abordar o discurso de ódio

abordar o discurso de ódio

Roma (NEV/Riforma.it), 21 de junho de 2019 – A sexta Escola de Verão sobre direitos humanos da Conferência das Igrejas Europeias (KEK) decorreu de 17 a 20 de junho em Lisboa, Portugal. Em cooperação com o Conselho Cristão Português das Igrejas (COPIC), cerca de 50 participantes de diferentes origens nacionais, étnicas e religiosas tiveram a oportunidade de estudar juntos e receber formação interdisciplinar sobre liberdade de expressão, discurso de ódiocrimes de ódio e como prevenir o discurso de ódio em contextos religiosos.

A discussão foi inspirada na premissa bíblica de Efésios 4:15-17 “mas, falando a verdade com amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, isto é, Cristo. Do qual todo o corpo, bem conectado e unido, pela contribuição de cada junta e de acordo com o vigor de cada parte, produz o crescimento do corpo para a edificação de si mesmo no amor. Isto, portanto, testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam os outros gentios, na vaidade dos seus pensamentos”.

Os participantes examinaram a relação entre uma crescente falta de respeito entre as pessoas na comunicação, especialmente nas chamadas mídia social, e a ascensão do populismo político em escala global. As raparigas e rapazes foram também informados sobre as relações entre o Estado e a religião em Portugal, especialmente sobre a cooperação entre a Igreja e o Estado no acolhimento e integração dos migrantes na sociedade.

As igrejas na Europa estão empenhadas em defender o direito fundamental à liberdade de expressão e opor-se ao ódio. Eles exortam todos os atores relevantes da sociedade a se envolverem no debate público para aumentar a dignidade humana de cada indivíduo. Sublinham também a necessidade de um diálogo informado e factual que reflicta, na procura de soluções adequadas, a complexidade das questões políticas e sociais do nosso tempo.

Durante a Escola de Verão, palestrantes e participantes levantaram preocupações de que os populistas encorajam ou usam “discurso de ódio” para colocar um grupo contra o outro, a fim de ganhar uma quantidade significativa de votos, em vez de contribuir para a paz social e o compromisso político. Atitudes xenófobas, estigmatização de minorias, estereótipos com base em raça, cor, nacionalidade e origem étnica, religião, deficiência, gênero ou orientação sexual levam ao ódio e podem, eventualmente, levar à violência. O antissemitismo, a islamofobia e a cristianfobia são expressões dessas atitudes; no entanto, não é apenas um discurso religioso, mas também envolve e diz respeito a outras realidades, como os refugiados ou ciganos ou outros grupos minoritários.

Da Itália, o pároco participou Luca Barattoresponsável pelas relações ecumênicas internacionais e secretário executivo da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI).

Entre os palestrantes estavam Pedro CaladoAlto Comissário para as Migrações em Portugal, Tatjana PericConselheiro para o Combate ao Racismo e à Xenofobia da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), Jonatas Machado do Centro de Direitos Humanos da Universidade de Coimbra, bem como especialistas de organizações muçulmanas e judaicas.

O presidente da COPIC, o bispo Jorge Pina Cabral, sublinhou: “Esta é uma grande oportunidade para estreitar os laços entre as diferentes igrejas em Portugal, refletindo sobre problemas e desafios comuns que enfrentamos na sociedade. Aprender uns com os outros e estudar juntos é a forma cristã natural de combater o ódio em todas as suas formas”.

O presidente do CEC, o pároco Christian Kriegerele disse: “Em um momento de populismo crescente, combater a disseminação do discurso de ódio é uma responsabilidade que cada um de nós deve assumir. A Conferência das Igrejas Europeias está empenhada em fazê-lo, no seio dos seus membros e em parceria com outras partes interessadas”.

