Interconectados?  Fé e ecologia na era digital

Interconectados? Fé e ecologia na era digital

Roma (NEV), 15 de outubro de 2019 – A conferência “Inter-connecti? Fé e ecologia na era digital”, em colaboração entre a Igreja Evangélica Batista de Cagliari, a Pontifícia Faculdade Teológica da Sardenha e o Departamento diocesano de Pastoral Social e Trabalhista.

“Queríamos fazer esta pergunta para incitar os palestrantes a encontrar uma visão comum – disse o pastor e teólogo batista Elizabeth Green à Agência NEV –. O que acontece quando estamos interconectados? O significado é criar a ocasião para um olhar recíproco. Combinar ecumenismo e ecologia, essa é a aposta. Aqui e em Sulcis estamos trabalhando essas questões, de baixo, de forma ecumênica. Acho interessante uma discussão com quem trabalha de cima, numa troca em pé de igualdade com quem é academicamente engajado”.

Abaixo está o programa. Faça o download do pôster INTER CONNECTED aqui.

Sexta-feira, 18 de outubro, às 16h30

Saudação e apresentação: Francesco Maceri SJ, decano da Pontifícia Faculdade Teológica da Sardenha.

Moderado: Elizabeth Greenpastor e teólogo da Igreja Evangélica Batista

17h00 Reportagem: Separe e conecte. sabedoria bíblica Ângelo Reginatopastor e biblista, membro do Departamento de Teologia da União Cristã Evangélica Batista da Itália (UCEBI)

17h45 Intervalo

18h00 Reportagem: Laudato si’: uma abordagem de sistemas complexos Mauro Bossi SJ, editor da revista Updates Sociali

18h45: Discussão

19h15: Apresentação da exposição fotográfica: Terra para habitar, beleza para manter, editado pela Coordenação Regional para o projeto cultural da Conferência Episcopal da Sardenha. A exposição estará patente na Faculdade até 31 de Outubro

Sábado, 19 de outubro, às 9h30

Moderador: Pe. Mário FarciPontifícia Faculdade Teológica da Sardenha

Relação: Tecendo redes: ecúmeno e ecologia? Simone Morandiniprofessor do Instituto San Bernardino de Estudos Ecumênicos – Veneza

10.15 Discussão

Quebrar

11h00 Mesa Redonda: Moderada pelo Pe. José TiloccaPontifícia Faculdade Teológica da Sardenha

Caixas de som:

Excelentíssimo Dr. Gianni LampisConselheiro para a Defesa do Meio Ambiente – Região da Sardenha)

dr. Charles MiliaPresidente do Eco-instituto do Mediterrâneo)

Dr. Daniela Ducatoreferência em produção industrial circular La Casa Verde CO2.0

Conclusões: Mons. Arrigo MiglioArcebispo de Cagliari, Grão-Chanceler da Pontifícia Faculdade Teológica da Sardenha.

A conferência será realizada na Aula Magna da Pontifícia Faculdade Teológica da Sardenha, na via Enrico Sanjust, 13 – Cagliari.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

