Bélgica.  Encontro Ecumênico Europeu de Esperança e Cooperação

Bélgica. Encontro Ecumênico Europeu de Esperança e Cooperação

A reunião do comitê conjunto CEC-CCEE em Paris (fevereiro de 2017)

Roma (NEV), 18 de novembro de 2019 – A reunião conjunta dos comitês da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) e do Conselho das Conferências Episcopais Europeias (CCEE) começou hoje no Centro Ecumênico em Bruxelas, Bélgica. A reunião é presidida pelo pároco Christian Kriegerpresidente da CEC, e pelo cardeal Ângelo Bagnasco, presidente da CCEE. Tema dos dois dias, “Viver a esperança na Europa hoje”.

A premissa bíblica sobre a qual o trabalho acontecerá é retirada de Isaías 51:9 “Desperta, desperta, veste-te de força!”. Os participantes discutirão questões relacionadas ao surgimento do populismo, bem como como fortalecer a cooperação entre CEC e CCEE.

Desde a década de 1950, o CEC reuniu mais de cem igrejas protestantes, ortodoxas, anglicanas e católicas-velho. A colaboração entre KEK e CCEE tem uma longa história. A Comissão Mista, fundada em 1972 após o nascimento da CCEE (1971), reúne-se anualmente e tem como função definir e fiscalizar as iniciativas realizadas em conjunto. Entre elas, as três grandes assembléias ecumênicas de Basiléia (1989), Graz (1997) e Sibiu 2007. Em 22 de abril de 2001, em Estrasburgo, os então presidentes da CEC, o Metropolita Ortodoxo Jeremye da CCEE, o bispo Miloslav Vlkassinou a “Carta Ecumênica”, documento que indica as diretrizes do ecumenismo e da cooperação entre as Igrejas na Europa e que representa uma etapa importante no desenvolvimento das relações ecumênicas.

Todos os anos, o comitê conjunto KEK-CCE analisa questões sociais e pastorais de um ponto de vista teológico, em busca de “formas comuns para enfrentar os desafios mais urgentes enfrentados pelos cristãos na Europa”, como afirma o site da CCEE.

O tema deste ano parece retraçar alguns dos argumentos cruciais da Carta Ecumênica, redigida há dezoito anos por uma comissão conjunta KEK-CCEE por meio de ampla consulta às igrejas européias; em particular, os temas do diálogo, da proteção das minorias, da responsabilidade das Igrejas na construção da Europa e na reconciliação dos povos e das culturas.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Mattarella em Torre Pellice em agosto.  O sonho pró-europeu nasceu aqui.

Mattarella em Torre Pellice em agosto. O sonho pró-europeu nasceu aqui.

A placa será inaugurada na manhã de quinta-feira, 31 de agosto, na Torre Pellice, na presença do Presidente da República, Sérgio Mattarella, com um dia dividido em dois momentos distintos: um envolverá instituições civis locais e outro será dedicado à Igreja Valdense, realidade histórica do protestantismo reformado. À tarde continuaremos com uma conferência histórica promovida pela Prefeitura e pela Fundação Centro Cultural Valdense. A conferência, intitulada “A Europa de Altiero Spinelli. O importante legado de um federalista”, terá lugar no Teatro del Forte pelas 16h30. “Será um dia histórico não apenas para a comunidade de Torre Pellice, mas para toda a área de Pinerolo e os vales valdenses do Piemonte. – declara o Prefeito de Torre Pellice, Mark Cogno –. A presença e atenção do Presidente para pequenas comunidades como a nossa nos honra e nos fortalece em nossas ações diárias. Oitenta anos depois de 1943, a presença do Presidente adquirirá um significado ainda mais profundo para o nosso território graças aos valores democráticos e republicanos consagrados na nossa Constituição". "Estamos honrados com a visita do Presidente Mattarella em uma ocasião tão significativa para uma Igreja que sempre combinou uma fé vivida à luz do Evangelho de Jesus Cristo com um compromisso civil apaixonado – declara o moderador do Tavola Valdese, Alessandra Trotta –. Um tipo de compromisso que para toda uma geração de jovens valdenses em nossos vales e em outros lugares, exatamente oitenta anos atrás, também se tornou dramaticamente um compromisso de resistir ao nazifascismo, guiado por uma visão ampla de uma Itália e uma Europa fundadas em princípios de liberdade e a democracia, respeitadores da pluralidade de ideias e valores, amantes da paz e orientados para a promoção da solidariedade e dos direitos humanos". Recorde-se que entre 26 e 28 de agosto de 1943, a reunião de fundação da seção italiana do Movimento Federalista Europeu foi realizada na casa milanesa de Rollier, com a presença de Spinelli. O próprio Spinelli será então convidado de Rollier, alguns dias depois, na Torre Pellice onde, há oitenta anos, proferiu aquele primeiro discurso histórico. Uma utopia concreta e um projeto ainda por concretizar, portanto, a ideia de uma Europa federalista conheceu, de facto, um momento chave com o Manifesto Ventotene (escrito em 1941 por Ernesto Rossi e Spinelli), mas teve também uma passagem fundamental na Torre Fur. Alguns meses depois, em 19 de dezembro de 1943, encontramos Rollier em Chivasso, onde um grupo misto de antifascistas do Vale de Aosta e representantes dos vales valdenses se reuniram para redigir a chamada "Declaração de Chivasso". Reivindicava um federalismo que reconhecesse as pequenas autonomias culturais e linguísticas como expressões de liberdade face a uma visão autoritária e centralista do Estado. O mesmo grupo valdense que inspirou este documento desempenhou um papel importante na organização das "Jornadas Teológicas de Ciabàs" (1-2 de setembro de 1945) cujo tema era, precisamente, "Ecumenismo cristão e federalismo europeu". Leia Chiesavaldese.org ...

