Em 9 de outubro, o primeiro episódio da Rádio GLAM.  Do ego ao eco

Em 9 de outubro, o primeiro episódio da Rádio GLAM. Do ego ao eco

Roma (NEV), 5 de outubro de 2022 – Tudo está pronto para o primeiro episódio da Rádio GLAM. Encontro no zoom, domingo, 9 de outubro, às 18h.

O tema deste primeiro encontro é: como passar do ego ao eco… “Estávamos sozinhos e formulamos algo juntos. Assim nasce uma ecocomunidade”, diz o coordenador da Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), Maria Elena Lacquaniti.

A Radio GLAM coleta vozes em torno do meio ambiente e da globalização. Neste primeiro episódio haverá uma conexão com a igreja batista na via dei Bastioni em Civitavecchia, promovida como uma “eco-comunidade autônoma”. Além disso, falaremos sobre os compromissos de novembro.

Uma ecocomunidade autônoma é aquela que, de baixo para cima, decide levar a sério os pedidos coletivos. E reúne escolhas individuais e coletivas a serviço da comunidade e do meio ambiente. Assim, portanto, a igreja de Civitavecchia e seus membros optam por usar energia fotovoltaica. Promover o uso de lâmpadas de baixo consumo. Eles dizem não ao plástico. E, novamente, eles separam, reciclam e reutilizam. Eles decidem abrir uma conta corrente “ética” excluindo bancos armados. Eles fazem viagens sustentáveis. Eles cultivam jardins e estudam como criar jardins compartilhados sustentáveis.

Para participar da Radio GLAM envie um e-mail para o seguinte endereço de e-mail comissã[email protected] ou entre em contato com os representantes da comunidade ecológica.


A igreja anfitriã da Rádio GLAM

Está localizado em Civitavecchia na via dei Bastioni 18. Pastor: Italo Benedetti. Está presente na área há 120 anos e conta com 50 associados. É uma comunidade ecológica desde 2017. Entre as práticas virtuosas contamos: instalação de painéis fotovoltaicos, adoção de iluminação economizadora de energia, abolição total do plástico, sensibilização na escolha do banco, celebração do Tempo da Criação, organização de conferências sobre questões ambientais, convênios com escolas para a elaboração de “corredores ecológicos e ecumênicos para insetos polinizadores”.


Foto Alex Blajan – Unsplash

Mais algumas informações:


Quem ouve Rádio GLAM?

Todos aqueles que têm interesse em fazer parte desta comunidade, que questiona e une numa eco-comunidade ou que olha com curiosidade para conhecer, para propor, para participar até com um contributo criativo, música, leitura, partilha de materiais.

Por que o nome Radio GLAM?

Porque usa a linguagem direta e imediata do rádio, uma linguagem simples na qual jovens e adultos podem se reconhecer e se expressar.

Quando Rádio GLAM?

Todos os meses, um encontro de uma hora durante o qual haverá testemunhos e/ou informações de eco comunidades, mas também de crentes individuais, ativistas, apoiadores da sociedade civil interessados ​​em questões relacionadas à espiritualidade e proteção da criação que o GlAM apóia. Notícias, projetos e programas nacionais e internacionais…

Como assinar a Rádio GLAM?

Envie um e-mail para o seguinte endereço de e-mail [email protected] ou entre em contato com os representantes da comunidade ecológica. Até breve nessas frequências!

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Daniele Garrone assina a campanha “Estamos prontos, e você?”

Daniele Garrone assina a campanha “Estamos prontos, e você?”

Roma (NEV), 12 de maio de 2022 – O presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI), Daniele Garrone, está entre os signatários da campanha “Estamos prontos, e vocês?”. O objetivo da campanha é que a lei conhecida como "Ius Scholae", atualmente tramitada na Comissão de Assuntos Constitucionais da Câmara dos Deputados, seja tramitada no Parlamento e aprovada até o final da Legislatura. A lei permitiria que homens e mulheres muito jovens que cresceram e estudaram na Itália por anos adquirissem a cidadania italiana. A campanha foi lançada no dia 9 de maio pelo Confronti, pela Coordenação Nacional das Novas Gerações Italianas (CONNGI) e pelos Italianos Sem Cidadania. Em apenas três dias a iniciativa já ultrapassou os 500 membros. Entre os signatários, além de Garrone, também: Manuela Vinay (Chefe do Escritório Otto per Mille da Igreja Valdense - União das Igrejas Metodista e Valdense). Annapaola Carbonato (Secretária Nacional da Federação da Juventude Evangélica da Itália - FGEI). Além disso, assinaram professores, chefes de instituições, cultura e jornalismo. Para assinar, conecte-se ao site Baixe o comunicado de imprensa: 05_12_PRESS_RELEASE_ESTAMOS PRONTOS PARA VOCÊ A Federação das Igrejas Evangélicas na Itália (FCEI) e seu programa para migrantes e refugiados, Mediterranean Hope, há muito se unem e apoiam várias iniciativas da sociedade civil para o reconhecimento da cidadania para filhos de imigrantes ou que cresceram na Itália e apenas para os ius. Entre elas, a campanha da Itália também está. ...

