Amanhã a primeira edição do Rosarno Film Festival

Amanhã a primeira edição do Rosarno Film Festival

Roma, 13 de outubro de 2022 – Está tudo pronto para a primeira edição do “Rosarno Film Festival – fora do gueto”, que será inaugurado amanhã, 14 de outubro, na Piana di Gioia Tauro.
O júri do festival é composto por cinco diaristas. A exibição dos curtas em competição acontecerá nos dias 14 e 15 de outubro no auditório municipal de Rosarno. Domingo, 16 de outubro, às 18h30, na tenda da cidade de San Ferdinando, por ocasião do aniversário da morte de Thomas Sankaraserá realizada uma reunião com Blandine Sankarairmã do líder burquinense, ativista comprometido com a questão da independência alimentar.


“Um festival-laboratório – explica Francesco Piobbichi, operadora do Mediterranean Hope, programa de migrantes da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália, uma das promotoras da revista – que fala sobre redenção e quer demonstrar que é possível construir práticas de solidariedade e cadeias produtivas sem exploração. Não é por acaso que um dos sujeitos envolvidos na organização do evento, juntamente com a Mediterranean Hope e a Solidarity Community Network, é a associação Sos Rosarno que, com a cooperativa Mani e terra, está empenhada há quase uma década no promoção de produtos não explorados no território da Piana di Gioia Tauro”.

Será a Sos Rosarno quem homenageará o vencedor da crítica com uma caixa de produtos orgânicos e éticos, ou seja, cultivados sem exploração.

“O Festival de Cinema de Rosarno é uma pequena ferramenta para dar voz a quem não tem – declara Giuseppe Pugliese, um dos fundadores do Sos Rosarno -, para fazer com que aqueles que de fato são parte integrante deste território, de sua , econômica e produtiva, apesar das aberrações das cadeias produtivas agrícolas e dos mecanismos infernais do chamado livre mercado. É uma tentativa de dar dignidade aos trabalhadores estrangeiros e a um território em dificuldade, com os seus habitantes e os seus pequenos produtores, também esmagados pelos donos dos alimentos, e portanto das nossas vidas. É uma forma de convidar pessoas, de todo o mundo, a falar umas com as outras, a criar comunidades num contexto onde por várias razões tudo se torna mais complicado”.

“O objetivo deste pequeno festival é inverter os significados – acrescenta Piobbichi -, oferecer uma visão das coisas a partir de quem sempre foi usado como objeto e nunca ouvido”.

A rede associativa que apoia o Festival de Cinema de Rosarno é composta por: Mediterranean Hope – Programa para Migrantes e Refugiados da Federação de Igrejas Evangélicas na Itália, Solidarity Community Network, Sos Rosarno, RiVolti ai Balcani, Altreconomia, Comune-Info, FuoriMercato – autogestão em movimento, Sea Watch, ResQ, Equosud, Confronti , Cinema Metropolis Umbertide, cinema muito pós-moderno Perugia, Equosud.

Entre as personalidades que apoiaram e apoiam a iniciativa, Ken Loach, Andrea Segre, Peppino Mazzotta.
Aqui a programação detalhada das exibições, com as sinopses dos curtas participantes da crítica.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Cúpula Ecumênica em Genebra – Nevada

