13 de outubro.  Conferência sobre a revolução digital e a involução comunicativa

13 de outubro. Conferência sobre a revolução digital e a involução comunicativa

Foto Andrew Guan / Unsplash

Roma (NEV), 12 de outubro de 2022 – O Centro Cultural Evangélico de Sondrio propõe a conferência sobre “iGod e Infochiesa. A nova coesão dos crentes”. Marcação às 17h de quinta-feira, 13 de outubro, via Malta 16 ou online.

“A revolução digital perturbou os pontos de referência tradicionais – escrevem os organizadores -. O ser humano conectado à internet é diferente do animal social de que falava Aristóteles? Como pensar o impacto do digital na natureza humana? Entre oportunidades e riscos, entre informações e embustes, nos perguntamos sobre a relação entre o desenvolvimento da mídia e a fase atual do capitalismo? Que margens de liberdade restam à iniciativa humana?”. O debate partirá destas questões e tentará encontrar respostas… “Na perspectiva cristã da vocação para estar presente neste mundo como testemunhas intelectualmente honestas da realidade – continua o convite – a discussão estará aberta”.

Convidados, o filósofo católico Matteo Bergamaschi e o pastor protestante Pedro Ciaccioapresentado pelo pastor, filósofo e médico, especialista em bioética, Ilenya Goss. Moderar o diretor do Centro Emanuele Campagna.

Na véspera do encontro, o próprio Campagna convida a participar e ilustra os temas, que vão do ponto de vista sociológico e filosófico, a partir dos dois livros dos palestrantes:

INFOIGREJA. Os desafios da infoesfera para o pensamento crente – por Matteo Bergamaschi.

eGospel, iGod e Jesus Pessoal. Desembaraçando redes sociais, tecnologia e liquidez – por Peter Ciaccio.

Campagna diz: “O pastor Ciaccio se pergunta quem é uma pessoa famosa, um influenciador, um amigo segundo o FB, ele se pergunta sobre os acontecimentos de 6 de janeiro de 2021 em todo o fenômeno de estado profundo (teorias da conspiração) e nos julgamentos de envergonhar E tempestade de merda.

Bergamaschi se pergunta sobre a relação entre comunicação e capitalismo, sobre a liberdade como incógnita aleatória da comunicação após o advento da máquina de Turing. Na verdade, da leitura dos dois livros, cada um iluminador em si mesmo, parece-me que a abordagem de Bergamaschi emerge fortemente ao se colocar como um crente diante desse fenômeno e da importância de ter que recuperar o terreno perdido, enquanto Ciaccio é mais o intelectual que observa o desenvolvimento de um fenômeno a partir de uma perspectiva sociológica, mas não exclusivamente. Frequentemente chama a atenção para a história do folclore (protestante), mas também da arte e da fruição do cinema.

[…]

Ambos os autores abordam a questão de saber se o homo sapiens sapiens ainda é o mesmo que dominou o Neandertal com o advento da tecnologia de comunicação. Ciaccio menciona a filosofia do Cyberpunk. Citação também Bruno Mastroianni e sua “Disputa Feliz”. Bergamaschi veste as roupas de um filósofo e pensa a tecnologia não como uma prótese, mas como órgãos instrumentais (ou possivelmente massa cancerígena, quando mata) do ser humano de hoje”.

Dos livros, dos autores, do debate, pode-se esperar, portanto, uma imersão no mundo da informação, da manipulação, da vida, da fé e da confiança. Por fim, da liberdade entendida, conclui Campagna, “como uma libertação conquistada por muitos como um valor hacker. E isso leva às perguntas: a rede promove a colaboração, o desenvolvimento da criatividade e a cooperação para além dos limites da autoridade?”.


Marcação quinta-feira 13 de outubro às 17:00 – na via Malta 16 em Sondrio e nos canais YOUTUBE e página do Facebook.