Ler artigo
75º Festival de Locarno.  Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

75º Festival de Locarno. Júri ecumênico premia Contos da Casa Púrpura

Roma (NEV), 16 de agosto de 2022 – O Prêmio Ecumênico do Júri em Locarno vai para o filme “Contos da Casa Púrpura”, dirigido por Abbas Fahdel. o filme com Nour Ballouk (título original "Hikayat elbeit elorjowani" é filmado entre Líbano, Iraque e França. O festival de cinema aconteceu de 3 a 13 de agosto. O júri ecumênico formado pela INTERFILM (parte protestante) e SIGNIS (parte católica) concedeu o prêmio com esta motivação: “O filme nos oferece a perspectiva pessoal e poética de um casal de artistas sobre a história e o presente de um país dilacerado. Ao mesmo tempo, mostra que a vida cotidiana continua. E que a arte e a beleza têm um papel fundamental nisso”. O júri ecuménico distinguiu ainda o filme “Tengo sueños eléctricos”, realizado por Valentina Maurel, (Bélgica, França, Costa Rica). O filme acompanha a trajetória de uma jovem adolescente que vive em uma família dominada e abalada por separações e violência, mas também pelo amor. Membros do júri ecumênico: Anne DagallierFrança Linde FröhlichAlemanha Lukáš JirsaRepública Tcheca (presidente) Anne-Beatrice Schwabsuíço O Júri Ecumênico O Júri Ecumênico está presente no Festival de Cinema de Locarno desde 1973. Indicado conjuntamente pela INTERFILM, entidade protestante internacional para o cinema, e pela Signis, associação católica mundial de comunicação, seleciona obras que destacam valores religiosos, humanos e sociais. O prêmio consiste em 20.000 francos suíços para a distribuição do filme, doados pelas igrejas reformadas e pela Igreja Católica da Suíça. INTERFILM Fundada em 1955 por numerosas associações de filmes protestantes na Europa. Em colaboração com o parceiro católico SIGNIS, organiza júris ecumênicos nos festivais de cinema mais importantes (Cannes, Montreal, Moscou, Leipzig, Berlim). Em Veneza, os júris da SIGNIS e da INTERFILM são separados. ...