Cúpula Ecumênica em Genebra – Nevada

Castelo de Bossey Roma (NEV), 13 de abril de 2011 – No dia 8 de abril, em Genebra, no Centro Ecumênico de Bossey, cinco secretários gerais de outras tantas organizações ecumênicas internacionais se reuniram com os líderes da Igreja Evangélica Alemã (EKD), para discutir o ecumenismo hoje: uma conversa animada sobre a melhor forma de promover a “unidade visível das igrejas” com a participação, entre outros, de Olav Fykse Tveit do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), Martin Junge da Federação Luterana Mundial (WLF), Setri Nyomi do Mundo Comunhão das Igrejas Reformadas (CMCR), Viorel Ionita da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) e John Nduna da ACT Alliance, o braço humanitário da CEC e FLM. Perante o problema generalizado da intolerância religiosa, levantado por Nduna, a ideia que tem vindo a ganhar terreno é a de desenvolver novos modelos de diálogo e cooperação ecuménica que se baseiem no princípio da "responsabilidade mútua", como propõe Tveit: "A inter-religiosidade e a cooperação ecumênica só pode acontecer com o apoio mútuo de todos os atores no campo e, portanto, não apenas das igrejas, mas também dos Estados e dos organismos culturais". Para Junge é necessário começar por evitar qualquer espírito de competição entre as diferentes tradições cristãs e organizações ecuménicas, enquanto para Nyomi, para fortalecer a unidade visível das igrejas, a luta contra as muitas injustiças a que estão sujeitos os seres humanos é humanos cruciais, não apenas no hemisfério sul. O movimento ecumênico global é feito de relações e interconexões complexas, sublinhou o Bispo Martin Schindehütte da EKD, reiterando que "no coração da ação e unidade cristã está o Evangelho". A grande satisfação pela iniciativa concertada dos cinco organismos ecuménicos foi expressa pelo presidente da EKD Nikolaus Schneider, que recordou as comemorações do 500º aniversário da Reforma a realizar em 2017 em Wittenberg, na Alemanha, para comemorar as 95 teses de Martinho Lutero. Um evento que foi descrito pelos participantes da cúpula como não apenas alemão, mas global. ...

Ler artigo
Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Martin Luther King em Tor Bella Monaca

Aprendo o que vivo, Roma - janeiro de 2023. Foto Bimbo Aquilone Roma (NEV), 26 de janeiro de 2023 – “Se vivo na lealdade, aprendo a justiça. Se vivo em aprovação, aprendo a aceitar. Se vivo na aceitação, aprendo a encontrar o amor no mundo”. Estas são as palavras de apresentação do projeto "Aprendo o que vivo" que está a decorrer no Istituto Comprensivo "Melissa Bassi" de Tor Bella Monaca, distrito de Roma, em algumas classes IV e V elementares. Foto Criança Pipa "Professor" por um dia, ontem, o editor da agência de notícias NEV-Evangélica Elena Ribet ofereceu aos meninos e meninas uma aula-jogo sobre Martin Luther King. Pastor batista, líder do movimento pelos direitos civis e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, King foi inspirado pelos princípios de não-violência de Gandhi. Os Estados Unidos comemoraram recentemente o Dia de Martin Luther King. Este ano, entre outras coisas, marca o 60º aniversário do famoso discurso "Eu tenho um sonho" (I have a dream). “Gostaria de agradecer especialmente aos meninos e meninas da escola Bassi. Com suas palavras, suas perguntas e suas emoções me proporcionaram um dia maravilhoso – declara o jornalista -. Obrigado também aos professores pela preciosa colaboração e pela presença. Esta é a escola do presente: uma escola já projetada no futuro e com raízes na história individual e coletiva, atenta e aberta à troca. Obrigado, então, a todas as pessoas que contribuíram para esta experiência, à Associação Bimbo Aquilone e aos referentes. A escola na Itália tem seus momentos de glória e seus momentos de abandono – continua Elena Ribet. Se, por um lado, a Câmara avançou com o projeto de lei das competências não cognitivas, para uma escola que ensine empatia e criatividade, por outro ainda estamos na retaguarda na Europa. Do abandono escolar precoce, com quase 13% de abandono escolar (dados de setembro de 2022. Leia mais sobre as causas aqui). Aos investimentos. A Itália gasta 15% menos que a média em educação. Sem falar na construção de escolas (tornando os prédios escolares seguros, eficiência energética e acesso a serviços básicos). O caminho é uma subida, como anunciou a Legambiente no recente lançamento do XXII Relatório Nacional sobre a qualidade dos edifícios e serviços escolares. A boa vontade dos particulares é extraordinária, porém é necessária uma visão de futuro por parte do Estado”, conclui. Ao final das aulas, a jornalista fez uma pequena homenagem aos meninos e meninas. Uma cópia do CD de música protestante “Da bimbo a bimbo. Canções de ontem e de hoje", produzida pelo Serviço de Educação e Educação da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), sob a direção artística do Maestro Charles Lella, Ministro de Música da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). E o livro de receitas "Dai-nos hoje também o pão de ontem", para não desperdiçar pão seco, com as receitas de Clara Manfredi. Este último, editado pela Globalization and Environment Commission (GLAM) da FCEI e também disponível em pdf. aprendo o que vivo O projeto está ativo há vários anos nas escolas romanas, graças à Associação Bimbo Aquilone. É um projeto de legalidade e educação para a cidadania que trabalha a sensibilização para os direitos da criança e a prevenção do bullying. Destinado a escolas de ensino fundamental e médio, o projeto Aprendo o que vivo já contou com o apoio de 8 por mil da Igreja Evangélica Luterana da Itália (CELI). Esta edição é produzida com verbas ministeriais e com o contributo e parceria de várias realidades e associações. Entre os temas abordados: respeito pelos outros, diversidade como fonte de riqueza, mas também cyberbullying, direitos da criança e sua defesa. Em encontros anteriores, o jornalista Alfredo Sprovieri falou sobre direitos humanos e diversidade cultural. Enquanto você os defende Frances Aliberti E Daniela Barbuscia propôs a aula "Juntos com Bull: vamos contrastar o fenômeno do bullying e do cyberbullying". Para saber mais Todos os artigos do NEV sobre o projeto. A página FB de Aprendo o que vivo. Acesse o NEV FACTSHEET sobre Martin Luther King e o movimento pelos direitos civis. Nesta página do Spotify, uma série de comícios e discursos públicos do pastor batista, ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Aqui a entrevista de 15 de janeiro de 2021 a Paulo Nasopor ocasião da publicação do livro "Martin Luther King, uma história americana" (ed. Laterza). ...