Para mais informações: leia também o NEV especial sobre Ódio e perigos online

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

O Concílio das Igrejas Cristãs estabelecido em Florença

O Concílio das Igrejas Cristãs estabelecido em Florença

Florence, foto de Jeff Ackley, unsplash Roma (NEV), 18 de janeiro de 2021 – Ontem, domingo, 17 de janeiro, foi realizada uma reunião no Batistério de Florença entre dez igrejas cristãs da cidade para formar o Conselho das Igrejas Cristãs de Florença (CCCF). “A escolha do Batistério – explicam os promotores da iniciativa ecumênica –, além da importância que este local tem na cidade, está ligada ao vínculo comum em torno da obra de Jesus, que se realiza no batismo dos crentes”. Concretamente, participaram do encontro representantes das seguintes Igrejas: Apostólica Italiana, Batista, Católica, Episcopal, da Inglaterra, Luterana, Ortodoxa Grega, Ortodoxa Romena, Reformada Suíça e Valdense. “Este evento – lê-se numa nota dos promotores – insere-se numa experiência ecuménica que já se vive há muito tempo no estrangeiro e foi inaugurada em Itália pelas Igrejas de Veneza em 1993. Desde então até hoje em Itália os Conselhos de Igrejas foram estabelecidas em Milão, Modena, Verona, Perugia, Reggio Calabria e Pádua, e Conselhos de Igrejas regionais na Campânia, Úmbria e Marcas. Os Conselhos de Igrejas, tanto municipais como regionais, têm como objectivos fundamentais o aprofundamento das relações entre os representantes das várias igrejas cristãs aderentes; a organização conjunta de atividades ecumênicas, como encontros de oração, atividades de formação e estudo mútuo; planejamento e implementação conjunta de atividades pastorais específicas; testemunhar à cidade a importância do acolhimento e da escuta, também através dos meios de comunicação de massa. O Concílio de Florença é o resultado de um longo caminho de relações entre as Igrejas fundadoras, durante o qual as Igrejas aprofundaram o conhecimento mútuo, adaptaram as línguas, aperfeiçoaram o método de trabalho e, sobretudo, desenvolveram uma fraternidade sincera e eficaz em referência comum a Jesus Cristo, nosso Salvador. Fruto deste clima é também a redacção conjunta do Estatuto do Concílio, que foi depois aprovado por cada Igreja segundo o seu próprio ordenamento jurídico. A atividade do Concílio das Igrejas Cristãs de Florença - concluem os promotores - será desenvolvida tanto para a intensificação das relações ecumênicas entre as Igrejas florentinas, com a intenção de oferecer um espaço comum a quem o constituiu, como também a quem o fará deseja ingressar no futuro, como membros ou observadores; e em colaboração para realizar iniciativas pastorais comuns sobre aspectos da vida da cidade. Em espírito de amizade, estará aberta ao diálogo inter-religioso com as comunidades não cristãs, em particular com as judaicas e islâmicas”. A Ata Constitutiva e o Estatuto foram assinados em especial pelos seguintes representantes, ontem presentes na cerimónia: Past. Samuel Trebbi (Igreja Apostólica Italiana), Past. Carmine Bianchi (Igreja Batista), Card.José Betori (Igreja Católica), Diac. Giampaolo Pancetti (Igreja da Inglaterra), Rev. Ricardo Easterling (Igreja Episcopal), Passado. Annette Hermann Winter (Igreja Luterana)Arquim. Nikolaos Papadopoulos (Igreja Ortodoxa Grega) Padre Ionut Coman (Igreja Ortodoxa Romena), Passado. Raffaele Volpe (Igreja Reformada Suíça), Passado. Letizia Tomassone (Igreja Valdense). artigo anteriorO Comitê Inter-religioso de Turim torna-se um dos órgãos consultivos da cidadePróximo artigo22 de janeiro. O Tratado para a Proibição de Armas Nucleares está em vigor. É a Itália? Agência de Imprensa da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália ...

