Eleições, luteranos: “Não usem o medo na política”

Eleições, luteranos: “Não usem o medo na política”

Roma (NEV), 27 de setembro de 2022 – A Igreja Evangélica Luterana na Itália considera o resultado eleitoral “um sinal de uma sociedade que busca respostas para as muitas preocupações que a atravessam. A guerra, a crise energética, mas também a longa onda de repercussões sociais da pandemia evidenciaram sinais crescentes de desconfiança e medo entre homens e mulheres italianos. Por isso – lê um comunicado divulgado hoje – reafirmamos o quanto o medo é uma armadilha (Provérbios 29, 25), convidando a política a não usá-lo para aumentar seu consenso”.

O futuro governo, para os luteranos, “será chamado a trabalhar para superar o estado geral de medo que corre o risco de alimentar a desorientação social, novas formas de pobreza e discriminação, exacerbando formas perigosas de preconceito, violência e empobrecimento humano. A pandemia e as recentes crises evidenciaram como a precariedade de direitos como saúde, educação e trabalho preocupa transversalmente a sociedade italiana: não apenas como serviços devemos tratar, mas também com direitos que a Constituição protege. Os recursos do PNRR são, portanto, uma oportunidade de construir oportunidades para as pessoas e não para os potentados, o particular sem escrúpulos e os apetites perturbadores das máfias. A salvaguarda do ambiente, da criação como quadro global é hoje essencial para permitir um futuro às novas gerações que deve voltar a ser uma oportunidade e não mais um problema. O ambiente não é um travão ao desenvolvimento: a criação é antes uma oportunidade de aprendizagem para enfrentar o desafio de um desenvolvimento diferente do modelo consumista em que temos apostado até agora. É necessário, então e novamente, reconstruir um tecido social global, capaz de dialogar, mesmo próximo e, portanto, construtivo entre gerações e não entre interesses econômicos, com vistas a devolver às pessoas um bem-estar psicológico diferente, harmonioso, justo, pacífico e psicológico. sendo assim como social”.

O resultado eleitoral, portanto, para o CELI, “confirma uma tendência europeia que, no entanto, tem características particulares na Itália. A campanha eleitoral não deixou de ter sinais que nos preocuparam e só o diálogo, respeitando a diversidade política, pode contribuir para restabelecer um clima adequado a um país, a Itália, para o qual a Europa deve continuar a olhar com confiança. Quanto à guerra, é preciso reafirmar o direito à diplomacia para que as armas e a violência sejam silenciadas. A polarização do mundo em esferas de influência e antigas separações é a premissa para novos conflitos, hoje cada vez mais destrutivos não só pela qualidade das tecnologias de armamento, mas também porque atuam sobre planos econômicos que esmagam as sociedades dos últimos e raramente afetam as poder do forte”.

Como evangélicos na Itália, como luteranos, “firmemente ancorados na perspectiva europeia da qual nos sentimos parte também pela antiga tradição e origem – conclui o Consistório CELI* -, continuaremos, portanto, nosso compromisso na sociedade italiana sem preconceitos, mas com atenção e vigilância , fiéis à Palavra da qual somos testemunhas”.


*O Consistório é o órgão colegiado responsável pela condução dos assuntos correntes e administração do CELI. Suas atribuições estão definidas no artigo 22 do Estatuto do CELI. É constituído pelo Decano (pastor) com as funções de Presidente, o Vicedecana (pastor) e três Conselheiros leigos, de entre os quais elege o Vice-Presidente e o Conselheiro para os Assuntos Económicos. Os membros permanecem no cargo por quatro anos e podem ser reeleitos.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Em tempos sombrios, ouse ter esperança

