O “Tempo da Criação” na Europa e no mundo

O “Tempo da Criação” na Europa e no mundo

Roma (NEV), 25 de julho de 2019 – O período litúrgico conhecido como “Tempo da Criação” é celebrado de 1º de setembro a 4 de outubro em um número crescente de igrejas, na Europa e no mundo. A ideia original remonta a 1989, quando o Patriarca Ecumênico Dimitrios ele sugeriu que o primeiro dia do ano ortodoxo, precisamente 1º de setembro, fosse considerado um dia “de proteção ao meio ambiente”. A Assembleia Ecumênica Européia em Graz (Áustria) em 1997 lançou as bases para expandir a proposta e a Rede Cristã Européia para o Meio Ambiente (ECEN) exortou as igrejas a adotar um “Tempo da Criação” estendendo-o até 4 de outubro, o de Francisco de Assis. A celebração deste “tempo litúrgico”, que se realiza através da oração, do culto cristão e de outras iniciativas, foi também endossada pela 3ª Assembleia Ecuménica Europeia em Sibiu, em 2007, que recomendou a sua dedicação “à oração pela protecção da Criação e à a promoção de estilos de vida sustentáveis ​​que revertam o curso do nosso comportamento que tem causado as mudanças climáticas”. Finalmente, em 2015 Papa Francisco introduziu o dia 1º de setembro como o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação na Igreja Católica, em linha com o que a Conferência Episcopal Italiana (CEI) já vinha fazendo na Itália desde 2006.

“Por toda a Europa, assim como em cada vez mais outras partes do mundo, os cristãos preparam materiais litúrgicos sobre o tema da criação”, diz o site ECEN, que coleta esses materiais para disponibilizá-los às igrejas e comunidades para uso durante o Tempo de Criação e ao longo do ano.

Um novo site em vários idiomas (inglês, francês, italiano, espanhol, português, polonês) também coleta os compromissos que estão sendo organizados em todo o mundo. Em junho, vários líderes religiosos anglicanos, ortodoxos, protestantes e católicos assinaram uma carta-convite para celebrar o Tempo da Criação 2019, que este ano tem como título “A teia da vida: a biodiversidade como bênção de Deus”.

“Nos unimos como uma só família em Cristo com espírito ecumênico, reconhecendo que a criação é doada a todos nós e que somos chamados a compartilhar a responsabilidade de sua proteção”, diz o documento. Os signatários lamentam a extinção de várias espécies, para as quais “as criaturas de Deus estão desaparecendo da Terra … De insetos humildes a mamíferos majestosos, de plâncton microscópico a árvores imponentes” e pedem que uma voz unida seja levantada este ano na ocasião a cúpula climática da ONU em setembro, o Sínodo Católico sobre a Amazônia em outubro e a conferência climática da ONU em novembro.

A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Evangélicas da Itália (FCEI) preparou, como de costume, um dossiê com materiais bíblicos e litúrgicos para o Tempo da Criação.

O documento pode ser baixado clicando no seguinte título:

“Na sociedade de Deus não há desperdício. Questionado pela prioridade das alterações climáticas”.

admin

admin

Deixe o seu comentário! Os comentários não serão disponibilizados publicamente

Outros artigos

24 de fevereiro.  “A paz é a vitória que precisamos”

24 de fevereiro. “A paz é a vitória que precisamos”

