Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

Semana dos Direitos celebrada pelos batistas italianos

O tema da Semana, que será celebrada de 6 a 11 de abril, é o direito à educação e à instrução.

“Este ano – lê-se numa carta enviada às igrejas pelo Departamento – queremos chamar a atenção das comunidades para a questão do direito à educação e à instrução. O mundo inteiro tomou consciência dramaticamente da grande disparidade que ainda habita nossa sociedade. É difícil garantir o mesmo direito à educação para todos. Um direito que desempenha um papel fundamental na afirmação de todos os outros direitos. E isso de alguma forma os protege. De fato, muitos falam de paz e justiça. Mas devemos ser capazes de nos dar cursos de formação, um caminho, uma escola que eduque homens e mulheres para a paz e a justiça”.

Devido à pandemia, o aniversário também acontecerá eletronicamente este ano. “Mas isso não deve nos desanimar”, escreve novamente o Departamento de Evangelização. Uma série de materiais será publicada para a ocasião no site do Semeador (ilseminatore.net) e na página da revista no Facebook (Il Seminatore).

Semana dos Direitos. Plano

Em particular, entre os muitos conteúdos compartilhados, destacamos: dois artigos sobre o papel da educação e formação no projeto de professores protestantes Fabricio Oppoe Stephen Meloni. o testemunho de Yacouba Coulibaly, responsável por projetos de desenvolvimento em alguns países africanos. Uma meditação bíblica sobre Isaías 1, 17 pelo pastor Lucas Reina. As entrevistas em vídeo feitas a três teólogas envolvidas na formação. Em particular, um Frances Nuzzoleseconsultor de trauma especializado em teologia pastoral e psicoterapia. na pastora Gabriela Lio, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). Finalmente, alla pastora Lydia Maggi, responsável pela Pastoral Bíblica Itinerante da UCEBI. Para os mais pequenos, o vídeo tutorial musical da música Gam Gam Gam, produzida pelo Maestro Emanuel abril. Além disso, um quadro comemorativo especial “Semana dos Direitos 2021 UCEBI” estará disponível para ser incluído em seu perfil no Facebook. Uma exposição virtual dos desenhos que os meninos e meninas nos enviaram sobre o tema “Escola dos Sonhos!” estará aberta aos visitantes.

Terça-feira, 6 de abril, ao vivo no Facebook e YouTube pelos pastores Abril Máximo E Anna Maffei. Tema: o direito à educação e à formação. (Transmissão na página do Facebook do Semeador às 20h55. Simultaneamente, na página do Facebook do Pastor Aprile e no canal do YouTube da Igreja Batista Milan Pinamonte).

Extensão MLK

Pastor Martin Luther King (cujo aniversário de morte cai no domingo deste ano da Páscoa) em um de seus artigos ele escreveu:

StSomos inclinados a permitir que nosso pensamento seja invadido por legiões de meias-verdades, preconceitos, e propaganda. Neste ponto, muitas vezes me pergunto se a educação está cumprindo seu propósito ou se não. A grande maioria das chamadas pessoas instruídas não pensa de forma lógica e cientificamente. Mesmo a imprensa, os tribunais, as campanhas eleitorais e o púlpito, em muitos casos, não estão lá. eles oferecem verdades objetivas e imparciais. Salvar o homem do lodo da propaganda é uma das principais objetivos da educação. A educação deve permitir a peneiração e a pesagem das evidências, discernir o verdadeiro do falso, o real do irreal e o fato da ficção. […] Devemos lembrar que inteligência não é suficiente. Inteligência mais caráter: este é o objetivo da verdadeira educação. A educação abrangente oferece não apenas um poder de concentração, mas objetivos dignos sobre os quais focar. Se não tomarmos cuidado, nossas faculdades produzirão um bando de propagandistas tacanhos, anticientífico, ilógico, acostumado a ações imorais. Estejam alertas, irmãos! Cuidado, professores!