Ler artigo
Líbano, o compromisso da FCEI – Nev

Líbano, o compromisso da FCEI – Nev

Roma (NEV), 22 de janeiro de 2021 – Não há mais emergências em Beirute. Mediterranean Hope, o programa de migrantes e refugiados da Federação de Igrejas Evangélicas na Itália, decidiu, imediatamente após as explosões de seis meses atrás, continuar presente neste contexto, na capital libanesa de onde partem os corredores humanitários Tavola Valdese e S.Egidio têm vindo a realizar desde 2016. Remodulando a sua intervenção, precisamente em virtude dos muitos problemas que o Líbano atravessa. Fê-lo juntando-se ao projecto de solidariedade "de base", Nation Station, nascido no bairro de Geitawi, um dos mais atingidos pelas explosões do passado mês de Agosto. A colaboração nasceu graças à doação econômica de 50 mil euros do Conselho Valdense através do Otto per mille das Igrejas Valdense e Metodista e com outros 25 mil euros arrecadados com uma assinatura nacional lançada pela FCEI após os acontecimentos que abalaram Beirute no último verão. “Desde 2016, o MS atua no Líbano para coordenar a saída de refugiados, principalmente sírios, pelos corredores humanitários, promovidos em conjunto com a Comunidade de Sant'Egidio e a Tavola Valdese. Este novo projeto pretende ser um sinal de solidariedade total, dirigido aos cidadãos deste pequeno, grande país que soube acolher milhares de refugiados”, explica o pároco Luca Negropresidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália. O Nation Station é um posto de gasolina abandonado há anos onde, a 5 de agosto de 2020, alguns jovens residentes no distrito de Geitawi decidem criar um local de acolhimento e recolha de bens para distribuir. Não só isso, com a limpeza da estação, ela se torna um polo social, cultural e assistencialista e hoje conta com uma ampla rede de voluntários e funcionários, estruturada em departamentos específicos. Vão desde a cozinha - com mais de 26 mil refeições quentes entregues até ao momento - à equipa de avaliação de danos estruturais das casas, passando por uma equipa dedicada à reabilitação das casas: até à data 126 casas voltaram a ser habitáveis . Por último, a área em que a FCEI está mais directamente envolvida, o departamento médico, gerido integralmente pela Medical Hope, com o Luciano Griso, juntamente com dois operadores locais. Até 9 de janeiro de 2021, o departamento médico da Nation Station acompanhava 313 pacientes. Doutor Griso visitando um paciente Graças ao empenho da Medical Hope e dos protestantes italianos, numerosas atividades no setor da saúde foram realizadas e estão sendo realizadas. Foi criado um banco de dados sobre as necessidades médicas dos habitantes de Geitawi, foi aberta uma "farmácia popular" com os remédios mais solicitados pela população (aos quais são oferecidos gratuitamente), foi montada uma pequena clínica. Os medicamentos são fornecidos em casa para pacientes que sofrem de doenças crônicas e em condições de pobreza. Além disso, foram assinados convênios e acordos com laboratórios e outras farmácias locais para tratamentos e testes para as pessoas mais vulneráveis. Por fim, e esta atividade tem crescido com a evolução da pandemia, o MH trata da compra e distribuição de materiais sanitários, desinfetantes e máscaras. “A meta para o futuro, pelo menos até agosto de 2021 – explicam os operadores da FCEI Silvia Turati, Irene Vlad, Halima Tanjaoui e o chefe da Medical Hope, Luciano Griso – é continuar a prestar apoio de saúde, ativar um sistema de monitorização ad hoc sobre a Covid19, facilitar o acesso a serviços de saúde mental e apoio psicossocial às pessoas afetadas pela explosão, organizar eventos de informação e formação, mas também recreativos e desportivos. Queremos também continuar a prestar o nosso apoio à cozinha da Estação Nação, concretizar parcerias com outras entidades envolvidas na assistência à população e, por fim, produzir relatórios sobre a situação da saúde em Beirute, para acompanhar as necessidades médicas mais urgentes, informação que gostaríamos gosto de colocar à disposição todas as realidades capazes de dar uma mão". Um grande compromisso que continua, portanto, e que tem recebido importante apoio da Mesa Valdense. “Estamos satisfeitos, à nossa pequena maneira, por poder contribuir activa e concretamente para a reconstrução de um país tão afectado pela pandemia, pela crise económica, e devastado pelas explosões do passado mês de Agosto. Continuaremos apoiando essas realidades do mundo que a pandemia tornou ainda mais invisíveis”, declara o moderador da Mesa Valdense Alessandra Trotta. Enquanto isso, ainda ontem, 21 de janeiro, o Líbano estendeu o bloqueio total, em vigor desde 14 de janeiro, para conter a propagação do novo coronavírus até 8 de fevereiro. O anúncio foi feito pelo gabinete do primeiro-ministro cessante, Hassan Diab. O bloqueio limita as viagens e impõe um toque de recolher. Todas as instituições e bancos públicos e privados estão fechados, supermercados e restaurantes poderão oferecer serviços de entrega das 5 às 17. Fundo Nacional de Seguro Social, fábricas médicas e de alimentos, mercados atacadistas de alimentos, moinhos de farinha , padarias, farmácias, laboratórios médicos, clínicas, casas de câmbio e transferências, postos de gasolina e seguradoras podem funcionar em determinados horários do dia. Na quarta-feira, 20 de janeiro, o Líbano registrou 4.332 casos, elevando o número total de infecções para 252.812 desde o início da pandemia, com mais de 2.000 mortes. As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.