“Desejo de reiniciar” e inovação digital

“Desejo de reiniciar” e inovação digital

foto CELI

Roma (NEV CS/43), 12 de outubro de 2020 – Concluiu-se em Roma a primeira sessão do XXIII Sínodo da Igreja Evangélica Luterana na Itália (CELI), na qual se renovaram os dirigentes e se tomaram algumas decisões importantes para o futuro . Todos os trabalhos foram realizados respeitando as normas anti-covid vigentes.

“O desejo de recomeçar” é a mensagem que sai da reunião sinodal de 9 a 11 de outubro na capital. O sínodo elegeu um novo Bureau e os três membros leigos do Consistório. O cumprimento das normas anticontágio não impediu que os membros do Sínodo se regozijassem com esta oportunidade de se encontrarem face a face. Os luteranos escrevem: “Uma demonstração concreta de que é possível viver a dimensão eclesial e participativa em segurança, ainda que com uma série de apostas, e em todo caso um sinal positivo de recomeço”.

Wolfgang Prader acontece com Georg Schedereit como presidente do Sínodo, apoiado por Ingrid Pfrommertesoureiro cessante do CELI. Christine Fettig E Jens Ferstlque assume o cargo de tesoureiro, são dois dos três membros eleitos para o consistório. Cordelia Vitiellovice-presidente do Consistório e representante legal do CELI, foi reconfirmada em seu cargo.

“Concluídas todas as votações, uma parte substancial do segundo dia de trabalhos do Sínodo foi utilizada para a aprovação do orçamento de 2020 e para a discussão de algumas moções importantes para o futuro do CELI, tudo como sempre de forma muito forma participativa – declarou o CELI –, às vezes até com uma dialética acalorada, mas sempre visando encontrar um ponto de equilíbrio. Entre outras coisas, as modalidades para promover o estudo da Teologia Evangélica na Itália foram acordadas para o estabelecimento de um corpo pastoral do CELI. Uma comissão também foi encarregada de identificar métodos e formatos adequados para uma futura plataforma digital. Por um lado, conectar ainda melhor as 15 comunidades do CELI e, graças à experiência do confinamento, oferecer uma forma digital de vivenciar a igreja e a comunidade; por outro lado, para permitir o acesso não vinculativo a conteúdos espirituais e religiosos a pessoas interessadas fora da igreja.


Vozes do Sínodo (fonte: CELI)

o reitor Heiner Bludau

O resultado deste Sínodo, com sua agenda quase “minimalista” para economizar tempo e garantir segurança, superou em muito minhas expectativas. E por isso sou muito grata a Deus! Em suma, não foi apenas um Sínodo que foi de alguma forma “forçado” devido a prazos iminentes, como a aprovação do orçamento de 2020 e a eleição da Presidência do Sínodo e dos leigos do Consistório. Acredito que a oportunidade de termos podido nos encontrar pessoalmente nos permitiu discutir e tomar decisões inovadoras para o futuro e que são muito importantes, principalmente na situação delicada que (novamente) vivemos.

O presidente do Sínodo Wolfgang Prader

Estou muito feliz que no final foi possível aproveitar a oportunidade de um Sínodo presencial e gostaria de agradecer a todos os participantes por aderirem com grande disciplina às medidas de segurança prescritas, com a obrigação de cobrir a boca e o nariz com a máscara FFP 2 e manter distância. É assim: a troca e o debate acontecem melhor presencialmente do que online. Dados os últimos desenvolvimentos da pandemia, em breve começaremos a avaliar as condições gerais para o próximo Sínodo em abril de 2021, a fim de estarmos prontos para realizá-lo presencialmente ou online, dependendo da situação.

O vice-presidente do Consistório Cordelia Vitiello

Apesar deste momento de grande dificuldade e incerteza conseguimos desenvolver novas ideias. Tenho percebido uma grande vontade de levar a igreja adiante de forma proativa, moderna e atualizada no que diz respeito à sua missão e aos seus valores. Um sopro positivo de novidade que não era nada óbvio diante das difíceis experiências dos últimos meses.


Para mais informações clique aqui.

www.chiesaluterana.it – [email protected] – Chefe de Comunicação CELI/ Kommunikations-Beauftragte ELKI: Nicole Dominique Steiner – Mob. +39 335 7053215