Em tempos sombrios, ouse ter esperança

Roma (NEV), 18 de julho de 2022 - De 24 a 30 de julho, será realizada em Assis a 58ª Sessão de Formação Ecumênica da Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE), que representará o segundo momento de pesquisa ecumênica lançada em 2021 com a sessão sobre Você vai contar ao seu filho (Ex. 13,8). “O tema da comunicação da fé no diálogo intergeracional será explorado este ano com particular atenção ao difícil momento de mudança em curso – lê-se na apresentação do evento -: que palavras de esperança podemos transmitir? O contexto será o do diálogo entre gerações, favorecendo a escuta mútua, e o diálogo intercultural, cada vez mais significativo numa sociedade viva e em movimento como a nossa. Em tempos sombrios, ouse ter esperança. As Palavras de Fé na Sucessão das Gerações é, sem dúvida, um título desafiador, pois está repleto de promessas que esperamos poder cumprir. A reflexão, o encontro, a oração e o convívio que sempre caracterizaram as sessões da SAE voltarão a envolver este ano cristãos de várias confissões, mas também judeus e muçulmanos, num diálogo a muitas vozes, atento e respeitoso”. Serão organizadas atividades específicas para meninos e meninas e na tarde livre será possível visitar Assis e seus arredores. Aqui o pdf com a brochura BrochureSAE2022 com a indicação de todos os momentos de estudo e escuta, os de oração e os de reflexão, os títulos dos workshops e os nomes dos oradores. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=9JTW5ljA-R0[/embed] A SAE, associação leiga e interconfessional, dá continuidade à atividade de diálogo e formação ecumênica promovida pela Maria Vingiani em Veneza a partir de 1947, depois desenvolvida em Roma de forma privada a partir de 1959 (no anúncio do Concílio Ecumênico Vaticano II) e de forma pública a partir de 1964. Em 1966 foi formalmente constituída como associação sob a presidência da fundadora Maria Vingiani. Desde 1964 organiza uma sessão anual de verão de formação ecumênica, da qual são publicados os Atos. Geralmente é acompanhado por uma conferência anual de primavera mais curta. Ele foi um dos promotores da época para o judaísmo (1989) e do documento para casamentos inter-religiosos entre católicos e valdenses-metodistas (1998). Em 1996, com a eleição de Elena Milazzo Covini novo Presidente Nacional, a sede mudou-se de Roma para Milão. A fundadora Maria Vingiani é nomeada presidente emérita. De 2004 a 2012, por dois mandatos consecutivos, foi presidente nacional Mário NhoqueEntão Marianita Montresor (de 2012 a 2016) e Pedro Stefani (de outubro de 2016 até o final de 2021). Em setembro de 2021, foi eleita Erica Sfreddao primeiro presidente evangélico da associação, que tomou posse oficialmente em janeiro de 2022. Para mais informações, acesse a seção de documentação e consulte o documento Memória histórica de Maria Vingiani. ...

Ler artigo
Que tipo de pecado.  O mito de Eva

Que tipo de pecado. O mito de Eva

Roma (NEV), 10 de maio de 2021 - A Secretaria de Atividades Ecumênicas (SAE) de Milão propõe, em colaboração com o Centro Cultural Protestante, um seminário sobre um tema "ecumenicamente urgente". É um ciclo de quatro encontros “para ir às raízes dos estereótipos de gênero nas três religiões abraâmicas. Judaísmo. Cristandade. Islamismo". Assim lemos na apresentação da iniciativa. As datas são: 12, 17 e 27 de maio; 10 de junho. Esta iniciativa intitula-se: “Que tipo de pecado. O mito de Eva nas religiões abraâmicas. Das feridas às perspectivas de gênero”. Partindo, por exemplo, de “outras” leituras de Bereshit/Gênesis 2 e 3, a intenção é “desconstruir o arquétipo da mulher subordinada ao homem e responsável pela perda da cidadania celeste, com todo o imaginário religioso que daí resultou. Uma interrogação do Corão e da tradição islâmica, sobre os vestígios do mito do Génesis e da marca androcêntrica”. As organizadoras, portanto, escrevem: “Reconhecer as feridas de gênero nos textos fundadores de nossas fés e nas interpretações que permaneceram inequívocas por séculos, talvez não as cure. Mas tornam-se frestas para vislumbrar novas perspectivas, uma diversidade reconciliada que faz jus ao desenho original de um ser humano criado à imagem e semelhança apenas como masculino e feminino juntos. É uma pena esquecer isso." O primeiro convidado do itinerário é Elena Lea Bartolini De Angeli, professor de judaísmo e hermenêutica judaica. Então, Christine Simonelli, presidente da Coordenação dos Teólogos Italianos (CTI). Ele vai intervir mais tarde Daniela DiCarlo, teólogo e pastor titular da igreja valdense em Milão. No fim, Rosanna Maryam SirignanoPhD em Estudos Islâmicos. As quatro reuniões foram apresentadas pelos presidentes de quatro associações envolvidas na promoção da justiça de gênero. Inicialmente Paula Cavallari, presidente do Observatório Inter-religioso sobre a violência contra as mulheres (OIVD). Então Lúcia Vantini, vice-presidente do CTI. Seguirá Gabriela Lio, presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). Para a última reunião em vez Paula Lazzarinipresidente Mulheres pela Igreja. Os quatro encontros serão realizados no Zoom. Para obter informações e obter o link, envie um pedido de participação para SAE Milano: [email protected] A transmissão ao vivo e as gravações também estarão disponíveis no canal SAE Milano no YouTube. Baixe o cartaz aqui: Que tipo de pecado. Plano Quarta-feira, 12 de maio de 2021, 18h.Elena Lea Bartolini De Angeli, professora de judaísmo e hermenêutica judaica: "Será chamada de mulher."Apresentado por: Paola Cavallari, presidente do OIVD. Segunda-feira, 17 de maio de 2021, 18h.Cristina Simonelli, presidente do CTI: Exilados filhos de Eva.Apresentado por: Lucia Vantini, vice-presidente do CTI. Quinta-feira, 27 de maio de 2021, 18h.Daniela Di Carlo, teóloga e pastora titular da igreja valdense em Milão: Uma mulher livre para escolher.Apresentado por: Gabriela Lio, presidente da FDEI. Quinta-feira, 10 de junho de 2021, 18h.Rosanna Maryam Sirignano, PhD em Estudos Islâmicos: Eva no Sublime Alcorão.Apresentado por: Paola Lazzarini, presidente da Women for the Church. O ciclo de encontros dá continuidade idealmente ao tema do ano passado, que teve como tema principal “Mulheres nas igrejas e comunidades de fé”. ...