Ler artigo
não à cultura do estupro, injustiça e abuso

não à cultura do estupro, injustiça e abuso

Roma (NEV), 18 de outubro de 2019 – A Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) aderiu ao documento do Conselho Ecumênico de Igrejas (CEC) “Declaração sobre violência sexual e de gênero e sobre o Prêmio Nobel da Paz” de novembro de 2018. “A declaração sobre a violência sexual e baseada no gênero continua sendo de grande relevância, de fato ainda hoje observamos o aumento da violência sexual e baseada no gênero contra mulheres, meninas e pessoas vulneráveis ​​– escrevem as evangélicas no documento de adesão -. Como diz a declaração, 'ao ouvir os dolorosos testemunhos e histórias de mulheres sobreviventes de violência sexual, somos encorajados e desafiados a afirmar a dignidade, os direitos e as necessidades' de todos os homens e mulheres”. A CEC e a FDEI comprometem-se a “declarar tal violência como pecado; fazer esforços construtivos para superar as atitudes que predispõem a essa violência; continuar trabalhando com organizações e grupos locais que se opõem a todas as formas de violência sexual e de gênero; para dar suporte de várias formas, inclusive desenvolvendo caminhos de recuperação dos traumas sofridos por mulheres, meninas e outros sujeitos vulneráveis ​​a essa violência em suas comunidades". A FDEI também se juntou à campanha mundial #ThursdaysinBlack, também proposta pelo CEC, "para dizer junto com as irmãs de todo o mundo que nos opomos a uma cultura de estupro, injustiça de gênero, abuso e violência, mas acima de tudo para tornar a resiliência das mulheres e esforços visíveis". A FDEI convida todas as mulheres das diferentes denominações a visitar o site do CMI para saber mais sobre a campanha e as inúmeras adesões em todo o mundo, que nos demonstram a diversidade criativa por meio da qual essa mobilização global ocorreu. A campanha "Quinta-feira Negra" será relançada no dia 25 de novembro, dia mundial contra a violência contra a mulher. “Pedimos o vosso empenho e apoio para promover e testemunhar contra a cultura da violação, da injustiça de género, dos abusos” voltam a escrever as mulheres da FDEI, pedindo a divulgação da campanha e a organização de iniciativas em território nacional “como sinal visível do Evangelho, que nos chama a um caminho de responsabilidade na luta contra a violência, de apoio a quem é vítima dela e de colaboração com quem trabalha há anos em centros antiviolência na esperança de deter os abusos, assassinatos de mulheres, estupros na guerra". As adesões à Declaração do CEC e à campanha #ThursdaysinBlack foram aprovadas durante o Comitê Nacional realizado em 12 de outubro. A Comissão também aprovou a compra de 1.000 broches "Quinta-feira Negra" com a inscrição: "Rumo a um mundo sem estupro e violência" e a logomarca da FDEI, com os grafismos propostos pelo CEC. Para encomendar os distintivos e o cartaz, contacte o presidente da FDEI, pároco Gabriela Liono seguinte endereço: [email protected] Aqui está o PDF completo do declaração adotada pelo CMI sobre violência sexual e de gênero. #QuintasemPreto é uma campanha nascida da Década das Igrejas em Solidariedade com as Mulheres (1988-1998), na qual trabalhamos para tornar visíveis histórias sobre estupro como arma de guerra, injustiça de gênero, abuso e violência. É inspirado em vários movimentos de mulheres ao redor do mundo, desde as Mães da Plaza de Mayo na Argentina em busca de seus filhos desaparecidos durante a ditadura, até as Mulheres de Preto em Israel e Palestina contra a guerra e a violência, até as mulheres de Ruanda e Bósnia que protestou contra o uso do estupro como arma de guerra durante o genocídio, ao movimento Black Sash na África do Sul em protesto contra o apartheid. ...

Ler artigo
Oração ecumênica de encerramento do Tempo da Criação

Oração ecumênica de encerramento do Tempo da Criação

Foto Riccardo Chiarini / Unsplash Roma (NEV), 1º de outubro de 2020 - Já são quase mil os inscritos no serviço ecumênico online de oração para o encerramento do Tempo da Criação, o período litúrgico que envolve cristãos de todo o mundo todos os anos, de 1º de setembro a 4 de outubro e de todas as tradições rezar e agir para proteger o meio ambiente Líderes cristãos de todo o mundo conduzirão uma celebração ecumênica pelos frutos da estação e refletirão juntos sobre os próximos passos no "cuidado da casa comum". O pastor participará da oração Martin JungeSecretário Geral da Federação Luterana Mundial (WLF), John Chryssavgisrepresentante do Patriarca Ecumênico HAH Bartolomeu Ia pastora Jeannette Ada Maina(FLM), o pastor Christian KriegerPresidente da Conferência das Igrejas Europeias (KEK), Sr. Sheila KinseyCo-Secretária Executiva da Comissão Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC) da União Geral Internacional das Superioras, Bispo Griselda Delgado del CarpiaCuba, a pastora Najla KassabPresidente da Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (CMCR), Ef TenderoSecretário Geral da Aliança Evangélica Mundial e Agnes AbuomModerador do Comitê Central do Conselho Mundial de Igrejas (CEC). Para participar clique AQUI No dia 3 de outubro, ligada a partir de Turim, no final do Tempo da Criação, a iniciativa "Frágil mas interligada", promovida pela associação Triciclo em colaboração ecuménica com várias realidades protestantes, católicas e seculares (incluindo a igreja valdense, as igrejas baptistas no Piemonte, Hospitalidade Eucarística e Comissão de Globalização e Meio Ambiente - GLAM - da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália - FCEI). No programa, presencial e via web, uma reflexão com o ecoteólogo Marcelo Barros: “Guardiões, não mestres da criação”. Para a Temporada da Criação, a GLAM preparou também um Dossier dedicado aos oceanos e intitulado: “Águas do mar, fonte de vida”. O Dossiê, que pode ser baixado aqui, contém materiais bíblicos, litúrgicos e homiléticos, além de fichas informativas, vídeos e artigos. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.