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

o pacifismo de Dorothee Sölle, em 25 de março em Florença

o pacifismo de Dorothee Sölle, em 25 de março em Florença

Roma (NEV), 22 de março de 2023 - Dorothee Solle nasceu em 30 de setembro de 1929 em Colônia. Ela foi definida como uma teóloga da libertação, uma teóloga da liturgia política, uma teóloga sentinela, mas também se poderia dizer de sua paciente mística, resistente, revolucionária, poetisa e militante pacifista. É sobre a sua figura, no vigésimo aniversário da sua morte, que as intervenções da mesa redonda pública organizada pela Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), no seio do seu XIII Congresso que terá lugar em Florença no próximos dias, vai girar. Encontro no sábado, 25 de março, às 18h, no grande salão do Gould Institute, na via de' Serragli, 49. Título: “Misticismo e resistência: o pacifismo de Dorothee Sölle como opção de vida resistente”. Com Alice Bianchi, Fabrício Bosina, Letizia Tomassone. Moderado Elena Ribetrepórter da agência de notícias Nev. Teólogo evangélico, Sölle também estudou filosofia e literatura. Foi ela quem cunhou o termo “Cristofascismo”. Foi dele também a intuição de uma chamada “hermenêutica da fome”, onde a fome significa fome de pão, fome dos pobres, mas também fome de sentido e de espiritualidade. Entre os escritos de Sölle, lembramos "o choro silencioso”, um volume sobre figuras místicas de todas as religiões: hinduísmo, judaísmo, islamismo, cristianismo… emblemas da espiritualidade entre os quais provavelmente poderíamos incluir a própria Sölle hoje. E também "Trabalhar e amar" publicado na Itália por Claudiana; "Sofrimento"; “Paciência Revolucionária” (poemas). Abaixo está o panfleto. A mesa redonda é organizada pela FDEI em colaboração com a Faculdade Valdense de Teologia em Roma, livraria Claudiana Florence, com a contribuição de fundos Otto per mille da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. ...

Ler artigo
“Sonhar mesmo de olhos abertos para o nosso bem”

“Sonhar mesmo de olhos abertos para o nosso bem”