Ler artigo
4 de dezembro, domingo da Diaconia para os corredores universitários

4 de dezembro, domingo da Diaconia para os corredores universitários

Foto ACNUR/Valerio Muscella Roma (NEV), de 16 de novembro de 2022 a 4 de dezembro de 2022 será o "Domingo da Diaconia". A nomeação anual dedicada à arrecadação da arrecadação para a Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD-Waldensian Diaconia) envolve todas as igrejas metodistas e valdenses, por ocasião do culto dominical. Quem quiser apoiar a iniciativa pode ir a todas as igrejas metodistas ou valdenses da Itália e participar do culto no domingo, 4 de dezembro. Este ano a arrecadação irá apoiar o projeto "corredores universitários", UNIversity CORridors for REfugees (UNICORE), dedicado ao direito dos refugiados ao estudo. Foto ACNUR/Michele Cirillo Ainda esta manhã, o grupo de beneficiários da quarta edição do projeto "corredores universitários" chegou a Fiumicino. São 13 alunas e 38 alunas, refugiadas residentes nos Camarões, Malawi, Moçambique, Níger, Nigéria, África do Sul, Zâmbia e Zimbabwe, que tiveram a oportunidade de chegar a Itália de forma regular e segura para continuarem os seus estudos em 33 universidades italianos. A seleção parte das próprias universidades com base no mérito acadêmico e na motivação. A chamada, publicada em abril de 2022, oferece agora a possibilidade de frequentar um programa de mestrado de dois anos. 8 alunos são acolhidos pela Diaconia Valdense, juntamente com outros 12 alunos que chegarão nas próximas semanas. "Desde 2019, a Diaconia Valdense, por meio dos Serviços de Inclusão, vem colaborando com o Ministério das Relações Exteriores, ACNUR - Agência da ONU para Refugiados, Caritas Italiana, Gandhi Charity, Centro Astalli e algumas universidades italianas em um projeto em favor de estudantes refugiados - lemos no comunicado de imprensa referente ao Domingo da Diaconia -. Além disso, uma vasta rede de parceiros locais assegura o apoio necessário durante os dois anos do mestrado, promovendo a integração de estudantes e alunas na vida universitária e social da área em que são acolhidos”. Graças a este projeto, explica a Diaconia Valdense, "os estudantes que não têm possibilidade de continuar seus estudos no país em que encontraram proteção, podem aproveitar uma via de entrada regular e segura na Itália, obtendo um visto por motivos de estudo, e podem encontrar apoio e apoio para a entrada na vida académica e orientação para os serviços locais”. A UNICORE continua o objetivo da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) de fortalecer os canais regulares de entrada de refugiados. O objetivo é alcançar uma taxa de matrícula de 15% em programas de ensino superior em países de primeiro asilo e países terceiros até 2030. alguns números Nascido em 2019, o projeto envolveu um total de 71 alunos e mais de 20 universidades. O primeiro ano, em fase “piloto”, envolveu 6 alunos e 2 universidades. Em 2020, participaram 20 estudantes de ambos os sexos e 11 universidades. Em 2021, os números mais que dobraram: 45 participantes e 24 universidades. Para o ano de 2022, a UNICORE envolve 33 universidades italianas e mais de 50 estudantes masculinos e femininos. “Além de organizar todos os aspectos logísticos, desde a pré-partida até a formatura, a Diaconia Valdese apoia estudantes e alunas em toda a sua jornada, dando suporte para a inclusão social e para enfrentar este desafio completamente novo e altamente desafiador – conclui o comunicado de imprensa -. Com a coleta coletada no domingo, 4 de dezembro, as igrejas poderão apoiar e fortalecer o compromisso da Diaconia Valdense em favor de jovens e alunas que vêm de uma história de conflito e desenraizamento, para dar um pouco de novo vigor a essa chama que alimenta as esperanças de um futuro de trabalho e paz através do estudo nas universidades italianas”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.