens convidados da Casa delle Culture. Em maio de 2017 foi realizada a estreia do espetáculo inédito em Palermo, justamente por ocasião dos 500 anos da Reforma. ...

Ler artigo
Fórum Ecumênico África-Europa sobre Migração

Fórum Ecumênico África-Europa sobre Migração

Roma (NEV), 21 de março de 2023 - De 15 a 19 de março deste ano, representantes da Conferência das Igrejas de toda a África (AACC), da Comissão de Igrejas para Migrantes na Europa (CCME), de instituições e igrejas alemãs e do Conselho Mundial de Igrejas (WCC/CEC) reuniram-se durante quatro dias em Hamburgo para trocar experiências e ideias sobre migração e para discutir "teologia da migração". Organizado pela Missionsakademie, em várias sessões e workshops, os cerca de 50 participantes conheceram várias organizações que trabalham com migrantes em Hamburgo. “A relação entre as igrejas africanas e europeias tem uma longa história – explicam os promotores do encontro -. Se nos últimos tempos nos sentimos irmãos e irmãs em Cristo, inseridos no mundo ecumênico, reconhecemos também a escravidão, o racismo e o passado colonial. No presente e no futuro, nos concentraremos em encontrar as mesmas bases do mesmo Evangelho: há mais coisas que nos unem do que aquelas que nos dividem”. "O debate e as discussões destes dias foram caracterizados pela honestidade e respeito", disse ele Fiona Kendall, vice-moderador do CCME, que representou no fórum a Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI). “As igrejas, em ligação com as bases e os políticos, estão em uma posição única para serem defensoras e agentes de mudança. Podemos ser muito mais eficazes se compartilharmos nosso conhecimento e experiência." “A migração sempre fez parte da experiência humana – lê-se no texto das conclusões da conferência -, continuará a sê-lo e é parte integrante da história bíblica. Igrejas e governos, dentro de suas respectivas possibilidades, têm a responsabilidade de garantir que as pessoas migrem com dignidade e que, quando os migrantes chegam aos países de acolhimento, sejam acolhidos com compaixão e empatia. […] Racismo é pecado. Todos os comportamentos e respostas racistas à migração nunca devem ser tolerados. Opomo-nos ao redirecionamento e transporte forçado de requerentes de asilo, incluindo os de ascendência africana, para a África, como o acordo Reino Unido-Ruanda. Os migrantes fazem parte da humanidade e a criminalização da migração é contrária ao Evangelho. Incentivamos as igrejas em todo o mundo a se oporem a políticas que vão nessa direção. Nosso trabalho é desencorajar a migração irregular e combater o tráfico de pessoas, práticas que impedem muitas pessoas de experimentar o amor e a bondade de Deus.Precisamos nos concentrar mais em enfrentar os fatores que levam as pessoas a migrar também de maneiras que colocam suas vidas em risco. Isso inclui pobreza, conflitos e guerras, a crise climática e todas as suas consequências e a inacessibilidade dos caminhos legais. Os legados da escravidão africana, do colonialismo e das missões coloniais têm implicações significativas para os migrantes africanos à medida que se movem em busca de melhores oportunidades ou fogem do perigo na Europa. Nós, representantes das Igrejas na África e na Europa, devemos trabalhar juntos e promover a descolonização do sistema econômico, teológico e educacional e o fim do neocolonialismo. As igrejas africanas e as comunidades da diáspora migrante enfrentam racismo, discriminação e divisões intra-africanas. As igrejas devem pedir a seus governos que respeitem a proteção dos direitos humanos ao lidar com questões relacionadas à migração”. ...

Ler artigo
Igrejas reformadas suíças.  Um Sínodo extraordinário em setembro

Igrejas reformadas suíças. Um Sínodo extraordinário em setembro

Foto ESRB-Flickr Roma (NEV), 17 de junho de 2020 – O primeiro Sínodo da Igreja Evangélica Reformada na Suíça (ESRB) foi encerrado no Kursaal em Berna. Participaram 26 igrejas-membro, representadas por 81 pessoas, das quais 75 com direito a voto. Entre as decisões mais salientes do Sínodo, a de planejar um Sínodo extraordinário em setembro e a fusão dos dois organismos protestantes suíços de ajuda humanitária "Pão para todos" e "Ajuda das Igrejas Evangélicas Suíças" (ACES - Hilfswerk Evangelischer Kirchen Schweiz - HEKS) . A fusão oficial entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2022, sujeita à aprovação dos estatutos da nova fundação pelo Conselho Federal de Supervisão de Fundações. Foto ESRB-Flickr Os trabalhos foram condicionados pela recente demissão do presidente Gottfried Locher e o vereador Sabine Brandlin. O Sínodo criou uma comissão temporária de inquérito, encarregada de conduzir uma investigação interna e externa sobre um suposto assédio do ex-presidente contra um ex-funcionário da Igreja. Para completar as discussões deixadas em aberto sobre estratégias futuras, foram agendadas mais três sessões: além do Sínodo extraordinário em setembro, que ainda está sendo definido, o Sínodo se reunirá novamente de 1 a 3 de novembro de 2020 em Berna e depois em junho e em novembro de 2021, em Sion e Berna, respectivamente. O primeiro Sínodo da CERS, antiga Federação das Igrejas Evangélicas Suíças (FCES), foi realizado em um único dia e em modo distanciado após a emergência do coronavírus e foi aberto com um discurso do presidente do Sínodo, pároco Pierre de Salisque falou de um "Sínodo de crise em tempos de crise". Para mais informações: leia o relatório final no site do ESRB (em alemão ou francês) leia o artigo sobre Voce evangelica Sínodo de crise em tempos de crise ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.