Metodista Gillian Kingston sobre sinodalidade, Brexit, Irlanda

Metodista Gillian Kingston sobre sinodalidade, Brexit, Irlanda

Gillian Kingston com Marta Bernardini, Daniele Garrone e Luca Baratto Roma (NEV), 21 de janeiro de 2022 – “Sirva o presente” é o título da conferência que Gillian Kingstonvice-presidente da Conselho Metodista Mundial (WMC), realizada em Roma na última quinta-feira, 21 de janeiro, no Pro Union Center. Gillian Kingston Antes da conferência, Kingston, membro da Igreja Metodista na Irlanda, visitou os escritórios da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI), onde foi recebida pelo pastor Daniele Garronepresidente da FCEI, de marta bernardinicoordenadora do Mediterranean Hope – FCEI Refugee and Migrant Programme, da Bárbara batalhaeditor do NEV/Notícias Evangélicas e pastor Luca Baratto, Secretário Executivo da FCEI. Em conversa com representantes da Federação Evangélica de Kingston, ele falou sobre a sinodalidade e a Irlanda. “Durante esta Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos – explicou Kingston -, fui convidado pelo centro Pro Unione para falar sobre a sinodalidade. É um assunto ao qual a Igreja Católica Romana está dedicando muita atenção, convidando também expoentes de outras igrejas cristãs para apresentar sua experiência e seu ponto de vista sobre o assunto”, explicou Kingston. “Naturalmente – continuou o vice-presidente mundial dos metodistas – meu ponto de vista parte do conceito de sacerdócio universal e do ministério de todo o povo de Deus, ou seja, de todos os batizados. Isso já indica que nas igrejas metodistas os ministros ordenados e os leigos têm papéis diferentes, mas gozam do mesmo status dentro da igreja". “Esta igualdade surge também da experiência do primeiro movimento metodista que se estruturou na chamada sociedade instalações, visitadas periodicamente por João Wesley, o fundador do movimento, mas dirigido por leigos. A liderança leiga é, portanto, um elemento fundador do Metodismo. O principal órgão de tomada de decisão da igreja, a Conferência Metodista, é uma assembléia de ministros meio ordenados e meio leigos. Em conversa com o presidente da FCEI, Kingston também mencionou sua terra natal, a Irlanda. “Sou uma irlandesa que pertence à Europa”, disse Kingston, que mora na República da Irlanda, referindo-se ao Brexit e à enorme questão de fronteira que isso acarreta. “Ninguém quer o ressurgimento de fronteiras rígidas entre a República e a Irlanda do Norte. E, por outro lado, os partidos unionistas não querem uma fronteira no Mar da Irlanda”. “É preciso saber olhar a história passada na perspectiva de reconciliar memórias – continuou Kingston -. Nisso Década do Centenário (2012-2023), que comemora aniversários ainda divisivos na Irlanda, incluindo o tratado anglo-irlandês que definiu a divisão da Irlanda em duas partes, a guerra civil de 1921-23 e o início dos problemas em 1968, as narrativas históricas divergem acentuadamente : alguns pretendiam celebrar certos eventos, outros para comemorá-los. Chegar a uma narrativa comum de nossa história é uma meta que ainda está diante de nós." ...

Ler artigo
Par ou ímpar?  Uma questão de gênero.  19 de agosto com a Diaconia

Par ou ímpar? Uma questão de gênero. 19 de agosto com a Diaconia

Roma (NEV), 10 de agosto de 2023 - Está tudo pronto para a 15ª edição do "Frontiere Diaconali", evento organizado anualmente pela Comissão Sinodal para a Diaconia (CSD-Waldensian Diaconia) na véspera da abertura do Sínodo dos Metodistas e igrejas valdenses. O título do evento deste ano é “Par ou Ímpar? Uma questão de gênero”. O tema foi escolhido, escrevem os organizadores, “à luz da recente aquisição de Certificação UNI/PdR 125”, a certificação sobre igualdade de gênero. Este importante reconhecimento diz respeito ao compromisso com a inclusão e o empoderamento feminino no ambiente de trabalho. Esta é a norma nacional dedicada à igualdade de género, em cumprimento das indicações da União Europeia. Para a diaconia valdense, a igualdade de gênero é um tema “muito atual, com particular atenção à sua decadência no mundo do trabalho”. Encontro, portanto, para sábado, 19 de agosto, às 17h15, no templo valdense de Torre Pellice, na província de Turim. Plano Saudações introdutórias do Presidente da Diaconia Valdense, pároco Francisco Sciotto Mensagem da Presidente da Federação das Mulheres Evangélicas da Itália (FDEI), pároca Mirella Manocchio Seguindo, Mônica Fabbrimoderador do encontro e membro do CSD e do Comitê de Igualdade da Diaconia Valdense, dialogará com Alexandre Rizzopesquisador do Instituto Nacional de Análise de Políticas Públicas. Fabbri e Rizzo se juntarão Marzia Disarò E Miriam Mourgliamembros do Comitê de Igualdade da Diaconia, para falar sobre o compromisso do CDS neste setor e pensar em estímulos e perspectivas futuras. “O evento também será uma oportunidade para ilustrar o novo documento da Diaconia Valdense sobre o meio ambiente 'Meio ambiente, desejos e consumo. Em busca do bem ecossustentável da cidade', – releia em site –: com uma breve entrevista com Stephen Bertuzzi E Silvia Davidintegrantes do grupo de trabalho sobre meio ambiente. O encontro será concluído com a apresentação de dois novos números da série “I Quaderni della Diaconia”: “Par ou ímpar? Uma questão de gênero” e “Ambiente, desejos e consumo”. Segue-se o lanche oferecido pela Diaconia Valdense. Faça o download do poster com o programa completo. ...