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Sínodo Luterano.  Vamos, em um futuro próximo

Sínodo Luterano. Vamos, em um futuro próximo

Roma (NEV/CELI), 2 de maio de 2023 – A quarta sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI) foi concluída com o serviço religioso de 1º de maio em Catania.Um Sínodo participativo e animado que reacendeu a percepção de como é importante para os luteranos na Itália não apenas debater sobre o fato de serem igreja hoje, mas também sobre o papel que o CELI deve ter no espaço público, diante de pequenas e grandes temas que preocupam as sociedades modernas: a mudança climática, a relação com o meio ambiente, a violência das guerras. Durante uma sugestiva meditação de frente para o mar de Siracusa, o Decano do CELI, pároco Carsten Gerdes, questionou: “Em todo o mundo, cada vez mais pessoas vivem em cidades, em centros industriais. Entre o asfalto e o concreto, circulam em caixas de lata climatizadas e, das garagens subterrâneas, passam direto para o shopping. Quem conhece a esteira apenas como um movimento e, após meia hora de uso, está sempre na mesma academia, percebe menos as mudanças no ambiente natural. Será que as pessoas deveriam voltar a viver em aldeias, no interior, a cultivar pequenas hortas, para ver claramente o quanto a Natureza à nossa volta mudou?” Os Sínodos, por mais complexos, ricos e envolventes, buscam não apenas respostas para a Igreja hoje, mas questões que possam levá-la adiante, em um futuro próximo.Não há respostas simples, fáceis e definitivas para um Sínodo. Carsten Gerdes explicou: “Acho que sempre é preciso que as pessoas façam perguntas para fazer uma mudança. […] Acho que isso dá certo sobretudo quando muitas dessas pessoas, anteriormente, já fizeram perguntas na mesma direção, questionaram posições, ficaram inquietas”. A variedade das intervenções, as numerosas participações de convidados e delegações, a própria escolha de organizar um Sínodo nacional não só em Roma, mas também nos territórios, e este ano na Sicília, é expressão da vontade de pesquisar, de questões que merecem encontrar tempo e espaço para serem ouvidos e compartilhados. Leia a entrevista com o Reitor: Carsten Gerdes. Fé e esperança para o futuro da Igreja Luterana Leia a entrevista com o vice-reitor: Kirsten Thiele. Sonhos, ações e imaginação para viver bem Curiosidade: a campanha oito por mil da Igreja Evangélica Luterana na Itália foi apresentada durante o Sínodo. A campanha terá como tema principal o lema do capítulo 5 do Evangelho de Mateus: “vós sois o sal da terra”. A hashtag será de fato #siamosale e a campanha estará acessível a partir de 8 de maio no site www.ottopermilleluterano.org. O CELI usa os oito por mil para iniciativas sociais e humanitárias, principalmente voltadas para a Itália. Participa, com projetos próprios, no desenvolvimento social e cultural dos territórios onde se situam as suas comunidades e, através do apoio a projetos online, apoia iniciativas a favor das pessoas mais fragilizadas, minorias discriminadas, migrantes. Para saber mais: O especial do NEV sobre o Sínodo Luterano 2023. Os materiais oficiais do CELI: comunicados de imprensa, fotos, vídeos, etc…, ainda disponíveis aqui por alguns dias (Sínodo 2023). FORMA. A Igreja Evangélica Luterana na Itália. ...

Ler artigo
Secretário-geral do CMI visita protestantes italianos

Secretário-geral do CMI visita protestantes italianos

Roma (NEV), 15 de dezembro de 2010 - "O Conselho Mundial das Igrejas não é simplesmente um escritório com sede em Genebra, mas uma comunhão, e hoje estou com vocês para viver e expressar tudo o que nos une na fé comum em Cristo". Assim, o pastor Olav Fykse Tveit saudou a comunidade reunida na manhã de 5 de dezembro para o culto dominical na igreja metodista de Roma, a segunda etapa de seu fim de semana italiano. Depois de se encontrar com o Papa Bento XVI em audiência privada no dia anterior, Tveit se reuniu de fato com as igrejas protestantes italianas que são membros do CMI. “Agradecemos a Tveit por ter participado de um de nossos cultos, num momento em que a comunhão entre os crentes se aprofunda em torno da palavra de Deus”, disse o pastor Massimo Aquilante, presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), retribuindo a saudação de Tveit durante o culto. O secretário-geral do CMI pregou sobre o texto adventista de Lucas 12:35-40. "Observar - disse Tveit - significa não apenas esperar, mas estar ciente do que está acontecendo ao nosso redor". Se então a nossa expectativa é a do Senhor Jesus que se apresenta todos os dias no rosto de cada ser humano que procura ajuda e salvação, "então a nossa vigilância consiste em estar ao serviço de cada ser humano que espera a nossa ajuda". Portanto, vigiar significa "saber acolher o estrangeiro, o irmão e a irmã migrantes que vêm de países distantes muitas vezes com o seu fardo de dor, violência e humilhação". O acolhimento foi um dos temas várias vezes referidos no encontro com os representantes das igrejas evangélicas italianas que continuou com um almoço comunitário na igreja valdense na via IV de Novembro, onde o Pr. Tveit e a delegação que o acompanhou – composta, entre outros, pelo pastor Martin Robra, diretor do programa do CMI sobre ecumenismo no século XXI, pelo pastor John Gibaut, diretor da Comissão de Fé e Constituição do CMI, e por mons. Gosbert Byamungu, do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos - reuniu, além do presidente da FCEI, Aquilante, vice-moderadora do Conselho Valdense, Daniela Manfrini, presidente da Obra para as Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI), Alessandra Trotta, e a presidente do Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), Christiane Groeben. O Conselho Mundial de Igrejas é a maior comunhão de igrejas cristãs do mundo, reunindo 349 igrejas evangélicas, ortodoxas e anglicanas de todos os continentes, representando mais de 560 milhões de cristãos. A Igreja Católica não faz parte do CMI, embora colabore com suas instituições, em particular com a Comissão Fé e Constituição. ...