Ler artigo
As mulheres libertam o sagrado

As mulheres libertam o sagrado

Foto Adista Roma (NEV), 26 de junho de 2020 - O semanário de informação independente "Adista" relata em um dossiê "o caminho nada fácil que levou as mulheres das Igrejas cristãs não católicas ao acesso a ministérios e pastorados, ainda excluídas da Igreja de Roma" . Uma história multifacetada da qual emergem as tentativas de desmantelar estruturas e privilégios machistas, autoritarismo e clericalismo. “Os companheiros de viagem deste número da Adista – lê-se na apresentação –, pela ordem em que aparecem os seus ensaios, são o pastor valdense Alexandre Esposito; o luterano Gabriela Woller; o pastor batista Cristina Arquidiácona; Maria Vitória Longhitanopresbítero da Convocação das Igrejas Episcopais na Europa; Basil Petràdecano da faculdade de teologia da Itália central; David Romanodiretor do Departamento de Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa da União Italiana das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA)”. A imagem inteiramente masculina de Deus "influencia não só as práticas religiosas, mas também as culturas, o bom senso e as práticas cotidianas" escrevem novamente os editores, que nos convidam a investigar a palavra bíblica "a partir de uma leitura mais cuidadosa, crítica, historicista das Escrituras", o que significa também "contextualizar e libertar a mensagem bíblica das superestruturas culturais do passado, das 'traduções' inadequadas e insuficientes que derivam de uma má compreensão dos textos, para tornar as religiões não mais dogmáticas, fechadas e separadas dos recintos do sagrado ' (sempre declinado no singular masculino), mas inclusivo e plural”. O dossiê faz parte da série de números especiais da Adista intitulado "As Igrejas face à violência de género" e pretende explorar temas como os preconceitos e os instrumentos de repressão e exclusão das mulheres na Igreja e na sociedade, os "carismas" femininos e a presença feminina no púlpito, na pregação da Palavra ou na administração dos sacramentos, elementos que tornam visível "a diferença dos corpos, presença muitas vezes perturbadora - sobretudo aos olhos católicos e por ocasião das celebrações ecumênicas - porque manifesta a existência de um ministério não mais vinculado ao corpo masculino e à masculinidade de Jesus e da Igreja". O dossiê também foi compartilhado na página do Facebook da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI). ...

Ler artigo
O Grande Catecismo de Lutero.  Ferrario no Festival de Literatura Histórica

O Grande Catecismo de Lutero. Ferrario no Festival de Literatura Histórica

Roma (NEV), 20 de abril de 2023 – Fulvio Ferrario – pastor e teólogo valdense, professor de teologia sistemática na Faculdade Valdense de Teologia em Roma – foi o convidado da primeira edição do Festival de Literatura Histórica de Legnano, intitulado "A história nas entrelinhas". Por ocasião da reimpressão do Grande Catecismo de Lutero para a editora Claudianao teólogo ilustrou a história de Lutero e as implicações da Reforma no mundo contemporâneo. Pedimos a Fulvio Ferrario que nos contasse como foi e que nos falasse sobre as perspectivas da fé e da catequese no mundo de hoje. Qual é o seu comentário sobre este primeiro Festival de literatura histórica? Isso foi uma linda experiência. Estou muito grato que num evento deste tipo, que obviamente visa um público significativo, a apresentação de dois textos exigentes como os Catecismos, que não são Best-seller. A acolhida foi excelente, a participação foi boa, estou muito feliz por poder apresentar este trabalho por ocasião do Festival de Legnano. O Catecismo de Lutero começa mesmo com palavras duras, que poderiam ser lidas como invectivas, exortações, mas também com ironia. O que você acha? Lutero se assustou com a situação de ignorância bíblica e desconhecimento do ABC da fé cristã: o Credo, o Pai Nosso, os dez mandamentos, o batismo e a Eucaristia... e assim por diante. Uma situação que ainda hoje, em diferentes circunstâncias, conhecemos bem. Lutero decide, portanto, esclarecer os princípios cristãos, de forma elementar, sem medo de demasiada simplicidade. A simplicidade nunca é demais, é a banalidade que é sempre excessiva; mas simplicidade e banalidade não são a mesma coisa. Esta obra de Lutero é uma tentativa de intervir numa situação pastoralmente crítica. O volume que você editou é para todos ou para iniciados? A isto gostaria de responder com a maior franqueza, pois não é minha intenção promover a venda do livro em detrimento do interesse do leitor. O Catecismo Menor é de todos e para todos. Certamente, embora escrito em outra língua que não a nossa, é útil para a reflexão pessoal e para a oração pessoal, como o é. O Catecismo Maior também é extremamente simples e compreensível, no sentido de que qualquer pessoa pode entendê-lo, mas dá maior ênfase à dimensão teológica-argumentativa. Do ponto de vista literário é interessante, é um contato com a prosa de Lutero, um mergulho no século XVI. Dentre os tantos textos possíveis, na minha opinião, é sem dúvida um dos mais fascinantes para quem quer tentar de uma vez entrar em um mundo bem diferente do nosso. Que "ABC" para a fé hoje? Eu usaria exatamente o esquema de Lutero, como fizeram centenas ao longo da história. Do ponto de vista da catequese, os Dez Mandamentos, o Credo, o Pai Nosso, os significados do batismo e da Eucaristia são efetivamente pilares. Lutero, melhor do que ninguém, explicou a todos que acreditar não significa saber. No entanto, há conhecimentos indispensáveis ​​para crer: um conhecimento elementar, não académico, não um conhecimento teológico, mas um conhecimento básico que constitui – por assim dizer – a gramática da fé. Isso também se aplica a falar sobre amor. É claro que a gramática das frases não é o amor, mas para expressar o amor tenho muitos meios e, se quiser usar os da linguagem, devo conhecer a gramática. Este é o papel dos Catecismos de Lutero. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.