Roma (NEV), 22 de fevereiro de 2023 – 24 de fevereiro marca o primeiro aniversário do início da invasão russa da Ucrânia. A Comissão de Globalização e Meio Ambiente (GLAM) da Federação das Igrejas Protestantes na Itália (FCEI) e o Interfaith Center for Peace (CIPAX) continuam a jornada inter-religiosa no âmbito das iniciativas da Europa pela paz. Com o lema “Esta guerra tem de acabar!”, as duas siglas pretendem lembrar “que a guerra, todas as guerras têm de acabar, que queremos paz, justiça e desarmamento, incluindo o desarmamento nuclear”. Com esta premissa, convoca-se, portanto, um novo momento de espiritualidade compartilhada. O encontro é em Roma, sexta-feira, 24 de fevereiro, das 18h às 19h30, na Igreja Cristã Evangélica Batista na via del Teatro Valle 27. “Convidamos a aderir crentes de todas as fés e não crentes, associações e movimentos que compartilham o apelo da Europa pela paz. Cada um trará sua própria contribuição de pensamentos, valores, sentimentos e propostas – escreva GLAM e CIPAX -. Gostaríamos que nosso caminho inter-religioso fosse fortalecido em torno de um grupo promotor que pudesse contribuir para a abordagem inter-religiosa, que se mostrou tão crucial também nesta guerra, e fortalecer as atividades da Europa pela paz e da Rede Italiana de Paz e Desarmamento ( RIPD). O Momento de espiritualidade compartilhada também servirá para essa comparação”. Para inscrições no Momento de espiritualidade compartilhada: comissã[email protected] ; [email protected] Para todas as outras iniciativas da Europa pela paz: Abaixo, o apelo da Europa pela paz/RIPD 24 de fevereiro de 2022 - 24 de fevereiro de 2023 VAMOS PARAR A GUERRA NA UCRÂNIA Um ano de guerra é demais! Iniciativas em toda a Itália e em toda a Europa A invasão russa da Ucrânia começou em 24 de fevereiro de 2022. Uma violação da Carta da ONU e do direito internacional que exige justiça imediata."Europe for Peace" convida você a promover mobilizações em cidades italianas e europeias um ano após a invasão da Ucrânia para pedir um cessar-fogo, diálogo e negociações de paz para construir uma Europa segura e pacífica para todos. Mostre solidariedade ao povo ucraniano e às vítimas de todas as guerras, violência, repressão e discriminação no mundo. A paz é a vitória que precisamos! ...

Ler artigo
Génova.  Hospital Evangélico Internacional “Lado da Mulher”

Génova. Hospital Evangélico Internacional “Lado da Mulher”

Roma (NEV), 17 de abril de 2023 – A conferência “Do lado da mulher, proteção e assistência em casos de violência” é realizada em Gênova na quarta-feira, 19 de abril. Caminhos da rede regional e nacional de apoio às mulheres vítimas de violência". Organizado porHospital Evangélico Internacional de Gênova (OEIGE)a conferência envolve várias realidades, associações, centros e instituições anti-violência. A inauguração de duas bancadas vermelhas também está na agenda. Os créditos de treinamento CME são fornecidos para profissionais de saúde. Os trabalhos, que também podem ser acompanhados online a partir das 9h30, abrem com as saudações de: Bárbara Oliveri CavigliaPresidente do OEIGE; Alessio ParodiDirector Geral;Denise Ashing DardaniVice-presidente; Marinella Fulgheri, Resp. Estrutura Simples - Direcção de Saúde. Está também prevista uma intervenção do Moderador da Mesa Valdense, diácono Alessandra Trotta. Entrevistado por Daniela Churrasqueira sobre Rádio Beckwith, Barbara Oliveri Caviglia diz: “Teremos dois bancos vermelhos: um na sede de Castelletto e outro na guarnição de Voltri. É um gesto simbólico que, se por um lado quer concretamente captar a atenção de quem por ali passa, sensibilizando ainda que por pouco tempo para os feminicídios e a violência contra as mulheres, por outro quer reafirmar a atenção e o compromisso que o hospital tem com essa questão e com a mulher em geral, desde o nascimento até a velhice. Essa atenção também é reconhecida pelo Observatório Nacional de Saúde da Mulher (ONDA) que, há muitos anos, nos recompensa com selos rosaque se prestam a hospitais próximos da mulher, ou seja, onde são oferecidos serviços dedicados à prevenção, diagnóstico e tratamento das principais patologias femininas". O projeto é realizado graças às contribuições doOtto per mille da Igreja Valdense - União das Igrejas Metodista e Valdense. Acesse a entrevista completa em RBE. Descarregue o flyer com o programa completo: Paths_of_the_regional_and_national_network_in_support_of_women_victims_of_violence_-_poster_conference_19_abril_2023 Informações: [email protected] ...