Ler artigo
#SPUC2020, em Lampedusa no signo da hospitalidade

#SPUC2020, em Lampedusa no signo da hospitalidade

Roma (NEV), 17 de janeiro de 2020 - Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos em Lampedusa como sinal de boas-vindas. Um momento ecumênico de oração acontecerá na ilha siciliana na próxima sexta-feira, 24 de janeiro, às 18h, na paróquia de San Gerlando. Ele falará pela Federação das Igrejas Evangélicas na Itália marta bernardiniWaldensian, operador do Mediterranean Hope, programa de migrantes e refugiados da FCEI, que trabalhou alguns anos na ilha. “Pela terceira vez – declara Marta Bernardini – estamos organizando um evento ecumênico em Lampedusa para a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos (SPUC). Todos os anos procuramos oferecer não só um momento de oração e reflexão, mas também uma oportunidade de envolver as pessoas. Em 2019, por exemplo, distribuímos folhetos com frases a partir do tema escolhido, que foi “Tente ser verdadeiramente justo”, notas que por sua vez os participantes da oração deveriam deixar ou endereçar a alguém”. Este ano, o tema "Eles nos trataram com bondade" foi escolhido pelas Igrejas de Malta e é retirado de uma passagem dos Atos do Apóstolo Paulo, que conta como ele foi acolhido pelos malteses. "Eles propõem o naufrágio de Paulo nos capítulos 27 e 28 do livro de Atos - explica a pastora valdense maria bonafede em Riforma.it hoje - , do navio em que o apóstolo Paulo é um dos prisioneiros que os centuriões romanos devem trazer para Roma, naquelas mesmas águas dos naufrágios dos últimos anos. Um naufrágio de 276 pessoas, incluindo marinheiros que são contrabandistas, e estão prontos para escapar do barco para se salvar, votando todos os outros até a morte; os prisioneiros, incluindo Paulo, que seriam julgados em Roma; os soldados, centuriões romanos, que planejam matar todos os prisioneiros para não deixá-los escapar, exceto um deles que tomou o apóstolo sob sua proteção e que, para salvar Paulo, evita o massacre dos outros e insta todos se joguem do navio que entretanto encalhou num banco de areia: primeiro os que sabem nadar, depois os outros que se agarram aos destroços do navio. "E assim aconteceu que todos chegaram sãos e salvos à terra" (27, 44). O autor do texto bíblico registra que havia 276 naquele navio, um número verdadeiramente grande de pessoas, um número semelhante aos dos últimos anos, nas mesmas costas, nas mesmas rochas”. Assim, as migrações estão no centro da reflexão ecumênica de 2020, um fio vermelho que liga Malta à outra ilha, local de desembarque de muitas pessoas, ambas envolvidas diariamente no acolhimento daqueles que são obrigados a seguir a rota marítima para fugir da Líbia ou de outros países do outro lado do Mediterrâneo. "Para nós é muito significativo - explica Marta Bernardini - organizar e promover este evento ecumênico em Lampedusa, um lugar que é precisamente o emblema da acolhida dos migrantes e, infelizmente, também dos naufrágios de tantas mulheres, crianças, homens que morreu no Mediterrâneo. É também uma forma de testemunhar a nossa presença na ilha, onde estamos envolvidos desde 2014 com o observatório das migrações e onde tentamos, todos os dias, colocar em prática aquela “gentileza” com quem desembarca na ilha. Um momento importante, junto com o aniversário de 3 de outubro, da obra ecumênica que realizamos em Lampedusa com dom Carmelo la Magra“. Amanhã, sábado 18, em Cagliari, para a abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, haverá outro encontro com marta bernardiniintitulado "Viagem, desembarque e hospitalidade: práticas ecumênicas". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.