Ler artigo
Proteção ambiental e biodiversidade na Constituição.  Um ano depois

Proteção ambiental e biodiversidade na Constituição. Um ano depois

Foto retirada de www.ilviaggiodellacostituzione.it/ Roma (NEV), 21 de fevereiro de 2023 – Um ano após a introdução das emendas aos artigos 9 e 41 na Constituição, a Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) publica um ad hoc documento. No texto, o GLAM exorta a não perder a fé na autoridade deste instrumento de garantia democrática e equidade social (a Constituição), “em várias partes esvaziado e dobrado à interpretação liberal da sociedade que dominou estas últimas décadas. Saber que a integração dos dois artigos da Constituição desejada há um ano une a Itália a tantos países europeus é um incentivo para conceber uma coexistência reconciliada com o resto da criação e o meio ambiente e estar vigilantes também como cristãos e como igrejas escreve GLAM . Talvez mais se esperasse. Sobretudo no que diz respeito aos objetivos de mitigação das alterações climáticas, parando o consumo do solo, reduzindo os poluentes atmosféricos - especialmente no Vale do Pó -, florestando, melhorando as condições do gado, ou ampliando os espaços livres da presença humana e devolvidos às espécies selvagens. Atenção e vigilância, prossegue GLAM, devem também recair sobre os processos de Avaliação de Impacto Ambiental (EIA) e Avaliação Ambiental Estratégica (AAE), muitas vezes pautados por interesses distantes dos princípios constitucionais. "Em teoria, os acréscimos aos artigos 9º e 41º deveriam acelerar a transição para as energias renováveis, as autorizações para centrais eólicas e fotovoltaicas e a legislação sobre comunidades energéticas" lê-se no documento, que por fim sublinha que "a fiscalização do cumprimento da Constituição pressupõe uma correcta funcionamento dos três poderes do Estado em que assenta a democracia, mas num tempo de excepções e emergências é difícil servir os interesses das gerações mais novas, optar por preservar a possibilidade de um futuro". Leia o documento GLAM: Proteção ambiental e biodiversidade na Constituição um ano depois. Na agenda Na quarta-feira, 22 de fevereiro, às 10h, na Biblioteca Casanatense de Roma, a Aliança Italiana para o Desenvolvimento Sustentável (ASviS) convida você para o encontro "Constituição, meio ambiente e gerações futuras: um ano depois, onde estamos?", precisamente por ocasião da o primeiro aniversário da obtenção de “um dos seus resultados mais importantes, nomeadamente a inclusão na Constituição do princípio da 'justiça intergeracional' na base do conceito de desenvolvimento sustentável”. O evento pretende ser uma oportunidade para refletir com representantes das instituições e da sociedade civil sobre as consequências da reforma constitucional aprovada quase por unanimidade em fevereiro de 2022. Uma reforma que, segundo a ASviS, “acelera o ritmo de implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas e não pode deixar de provocar importantes mudanças nas políticas e no comportamento dos agentes econômicos, sociais e institucionais". ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.