A partir da esquerda, Daniele Garrone, Giampiero Comolli, Manuel Kromer. 19 de agosto de 2023 - Torre Pellice (TO) Torre Pellice (NEV), 22 de agosto de 2023 – À margem do Sínodo Valdense de 2023, será realizada a apresentação do livro “Bíblia e sonho” de Giampiero Comolli. O pastor conversou com o autor Daniele Garrone, presidente da Federação das Igrejas Protestantes da Itália (FCEI), além de professor de Antigo Testamento na Faculdade Valdense de Teologia. Ele moderou a reunião Manuel Cromerdiretor da editora Claudiana. Daniele Garrone fez uma série de perguntas e focou em alguns temas que perpassam o livro de Comolli, onde o sonho da Bíblia é contado com diferentes facetas e aparece como uma revelação misteriosa. Garrone começa com uma excursão. Ernesto Ayassot foi pastor em Turim de 1954 a 1968 e proferiu uma série de sermões sobre “As montanhas da Bíblia”. Não no perdão, na graça, em Deus, mas nas montanhas. “Pensemos no Sinai, esta montanha que tem dois nomes e ninguém sabe onde fica”, disse Garrone. Poderíamos escrever um livro sobre as montanhas do ponto de vista arqueológico, histórico, geográfico... e em vez disso temos sermões aqui. Outro exemplo: “riso”, no sentido de “riso” na Bíblia. Garrone cita volumes sobre humor na Bíblia, na antiguidade, na Grécia (o próprio Garrone assina alguns ensaios sobre o tema do riso, da comédia, mas também "Rir e zombar na Bíblia Hebraica"). As Escrituras se prestam a muitos temas: vinho na Bíblia; o porco da Bíblia (estudo realizado em Fossano no âmbito de uma iniciativa da Faculdade de Veterinária); pão (sobre o qual podem ser encontradas monografias, como verbete específico em enciclopédia acadêmica); mas também a espada, a prostituta ou muitos outros temas e palavras-chave. O livro de Comolli fala sobre sonhos e sono na Bíblia. “Quando este livro chegar à biblioteca vamos colocá-lo na categoria 'edificação' – diz Garrone -. Aqui encontramos a construção de um discurso que toma o texto tal como ele é, muito de perto, o acompanha e o lê. Por exemplo, ao ler o sonho da mulher de Pilatos, Comolli procura uma ligação com o famoso gesto de ‘lavar as mãos’”. Mateus escreve: “Enquanto ele estava sentado no tribunal, sua esposa lhe mandou um recado: «Não se envolva com aquele justo, porque hoje sofri muito em sonho por causa dele»”. E um pouco mais adiante: “Pilatos, vendo que não obteve nada, mas que surgiu um alvoroço, pegou um pouco de água e lavou as mãos na presença da multidão, dizendo: «Sou inocente do sangue deste justo; pense nisso". O que conecta essas duas frases? Para Comolli, a palavra “certo”. Garrone diz: “É também uma intuição no nível exegético. Aparentemente, construções estrangeiras aparecem perto de nós. Comolli tem a capacidade de se questionar e abraçar o texto para repeti-lo”. A construção de Comolli, segundo Garrone, é “sapiencial”. Em alguns desses livros da Bíblia, às vezes um pouco “esnobados” pelos protestantes (como Provérbios, Jó), encontramos – continua o pastor – uma voz que “Quer nos guiar para uma vida de sucesso, nos ensinar a viver bem , para ter sucesso. Ensina-nos a não falhar com a experiência. Pensemos no versículo do salmo ‘Em ritmo dormirei’. A Bíblia, para Comolli, também pode nos mostrar um método para encontrar boas imagens hipnagógicas. Nas escrituras podemos procurar palavras, murmurar palavras que atuam em nós e ajudam a regenerar. Podemos aprender a dormir, a sonhar acordado para o nosso próprio bem." Daniele Garrone conclui seu discurso com uma “pergunta crítica” a partir do sonho de Salomão. “Quando Deus diz a Salomão para perguntar o que quiser, Salomão diz: 'Dê ao seu servo um coração compreensivo para que eu possa administrar justiça ao seu povo e discernir o certo do errado; porque quem no mundo poderia administrar justiça a este teu povo tão numeroso?'. Um rei deve saber julgar e governar, e por isso nos perguntamos: este texto fala conosco? Poderíamos voltar a um germe de sonho? No Antigo Testamento os sonhos são contados a partir do significado, e quem conta a história inventa o sonho. Até as visões são muitas vezes um pretexto para dizer mais. Por exemplo, quando eu era consultor bíblico dos filmes de Bernabei, os designers gráficos tinham dificuldade em imaginar as máquinas voadoras do Apocalipse. O autor do Apocalipse, expliquei, construiu essas imagens a partir de símbolos, pois é o símbolo que determina a representação – conclui Garrone -. E o significado é transposto como significante”. Referindo-se também às suas próprias experiências oníricas, Comolli “explora as narrativas dos sonhos e das horas noturnas presentes na Bíblia: encontrará ali aquelas palavras que nos ajudam a fechar os olhos com serenidade à noite, e a reabri-los com serenidade novamente à noite. manhã. São passagens bíblicas que nos abrem um mundo novo: a maravilha inesperada do sono tranquilo e luminoso”, lê-se no site Claudiana. O próprio Comolli escreve: “Existe uma sabedoria bíblica de dormir bem, uma forma bíblica de ir para a cama em paz, de estar preparado para receber sonhos de vida. Um ensinamento ainda mais precioso numa época como a nossa, em que facilmente dormimos pouco e até mal, muitas vezes agitados pela ansiedade, muitas vezes apenas acalmados por um poderoso comprimido para dormir. Enquanto nas Escrituras encontramos palavras que à noite nos ajudam a fechar os olhos com tranquilidade, a reabri-los com tranquilidade pela manhã. Seria então necessário procurá-los com cuidadosa calma, tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento. E talvez realmente valha a pena. Porque, uma vez finalmente colocadas uma ao lado da outra, estas palavras nos abrirão um mundo novo: a maravilha inesperada do sono tranquilo e luminoso, dos sonhos tão regeneradores, esperançosos e consoladores, que nos fazem supor que nos foram enviados por o Espírito Santo. o mesmo que o Senhor". A apresentação foi realizada na galeria cívica Filippo Scroppo em Torre Pellice (TO) no dia 19 de agosto de 2023. ...

Ler artigo
6 de maio.  Zoom reunião sobre esperança

6 de maio. Zoom reunião sobre esperança

Roma (NEV), 6 de maio de 2022 - A Semana de evangelização está em andamento até 8 de maio. Organizado por uma Comissão especial, indicada pelo Conselho Valdense e coordenada por Mário Cignoniestá aberto a todos os interessados. A Semana é inspirada no versículo "Aqueles que esperam no Senhor ganham novas forças" (Isaías 40:31). Entre as iniciativas, está agendado para hoje, às 18h, um zoom meeting sobre o tema da esperança. Uma breve introdução será seguida de um debate aberto com perguntas e respostas ao vivo. Aqui está o link de acesso: “Este encontro não está reservado apenas ao público das nossas igrejas, mas está aberto a todos os que queiram participar” escrevem os organizadores. Haverá a oportunidade de fazer perguntas ao vivo sobre o tema da Semana a um jovem pároco, Francisco Marfee ao pároco emérito José Platão. Conduza o debate Simona Menghini, da Comissão de Evangelização e membro da Comissão de Comunicação da Igreja Valdense – União das Igrejas Metodista e Valdense. A ideia, concluem os promotores, é abordar o tema da esperança "livremente e sem mediações, na consciência de que devemos aprender a estar 'prontos para prestar contas da esperança que há em nós' (1 Pd 3,15)" . Para ver outros recursos relacionados à Semana, clique aqui: Vídeo sobre Esperança ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.