Ler artigo
4 de abril às 10. Adoração evangélica de Páscoa no Eurovision na Rai2

4 de abril às 10. Adoração evangélica de Páscoa no Eurovision na Rai2

Foto de Bruno van der Kraan Roma (NEV), 29 de março de 2021 – Domingo de Páscoa, 4 de abril, de 10 a 11, o culto evangélico de Páscoa será realizado na Rai 2 no Eurovision, transmitido pela Igreja Evangélica Batista de Grosseto. “Que pensamentos devem ter acompanhado as mulheres na madrugada daquela manhã, enquanto se dirigiam ao túmulo de Jesus? Por que os onze discípulos estão céticos sobre a notícia da ressurreição, relatada a eles pelas mulheres? Da história que os dois discípulos de Emaús contam ao andarilho desconhecido - que mais tarde se tornará o Ressuscitado - a resignação, o desespero, a incompreensão emergem no trágico fim de um sonho... Os personagens desta história voltam à vida num contexto sugestivo que reconstitui, em estilo narrativo, as horas dramáticas que precederam e sucederam aquela madrugada de Páscoa”, lê-se na apresentação do culto. O culto será presidido pelo pároco da comunidade, além do presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Luca Maria Negro. A coordenação musical será de Alberto Annarilli E Francesco Iannitti, do Ministério de Música da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI). na flauta Jana Hildebrandtvioloncelo Michael Lanzinipiano Francesco Iannitti Piromallosoprano Silvia Striatocontralto Amanda Ferritenor Matteo Bagnibarítono Gabriel Spina. Lá fora, elementos da associação musical Luigi vão cantar Antonio Sabatini de Albano Laziale e do coro Voz da Graça de Ariccia, dirigido por Alberto Annarilli. na percussão Mateus Martizzi. Edição editada pelo programa de televisão "Protestantesimo-Raidue". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.