Ler artigo
UE e Igrejas protestantes pedem cessar-fogo na Ucrânia

UE e Igrejas protestantes pedem cessar-fogo na Ucrânia

9 de abril de 2017, Botkyrka, Suécia: Domingo de Ramos na Igreja de Tullinge, da Igreja da Suécia. Roma (NEV), 24 de fevereiro de 2022 – Pare a guerra, imediatamente. A Igreja da Escócia pediu-o há pouco, nesta declaração, na qual "também se junta à Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas, à Federação Luterana Mundial, à Conferência das Igrejas Europeias e ao Conselho Mundial das Igrejas no trabalho conjunto para apoiar as igrejas e o povo ucraniano na busca de uma solução pacífica". Senhor WallaceModerador da Assembléia Geral da Igreja da Escócia, disse: “Nossas orações estão com o povo ucraniano sob ataque e temendo por suas vidas. Apelamos ao governo do Reino Unido para se juntar aos governos de todo o mundo para persuadir conjuntamente todas as partes a concordar com um cessar-fogo e retornar à mesa de negociações imediatamente. Ao mesmo tempo, pedimos ao governo do Reino Unido que prepare uma generosa resposta humanitária para ajudar as pessoas que fogem da guerra. Um plano deve ser preparado agora para receber e reassentar os refugiados do conflito e para ajudar os países vizinhos a responder localmente à crise. A pandemia de Covid e a intensificação da crise climática mostraram-nos que nenhuma catástrofe pode ser isolada e o que afeta uma região afeta-nos a todos”. O Conselho Mundial de Igrejas também denunciou a denúncia de "qualquer uso de forças armadas mortais para resolver disputas que poderiam ser resolvidas por meio do diálogo". Em nota assinada pelo secretário geral Ioan Sauca, o organismo ecumênico reafirmou o "diálogo - baseado nos princípios do direito internacional e no respeito às fronteiras nacionais estabelecidas" como "o caminho certo para resolver as tensões que afetam a Ucrânia". Pedimos o fim imediato das atuais hostilidades armadas e a proteção de todas as vidas e comunidades ameaçadas por esta violência. Pedimos a todas as igrejas-membro e a todas as pessoas de boa vontade em todo o mundo que se juntem a nós em oração pela paz para o povo da Ucrânia e da região." A Conferência das Igrejas Européias (KEK), a Federação Luterana Mundial (LWF), a Comunhão Mundial das Igrejas Reformadas (WCRC) e o Conselho Metodista Mundial (WMC) também estão pedindo orações pela paz para o povo da Ucrânia e da região. “Este é o momento para as igrejas na Europa e em todo o mundo formarem uma forte aliança de solidariedade com as pessoas que temem o impacto da guerra na Ucrânia. O momento de nos unirmos em oração pelas pessoas que têm o poder de tomar decisões que salvarão vidas e tornarão a paz possível”, disse o secretário-geral do CEC, Jørgen Skov Sørensen. “Jesus nos chama a ser mensageiros de esperança que trabalham pela paz. Como igrejas cristãs, portanto, exigimos uma redução imediata desse conflito, para que as vidas, os direitos humanos e a dignidade das pessoas na Ucrânia sejam protegidos”, disse o secretário-geral da LWF, pastor Anne Burghardt. “Como as escrituras nos incentivam a nos afastar do mal e fazer o bem, a buscar e buscar a paz (1 Pedro 3:11), consideramos esse ataque não provocado como um mal e nos esforçamos para fazer tudo o que pudermos para resistir a ele - enquanto também preparamos para ajudar os afetados por ela”, disse a Secretaria Geral Colegiada do WCRC, composta por Hanns Lessing, Philip Peacock e Phil Tanis. “Apesar do que está acontecendo na Ucrânia, ainda acredito que a comunidade internacional pode fazer a diferença enquanto trabalhamos coletivamente pela paz na região”, disse o secretário-geral do WMC, Rev. Ivan AbrahamsConselho Metodista Mundial WMC. Em seu apelo à oração pelo povo da Ucrânia e da região, as quatro organizações cristãs observam que o ataque militar ameaça a vida dos ucranianos, bem como a paz em toda a Europa e além. “A crise é urgente e requer atenção e solidariedade da comunidade cristã global”. ...

Ler artigo

Otimizado por Lucas Ferraz.