Leia em Riforma.it

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

A memória não é apagada

A memória não é apagada

Foto de Camila Cataldi Roma (NEV), 24 de janeiro de 2023 – “Precisamos dar um bom exemplo. É possível e desejável para o bem de todos fazer alguma coisa, não olhar para o outro lado. E para concretizar as ideias precisamos nos unir”. Vera Vigevani Jarach, "Partidário da Memória", expoente das Madres de Plaza de Mayo, jornalista e ativista, foi protagonista hoje de um encontro com estudantes do ensino médio romano, organizado com a contribuição de Otto per mille da Igreja Valdense, União das Igrejas Metodistas e valdenses e em colaboração com a Associação 24 Marzo. Uma oportunidade de reflexão sobre o tema da memória, no dia e para o dia 27 de janeiro, Dia da Memória, de fato, e sobre o uso cuidadoso das fontes e a coleta de testemunhos. A reunião foi moderada por Valério Cataldijornalista da Rai e presidente da Associação Carta di Roma, e apresentado pela saudação de Marco Forneronepároco da Igreja Valdense na Piazza Cavour em Roma, que sediou a nomeação. No centro do diálogo, a experiência de Vigevani Jarach, que narrou sua vida até a realidade dos migrantes, dos “novos desaparecidos no mar Mediterrâneo”. Desde criança judia obrigada a emigrar para a Argentina, até a luta com as Mães da Praça de Maio: “Não éramos heroínas, só queríamos saber onde estavam nossos filhos. E nós estávamos com medo." Na sala adjacente ao templo valdense onde ocorreu o encontro, também foi montada uma exposição de objetos pertencentes às vítimas do naufrágio de 3 de outubro de 2013 em Lampedusa. A memória de Lampedusa. (Foto de Camilla Cataldi) Valerio Cataldi com Vera Vigevani Jarach Pastor Marco Fornerone Foto de Camila Cataldi Para saber mais: ...

Ler artigo
Bíblia.  Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Bíblia. Uma nova tradução italiana para o Jubileu da Reforma 2017

Roma (NEV), 23 de outubro de 2013 – Uma nova tradução da Bíblia para o italiano. Esta é a iniciativa que a Sociedade Bíblica na Itália (SBI) está lançando em vista do 500º aniversário da Reforma em 2017. "O grande mérito dos reformadores - escreve o pastor Eric Noffke, presidente da SBI, em carta enviada em a ocasião do domingo da Reforma deste ano – foi precisamente a de chamar o cristianismo de volta à sua fonte, a Cristo, ao Verbo de Deus feito carne, cujo único testemunho de autoridade se encontra nas Escrituras do Antigo e do Novo Testamento”. A iniciativa será apoiada não apenas pelo SBI, mas também pelas igrejas evangélicas italianas às quais a carta de Noffke é dirigida para solicitar sua adesão. De facto, os custos não são indiferentes e ascendem a cerca de 500.000 euros num período de dez anos. “Para apoiar o empreendimento contamos não só com o empenho dos executivos nacionais das igrejas, mas pretendemos criar uma rede de indivíduos dispostos a nos apoiar com pequenas mas constantes quantias ao longo do tempo”, especifica o presidente da SBI. O método escolhido para a tradução também será novo. “A Bíblia protestante em italiano está ligada ao nome de um indivíduo, Giovanni Diodati – explica Noffke -. O método que temos em mente é mais coral porque envolve um grupo de tradutores, consultores e revisores escolhidos no mundo da evangelização italiana, para fazer uma tradução fiel à letra dos textos bíblicos e em uma linguagem moderna”. O Novo Testamento e os Salmos devem ser publicados em 2017, ano do Jubileu da Reforma, enquanto a Bíblia inteira deve ser impressa em 2023. “Esta nova tradução pretende dar expressão renovada à Palavra e pretende ser o legado da nossa geração para as que virão”, conclui Noffke. ...

Ler artigo
23 de abril.  Igrejas e visões de mundo, a União Batista relança seu futuro

23 de abril. Igrejas e visões de mundo, a União Batista relança seu futuro

46ª Assembleia Geral da União Evangélica Batista Cristão da Itália (UCEBI), 23 de abril de 2022. Um momento da liturgia da manhã Pomezia (NEV/CS10), 23 de abril de 2022 – A mesa redonda sobre "Igrejas e visões do mundo: 'O arco do universo moral é longo, mas se inclina para a justiça' (Martin Luther King)”. As intervenções estão previstas Alexandre Portelli, Igiaba Scego, Raffaele Volpe, Silvia Rapisarda; moderado Alberto Annarilli. O encontro é organizado no âmbito do 46ª Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI), a decorrer em Pomezia (Roma) até 25 de abril. A mesa redonda representa o momento “público” que acompanha o trabalho programático das igrejas pertencentes à UCEBI. O trabalho da Assembleia – atualização A Assembleia está discutindo os trabalhos do Comitê Executivo e definindo compromissos futuros. Nesta tarde trabalhamos em grupos temáticos: pluralidade de ministérios e igrejas locais. Missão interna e pregação. Dinâmicas de violência e guerra nas igrejas e na sociedade. Solidariedade das igrejas. Intercultura. Entre o destaques da Assembleia houve a apresentação de três jovens ministros de adoração: Francesca Brigapároco probatório em Lentini (Siracusa); Simone De Giuseppeem julgamento em Gravina e Altamura na cidade metropolitana de Bari e Nicolau Laricchio, em julgamento em Rovigo. As eleições para os novos órgãos sociais estão marcadas para amanhã. Além disso, está prevista a aprovação de uma moção programática. Transforme a visão, transforme as ações. A pregação de Francesca Litigio Francesca Litigio abriu o dia de hoje com um sermão que costurou com fio vermelho a transfiguração de Jesus, do Evangelho de Lucas, o visconde de Italo Calvino, o realismo mágico e a história do batismo em geral, a partir da igreja de Lentini, na Sicília. Uma história de fé que perdura até hoje. “A visão da glória de Deus estava presente nos dias em que nossas igrejas trabalhavam para construir espaços para meninos e meninas órfãos da guerra ou filhos de famílias muito pobres para criá-los – disse Litigio -. A visão da glória de Deus esteve presente nos dias em que marchamos juntos contra a militarização de nossas terras, a apropriação de mísseis e a posse de armas. Ela esteve presente nas cidades onde nossas irmãs e irmãos construíram redes de solidariedade para mulheres vítimas de abuso, de violência, vítimas de prostituição. E quando tivemos a coragem de ir mais longe no nosso horizonte e começamos a partilhar os nossos frutos com os homens e mulheres do Zimbabwe”. O jovem ministro também mencionou Martin Luther King, pastor batista e ganhador do Prêmio Nobel da Paz: “Pensamos muito em King e sim, naquele momento, naquele movimento, aquelas pessoas foram inundadas com a glória de Deus, podendo acreditar na transformação mesmo em meio ao impossível e que visão, essa fé é o que deu a ele e a todo o movimento a força para continuar! Hoje: O capitalismo que alimenta as guerras na Síria, no Iêmen, na Ucrânia, quebra a glória de Deus no mundo. A mais infame miséria da pobreza dos rejeitados em fuga sufoca a glória de Deus.A violência do patriarcado contra as mulheres destrói a glória de Deus.O esquecimento dos corpos afogados no Mediterrâneo traz trevas sobre a glória de Deus. As imagens brutais de mortos inocentes tentam sufocar o sopro vital do Espírito que fala da glória de Deus através de nós”. As batalhas, segundo Litigio, ainda não acabaram. “Se não formos nós a juntar as peças, a acreditar na capacidade do amor de Deus para transfigurar a realidade, quem o fará?”. A moderadora da Mesa Valdense Alessandra Trotta saúda a 46ª Assembleia Geral da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI) Saudações e mensagens institucionais Entre os convidados que trouxeram suas saudações, o moderador da Mesa Valdense, Alessandra Trotta e don Juliano SavinaDiretor do Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso (UNEDI) da Conferência Episcopal Italiana (CEI). O Diretor do Escritório Nacional para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da Conferência Episcopal Italiana, P. Giuliano Savina, saúda a 46ª Assembleia Geral da União Evangélica Batista Cristã da Itália (UCEBI) Além disso, esta manhã a delegada da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI) falou, Laura Nittie o secretário da Federação da Juventude Evangélica da Itália (FGEI), Annapaola Carbonato. Ontem, porém, eles trouxeram suas saudações, assim como o presidente da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) Daniele Garronetambém presidente da Ópera das Igrejas Evangélicas Metodistas na Itália (OPCEMI) Mirella Manocchioo presidente da União Italiana das Igrejas Adventistas do Sétimo Dia (UICCA) Stephen Paris e o presidente da Federação das Igrejas Pentecostais (FCP) carmim napolitano. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.